O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Categoria: Reiki (Page 1 of 63)

Mikao Usui um homem de grandes virtudes e méritos

Masayuki Okada, Doutor em Literatura, membro da Associação do Mestre Mikao Usui, escreveu as palavras de “O Memorial Das Grandes Realizações do Mestre Usui”, que pode ser visto no Templo Saihoji, em Tóquio.

Ele inicia as palavras deste memorial, escrito em Fevereiro de 1927, da seguinte forma:

Chamamos àquele que obteve a qualidade e a força mental, em si mesmo, trabalhando arduamente, um homem de virtude e àquele que espalhou um caminho de salvação e ajudou muitas pessoas um homem de excelência. Um grande apóstolo é o único que tem esta virtude e esta excelência. Desde tempos antigos, muitas grandes pessoas como homens sábios, filósofos, autores de estudos ou religiões eram assim, e o Mestre Usui também era um deles.O Mestre foi o fundador de um método «de como promover a saúde do seu corpo e mente, usando a energia espiritual do Universo (Reiki)». Ao ouvir falar da sua reputação, muitas pessoas vieram ter com ele de todos os lados e desejaram aprender ou ser tratadas por ele. Ele era muito popular… O seu nome era Mikao Usui, também conhecido como Kyoho. Nasceu na aldeia de Taniai, Yamagata, na província de Gifu, e era antepassado de Tsuname Chiba, que foi general do exército entre o final do período Heian e o início do período Kamakura. O seu pai era chamado Taneuji, conhecido como Uzaemon, e a sua mulher vinha da família Kawai. Nasceua 15 de agosto de 1865. Desde criança que estudava arduamente e a sua habilidade era superior à dos seus amigos.

As virtudes e Méritos de Mikao Usui

Sabemos que o Mestre Usui teve milhares de alunos e que viajou entre muitas terras, mas não foi por isso que ele foi considerado uma pessoa de virtudes e méritos, mas sim por ter fundado um método “de como promover a saúde do corpo e da mente”, através de Reiki. Mesmo este método terapêutico, pode ser comparado a centenas de muitos outros onde as mãos são colocadas para que aconteça um fluxo de energia, mas as virtudes e méritos vêm de algo muito mais profundo – a filosofia de vida, a missão do método e o seu conceito sobre a prática e aquele que pratica.

As virtudes e méritos pela filosofia de vida

Quando alguém cria uma filosofia de vida que visa a “melhoria do corpo e da mente” e promove um caminho de autodescoberta e aprimoramento interior, essa é uma pessoa de mérito. Os cinco princípios que o nosso Mestre Mikao Usui legou começam pela constatação do momento presente, só por hoje:

  1. Sou Calmo;
  2. Confio;
  3. Sou grato;
  4. Trabalho honestamente;
  5. Sou bondoso.

Estes princípios são como uma bússola que nos guia pela vida, eles promovem a harmonia, a confiança, a compreensão pelas lições de vida, a honestidade e uma vida bondosa.

As virtudes e méritos pela missão do método

Algo que nos faz refletir bem sobre todas as atitudes que tomamos é a definição do método que praticamos. Dizia o Mestre Usui:

A missão do Usui Reiki Ryoho  é guiar para uma vida pacífica e
feliz, curar os outros, melhorar a sua felicidade e a nossa.

Assim, um praticante de Reiki precisa definir a sua vida não para criar conflitos, mas para construir a paz, não para levar sofrimento aos outros, mas para os aliviar dele. Alguém que contrói um método assim, é uma pessoa de grande virtude e mérito.

As virtudes e méritos pelo conceito sobre a prática e aquele que pratica

Reiki não é apenas aplicar as mãos e deixar fluir energia. Esse é um entendimento superficial, pois para nos ligarmos a esse fluir, precisamos compreender o seguinte.

Dizia o Mestre Usui:

A lei natural do Grande Universo e cada espírito humano, como
Pequeno Universo, devem ser constantemente unidos, existindo como um.

E mais ainda:

Tudo no Universo é produzido e desenvolvido pelo magnífico Reiki, que preenche o Grande Universo. Os humanos são um microcosmos que obtêm o Grande Espírito do macrocosmos; todos têm uma parte deste Grande Reiki no seu corpo. Assim, devemos sempre tentar cultivar a espiritualidade para que possamos receber o mais possível o Grande Reiki do Universo.

Assim, observamos que o Mestre Mikao Usui era um homem extraordinário, um observador da natureza e, como tal, um entendido na relação entre homem e universo, na relação entre todas as coisas. Era um homem de virtudes e méritos.

Tendo a sintonização já se é praticante?

Quando recebemos uma sintonização de Reiki isso poderá ser pelas mais variadas razões. Desde um apoio terapêutico a, realmente, uma base para um trabalho pessoal dentro daquilo que é o Usui Reiki Ryoho.

A sintonização e a prática

Apesar de se pensar que é a sintonização de Reiki que diferencia o aluno nos seus vários níveis, há toda uma prática que vai, de facto, confirmar essa sintonização. Para que alguém diga que realmente tem determinado nível de Reiki, precisa considerar o seguinte:

  • Aplicou o autotratamento regularmente;
  • Compreendeu os efeitos e sensações do byosen desse nível;
  • Continuou a prática dos cinco princípios de Reiki e melhorou a sua consciência e questões pessoais;
  • Desenvolveu e aplicou as técnicas de Reiki;
  • Acompanhou as aulas e os trabalhos em cada uma delas;
  • Desenvolveu a prática através do tratamento de Reiki a outros, nas aulas;
  • E muito, muito mais.

Então estes pontos apenas querem indicar que a sintonização é um momento e que não é esse momento por si que faz a pessoa ter concluído um nível, ele é apenas o início de um longo caminho que tem admiráveis mundos a descobrir.

Caso não tenhas disponibilidade para assistir às aulas, confirma sempre com o teu Mestre o que há a trabalhar e a desenvolver. A prática conjunta ajuda-nos no nosso crescimento pessoal.

A sintonização Reiki é uma técnica, apenas aprendida por um Mestre de Reiki, para ligar o praticante, de forma mais imediata à Energia Universal.

Como fazer um tratamento de Reiki a familiares com o nível 1

Se tens o nível 1 e estás a pensar fazer um tratamento de Reiki a familiares teus, então este artigo pode ajudar-te em todo o processo, desde prepares o espaço, preparares-te para a aplicação, até ao final de todo o processo.

Como fazeres um tratamento de Reiki a familiares teus

Vamos então pensar nas várias partes do tratamento de Reiki a familiares:

  1. Preparação do espaço
  2. A tua preparação
  3. Explicação
  4. Aplicação
  5. Limpeza após tratamento
  6. Encerramento

Preparação do espaço

Areja bem o espaço onde vais aplicar Reiki, se quiseres acender um incenso garante que não ficou lá o seu fumo e que o cheio é neutro. Verifica o local onde vais aplicar e se tens que colocar almofadas no chão para teu conforto, mantém uma mantinha perto para o caso de ser necessário tapar a pessoa para o seu conforto.

A tua preparação

Vai à casa de banho ou um local onde possas e faz o banho seco, mantendo a atenção ao enraizamento ao longo do tratamento.

Explicação

Explica ao teu familiar o que é Reiki, mantendo uma explicação simples e coerente. Indica-lhe onde irás colocar as mãos no tratamento, mesmo que não as tenhas em contacto com o corpo.

Aplicação

Ao falar com o teu familiar, pergunta para que quer este tratamento, essa será a sua intenção.

Faz o tratamento de Reiki ao teu familiar assim como aprendeste nas tuas aulas. Se quiseres aplica as mãos nos ombros, cabeça, e ao longo dos chakras, joelhos e pés.

Podes aplicar só na frente, só nas costas ou frente e costas, vê como é mais confortável para o teu familiar. Poderá ser deitado ou sentado.

Se sentires algum byosen mais estranho como piquinhos ou picadas, tens que limpar a zona antes de tratares.

Quando terminares, verifica como o teu familiar se sente, dá-lhe água para beber e alguma recomendação que aches necessária. Geralmente uma só sessão de Reiki não é suficiente.

Limpeza após tratamento

Volta a fazer o banho seco e se necessário a chuva de Reiki. Não te apegues ao que sentiste e mantém uma atitude positiva.

Encerramento

Limpa o espaço onde estiveste, se quiseres com incenso e areja, com a janela um pouco aberta.

Aplicar um tratamento de Reiki a familiares pode ser feito com o nível 1 de Reiki. Presta atenção ao byosen, mantém o teu enraizamento e foca-te nos cinco princípios. Não te apegues ao que sentes nem ao que tens de ligação com o teu familiar, mantém uma atitude neutra, estás a ajudar a pessoa no seu percurso terapêutico.

Se a tua mente duvida de tudo como podes ter paz?

Quando a tua mente duvida podes encontrar a oportunidade para validar situações ou podes afundar-te num processo contínuo que te impedirá de ter paz… Como podes trabalhar a tua consciência para quando a mente duvida?

Se a mente duvida como transformar um mau processo em boa ferramenta

Cada parte do nosso corpo cumpre a sua própria função, a maior parte das vezes, automaticamente. Os pulmões têm um papel no sistema respiratório, o coração no seu próprio sistema circulatório e assim por diante. Não queremos intrometer-nos em qualquer uma das funções, de preferência, mas há alturas em que precisamos regular o batimento cardíaco para termos um melhor desempenho, a respiração para oxigenarmos e até uma limpeza aos intestinos para que tudo funcione melhor em nós.

Sabemos que tudo é “automático”, mas também que por vezes precisamos ter rédeas quando algo está desregulado. A mente tem também o seu próprio papel. Ela cumpre a sua função de descriminar, julgar, analisar, identificar, pensar, relacionar o real com o irreal. A mente tem uma parte tão importante em nós como qualquer outro órgão, pode ser destruidora ou criadora. A dúvida faz parte das suas funções e é algo que nos ajuda a aferir a realidade e o que sentimos, pensamos.

Em certas alturas da nossa vida, a mente produz demasiada dúvida, ela fica presa num processo irreal em que nada parece estar bem e que há a dúvida de tudo. Se a mente duvida de tudo então não existem âncoras para o nosso bem estar e equilíbrio, perdemos até a confiança em nós mesmos, porque tudo passa a ser uma dúvida.

Como Reiki pode ajudar quando a mente duvida

Se a tua mente duvida é porque “engatou” um processo automático que precisa ser desfeito, para isso, a prática de Reiki pode dar-te algumas respostas de apoio:

  1. A prática da meditação através da técnica Joshin Kokyu Ho – pratica esta técnica 10 a 15 minutos por dia, várias vezes, principalmente quando a tua mente entra em processo de dúvida;
  2. Reflete com os cinco princípios. Cada princípio pode ajudar-te a religar às certezas que tens. O quinto princípio, Sou Bondoso, ajuda-te a compreender que a mente precisa parar que tu estejas bem;
  3. Mudar a atitude com a técnica Seiheki Chiryo;
  4. Receber Reiki pois irá ajudar-te a ter outra perspetiva da tua questão.

Trazer consciência sobre o que fazemos é também parte da “Arte Secreta de Convidar a Felicidade“, como dizia o Mestre Usui. Quão mais consciente fores, mais a tua mente trabalhará contigo e mais as tuas emoções serão um contributo para a tua paz e também para a paz dos outros.

A mente duvida e pode duvidar, faz parte do seu trabalho, mas como em tudo, tem que contribuir para a grande harmonia de todo o nosso sistema vivo, por isso mesmo, a mente deve ser uma grande auxiliar da harmonia e felicidade na nossa vida.

Novo emprego e como ir com boa atitude com Reiki

Se vais para um novo emprego há sempre uma nova boa atitude a ter e podemos usar a nossa prática de Reiki para nos ajudar a compreender alguns aspectos, para irmos com uma vitalidade e atitude positiva.

Como ir para um novo emprego com uma boa atitude e prática de Reiki

Podemos procurar um novo emprego por várias razões e algumas predem-se com mudança de padrões ou atitudes que não desejamos ter num emprego.

No emprego não precisamos ter amigos, mas precisamos cultivar afinidades para que possa haver um trabalho de equipa valioso e eficiente, aqui aplica-se o uso da inteligência emocional e não apenas do raciocínio lógico que nos faz ter a capacidade de executar o trabalho.

A gestão emocional, do ponto de vista energético, é um campo relacionado com o nosso Chakra do Plexo Solar. Ele é o responsável por gerir as emoções, filtrá-las, observar o que nos preocupa e ainda guiar-nos através do poder pessoal. Quando há um bom equilíbrio neste centro de consciência, vemos que a pessoa tem uma boa capacidade de dizer que sim, mas também de dizer que não. Dizer que não é uma forma de sabermos estipular fronteiras para os nossos limites. Não é encostarmo-nos, mas sim respeitarmos as nossas necessidades. Se o soubermos fazer, também saberemos respeitar melhor as necessidades dos outros. Então, um novo trabalho pede-nos também novas atitudes que podemos rever através dos cinco princípios:

  • Só por hoje – saber manter a atenção plena em cada tarefa que estamos a realizar, estarmos focados, uma coisa de cada vez, pois será o mais eficiente;
  • Sou calmo – a nossa harmonia é importante, por isso medita um pouco antes de ires para o trabalho e porque não fazeres pequenas pausas de 1 a 2 minutos para manteres a mente vazia? Quando crias a tua harmonia, consegues também criar harmonia no teu novo emprego;
  • Confio – acredita em mim, vale mesmo a pena. É claro que consegues porque sempre conseguiste de uma forma ou de outra. Estás no aqui e agora e sempre conseguiste, por isso vale a pena acreditares e confiares em ti. Ao criar afinidades há algo de muito importante – saber cultivar e capacitar a autoconfiança dos outros!
  • Sou grato – aprendemos muitas lições de vida com os trabalhos anteriores, quando estamos atentos percebemos o que queremos e o que não queremos, podemos então mudar a nossa atitude e até agradecer pelas más experiências, foram elas que nos trouxeram a este bom momento;
  • Trabalho honestamente – a verdade, integridade e a comunicação são peças fundamentais no nosso trabalho. Sabemos que mesmo o novo emprego não será perfeito e cada empresa tem os seus lados a trabalhar, ter isto em mente ajuda-nos a fazer parte da equipa e a ajudar a melhorar o que há a melhorar, sem nos apegarmos às diferenças. A comunicação é importante, principalmente quando aliada ao quinto princípio;
  • Sou bondoso – ser bondoso não significa dizer a tudo sim ou concordar com tudo, mas sim ter harmonia, confiança, sentido de gratidão e verdade no que fazemos. Cultiva a bondade em ti e fá-la espelhar-se nos outros, sê gentil, educado e divertido, a alegria cultiva boas afinidades e ajuda a levantar alguns maus ambientes. Ajuda os teus colegas da melhor forma que possas, assim como ajuda a empresa, tudo isso faz parte do nosso trabalho como ser humano. Quanto melhor a tua empresa e os teus colegas estiverem, com certeza que tu também estarás bem.

Ter um novo emprego é sempre um bom desafio, não vale a pena ficar nervoso ou até elevar demasiado as expectativas, vamos encarar cada dia com realidade, mas também com uma atitude positiva. A tua prática de Reiki pode ajudar-te a manter o equilíbrio com o autotratamento e ainda mais com as técnicas para a meditação e pensamento positivo.

Muitos parabéns pelo novo emprego e que tudo corra bem, só por hoje, um dia de cada vez.

Porque a energia não flui para os sítios onde é preciso sem lá pormos as mãos?

E se a energia não flui para o local onde tu estás em desequilíbrio? Não era suposto isso acontecer porque a energia é “inteligente”?

Porque a energia não flui para onde estamos mal – será que é mesmo assim?

Se és praticante de Reiki e aplicas o autotratamento, por vezes estás doente, ou seja, em desequilíbrio e desarmonia, por alguma razão e se sabes que a energia flui muito naturalmente em ti, por isso mesmo sentes as mãos a ativar com a energia, ou até as mãos quentes, sem sequer pensares nisso, então porque não sentes a energia a fluir “automaticamente” para onde é necessária? Será que a energia não é tão inteligente assim?

O conceito da energia ser inteligente explica-se muito naturalmente, pois tem o mesmo sentido do nosso próprio corpo ser inteligente. O sangue flui para onde é necessário… por vezes surgem é complicações no próprio corpo ou nos comandos que “automaticamente” o irrigam.

Se sentes que a energia não flui não quer dizer que não esteja a fluir. Ela pode estar a fluir, mas como é um processo interior, poderás não o sentir, além do mais, se há algum desequilíbrio em ti, ele não se manifesta só no campo físico, mas também no energético. Vamos imaginar que te magoaste no joelho, essa dor que sentes é uma inflamação que se manifesta no campo energético, também aí, está essa dor e como tal, a energia não flui tão “naturalmente” como o costuma fazer e o processo de autocura, natural no corpo, será muito mais lento.

Então, a energia não flui para a parte afectava, para núcleo dessa zona afectada, porque também no corpo físico, mental ou emocional, algo está em bloqueio, em estagnação, inflamação ou ausência. Naturalmente, a energia sempre flui, mas como tudo, logicamente, por vezes precisa de assistência e é aí que a tua prática de Reiki entra em ação. Compreende o byosen que sentes e aplica o tratamento. Se necessário realiza uma consulta de Reiki e claro, procura um médico especialista.

 

Como compreender quando a doença faz vir toda a adversidade ao de cima

Já te aconteceu estares doente e de repente toda a adversidade, todas as coisas começarem a correr mal? Isso poderá acontecer e vamos tentar compreender porque.

A adversidade que se abate sobre nós, quando estamos doentes

Há alturas em que por alguma razão ficamos doentes e depois parece que o céu cai sobre nós. Toda a adversidade surge, as coisas tornam-se muito complicadas e parece que tudo corre mal.

De um ponto de vista da energia, isso pode ter uma explicação. Ao longo de muito tempo, a nossa capacidade positiva pode conter a adversidade, como se fosse uma barragem. Mas essa energia da adversidade continua presente de alguma forma, por vezes até mesmo a cultivar doença, ou melhor, desequilíbrio e desarmonia, que um dia irá despontar.

Ao ficarmos doentes, tornamo-nos frágeis, a capacidade de estar atento à adversidade diminui porque estamos focamos na doença, a nossa aura, ou seja, a soma da nossa energia está fragilizada, intermitente e, de repente, a barragem abre as suas comportas e todo o potencial da adversidade abate-se sobre nós.

É por isso que temos sempre que ter em atenção dois aspectos:

  1. Aplicar e receber Reiki regularmente;
  2. Observar constantemente o potencial de adversidade que se acumula em nós.

A adversidade é, de alguma forma, energia densa, é como se estivesses a acumular electricidade estática no teu corpo e um dia, ou descarrega ou irás levar ou choque, ou dar um choque a alguém. Da mesma forma, a adversidade ou é removida, transformada, ou então torna-se num potencial que te poderá magoar ou magoar outros.

Como lidar com a adversidade

Em primeiro lugar precisamos compreender que a adversidade ou melhor, o potencial da energia densa, é algo que faz parte da vida de todos. É impossível escapar, pois faz parte, no entanto podemos ter a capacidade de a observar, para o fazeres podes meditar regularmente, usando a técnica Joshin Kokyu Ho.

Tenta compreender o porque da adversidade, porque ela surge, como surge, o que tu fazes com ela. Pratica o Ikari no Kokyu Ho, a técnica da respiração luminosa, para ires trabalhando essa acumulação de energia. Se vires que não estás a conseguir, faz uma consulta de Reiki e tenta também perceber de que outra forma poderás trabalhar contigo mesmo.

Trabalha com os cinco princípios de Reiki e sê bondoso para com a própria adversidade, compreende as lições de vida que te traz e de que forma isso te pode conduzir à harmonia.

Lembra-te, a adversidade e o potencial negativo são naturais, podem ser trabalhados e evitados, com as condições que criares. Pratica Reiki com uma atitude positiva.

Como tratar os rins com Reiki

No nosso autotratamento nem sempre é fácil tratar os rins ou outras partes das nossas costas, no entanto, estes chakras secundários são incrivelmente importantes e a sua profilaxia pode evitar bastantes complicações

Tratar os rins através da prática de Reiki

Os chakras secundários que estão localizados na região dos rins, representam a nossa vitalidade geral e poderão também estar associados ao impulso, à capacidade de seguir em frente, de ter força e resolução para as situações.

Quando os rins começam a perder energia, pelas mais diversas razões, podemos ficar mais “presos”, restringidos, com menos força para o que devemos fazer e, poderá também surgir, o medo!

Principalmente quando a energia dos rins começa a ficar fria, ou seja, quando há mesmo uma ausência de energia ou um evento traumático ali localizado, a falta de força poderá originar medo e esse é o medo que nos paralisa de fazer as coisas. Assim, tratar os rins é algo de muito essencial para o nosso equilíbrio.

Como tratar os rins através da autoaplicação

Aplicar Reiki nos rins poderá não ser muito fácil para algumas pessoas, por isso mesmo, vou indicar um tipo de autotratamento que poderá facilitar as questões de mobilidade e tu adaptarás consoante aquilo que consigas fazer:

  1. Faz o banho seco;
  2. Liga-te à energia e recita os cinco princípios;
  3. Coloca uma intenção para a tua prática;
  4. Inicia o autotratamento no chakra raiz e ao longo das posições, vai sempre prestando atenção ao byosen;
  5. Depois, passa para o chakra esplénico, abaixo do umbigo;
  6. A seguir, move as tuas mãos, uma de cada vez, para a zona dos rins, mas na frente do corpo;
  7. De seguida, se conseguires, move uma mão de cada vez para a zona dos rins, nas costas;
  8. Lembra-te sempre de limpar a energia se sentires picadas ou formigueiro (desde que essa não seja a tua forma habitual de sentir a energia);
  9. Depois, passa para a frente e trata o plexo solar;
  10. E finalmente, o chakra cardíaco. Experimenta aí recitar os cinco princípios;
  11. Quando quiseres terminar, agradece.

Tratar os rins é muito importante para que possas manter o teu equilíbrio de uma vida sem medos. Claro que estamos apenas a falar de conceitos de energia e não de aspectos físicos. Se vires que o byosen que sentes nos rins se mantém, durante muitos dias, tem atenção e vai a um médico.

Podes ler mais sobre tratamentos específicos e como desenvolveres a tua prática terapêutica no livro Reiki Guia do Método de Cura.

As sensações no envio de Reiki à distância terapêutico

O envio de Reiki à distância é uma forma terapêutica que se aprende a partir do nível 2 de Reiki, a técnica, em japonês, é chamada de Enkaku Chiryo, o tratamento distante ou ausente (da pessoa a ser tratada). Neste tratamento, naturalmente que poderemos ter byosen, ou seja, a emanação do desequilíbrio da pessoa.

As sensações, o byosen, e como o trabalhar no envio de Reiki à distância em terapia

Quando estás na técnica de envio de Reiki à distância para alguém, para tratar essa pessoa, poderás ter sensações como o formigueiro, as picadas, ou mesmo o frio nas mãos. Estas são sensações que nos indicam que existem perturbações energéticas na pessoa. Por exemplo, o formigueiro poderá querer indicar que nessa parte do corpo ou na energia global da pessoa, está a haver uma perturbação, uma possível estagnação da energia. É como se a energia começasse a ficar parada e começa a irradiar essa perturbação.

As picadas representam inflamação da energia e o frio ausência ou então alguma questão emocional mais profunda.

Perante estas sensações no envio de Reiki à distância, precisamos fazer como presencialmente. Devemos limpar essa energia, como se a agarrássemos e a retirássemos daquele local. Depois, tenta perceber o que a energia te pede para fazer, o que ela te indica… Tenta fazer aquilo que sentes, mesmo sendo à distância, fará todo o sentido.

Promove o fluxo da energia por todo o corpo da pessoa e em especial nessa parte do corpo, como se fosse um rio interior. Se quiseres, podes até usar a visualização de cores, exactamente como os chakras. Podes usar o verde, que é bastante comum para o tratamento, para a cura, o azul celeste, que é usado para acalmar ou o violeta que é muito bom para a transmutação da energia e harmonia da pessoa.

Se verificares que essa percepção se mantém ao longo de muitos dias, fala com a pessoa e pergunta se tem algum problema no local ou se precisa de ir ao médico.

Ao fazer o teu envio de Reiki à distância, experimenta tratar a pessoa como se ela estivesse deitada numa marquesa.

Nota: O envio de Reiki à distância não deve ser interpretado como uma consulta, por que não o é, nem deve ser pago.

O que é um praticante de Reiki

Praticante de Reiki é um termo usado em Portugal para designar aquele que pratica a filosofia de vida e arte terapêutica do Usui Reiki Ryoho, comummente dito como Reiki. No Brasil, o termo usado é reikiano. Vamos ver porque usar a expressão praticante de Reiki e o que realmente implica.

Ser praticante de Reiki – o que significa

O sufixo iano representa proveniência, origem de algo ou alguém, por exemplo, italiano, coreano, presbiteriano, marciano, assim, a utilização do termo reikiano indica uma proveniência, aquele que vem de Reiki ou faz parte de Reiki. Num conceito mais profundo, o termo é até correto porque, como o Mestre Usui indica “Nós, humanos, detemos o Grande Reiki que preenche o Grande Universo”, no entanto, num sentido prático e perceptível por todos, o sufixo iano poderá associar a uma religião ou movimento espiritual, algo que “Reiki”, o Usui Reiki Ryoho, não é.

Assim, o uso do termo praticante de Reiki consegue ser mais claro, objetivo e genuíno para a cultura portuguesa. Praticante de Reiki é aquele que pratica o Usui Reiki Ryoho e isso significa alguém que:

  1. Aplica os cinco princípios na sua vida quotidiana e se esforça para mudar a consciência;
  2. Aplica em si os conceitos terapêuticos da prática para o seu autocuidado e profilaxia;
  3. Aplica nos outros, dentro do saber e indicação dos vários níveis de aprendizagem, a prática terapêutica nos outros;
  4. Observa o código de ética e assume uma prática íntegra e harmoniosa;
  5. Compreende e aplica a Missão do Usui Reiki Ryoho, conforme estabelecida pelo Mestre Usui;
  6. Mantém uma “mente de aprendiz”, ou seja, sempre uma predisposição de aprender, partilhar e vivenciar, sem julgamento, apego ou distinção por nível de aprendizagem;
  7. Entre muito muito mais…

Um praticante de Reiki é aquele que pratica, o que compreende que para alcançar a “Arte Secreta de Convidar a Felicidade” tem que desenvolver a técnica e para isso “praticar, praticar, praticar”, é necessário. Ele sabe que a felicidade não é um fim, mas um caminho que se percorre com altos e baixos e por isso mesmo vai desenvolvendo a força de uma montanha e a resiliência de um bambu.

O praticante de Reiki é uma pessoa de qualquer idade, profissão, etnia, credo e sabe que é tão igual quanto qualquer outra pessoa, sem sentimentos de superioridade ou inferioridade, de pertença ou exclusão, é alguém que trabalha para manter o seu equilíbrio e harmonia, fazendo pelos outros aquilo que faz por si.

Ser praticante de Reiki é incrível.

Terapeuta de Reiki grávida – que cuidados ter

Se és uma terapeuta de Reiki grávida, em primeiro lugar, parabéns duplamente porque além de partilhares esta incrível energia de vida, estás também a gerar vida. Sendo uma terapeuta de Reiki grávida, há realmente alguns cuidados que precisas ter, em relação à energia.

Os cuidados a ter de uma terapeuta de Reiki grávida

Reiki é energia vital e trabalhar com ela é sempre benéfico, portanto, não é a energia Reiki que irá trazer algum tipo de dificuldade ou problema a uma terapeuta de Reiki grávida, muito antes pelo contrário. Ao aplicares Reiki, há sempre energia que flui para ti mesma e sem dúvida que o autotratamento te irá ajudar bastante com as dores e efeitos secundários que sintas, ao longo de todo o maravilhoso período de gestação.

A grande questão mesmo está na reação à energia da outra pessoa, aquilo que no Usui Reiki Ryoho chamamos de byosen, termo japonês que significa a “irradiação da doença”.

Se o byosen, a comunicação energética da outra pessoa for muito “insistente” contigo e se sentires que te afecta física, energética e emocionalmente, então tens que tomar algumas precauções, como por exemplo:

  1. Aplicar o enraizamento e garantir que a energia escoa, assim como manter a mente focada;
  2. Limpar sempre a aura da pessoa com o segundo ou quarto símbolo, antes de começar a aplicação;
  3. Interpretar o contacto da energia da outra pessoa como sendo uma informação, uma indicação para uma necessidade e indicares “ok, já irei tratar”, esta é uma forma de “cortares” essa ligação e evitar a insistência;
  4. Observares qual o teu chakra que é mais sensível e fica sempre afectado em alguma comunicação energética, terás que o tratar, por exemplo, limpando o seu interior e aplicando Reiki, no entanto, não te esqueças de ver que tipo de consciência ele representa e o que terás a ultrapassar;
  5. Verifica que está sempre Reiki a fluir em ti e concentra-te mais nessa passagem que propriamente a sentires a outra pessoa, intensamente, (no tratamento);
  6. Caso verifiques que existe energia mais intensa na pessoa, afasta as mãos até um limite confortável para não estares tão sujeita a essa intensidade;
  7. Aplica o autotratamento regularmente e verifica sempre como estás;
  8. Podes também usar o primeiro símbolo em cada um dos lados da tua aura, para intensificares a tua energia;
  9. Há também quem goste de se visualizar dentro de uma “bolha” de energia para se proteger.

Um bebé é uma energia maravilhosa que depende mais dos seus pais do que outras energias exteriores, por isso tem uma espécie de “proteção” natural, que faz parte do seu crescimento. No entanto, se a mãe estiver afectada durante muito tempo, claro que algo poderá afectar o bebé, mas só se essas forem as suas condições de crescimento. Por isso mesmo, à partida, não há que ter receios, mas sim ter todas as precauções que uma grávida tem no seu dia-a-dia. O cuidado energético não difere dos cuidados físicos.

Em O Grande Livro dos Charkas e da Anatomia Energética poderás encontrar, mais detalhadamente, pormenores sobre esta interação energética e como a trabalhar.

Uma gravidez muito feliz e com muito muito Reiki!!!

Detox para o verão com três técnicas de Reiki

Quando pensamos em detox para o verão, o nosso pensamento dirige-se para a dieta, mas há muito mais que podemos fazer, principalmente com a prática de Reiki.

Como fazeres detox para o verão com três técnicas de Reiki

Vamos então preparar um plano de detox para o verão com Reiki?

De uma forma muito simples, podemos pensar em três técnicas a aplicar ao nosso detox:

  1. Joshin Kokyu Ho;
  2. Heso Chiryo;
  3. Nentatsu.

Estas técnicas representam a meditação, a desintoxicação propriamente dita e ainda a mudança do nosso padrão de pensamento. Podes aplicar esta prática ao longo de, por exemplo, 3 ou 5 dias, da seguinte forma:

  1. Reflete sobre o que queres desintoxicar em ti, por exemplo, um hábito. Pensa de que forma esse hábito te afecta e como poderias mudar o teu comportamento para não o continuares a ter;
  2. Reflete também com os cinco princípios sobre esse tipo de intoxicação que tens, de que forma eles te aconselham;
  3. Se quiseres, em conjunto com as técnicas podes aplicar o autotratamento;
  4. Começa sempre cada dia com 15 minutos de meditação, usando a técnica Joshin Kokyu Ho, sentindo a energia a entrar com a respiração, até ao tanden e depois ao expirares e fluir para todo o corpo;
  5. Recita os cinco princípios, que poderá ser até antes de iniciares a meditação;
  6. Depois, passa à desintoxicação, coloca a intenção para a energia te ajudar a libertar essas “toxinas”, colocando o dedo médio da mão esquerda no umbigo, é a técnica Heso Chiryo;
  7. Passados 15 minutos, aplica o pensamento positivo, ou seja, aquilo que tu achas que deves fazer para que não te voltes a intoxicar. Mantendo em pensamento em mente, coloca a mão esquerda na testa e a direita na nuca, deixa fluir a energia, também durante cerca de cinco ou dez minutos, o tempo que aguentares;
  8. Quando quiseres terminar, agradece, recita os cinco princípios e faz o banho seco.

Se estiveres em época balnear, nada como um grande banho de mar depois de fazeres esta desintoxicação. Irá auxiliar-te bastante no teu processo de limpeza. Lembra-te que é importante teres também uma alimentação saudável e se gostares, bebe água com limão logo pela manhã, para um grande reforço imunitário e desintoxicação.

No livro e cartas técnicas Reiki para o Corpo e a Mente podes encontrar estas dicas e muitas mais, além de uma forma muito divertida e simples para aplicares Reiki no teu tempo livre de verão.

Criar objetivos para combater sentimentos depressivos

Em algum momento da vida surgem sentimentos depressivos pelas mais variadas razões. Por perdermos um emprego, uma relação, um ente querido, ou até mesmo pela pressão social. Estes sentimentos depressivos, podem também ser observados como energia e o seu estado indica estagnação e densidade.

O Chakra esplénico e a criação de objetivos para combater sentimentos depressivos

Em situações depressivas devemos sempre consultar um profissional de saúde para auxiliar e podemos também ter uma perspetiva mais holística e abrangente perante aquilo os nossos desequilíbrios. Vamos então observar, do ponto de vista da energia, o que representam os sentimentos depressivos.

Os nossos chakras são centros de energia, emissores e recetores, uma espécie de baterias que trabalham entre si e que representam também estados de consciência. O nosso segundo chakra, considerado o esplénico, está intimamente relacionado com a energia que pode levar a sentimentos depressivos. Ele trabalha os aspetos do inter-relacionamento, da alegria de vida, sensação de liberdade, orientação, centro, objetivos de vida. Assim, ele é como um fogo que nos inunda de vitalidade e alegria contagiante, com desejo criativo e capacidade criadora, mas quando começa a ficar demasiado constrangido, pressionado, inundado pela tristeza, desmoralização, a sua energia começa a ficar mais “parada”, estagnada. A partir daqui, começamos a ter aquelas sensações de baixar os braços, de perder a vontade de fazer coisas, de irmos em frente. Parece que estamos “amarrados”, bloqueados e que nada avança.

Uma das formas de contrapormos essa energia é, por exemplo, criarmos objetivos de vida. Poderá parecer pateta, mas a criação de objectivos ajuda-nos a movimentar energia e a não perder foco da nossa capacidade criativa, mas para criar estes objectivos, temos que ter também a capacidade de sentir na mente e coração, o seguinte:

  1. Todos temos um valor intrínseco que apenas nós podemos ver genuinamente, não os outros;
  2. A nossa capacidade criadora é única e somente a nossa própria energia é que pode por em movimento os nossos projetos;
  3. Se te sentes parado, cultiva-te com bons pensamentos e não te deixes arrastar por aqueles que são mais fáceis, os sentimentos depressivos;
  4. Cultiva um interior forte, onde a tua mente e coração estão em uníssono, assim não terás dúvidas para onde deves ir, tudo depende verdadeiramente de ti.

Se fores praticante de Reiki, tens ainda muitas mais dicas para aplicar aos sentimentos depressivos:

  1. Pratica Joshin Kokyu Ho, a forma meditativa do Usui Reiki Ryoho;
  2. Coloca a intenção de te trazer força de vontade e alegria de vida, para o teu autotratamento e vai prestando atenção às sensações, ao que a energia te transmite para o que tens a tratar;
  3. Muda os teus padrões de pensamento com o Seikaku Kaizen, a técnica para a mudança de hábitos.

Então, se formos a ver, a energia está relacionada com a nossa atitude e tomada de consciência. Quando começamos a desenvolver-nos no sentido de termos mais clareza sobre o que nós mesmos fazemos e somos, tudo começa a ter um outro sentido.

Poderás ler em O Grande Livro dos Chakras e da Anatomia Energética mais sobre o Chakra Esplénico, na perspetiva ocidental e oriental.

Reiki Summer School 2018 – A Escola de Verão de Reiki

Este ano teremos também a segunda edição da Reiki Summer School do CENIF, desta vez na Terça-feira 7 de Agosto às 9h30 e no Sábado 11 de Agosto às 9h30.

Reiki Summer School – a importância de escola de verão de Reiki

A Reiki Summer School, ou escola de verão de Reiki é um curso intensivo da prática de Reiki para quem pretende reavivar o conhecimento, em qualquer nível, ou mesmo para quem deseje compreender melhor o Usui Reiki Ryoho, por vir de um sistema diferente.

Por isso, se estás já um pouco afastado da prática e pretendes retomar, este pode ser um excelente ponto de partida.

Neste curso vamos ter conceitos teóricos e ainda muita prática para aplicares em ti mesmo e nos outros pois iremos abordar os conceitos de aplicação de Reiki noutras pessoas.

Para te inscreveres, basta enviares um email para escola@cenif.com

Para mais informações, podes ver cada um dos eventos criados para o dia:

Reiki Summer School está aberto a todos os praticantes de Reiki, nacionais e internacionais, de qualquer nível.

Reiki para a limpeza da primavera

Muitas pessoas aproveitam a altura do bom tempo para a limpeza da primavera – trocar as roupas, dar um outro ar à casa, limpar a fundo. Mas para quem é mais sensível à energia, isso depois traz umas reacções um pouco estranhas. A limpeza da primavera é muito importante e não devemos de a deixar de fazer, apenas saber que também precisamos fazer uma limpeza da primavera energética.

A limpeza da primavera e como Reiki pode ajudar nos efeitos secundários

Quando iniciamos a mudança de objetos e roupa em casa, a sua energia acumulada “levanta-se”, é como se tivesse pó. A mesma coisa acontece quando mudamos livros, discos, etc, de lugar. Essa energia acumulada é um pouco mais densa, contém memórias e emoções, não quer dizer que seja má energia, nem de longe, mas é uma energia um pouco parada e a nossa aura vai lidar com ela, o que poderá fazer com que tenhamos reacções como dores de cabeça, vómitos, tonturas, diarreia, má disposição, irritabilidade, entre outras…

Então, se estás mais sensível a esta energia, vamos fazer o seguinte:

  1. Ao iniciares a limpeza de primavera, verifica se a divisão onde estás tem uma janela aberta, para passar o ar;
  2. Se quiseres, aplica a técnica de limpeza de espaços do nível 2. Se ainda não estiveres no nível 2, podes acender um pauzinho de incenso ou usar um difusor de aromas;
  3. Sempre que terminares a limpeza em cada divisória, volta a aplicar a técnica de limpeza de espaços, agradece à energia, pede harmonia e serenidade para o local e para todos;
  4. Agradece.

Se a energia for um pouco mais intensa, vai fazendo essa técnica de limpeza logo no imediato e se sentires necessidade, envia Reiki à distância para o tipo de memória que possa estar a estimular.

Como fazer uma limpeza da primavera interior

E já agora, porque não fazermos uma limpeza da primavera interiormente?

É muito importante tirarmos algum tempo para renovarmos os nossos pensamentos, emoções, sentimentos e mesmo energia. Ao longo do tempo vamos acumulando tudo isso e, por vezes, parece que carregamos uma mochila pesada ou então até um peso interior bem estranho.

Para fazeres esta limpeza de primavera, porque não aplicares os conceitos de Reiki para o Corpo e a Mente?

Então tenta seguir estes passos:

  1. Avalia o que queres destralhar em ti mesmo, ou o que pretendes libertar, limpar;
  2. Num primeiro dia, faz um autotratamento com essa intenção;
  3. Num segundo dia, faz o autotratamento e quando chegares ao umbigo, aplica a técnica Heso Chiryo, a desintoxicação pelo umbigo;
  4. Visualiza sempre a tua desintoxicação, a saída daquilo que não queres e a entrada das coisas boas ou só Reiki;
  5. Passados alguns minutos, aplica o Nentatsu, para mudares o teu comportamento, evitando os padrões que levaram à intoxicação;
  6. Quando quiseres terminar, recita os cinco princípios, faz o banho seco e agradece.

Podes aplicar estes conceitos durante cinco dias. Aproveita e muda os teus padrões, lê coisas que te interessem e cultivam, sai mais para locais saudáveis, apanha ar e convive com pessoas que gostas.

Page 1 of 63

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén