O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Categoria: Nível 3 – Shinpiden (Page 1 of 2)

Depois de receber Reiki não fazer Reiki

Pode parecer um contrassenso mas, depois de receber Reiki em algumas circunstâncias, deves considerar se deves aplicar Reiki a outros. Esta observação é principalmente dirigida para os terapeutas de Reiki.

Como decidir se depois de receber Reiki se deve aplicar Reiki a outros

A prática de Reiki é extraordinária e no que diz respeito a ser terapeuta de Reiki é uma experiência muito bonita. Mas como qualquer praticante de Reiki, se calhar ainda com mais “obrigação”, um terapeuta de Reiki deve receber Reiki de outro terapeuta.

A necessidade de receber Reiki de outra pessoa vem de termos uma outra perspetiva sobre as questões que temos, além de que muito tempo a tratar os outros, traz também desgaste, muitas vezes inconsciente e precisamos, sem dúvida alguma, regressar a nós mesmos. Assim uma sessão de terapia Reiki, devia ser agendada uma vez por mês ou de dois em dois meses, pelo menos, entre terapeutas de Reiki.

Mas voltemos à questão de porque considerar irmos fazer consultas de Reiki após termos recebido uma consulta de Reiki.

Reiki pode ter vários efeitos em nós, todos eles muito naturais. Traz-nos serenidade, equilíbrio interior, por vezes parece que ficamos limpos, brilhantes interiormente. É como nós acordarmos de manhã, tomarmos um bom banho, ficarmos com um cheiro bem agradável e depois saímos para a rua e alguém fica a fumar ao nosso lado. Perdemos o cheiro, ficamos a tossir e ainda somos capazes de nos sentir mal. Então, por vezes, nem sempre, após recebermos Reiki devemos considerar se podemos ou não aplicar Reiki a alguém, pois podemos estar tão “limpinhos” que muito facilmente qualquer tipo de densidade poderá trazer-nos perturbação. Não quer dizer que ela se reflete ao longo do dia, mas poderá trazer uma noite bem mal dormida.

Não interpretes estas reflexões como algo que acontece sempre assim, não, tens que verificar como é o teu caso, só assim compreenderás e entenderás se se aplica a ti ou em que condições se aplica a ti.

Lê também no livro Reiki Guia do Método de Cura, indicações valiosas para a tua prática como terapeuta de Reiki.

Reiki para largar a fralda

Largar a fralda pode ser muito complicado para algumas crianças. Claro que é preciso haver um auxílio de profissionais da área, para que tudo possa ser bem compreendido e com a tua prática de Reiki, podes também auxiliar.

Aplicar Reiki para largar a fralda

A questão com o largar a fralda pode depender de muitas situações. Casos consultes um psicólogo usa também essa sabedoria para a tua aplicação de Reiki.

  • Tenta primeiro aplicar o byosen com a intenção de perceber onde podem estar os bloqueios;
  • Aplica Reiki, para que flua por todo o corpo da criança e principalmente nas partes onde sentiste os bloqueios;
  • Tenta perceber como estão os chakras do plexo solar, cardíaco e laringeo. As questões emocionais podem estar a bloquear a criança nesse aspecto. Aplica Reiki para o seu equilíbrio emocional;
  • Envia Reiki para a situação… a criança poder largar a fralda, estando feliz e equilibrada; envia Reiki para que também tu lides bem com a situação;
  • Observa a condição familiar e verifica se há algum tipo de embaraço com a fralda ou dependência. O que origina isso? De que forma podes enviar Reiki para situação?

Não te stresses tanto com a questão da fralda, cada criança é única, tem a sua própria experiência de vida e como tal tem o seu próprio tempo.

CENIF arranca com Curso Profissional de Terapeuta de Reiki para praticantes de nível 3

De 9 de Setembro a 3 de Março, o CENIF Amadora irá realizar um Curso Profissional de Terapeuta de Reiki, para os praticantes de qualquer sistema com o nível 3, desde que realizado presencialmente.

Porque um Curso Profissional para Terapeutas de Reiki

Presentemente a prática de Reiki encontra-se cada vez mais alargada a pessoas das mais variadas formações, assim como a oferta da sua prática terapêutica, quer profissionalmente, quer em regime de voluntariado. Um Curso Profissional vem trazer um reforço aos praticantes de Reiki de nível 3 que pretendam aprofundar a sua arte terapêutica, assim como ter componentes profissionais para o atendimento, diagnóstico no campo do Reiki e aplicação técnica dos vários saberes do Usui Reiki Ryoho. No final do curso, será ainda realizado um estágio para aplicação final de todas as componentes adquiridas. Ao longo do curso, todos os módulos terão componentes práticas e trabalhos a serem realizados.

Porque encarar a prática de Reiki com seriedade

Reiki, segundo o Mestre Mikao Usui é para a melhoria do Corpo e da Mente, assim como é para o equilíbrio e harmonia da pessoa. Como tal, é uma prática que requer muita disciplina, aplicação real e crescimento ao longo do tempo. Apesar de estarmos “apenas” a trabalhar no campo da energia, é uma grande responsabilidade colocar as “mãos” em alguém. É por isso mesmo que a nossa prática profissional requer uma atenção e aprendizagem cuidadas.

Porque fazer um curso no CENIF

Desde a sua constituição que o CENIF, Centro Português de Investigação e Formação em Terapias Complementares que tem dedicado o seu esforço à prática de Reiki. Esta é a nossa base e actividade principal, quer na via de ensino, quer na via terapêutica. Nestas vertentes, temos sempre muitos projetos de voluntariado para auxílio das comunidades, assim como a criação do Hospital de Reiki, que já vai, à data deste artigo, no seu terceiro projecto.

Os fundadores do CENIF, João Magalhães e Sílvia Oliveira, trabalham prioritariamente no Usui Reiki Ryoho e é a Arte Secreta de Convidar a Felicidade que pretendem partilhar com os seus alunos e colegas. No CENIF temos também um código deontológico o que nos leva sempre a reavaliar as formações e os formadores. Como neste caso, temos entidades parceiras para complementar os requisitos profissionais.

Livro recomendado

Para este curso, recomenda-se a leitura atenta do livro Reiki Guia do Método de Cura pois muitos temas serão abordados em teoria e prática no curso.

As virtudes dos símbolos de Reiki

Além de usarmos os quatro símbolos de Reiki que vamos aprendendo ao longo do nível 2 e 3, podemos também focar-nos nas virtudes que eles trazem e dessa forma proporcionar um tipo de tratamento mais focado.

As virtudes dos símbolos de Reiki

Estas características surgiram após a reflexão com os ensinamentos do Mestre Hiroshi Doi, que reforçava o aspecto de Harmonia que o Seiheki tinha. Mais ainda, ele explicou que, no Japão e na Usui Reiki Ryoho Gakkai, os símbolos eram chamados por primeiro, segundo, terceiro, quarto símbolo, sendo que os seus “mantras” ou jumon, eram usados apenas na activação do símbolo.

Então, como usar as virtudes dos símbolos de Reiki?

Depois de desenhares ou visualizares o símbolo, recita o seu mantra três vezes e, se quiseres, pensa ou diz a sua virtude três vezes.

Chokurei

O primeiro símbolo é o Chokurei e tem o aspecto de “Potência”. Podes usá-lo para potenciar a energia, potenciar o teu tratamento ou o efeito dos outros, assim como podes usar para enraizar a virtude dos outros aspectos, como se fossem equilibrados pela força do Chokurei.

Seiheki

O segundo símbolo é o Seiheki e tem o aspecto de “Harmonia” e “Purificação”. Podes usar este símbolo e a sua virtude para trazer harmonia ou purificação ao tratamento, quer seja a ti mesmo, a outros, ou a coisas.

Honshazeshonen

O terceiro símbolo é o Honshazeshonen e apresenta-se como “Pensamento positivo”. O símbolo é excelente para trabalhares situações onde um pensamento, uma acção precise ser mudada. É bastante eficaz e forte.

Daikomyo

O quarto símbolo é o Daikomyo e tem o aspecto de “Iluminação”. Esta é a grande luz brilhante que traz esclarecimento e iluminação sobre todas as coisas e aspectos.

Poderás ler mais sobre este tema e a investigação profunda das origens dos símbolos no livro Reiki Guia para Uma Vida Feliz.

Reiki

Quando o tratamento de reiki a outra pessoa é interrompido

Ao estares numa consulta ou sessão e ao aplicares o tratamento de Reiki a outra pessoa, pode surgir algo que te interrompa. Quer seja algum barulho, telemóvel ou mesmo pessoa, não te preocupes, poderás continuar.

O que fazer quando o tratamento de Reiki é interrompido

As interrupções poderão ser inevitáveis. É quase impossível existirem sempre condições de silêncio, quietude e harmonia e mais à frente no artigo vamos fazer uma pequena reflexão sobre isso. No entanto, quando o teu tratamento de Reiki é interrompido, podes observar alguns passos e ver o que se possa encaixar na tua prática:

  • Se for o toque de um telemóvel e for o teu, pede desculpa à pessoa e desliga-o;
  • Se houver ruído externo, como por exemplo, ocupantes de outras habitações, não poderás fazer muito, mas visualiza como uma bolha de energia que te envolve e envolve a pessoa, em harmonia;
  • Se alguém bater à porta, pede desculpa à pessoa pela interrupção e vai ver quem é, com calma e simpatia. Essa tua atitude irá também reflectir-se na continuação da sessão;
  • Se faltar a luz, não te preocupes, toma as diligências necessárias para continuares o tratamento.

O mais importante de tudo não é a interrupção em si, mas sim a tua capacidade de reagir e lidar com ela, pois essa energia que criares poderá fazer toda a diferença na continuação.

O que fazer para retomar o tratamento de Reiki

  • Verifica novamente a tua ligação à energia;
  • Esvazia a mente;
  • Recita interiormente os cinco princípios, para que possas abrandar o teu ritmo interior e para que não sintas qualquer tipo de ansiedade ou receio;
  • Visualiza um espaço de serenidade e harmonia que vos envolva;
  • Volta a aplicar as mãos, ou onde estavas anteriormente ou no sítio que consideres ser mais importante para retomar a ligação energética com a pessoa, como por exemplo os ombros, ou mesmo as mãos.

Uma reflexão sobre o tratamento de Reiki

Um tratamento de Reiki é um momento de sintonia com a Energia Universal, com Reiki. É por isso mesmo um momento de grande responsabilidade por parte do praticante de Reiki, pois deve estar ali presente, entregue, também ele sintonizado no processo terapêutico. Por isso mesmo, uma interrupção não é nada de extraordinário nem de preocupante, é algo que acontece e não te deve criar stress ou preocupação por tal. Pelo contrário, se a tua própria mente e coração estão em constante interrupção, aí sim, há motivo para te preocupares na tua obrigação no tratamento a outros.

Se achares que a tua mente é muito ruidosa, ou que o teu coração está ainda muito inquieto, pratica o Joshin Kokyu Ho, recita os cinco princípios com tempo, calmamente, interiorizando cada uma das suas vibrações. Com o tempo, sentirás uma maior calma interior e isso irá permitir-te uma maior entrega à prática.

 

As consultas de Reiki e o risco de misturar temas

As consultas de Reiki estão vocacionadas para o tratamento através do método Usui Reiki Ryoho. Quando enquadramos correctamente a consulta de Reiki, aquele que as procura será bem servido, naquilo que é a nossa especialidade.

Enquadrar as consultas de Reiki

Uma consulta de Reiki envolve o terapeuta e o seu utente, ou cliente, como preferirem chamar. Entre os dois existirá um compromisso terapêutico, regulado por um código de ética, como por exemplo o código de ética da Associação Portuguesa de Reiki.

Para que aqueles que procuram uma consulta de Reiki compreendam exactamente o que é, será necessário haver um esclarecimento mais claro. Como por exemplo, os seguintes pontos:

  • Na prática de Reiki não há promessa de cura;
  • Reiki trata o campo energético da pessoa;
  • Reiki não é uma medicina ou terapia alternativa, é uma prática complementar e integrativa;
  • Reiki não é psicologia;
  • Uma só sessão de Reiki poderá não ser suficiente;
  • Cada pessoa tem as suas próprias condições, por isso os efeitos podem ser diferentes;
  • Não requer um determinado estado mental ou emocional, mas Reiki não fluirá para a pessoa se ela não o quiser. A energia é passiva.

Compreender uma consulta de Reiki

Uma consulta de Reiki é um trabalho terapêutico, de âmbito holístico e no campo energético, realizado por um terapeuta, ou seja, por um praticante de Reiki com o mínimo do nível 3 e tempo de experiência.

A procura de uma consulta de Reiki pode ser pelas mais variadas razões, pois Reiki não trata de aspectos médicos, mas sim de energia. Por isso não existem quaisquer limitações na aplicação, como indicava o Mestre Usui, porque tudo está relacionado com a energia.

Assuntos que nada têm a ver com uma consulta de reiki:

  • Relacionamentos afectivos, porque apenas estamos para tratar a pessoa para o seu equilíbrio e harmonia, não para criar ou modificar condições em relacionamentos pois isso é a parte de cada um dos envolvidos;
  • Espíritos – porque nada tem a ver com o Usui Reiki Ryoho, não houve qualquer ensinamento ou passagem de ensinamento sobre esse tipo de situações;
  • E tudo o que não esteja relacionado com o bem-estar da pessoa, ao qual ela mesma se comprometa.

Consulta de Reiki

O que fazer quando o tema se desvia nas consultas de Reiki

Claro que o que se passa numa consulta de Reiki está dentro do teu critério profissional e da tua escolha pessoal. Mas, por experiência própria e ao escutar outros terapeutas, a boa vontade poderá prejudicar-te. Isto quer dizer que se uma pessoa te for procurar para uma consulta de Reiki, mas abordar temas que nada têm a ver com Reiki e tu deres seguimento a esses comentários, grandes confusões poderão surgir. Não que seja por mal, mas as pessoas podem não saber contextualizar os temas abordados e de repente poderás estar a braços com uma conotação que não será muito boa para ti, por isso mesmo, deves manter a prática no tema do Reiki, assim como as sugestões sobre outros temas, poderás querer evitar.

Como o fazer?

  • Em primeiro lugar tens todo o direito a recusar determinado tema que saia fora do contexto do Reiki;
  • Explica conscientemente à pessoa qual é a tua especialidade e que para temas fora dessa especialidade, deverá a pessoa procurar outros terapeutas ou o que seja.

consultas de Reiki

A boa vontade leva-nos sempre a querer ajudar, mas se isso acabar por nos prejudicar, então nem será bom para o terapeuta nem para aqueles que o procuram. Por isso mesmo, devemos fazer um esforço por manter Reiki bem enquadrado.

Consulta de Reiki

O Daikomyo na vida quotidiana

O Daikomyo é o quarto símbolo de Reiki e aprende-se no Shinpiden, o nível 3. Depois de tanto trabalho no segundo nível com os três símbolos, parece que “só” trabalhar com um será fácil ou com uma execução muito rápida.

O Daikomyo

A Grande Luz Brilhante (Dai Koo Myo) representa a profunda ligação com a energia Rei, identificando-se com a iluminação, ou com um estado desperto, iluminado. O símbolo serve para trabalharmos Reiki com a frequência da “iluminação”, como tal, podemos trabalhar aspectos de conexão entre o nosso ideal e o real, assim como iluminar questões ou energia.

O Daikomyo na vida quotidiana

Todos sentimos desafios na vida e procuramos o nosso caminho, o nosso fim. O Daikomyo pode auxiliar nesse aspecto. Para tal, podes experimentar fazer o seguinte:

  • Liga-te à energia e recita os princípios;
  • Visualiza o teu objectivo de vida;
  • Visualiza o Daikomyo bem grande, nesse objectivo (que seja para o Bem Supremo) e recita o seu mantra três vezes;
  • Visualiza um Daikomyo em ti mesmo, bem grande e pede para que a energia te oriente na direcção do teu bom propósito;
  • Visualiza um Daikomyo a ligar-se ao outro e tudo a ficar brilhante.

Se tiveres questões negativas ou pensamentos obsessivos, que são naturais surgirem em determinadas alturas da vida, coloca neles também o Daikomyo.

Podes também experimentar desenhar o Daikomyo e o Chokurei nos locais onde tenhas dor, para que ilumine e alivie essa zona.

Lembra-te sempre que quanto mais cresces, maior a tua responsabilidade. Mais dúvidas podem surgir, mais incerteza, mais problemas, mais questões… mas tudo isso faz parte do crescimento necessário que todos nós temos que ter. Leva cada coisa com calma, serenidade e muita alegria. Tu praticas Reiki.

Nível 3 de Reiki João Magalhães

O nível 3 de Reiki e o despertar do potencial interior

O nível 3 de Reiki é chamado de Shinpiden, os ensinamentos misteriosos. Misteriosos porque vamos trabalhar o nosso interior, a essência e a sua profunda ligação, união ao universo e à energia universal – Reiki.

Como trabalhares o nível 3 de Reiki

Se vais iniciar o teu nível 3 de Reiki ou se estás a continuá-lo, tens que ter em consideração que este não é o fim da prática, muito antes pelo contrário, agora irás reiniciar todo um novo percurso. Por vezes queremos chegar lá muito rapidamente, por um lado para termos o acesso a todas as “ferramentas”, por outro até mesmo por uma pequena questão de ego que é “agora sou mestre de Reiki”. Esta última parte não tem problema algum, todos desejamos algo, todos desejamos atingir um fim e sermos reconhecidos por isso. É claro que a prática depois mostra-nos que um último nível parece nunca mais terminar pela sabedoria que Reiki nos traz.

Um dos aspectos muito importantes no nível 3 é o descobrir a nossa própria “sombra”, ou seja, descobrir o que ainda há em nós para trabalhar, o que te irá dar experiências incríveis.

Para uns a própria sintonização é um momento de reavaliação – começa-se a compreender o que há a trabalhar, porque a intensa iluminação do Daikomyo sugere-nos mesmo isso, remover as sombras em nós, construir uma essência de luz. Nada tens que temer com o nível 3 de Reiki, simplesmente terás sim uma possibilidade formidável, maravilhosa, de te trabalhares interiormente e desenvolveres o teu caminho de vida para a felicidade e paz duradoura, o que o Mestre Usui chamava de Anshin Ritsumei.

Então, o que podes fazer ao longo do teu nível 3 de Reiki, que poderá ir dos 6 aos 12 meses (ou até muito mais):

  • Aprende a colocar o Daikomyo na tua vida quotidiana;
  • Descobre-te ainda mais profundamente através do autotratamento, mesmo experimentando fazer a ti mesmo à distância;
  • Aprende a tratar os outros com todos os símbolos e só com o Daikomyo em esclusivo;
  • Medita com cada símbolo;

A tua participação nos workshops é quase obrigatória porque só mesmo com a experimentação, com a vivência e partilha é que realmente poderás despertar todo o potencial deste incrível nível. Não foi por acaso que o Mestre Usui chamou de Shinpiden. Esta disciplina vem também de um outro aspecto, se é um nível de mestre, disciplina é mesmo algo a saber trabalhar. Para que te possas realizar na vida, tens que compreender que o esforço faz parte dela, que a felicidade também se constrói e não surge do nada ou da inércia, é preciso criar condições e será isso mesmo que irás fazer com o nível 3 de Reiki.

facebook-guia-poemas-as vezes-agua

E se te enganares num símbolo de Reiki

Por vezes enganamo-nos a desenhar ou colocar um símbolo de Reiki no autotratamento ou mesmo em tratamento a outros. Por vezes poderá acontecer também até em meditação.

Podemos enganar-nos num símbolo por várias razões:

  • Estavamos desenraizados ou não muito focados no que estavamos a fazer;
  • O local precisa de outro símbolo que não aquele que pensamos ser o melhor.

Quando nos enganamos no símbolo de Reiki

Se numa situação de autotratamento, tratamento a outros ou meditação te enganares no símbolo, podes fazer umas experiências muito giras. Por exemplo:

  • Querias desenhar o Chokurei e desenhaste o Seiheki. Experimenta agora desenhar o Seiheki e ver se faz sentido, se encaixa;
  • Querias desenhar o Chokurei, desenhaste, mas disseste o mantra do Seiheki, por exemplo. Experimenta voltar a desenhar o Chokurei e a dizer o seu mantra, se te enganares outra vez ou antes tiveres vontade de usar o Seiheki, é porque é para usar o Seiheki.

Com estes pequenos exemplos conseguimos compreender que a prática de Reiki não é linear e que sempre requer prática. A prática traz-nos a sabedoria da experimentação e da vivência. Sente como a energia quer fluir e tudo fará sentido.

O que fazer depois de terminar o nível 3 de Reiki

Se terminaste os teus seis meses contínuos de nível 3 de Reiki e não sabes o que hás-de fazer, então aqui ficam umas dicas úteis para ti.

Claro que em primeiro lugar tens sentir como estás na tua prática e podes querer colocar as seguintes reflexões?

  • Como tenho integrado os princípios no meu dia-a-dia?
  • O que mudou em mim desde o nível 1 de Reiki?
  • Aquilo que me levou a aprender Reiki foi cumprido?
  • Sei cuidar de mim e pedir ajuda quando necessito?
  • Compreendo e aplico todas as técnicas?
  • Sou disciplinado no meu autotratamento?
  • Compreendo como tratar os outros?

Estas questões levam a dois pilares – a filosofia de vida e a prática terapêutica. A tua tomada de consciência pode até indicar-te que queres regressar à prática desde o início. Isso é comum e, por exemplo, eu estou a fazê-lo constantemente. Encontram-se sempre coisas novas naquilo que já parece sabido, naquilo que parece ser velho.

Que caminho percorrer após o nível 3 de Reiki

A partir daqui já deves ter tido pelo menos um ano e meio de prática regular, com empenho e muito coração. Então podes considerar alguns aspectos práticos de aprendizagem e dedicação, como é o caso do voluntariado, da prática profissional como terapeuta de Reiki ou de continuares o teu estudo com as aulas de Reiki Do, Kensho e ou Karuna.

Voluntariado

O voluntariado irá ajudar-te a desenvolver cada vez mais o sentido de verdadeiro amor incondicional e compaixão, ou seja, de seres capaz de doar Reiki sem esperares resultados ou feedback. Apenas estares no momento para o fazeres. Voluntariado irá ajudar-te a desenvolver o carácter para que sejas disciplinado, bondoso, com respeito pelo local onde estás e pelas condições daqueles que irás tratar.

Terapeuta profissional

Ser terapeuta significa que também sabes cuidar de ti. Que fizeste uma jornada longa que te levou a entender o método de Reiki e a profundidade do seu alcance. Após teres praticado com os teus colegas e de teres feito voluntariado, se sentires que o queres fazer, então prossegue para um aspecto mais profissional. Irá trazer-te muitos desafios mas ajudará crescer-te imenso.

Continuar o estudo

Aconselha-te com o teu Mestre de Reiki de que forma podes continuar a tua prática, não quer dizer que tenhas que ir fazer o Gokukaiden, o curso para Mestre de Reiki. Poderás querer fazer outros cursos pois nem todos querem ir para Mestre de Reiki. No CENIF tens aulas de Karuna, para o desenvolvimento da compaixão como terapia e filosofia de vida; USUI KAIZEN, um curso de seis meses para o crescimento na filosofia de vida, meditação, compreensão das questões pessoais e atitudes para com os outros (6 meses); Kensho, compreender a própria essência, que é um curso de 6 meses, no CENIF Guimarães, para alunos de nível 3. Poderás ainda desenvolver-te com cursos próprios para terapeutas de Reiki e muito mais.

Gokukaiden – nível 3B

Se sentires que o teu percurso passa pelo ensino, poderás ir para o Nível 3B de Reiki, chamado de Gokukaiden, a transmissão dos ensinamentos “misteriosos”. Este é um curso que leva entre oito a doze meses de prática e crescimento.

Retomar o caminho

O nível 3 de Reiki não é o fim do teu caminho, irás compreender que a Grande Luz Brilhante te trará a sabedoria para interpretares toda a tua aprendizagem de forma diferente e poderás querer retomar os workshops de nível 1 e 2 para os observares com a tua nova sabedoria. Isso é incrível de se fazer e vale a pena. Nós praticantes de Reiki não estamos dependentes de níveis mas sim do crescimento interior que nos leva realmente à Arte Secreta de Convidar a Felicidade.

Leitura de apoio

Além dos teus manuais, que podes sempre reler, tens também para apoio O Grande Livro do Reiki, que é um manual prático para todos os níveis e ainda Reiki Guia para uma Vida Feliz, para aprofundares a sabedoria sobre o Usui Reiki Ryoho e ainda a filosofia de vida, ao longo de todos os níveis. Faz também as prática aconselhadas em O Grande Livro de Reiki, para a passagem de nível, irá ajudar-te.

 

Se não usares os símbolos de Reiki o que pode acontecer?

No nível 2 e nível 3 são transmitidos os símbolos de Reiki para que se trabalhem determinadas frequências. Não se sabe exactamente quando os símbolos surgiram. Uns dizem que foi logo imediatamente a seguir aos 21 dias de retiro do Mestre Usui, em 1922 outros dizem que só poderia ter sido depois, quando começou a ensinar o seu método de cura natural, o Usui Reiki Ryoho.

Os símbolos de Reiki são como chaves. Temos a energia universal que pode alcançar todas as frequências mas, a mente humana necessita sempre de determinadas chaves para a solução dos seus problemas. Foi por isso que o Mestre Usui colocou os quatro símbolos de Reiki. Como outros mestres posteriores consideraram que ainda mais necessidade havia de darem chaves, modificaram (por exemplo o chokurei, o honshazeshonen e o daikomyo) e inventaram símbolos, fruto de meditações ou inspirações, segundo dizem. Assim surgiram sistemas com dezenas e dezenas de símbolos que como sempre, têm capacidade para curar tudo.

Mas, a grande questão está, se tu és praticante de Reiki, nível 1 ou nível 2, recebes a tua sintonização e não praticas os símbolos, o que será que vai acontecer?

Não praticar os símbolos de Reiki o que acontecerá?

Os símbolos são colocados nas tuas mãos e noutras partes específicas do teu corpo energético. É o que te permitirá trabalhar em concreto com essas frequências. Elas estão em ti mas, se não as praticares, não as sentirás talvez de uma forma tão óbvia. Por outro lado, se alguém for “avaliar” a tua energia, poderá cair na incorreção de considerar que não tens a sintonização desses símbolos.  Então, não vale a pena complicar.

Pratica os símbolos que aprendeste porque eles trazem-te grandes lições de vida. Já sabes que todas as lições vão requerer trabalho e disciplina. Isso não é mau, muito antes pelo contrário, é mesmo muito bom. Se fores persistente na tua prática e escutares o que os símbolos te dizem, crescerás enormemente. Não porque eles o fizeram mas sim porque soubeste escutar com sabedoria e praticar com compaixão.

Uma pequena história sobre os símbolos de Reiki

Como em tudo o que envolve história, acreditou-se durante algum tempo que os símbolos que víamos no Reiki essencial, principalmente o Chokurei e o Daikomyo, tinham sido ensinados pela Mestre Takata, o que não foi de todo real. Os símbolos que a Mestre Takata ensinou foram os que vinham do Mestre Usui e do Mestre Hayashi. Então quem os alterou? Não se sabe bem, nem porquê. Possivelmente por alguma intuição que fizesse sentido para esse Mestre.

Então a história e os símbolos de Reiki ensinam-nos que tudo existe por uma razão e que há um espaço para tudo. Se praticamos o Usui Reiki Ryoho, faz sentido mantermos os símbolos tradicionais. Se alguém quiser criar outros métodos de cura, tem todo o espaço para o fazer, não é preciso colocá-lo no Usui Reiki Ryoho. Acima de tudo temos os princípios e esses são muito diferenciadores. Podemos ter símbolos para tudo, chaves para todas as questões mas, se não soubermos praticar cinco princípios, só por hoje, então poderemos não compreender a totalidade da arte secreta de convidar a felicidade.

Pratica com alegria, experimenta a sabedoria dos símbolos, meditando, aplicando no teu dia-a-dia e vivendo com Reiki.

Já sabes que se não praticares os símbolos, não tem problema mas, não estarás a experimentar tudo o que o método de cura natural Usui tem para te oferecer, para o equilíbrio da tua mente e corpo.

Os símbolos desenhados pela Mestre Takata

Chokurei

Honshazeshonen

Trabalhar o nível 3 de Reiki

O nível 3 de Reiki é, em japonês, o shinpiden – os ensinamentos misteriosos. Não há mais profundo mistério que nós mesmos e é esse o trabalho que faremos ao longo dos seis meses de shinpiden. Ao nível 3 chama-se também o nível de Mestre mas este é um mestrado interior e vivencial, ou seja, é o percurso que cada um de nós faz para a sua transformação e elevação da consciência, rumo ao satori, a iluminação.

O nível 3 de Reiki deve ser caracterizado pela disciplina, o trabalho honesto e diligente pois «devemos polir o espelho do nosso coração». Não é tanto um nível dedicado ao desenvolvimento de novas técnicas, apesar de as ter mas sim um tempo de verdadeira mudança, de cura do eu sombra, valorização da criança interior e profunda ligação da nossa essência à essência do Universo, por consequência, à essência do Reiki.

A responsabilidade no autotratamento

Chegar ao nível 3 não é sentir o alívio de ter terminado algo, antes pelo contrário, é necessário trabalhar e muito a consciência da «taça vazia», ou seja, de abrir ainda mais a consciência à necessidade de nos compreendermos e para isso, o autotratamento é essencial. A prática do auto cuidado permite levar a consciência ao corpo, à mente, às emoções, leva-nos a descobrir como estamos e de que forma a nossa essência se liga a tudo o que somos.

A compreensão e transcendência dos cinco princípios

Os cinco princípios são recitados «de manhã e à noite» mas, principalmente, são vividos todos os dias, a todos os momentos, numa atitude de «só por hoje». O aqui e agora, a compreensão da necessidade de transcender a nossa consciência, sublimar os padrões negativos e trazer a paz duradoura, são aspectos desenvolvidos por esta prática que não é meramente recitativa mas sim de grande profundidade para a mente e coração. No nível 3 de Reiki observarás os princípios no caminho para a tua mestria interior. Compreender o Mestre Interior e realizá-lo é um trabalho de anos, uma experiência de vida inteira.

ca. 1990s, Kyoto, Japan --- A Buddhist monk meditate beside a Zen rock garden at the Zuiho-in inside the Daitokuji Temple complex of Kyoto. --- Image by © Catherine Karnow/Corbis

© Catherine Karnow/Corbis

A terapia no nível 3

Apesar de já teres praticado com colegas no nível 1, teres realizado tratamentos a pessoas próximas e mesmo desconhecidos com o nível 2, o nível 3 traz-te o fechar de um ciclo que te pode auxiliar a compreender o que representa o Reiki em ti e nos outros. Irás trabalhar a terapia no desenvolvimento da intuição (reiji-ho) e na compreensão da forma como a energia trabalha todos os corpos. O conhecimento do eu-sombra, da criança interior e todo o processo terapêutico, é também trabalhado aqui.

Os próximos passos

Reiki é, acima de tudo, para nós. Por isso, todo o percurso no Método é feito para ti. Se então sentires o chamamento, poderás ter a vocação para tratares os outros, como terapeuta de Reiki. Tens ainda outro caminho a seguir, que é o de Mestre de Reiki, prosseguindo com o Gokukaiden – a transmissão dos ensinamentos misterioso, um percurso de 9 a 12 meses.

Por todas estas razões e, principalmente, pelo teu desenvolvimento consciente, é importante a tua prática assistida, presente e contínua pois Reiki não é um certificado ou um tempo que se passou, é sim vivência, experiência, compromisso e muita alegria. Pratica Reiki, desenvolve a felicidade em ti.

Ser Terapeuta de Reiki 7 passos para iniciares o teu percurso

A energia actua de uma forma muito simples e muitas vezes eficiente, tão eficiente que o mais novo praticante, ao ver os resultados, pode cair na tentação de se auto-indicar como terapeuta de Reiki, colocando as suas mãos como serviço, muitas vezes pago. Na prática de Reiki não devíamos viver numa postura de competitividade ou na procura de respostas, soluções e cursos rápidos. A facilidade com que hoje se tira um curso de Reiki, muitas vezes os três níveis num só mês não é a resposta mais certa para uma disciplina, arte, que pretende alcançar a cura do próprio ou de alguém, se tal for possível. Mais ainda, se o praticante considerar que Reiki é uma prática «espiritual» e como tal dependente da sua própria consciência e elevação, encontra mais uma razão para crescer com o tempo, tratar-se e entender a complexidade e simplicidade humana, antes de a tentar curar. A saúde não é propriamente uma brincadeira ou algo com que possamos ser levianos. Se o somos para connosco, é um questão «só» nossa mas quando vamos mexer com a saúde, ou falta dela, nos outros, então as coisas têm que ser feitas com um profundo respeito, sabedoria e conhecimento. Começa por observar o poema «Aprender», do Imperador Meiji, antes de avançares com uma resolução precipitada.

Aprender
Devias saber
A partir da forma
Como as crianças aprendem,
Quanto mais praticas
Melhores resultados alcanças
~ Imperador Meiji

Read More

Preparar para o nível 3 de Reiki – o Shinpiden

Se sentes que está na altura de passares para o nível 3 de Reiki, podes fazer uma revisão da tua aprendizagem e das questões que ainda possas ter.

Read More

Outros Daikomyo – as alterações na energia ou no sentido

O Daikomyo é o quarto símbolo de Reiki e representa a Grande Luz Brilhante, a ligação mais profunda entre a nossa essência e a fonte de Reiki. É um símbolo que traz grande transformação interior, espiritual. Nesta perspectiva o Daikomyo ajuda também na cura da alma e a grande tomada de consciência.

Read More

Page 1 of 2

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén