O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Categoria: Meditação (Page 1 of 7)

Como passar um dia consciente em atenção plena

Atenção plena significa estar em plena consciência das ações, pensamentos e emoções do momento presente. É estar no aqui e agora, mas realizando cada ação com a total presença de espírito que ela requer. No dia-a-dia que levamos, é algo de incrivemente impossível.

A atenção plena e como a vivenciar num dia

Praticar a atenção plena significa que não poderás “navegar” no teu dia em inconsciência, fazendo as ações mecanicamente. Claro que levar isto à letra é tornar impossível a prática da atenção plena, pois como poderíamos estar conscientes da respiração e ao mesmo tempo conduzir, então temos que saber até onde levar a nossa atenção plena.

Esta prática significa que é importante desenvolver o nosso eu consciente, ou seja, aquele eu que observa, discerne, escolhe e age. É uma prática que nos deixa limpar um pouco mais as lentes embaciadas com que observamos a realidade e ainda nos permite viver da forma mais correcta possível.

Criar esta consciência começa por identificar momentos que são importantes para nós e que, muitas vezes, estamos a deixar passar ao lado. Podemos identificá-los como:

  • Acordar;
  • Levantar da cama;
  • A higiene pessoal;
  • As refeições diárias;
  • A condução, o estar num transporte público e/ou o caminhar;
  • As tarefas do trabalho;
  • O conversar com alguém;
  • A revisão do dia.

Como desenvolver a consciência da atenção plena e a aplicar no dia-a-dia

Mantendo estes pontos anteriores em mente, sempre que estivermos perante eles, iremos prestar atenção, ou seja, estar no momento presente, concentrados no que estamos a fazer.

Muitas vezes achamos que é uma glória sermos “multitasking”, capazes de realizar inúmeras coisas ao mesmo tempo, mas o que realmente fazemos com atenção plena, que valor damos ao que fizemos, às pessoas com quem estivemos e como tem a nossa mente aguentado ao longo dos anos de múltiplas tarefas ao mesmo tempo?

O estar concentrado significa ter uma atitude de uma coisa de cada vez, ou seja, concentração. Esta não é uma atitude de desatenção ou de menor produtividade, muito antes pelo contrário, é a maximização da nossa capacidade de produzir com bons resultados, pois estamos concentrados.

Quando estamos atentos à forma como acordamos e compreendemos o valor de mais um dia, mais uma oportunidade, faz todo o sentido começarmos o dia e não sentirmos que vamos começar mais uma semana de dor. Quando as nossas refeições são passadas a saborear genuinamente o que comemos e não apenas a enviar comida pela boca, no gesto mecânico do que temos que fazer e ao mesmo tempo ler no telemóvel, ou conversar com alguém enquanto pensamos em mil e uma outras coisas, a refeição traz-nos outro contentamento.

Mais ainda, ao estarmos com alguém e escutarmos essa pessoa, ao sabermos também quando devemos falar e levarmos uma conversa construtiva e não meramente reactiva, estamos não só a respeitar a conversa, a relação, mas também a despertar compaixão, equanimidade e contentamento.

Se revires todos os passos para um dia de atenção plena, a quais deles realmente estás a levar toda a tua atenção?

A prática da atenção plena vai requerer a tua calma e harmonia, isso quer dizer que é preciso haver um tempo antes de surgir uma resposta. Por exemplo:

  • Estás a conduzir e alguém passa à tua frente de forma perigosa. A reacção natural seria praguejar (por exemplo), mas lidando com plena atenção, respiras e colocas à frente dessa reacção aquela que é verdadeiramente importante, como por exemplo, identificares que conseguiste estar calmo perante um momento stressante.

Uma das formas de manteres a calma e harmonia é mesmo a respiração, ou melhor, a capacidade de indicares à tua mente que não deve reagir de imediato.

A mente não é apenas aquela que propicia as nossas dificuldades e lixo mental, ela também produz excelentes reacções mecânicas que podem salvaguardar a nossa vida e também mantém o nossos sistema vivo em equilíbrio, sem que tenhamos que estar atentos a todos os nossos processos biológicos. A mente apenas precisa de alguma educação no que toca à gestão dos pensamentos e das emoções. Isso irás fazê-lo através da consciência e também, porque não, através de uma filosofia de vida correta.

Passar um dia em atenção plena não é simples, mas é um exercício que merece ser praticado e que te trará cada vez mais sentido de vida. São as perturbações e estímulos exteriores que levam às perturbações interiores, é uma mente irrequieta que nos leva ao desgaste mental e emocional, assim como a muitas questões físicas. Ao desenvolveres consciência, vais despertar a atenção plena e esta irá ajudar-te cada vez mais a seres a consciência que pretendes. Lembra-te que uma mente vazia, leva a um coração compassivo.

Como limpar ou trazer boa energia para uma casa

Assim como devemos limpar fisicamente um espaço, também o devemos limpar ou trazer uma boa energia para uma casa. Este conceito de limpeza energética ou de trazer boa energia não tem nada de estranho, mas sim da necessidade que todos temos de ter um espaço acolhedor e revitalizante.

A aplicação de Reiki para limpar ou trazer boa energia para uma casa

Existem muitas formas de limpar, renovar, a energia de um espaço, por isso estas são apenas algumas das dicas possíveis.

Incenso e Seiheki

Um bom incenso ajuda sempre a mudar a energia de um espaço e como existe uma enorme diversidade, hoje em dia, tenta sentir aquele que se identifique melhor contigo e com o que pretendes alcançar. Podes usar Pau Santo, Incenso de massa indiano, Salvia, Incenso Mantram ou então até poderás antes usar a aromaterapia. O que é importante é não teres acenderes incenso que faça muito fumo. Lembra-te de depois arejares a casa.

Podes também limpar cada sala da casa usando a técnica de segundo nível de Reiki para a limpeza de espaços. Colocas um Seiheki em cada canto superior e um Chokurei ao centro. Podes fazê-lo com o pauzinho de incenso a queimar, o que te poderá auxiliar a lidar melhor com as energias do próprio espaço.

Se sentires que o espaço está um pouco pesado e se for a tua casa, porque não arranjares uma fonte de água? Ajuda também a renovar e reciclar a energia mais parada.

Meditação e visualização

Caso queiras, podes também usar as técnicas de visualização para limpar e trazer boa energia para a casa. Por exemplo, podes ir para o centro da casa, ou então mesmo num sítio onde te sintas confortável e podes realizar a seguinte meditação:

  1. Liga-te à energia e sente-a a fluir para a mente e coração;
  2. Sente que tipo de energia a casa precisa e observa se sentes que deve ser de alguma cor em especial;
  3. Sente essa cor a vir com a energia Reiki;
  4. Ao inspirares, trazes mais cor, mais energia;
  5. Ao expirares, deixas essa energia fluir para toda a casa;
  6. Se quiseres, vai visualizando divisória a divisória a preencher-se com energia;
  7. E também se quiseres, podes fazer esta meditação a andar, deslocando-te para cada divisão;
  8. Quando terminares, agradece.

Lembra-te que aplicar técnicas de limpeza em espaços, pode também ser muito exigente, por isso, nada melhor que depois tomares um bom banho revigorador.

Meditação para o Ano Novo, uma nova energia

Que bom, entrou agora o novo ano e podemos dar um passo extra para que possamos construir mais felicidade e paz em nós e para os outros. Quero partilhar contigo uma meditação muito simples para te libertares das situações que se passaram no ano passado e trazeres para este ano tudo de bom o que desejas para ti.

Meditação para a energia do novo ano

A Arte Secreta de Convidar a Felicidade ensina-nos que precisamos mesmo esvaziar dos pesos para podermos convidar o que queremos de bom para nós. É o que iremos fazer com esta meditação, passo a passo com as situações do passado. O que é preciso da tua parte… a vontade genuína de libertar, desapegar e trazer grande felicidade, não só para ti, mas para todos os envolvidos. Isto é praticar a filosofia de vida de Reiki.

Só por hoje, desejo-te um ano muito feliz, pleno de paz.

A plena atenção, a meditação contemplativa e uma romã

Viver implica o desenrolar de muitas funções automáticas, a mente torna-se “autónoma” e faz o que tem a fazer, a maior parte das vezes sem controlo. No nosso dia a dia, podemos encontrar formas de recuperar a consciência, das formas mais simples, mas também mais belas.

Da concentração à contemplação, passando pela meditação

Tudo o que mais queremos é momentos de harmonia e uma constante sensação de paz e felicidade, mesmo que estejamos em actividades que exijam adrenalina. A harmonia é essencial para que tudo corra pelo melhor, mas para estarmos em harmonia, precisamos estar mais conscientes das nossas acções.

A nossa mente e consciência, trabalham de uma forma incrível quando estão em harmonia. A concentração traz-nos o foco, a meditação leva-nos à expansão da consciência e a contemplação faz-nos estar em união com a própria existência e os maiores valores da humanidade.

 

Ao descascar uma romã, teremos uma tarefa manual exigente, pois cada semente é valiosa e não convém que vá com pele atrás. Quando estamos focados nesta tarefa, outros pensamentos desaparecem, ou ficam num plano tão atrás, que nada mais tem importância. A partir daqui, podemos estar em meditação, expandindo a nossa consciência, sentindo cada momento e acto como único. No final do nosso trabalho, podemos contemplar e também no saborear podemos contemplar.

Os pequenos momentos rotineiros ou mais básicos da nossa vida, podem trazer-nos as experiências mais reveladoras e proporcionadoras de evolução. Quem diz descascar uma romã, diz beber café, ou lavar a casa de banho.

Meditação

CENIF com novo Curso de Meditação Terapêutica

Em Fevereiro de 2018 iremos iniciar um novo Curso de Meditação Terapêutica, ao longo de seis meses para quem queira aprender a meditar, ou mesmo desenvolver a sua prática e saber.

A importância da meditação

Em todas as culturas sempre houve uma necessidade de pausa, de observação, de controlo da mente e coração. No ocidente abordou-se mais o estado contemplativo, até ser perdido por questões ideológicas, religiosas e pelo atual stress e estímulo da vida quotidiana. No oriente, cultivou-se o “apenas sentar“, a elevação da consciência, que se refletiram em práticas como o Zen, Yoga, Taoísmo, Usui Reiki Ryoho e muitas outras…

Uma das razões para se meditar é o alívio do sofrimento. Como Sylvia Boorstein dizia “A vida é dolorosa, mas sofrer é opcional”. A meditação é um encontrar de espaço e de tempo que nos permite adquirir consciência e compaixão. Não é algo feito pelos outros, ou para os outros, é algo que apenas nós podemos fazer por nós mesmos e que apenas nós podemos alcançar o nosso próprio potencial. Tendo cultivado em nós boas sementes e criado condições para ter um “terreno” fértil, partilhamos com os outros os frutos do nosso crescimento, harmonia e bem estar.

Um estudo recente revela que uma prática continuada da meditação ajuda ao desenvolvimento de transformações positivas na estrutura do cérebro. A meditação é uma prática que nos auxilia a ganhar o controlo de nós mesmos e de viver de uma forma mais harmoniosa, compreendendo a importância dos valores universais e da harmonia entre todos.

 

Meditação muda estrutura do cérebro

Um estudo orientado pela Drª Sara Lazar indica que seguir um programa de meditação traz modificações mensuráveis nas regiões do cérebro associadas à memória, auto percepção, empatia e stress. Este foi o primeiro estudo a apresentar resultados na mudança ao longo do tempo, na matéria cinzenta do cérebro, um trabalho realizado por investigadores de Harvard, no Massachussets General Hospital.

Uma comprovação sobre a meditação e os seus efeitos

Apesar da prática da meditação estar associada com um sentido de paz e relaxamento físico, os praticantes têm vindo a indicar que a meditação também produz benefícios cognitivos e psicológicos, que persistem ao longo do dia. – Sara Lazer.

Este estudo foi também importante porque demonstrou que os praticantes de meditação não estão apenas bem porque estiveram tempo a relaxar, mas sim porque realmente ocorreram diferenças estruturais no cérebro. Os participantes neste estudo nunca antes tinham feito meditação. Para o estudo, foram realizadas ressonâncias magnéticas da estrutura do cérebro, antes e depois de realizares um programa de oito semanas de Mindfulness-Based Stress Reduction, no University of Massachusetts Center for Mindfulness. Neste estudo, participaram 16 pessoas.

Além dos encontros mensais, que focavam-se na prática de atenção ao não julgamento de sensações, emoções e estado da mente, os participantes receberam gravações que os guiavam na prática, sendo pedido que mantivessem um historial de quanto tempo praticaram ao longo do dia.

Para despistagem, foram também realizadas Ressonâncias Magnéticas a pessoas que não meditavam, no mesmo intervalo de tempo.

 

Sobre Sara Lazar

É investigadora associada em Psiquiatria no Massachusetts General Hospital
Professor Assistente em Psicologia, Harvard Medical School.
O foco da sua pesquisa é elucidar sobre os mecanismos neurais atribuídos aos efeitos de yoga e meditação, em ambientes clínicos e em indivíduos saudáveis. É uma contribuidora do livro Meditation and Psychotherapy (Guilford Press). Pratica Yoga e Mindfulness desde 1994. A sua pesquisa foi apresentava por vários centros de notícias, como: The New York TimesUSA Today, CNN, e WebMD, o seu trabalho foi exposto no Boston Museum of Science.

Meditação guiada de envio de Reiki para o planeta

O planeta encontra-se cada vez mais em necessidade do nosso cuidado e atenção. Enquanto praticantes de Reiki, podemos também ajudar através do envio de Reiki para o planeta.

Quer tenhas o nível 1, 2 ou 3, envia Reiki para o planeta sempre que possas e de preferência todos os dias. Caso queiras, podes usar esta meditação guiada.

Voltar a nós mesmos – um brado na meditação

No início da meditação Chan, em Kaohsiung, todos nos sentavamos em silêncio, recolhidos ainda no corpo que não tinha totalmente acordado, banhados pela luz difusa que entrava pelas pequenas janelas. Os olhos semicerrados, as mãos em posição. O Mestre Supervisor bravada algo como “FUUUUUUUUU”, um som poderoso, assustador. Em cada corredor, passava rapidamente um Mestre com a sua espada de madeira e iniciavamos mais um período de meditação.

A este brado vigoroso, chama-se He em chinês ou Katsu em japonês 喝. Ele serve para acordar a consciência e trazê-la ao aqui e agora, ao momento presente. À espada de madeira dá-se o nome de Xiang Ban ou Keisaku 警策, é a espada que corta as amarras da nossa ignorância.

A meditação é o voltar a nós mesmos

Apesar de o brado e a espada serem acessórios, eles indicam a predisposição e condições que devemos criar na meditação – a entrega, o estar, o despertar da consciência. Com a meditação, encontramos o espaço e tempo necessários para esvaziarmos o peso interior, cessar o constante fluxo de pensamentos e promover um mente luminosa, num coração compassivo.

Quando fores meditar, entrega-te. Solta um brado interior que te traga ao momento presente, corta as amarras das ilusões e apegos externos. Entrega-te. Este é o momento de geração e presença da consciência. Vale a pena meditares.

Atenção plena

A atenção plena a fazer a barba

A melhor forma de crescermos com uma técnica é a aplicarmos no nosso dia-a-dia. A atenção plena pode ser aplicada em situações tão comuns como até fazer a barba. É simples.

Como praticar a atenção plena a fazer a barba

Entrega-te a cada um dos processos:

  • Abrir a torneira e aquecer a água – sentir a temperatura a mudar;
  • Molhar o rosto – sentir a reacção da pele e cada movimento;
  • Colocar a espuma na mão e observar a sua forma;
  • Espalhar a espuma no rosto – sentir o seu contacto com a pele, observar a transformação do rosto;
  • Pegar na gillette e usar – sentir cada movimento, estar consciente em cada movimento.

Neste processo, pensamos que estivemos muito mas muito mais tempo a fazer a barba mas na verdade não, foi praticamente o mesmo, a diferença é que a cabeça não esteve a perder tempo com julgamento, ansiedade ou pensamentos fortuitos.

A atenção plena é muito importante para a nossa sanidade e equilíbrio mental, emocional e espiritual. É por isso mesmo que os cinco princípios de Reiki começam com “Só por hoje”.

O benefício da mente vazia e o prejuízo da mente cheia

Ter uma mente vazia significa ter um espaço dentro de nós que permite a consciência ser um observador, podendo tomar uma decisão mais acertada perante cada situação. Ter a mente vazia traz grandes benefícios.

Ter uma mente cheia significa deixar popular no nosso consciente e inconsciente pensamentos ruminantes, sem sentido, sem significado, muitos dos quais exaustivos e potencialmente venenosos por despertarem memórias e emoções negativas. Ter uma mente cheia traz grandes prejuízos.

O benefício da mente vazia

Compreender que sempre teremos pensamentos traz-nos serenidade. A mente vazia não implica a não existência de pensamentos. Eles existem e sempre existirão. A diferença está no espaço limite que criamos e nos permite ter mais paz e serenidade interior.

Tudo começa exactamente por aí, por querermos alcançar paz e serenidade interior. Ao sabermos isso, precisamos ter a consciência que devemos disciplinar a mente. Para disciplinar a mente, precisamos praticar.

Disciplinar a mente é como nos prepararmos para disparar uma flecha cujo objectivo é alcançar o ponto preciso do seu alvo, ou seja, é cultivar a concentração. Através da concentração chegamos ao estado meditativo e daí fazemos crescer um jardim de vazio, pleno de potencialidade.

Mente vazia

A concentração pode ser feita de forma muito simples:

  • Todos os dias reserva cinco minutos de manhã e cinco minutos à noite para a prática;
  • Coloca um objecto sem grande pormenor ou apenas uma folha em branco com um ponto preto no centro;
  • Senta-te confortavelmente, mantendo uma postura direita e relaxada;
  • Fica a uma distância do objecto que te permita ter os olhos relaxados e ao mesmo tempo fixos no objecto;
  • Mantém a tua mente fixa, unicamente a olhar para o objecto. Não precisas ter julgamento ou considerações sobre o objecto, apenas precisas olhar para ele;
  • À medida que fores praticando mais e mais, irás compreender este exercício.

O não julgamento é muito importante para a mente vazia, assim como a mente vazia é muito importante para o não julgamento.

Acalmar o sistema nervoso com uma meditação simples

Quando o nosso sistema nervoso está sobre pressão, toda a nossa energia é influenciada. É muito importante estaremos relaxados e tranquilos para que os canais energéticos recebam correctamente a energia e possam também enviá-la. Podemos fazer uma meditação muito simples para ajudar o sistema nervoso a relaxar.

Meditação para acalmar o sistema nervoso

  1. Coloca-te de pé, direito, mas relaxado, com as pernas ligeiramente afastadas, alinhadas com os ombros;
  2. Leva a atenção até aos olhos e relaxa-os;
  3. Relaxa todos os músculos do rosto e sente a pressão a baixar, a ser libertada dos olhos e do rosto;
  4. Relaxa a língua;
  5. Leva esse relaxamento para o pescoço, ombros e braços;
  6. Ao expirares, vai-te libertando cada vez mais da tua tensão;
  7. Imagina que estás debaixo de uma cascata;
  8. Deixa que todas as tuas tensões sejam lavadas por essas cascata;
  9. Vai sentindo que estás cada vez mais leve;
  10. Imagina agora, um cordão de luz dourado que vai do topo da tua cabeça até ao universo e que te suporta, gentilmente;
  11. Continua o teu processo de relaxamento, entregando-te a essa segurança do cordão dourado.

Esvaziar a mente ajuda a enraizar

Esvaziar a mente é um exercício como aquele que fazemos quando vamos ao ginásio, ou uma prática como a que aprendemos ao ler mais e cada vez mais para melhorar o entendimento, a compreensão, a cultura e a fala. Esvaziar a mente é algo de tão natural como deixá-la preenchida de pensamentos e preocupações.

Os pensamentos surgem porque temos muitas interacções e estimulações ao longo do dia. É um processo natural mas que pode afectar-nos muito e levar ao desgaste pela quantidade de memórias e emoções que podem despoletar, no caso de nos apegarmos a eles.

Se a tua mente está vazia, ela está pronta para tudo, aberta a tudo. Na mente de principiante existem muitas possibilidades. Na mente do especialista, existem poucas possibilidades. – Shunryu Suzuki

Os benefícios de esvaziar a mente

Ao esvaziar a mente encontramos espaço em nós. Esse espaço irá permitir-te:

  • Cultivar consciência;
  • Desenvolver a compaixão;
  • Aumentar a intuição;
  • Escutar o sentido da vida;
  • Tomar decisões conscientes;
  • Estar atento e no momento presente;
  • Aliviar o stress;
  • Não julgar;
  • Enraizamento.

O enraizamento é uma forma de estarmos ligados ao aqui e agora, em equilíbrio com as energias da “Terra e do Céu”. Permite-nos estar centrados, auxiliando a descarregar a energia mais densa e as tensões que temos. Esta ligação pode perder-se se a nossa mente for muito flutuante ou se se apegar a muitas coisas. É por isso mesmo que ao esvaziares a mente estarás a promover enraizamento.

Uma coisa de cada vez, a concentração no dia-a-dia

É muito fácil considerarmos que fazer muitas coisas ao mesmo tempo nos irá ajudar a conseguir fazer cada vez mais. É verdade, se conseguirmos fazer muitas coisas ao mesmo tempo, conseguiremos fazer muito mais, mas qual é o preço a pagar por isso?

  • Desgaste mental, emocional e físico mais acentuado;
  • Falta de concentração;
  • Energia dispersa por muita coisa;
  • Incapacidade de resposta de atenção necessária quando se tem solicitações.

Estes são alguns exemplos e podemos não notar enquanto somos “novos” mas ao longo do tempo o desgaste irá fazer sentir-se. Mais ainda, quanto menos capacidade de resposta maior o esgotamento e muitas vezes poderá surgir mesmo a depressão.

Então, precisamos mesmo ser capazes de fazer uma coisa de cada vez e não só, de permitirmos que os outros também o possam fazer. Por exemplo se alguém está a realizar uma tarefa, começar a falar com ela sobre outro assunto, dispersando a concentração, poderá não ser benéfico, nem para um nem para outro.

Benefícios da concentração

Quando empenhamos toda a nossa energia numa só coisa, tudo tem mais força e significado. Quando empenhamos a nossa mente e coração, tudo cresce de uma forma clara e positiva.

A concentração auxilia-te a desenvolver o domínio sobre a mente, assim como a gerir melhor as emoções e memórias associadas. Concentrar permite meditar, permite encontrar um espaço vazio que fará crescer a harmonia e paz duradoura. Ao encontrar o equilíbrio na mente, o coração conhece também o espaço necessário para nós mesmos e para os outros. Também assim cresce a compaixão.

Então, todos estamos num processo interligado. Se queremos desenvolver a concentração para alcançarmos maior paz, devemos também saber ter uma atitude de paz para com os outros, não interrompendo, desconcentrando, ou “poluindo mentalmente” as situações. Tudo começa em nós.

 

meditação terapeutica integral

Como fazer uma meditação de Reiki para a gratidão

A gratidão é uma das grandes virtudes a trabalhar com Reiki, é o nosso terceiro princípio. Expressar gratidão é ter consciência do universo, do sentido da vida e podemos fazer uma meditação de Reiki para trabalharmos e desenvolvermos a gratidão. Quando as coisas nos correm bem, agradecemos. Quando as coisas nos correm mal, sofremos e muitas vezes protestamos, reclamamos e sentimo-nos injustiçados. Quanto mais o fizermos, pior toda a situação parece e apenas aliviamos quando ela já passou. Então, a gratidão é também um grande exercício de compreender a impermanência. Termos consciência que nada é eterno, que tudo muda. Começa pelo nosso nascimento e crescimento, observamos isso no nosso prato de comida quente que se deixarmos muito tempo ao ar, fica frio. Observamos a impermanência nos nossos relacionamentos, nas estações do ano, na economia e na capacidade de lidarmos com as situações. Este conceito de impermanência não existe para que fiques frustrado ou desesperado, antes pelo contrário, serve para que procures o que é realmente importante e desenvolvas a tua consciência.

Quando agradeces, estás a despertar a tua consciência, estás a dizer ao universo que queres, que aceitas a serenidade, que confias na vida e em ti, que possivelmente precisas de ajuda. Estes são os valores dos dois primeiros princípios de Reiki.

Meditação de Reiki para a gratidão

Podes usar esta meditação para uma situação que te esteja a ser desconfortável.

  1. Esvazia a tua mente;
  2. Liga-te à energia;
  3. Sente como estás;
  4. Recita os cinco princípios, calmamente, sentindo cada um deles;
  5. Repete-os três vezes;
  6. visualiza à tua frente a questão que estás a ter dificuldade em compreender ou aceitar;
  7. Mantém sempre em mente, que a situação está fora de ti, que tu estás no teu centro;
  8. Deixa que Reiki flua para dentro de ti, que preencha a tua mente e coração;
  9. Sente-te totalmente preenchido de energia;
  10. Cada vez que inspirares, sente que a paz entra para dentro de ti;
  11. Cada vez que expirares, imagina que essa paz é projectada para a situação;
  12. Quando estiveres confortável, deixa também fluir Reiki para a situação, como se a energia passasse por ti e fosse iluminar aquela questão e todos os envolvidos, preenchendo as suas mentes e corações;
  13. Sente a gratidão desse momento e deixa-a expressar-se para com todos os envolvidos;
  14. Sente essa gratidão a iluminar as pessoas;
  15. Sente essa gratidão a trazer-te paz sobre a situação;
  16. Deixa-te estar neste processo durante algum tempo, mantendo o distanciamento;
  17. Quando quiseres terminar, agradece.

No silêncio, tenta compreender o que esta situação te trouxe de crescimento e de que forma a gratidão te auxiliou.  Como vês, a sabedoria do Mestre Usui era incrível – com princípios tão simples, crescemos tanto. Vale a pena praticares os cinco princípios.

pratica os principios pratica reiki - 2016

Meditação com o Honshazeshonen para a compreensão

Honshazeshonen pode representar algo como «Esta pessoa corretamente ajusta os seus pensamentos/emoções». É um símbolo do segundo nível de Reiki e está orientado para as questões mentais e para o envio de Reiki à distância. Além do uso do símbolo na prática terapêutica, em autotratamento ou tratamento aos outros, podemos também fazer meditações.

Meditação com o Honshazeshonen

Uma das meditações que podemos fazer com o terceiro símbolo de Reiki é alcançar a compreensão das nossas situações. Pode ser sobre pensamentos recorrentes, eventos recorrentes, situações passadas e muito muito mais.

Vamos então colocar uma intenção, para que a energia do símbolo nos ajude a compreender algo recorrente (por exemplo):

  1. Esvazia a mente;
  2. Liga-te à energia;
  3. Sente como estás e recita os cinco princípios;
  4. Pede à energia que te auxilie a compreender…
  5. Visualiza o terceiro símbolo à tua frente e recita o seu mantra três vezes;
  6. Sente a vibração do símbolo;
  7. Reforça o teu pedido de compreensão da situação ou pensamento;
  8. Esvazia a mente e deixa-te estar apenas a sentir a sua vibração;
  9. Presta atenção às sensações, pensamentos ou emoções mas, sem te apegares;
  10. Quando quiseres terminar, visualiza o símbolo a desaparecer e agradece.

Lao Tzé dizia que «A água é o que há de mais suave, no entanto, consegue furar montanhas e terra. Tal mostra claramente como a suavidade se sobrepõe à rigidez». Esta é a lição que o Honshazeshonen e Reiki nos pode trazer – deixar fluir, serenamente. É muito importante que não te apegues e tenhas sempre presente os princípios.

Page 1 of 7

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén