O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Categoria: Karuna Page 1 of 5

Quando surge uma raiva dentro de ti e como lidar com ela através da prática de Karuna e Reiki

A raiva e a irritabilidade são pequenos grandes venenos que estão dentro de todos nós. Muitas vezes conseguimos lidar com eles, mas na verdade são como ervas daninhas, as suas raizes ficam, por vezes bem fundas e poderão trazer-nos grandes danos.

Quando a raiva polui o “grande lago” da nossa serenidade, começamos a sentir uma inquietude, uma necessidade de extravasar, de transbordar e derramar este sentimento tão prejudicial. Mas o que provoca esta raiva ou irritabilidade?

Um olhar de Karuna e Reiki sobre a raiva

A raiva é um dos três grandes venenos que polui a nossa mente, estando de mãos dadas com o apego e com a ignorância. Esta raiva pode surgir da insatisfação, do descontentamento, da tristeza, de mágoas, ou outros sentimentos e situações que tenhamos passado e nos tenham deixado uma marca na integridade, forma de estar na vida ou felicidade.

Se a raiva surge significa que há uma insatisfação em nós, um sofrimento. Qual será ele?

Uma forma de analisares essa insatisfação e sofrimento é questionando-te através dos cinco princípios.

Cinco princípios para a raiva

  • Só por hoje – o que me tira do meu momento presente e faz sentir a raiva? Que pensamento ou sentimento surge oculto?
  • Sou calmo – Que situações tiram a minha harmonia e despoletam este sentimento?
  • Confio – Este sentimento retira-me a capacidade de confiar em mim, de acreditar em mim?
  • Sou grato – O que esta raiva ou irritabilidade na verdade me quer dizer? Será que andei demasiado submisso, esquecendo-me de mim mesmo? Será que andei a adiar muitas decisões? Será que não estou em paz com algumas situações passadas ou futuras?
  • Trabalho honestamente – O que sinto que esta situação traz para mim e para a minha vida?
  • Sou bondoso – Como sinto que estarei em paz perante este sentimento? Como sinto que poderei levar paz aos outros porque a minha raiva ou irritabilidade também atinge os outros? Qual o caminho do meio?

Um tratamento de Reiki e Karuna para a raiva e irritabilidade

A tua raiva não deve ser menosprezada, ela representa um sofrimento para ti e uma dor que te poderá magoar e levar também mágoa aos outros. Poderás através da tua prática tentar ganhar mais consciência sobre a raiva e tentar tratá-la.

  1. Medita

    A meditação é muito importante para a raiva, ela pode servir como a febre serve para uma doença. A meditação poderá fazer sair de ti o veneno que sentes a perturbar-te, por isso, se puderes, medita diariamente, várias vezes ao dia. 15 a 20 minutos, ou pelo menos 5 a 10 minutos.

  2. Trata-te

    Se sentes que essa raiva surge com um determinado tratamento que fizeste, tenta sentir o que te fez vir à tona. Por exemplo, um Om de Karuna pode trazer um grande sentimento de unidade, mas ao mesmo tempo poderá mostrar-nos o que não nos faz ester em unidade. Um Daikomyo poderá trazer-nos grande harmonia, orientação e iluminação, mas ao mesmo tempo poderá mostrar-nos o que nos falta trabalhar para alcançar esses pilares da vida.
    Aplica o teu autotratamento com a intenção correta, faz sair de ti o “veneno” que sentes, mas com bondade e entendimento.

  3. Cultiva um amor e compaixão por ti mesmo

    Tu és alguém de grande valor e uma pessoa única, a tua vida é preciosa e este momento faz parte da tua vida. Ele traz-te grandes lições e poderá representar um enorme progresso, por isso mesmo confia em ti e trata esse sentimento com grande amor por ti mesmo e com dedicação para aliviar o teu próprio sofrimento.

A raiva e irritabilidade existem em todos nós. As situações pelas quais passamos ajudam-nos a compreender cada vez melhor a própria vida e todos aqueles que nos rodeiam.

Como lidar com a crise de cura com Karuna

A crise de cura é uma reação natural do corpo ao seu tratamento, ela acontece porque havia um desequilíbrio que impedia o correto funcionamento.

Este desequilíbrio não é apenas necessariamente físico, ele pode ser emocional, mental ou energético.

Karuna para lidar com a crise de cura

Se a crise de cura surgiu após um tratamento de karuna ou a prática de sintonização, poderás fazer o seguinte para lidar com ela. Vamos imaginar que sentes que algo não está bem contigo, mas não sabes bem o que é.

  1. Meditação

    Começa por meditar um pouco, pelo menos quinze minutos, podes aplicar a técnica Joshin Kokyu Ho ou o Gassho Kokyu Ho.

  2. Autotratamento

    Volta a aplicar exatamente o mesmo autotratamento que aplicastes e que te fez surgir a crise de cura, ou aplica a intenção para compreenderes o que estás a sentir.

  3. Tomada de consciência

    O que aconteceu? O que se passa em ti? O que te apetece fazer em relação a essa inquietude que sentes?

  4. Mudança de padrão e tratamento

    O que achas que deves mudar, é mesmo o que é necessário para essa crise de cura passar, concentra-te nessa mudança e verás que tudo começa a ter um sentido diferente.
    Volta a aplicar o autotratamento e meditação durante dias consecutivos para harmonizares esse desequilíbrio.

A crise de cura não é um processo fácil e é claro que nos traz desconforto, mas se tentarmos compreender o que nos quer dizer, então tudo fará um enorme sentido e a nossa progressão será grande. Tem força, serenidade e continua a prática.

Karuna, a prática da grande compaixão – ultrapassar as questões pessoais e interpessoais

Karuna é um método terapêutico que foi criado como um ramo do Reiki. Neste método procura-se desenvolver a compaixão e a prática terapêutica dentro da energia de cada um dos símbolos presentes nos diferentes níveis.

Esta prática irá também ajudar-nos a ultrapassar as grandes fronteiras interiores que criamos perante as nossas questões pessoais e interpessoais.

Como karuna pode construir a compaixão para as nossas questões

O que é a compaixão senão uma vontade consciente para aliviar o sofrimento?

Muitas vezes esta compaixão surge para com os outros. Vemos alguém sem abrigo, vemos uma criança com fome, a guerra, a miséria, o infortúnio, mas nem sempre vemos o próprio sofrimento que temos, nem compreendemos que é necessário libertar-nos dessa prisão.

A prática de Karuna leva-nos a esse entendimento, “se eu estou em sofrimento, como posso libertar os outros do seu sofrimento?”, “Se eu vou com ansiedade querer um resultado para o alívio do sofrimento dos outros, como poderei não cair em sofrimento?”.

Através das técnicas, reflexão na filosofia de vida e prática através da terapia, compreendemos que há um trabalho que é feito par a par – o aliviar o sofrimento dos outros e o aliviar o nosso próprio sofrimento.

Ganhar consciência deste caminho com duas vias no mesmo sentido, ajuda-nos a apaziguar a mente e a confortar o coração.

Este entendimento ajuda-nos também a compreender que barreiras temos em nós e que barreiras colocamos perante os outros. A dissolução dessas barreiras traz-nos crescimento, paz e felicidade.

Karuna uma terapia de compaixão também com voluntariado

A prática de Karuna pretende estimular os praticantes de Reiki ao desenvolvimento da compaixão. Este foi um sistema criado por William Rand e Kathleen Miller nos anos oitenta que procurava uma resposta para a orientação terapêutica pela compaixão.

Voluntariado Karuna

Após a conclusão do curso de nível 1 de Karuna, realizado por alunos de nível 2 de Reiki, fizemos um dia de voluntariado atendendo 20 pessoas e celebrando também o Dia Internacional do Voluntariado.

Neste dia de voluntariado Karuna fomos oferecer esta prática aos voluntários da Associação Portuguesa de Reiki que às segundas-feiras e sábados estão sempre disponíveis para auxiliar quem mais precisa.

Dar e receber é um dos grandes princípios cultivados no voluntariado, não só devemos doar aos outros, mas também temos que saber receber, pois é importante para uma vida em equilíbrio e harmonia.

Muitos parabéns a todos os alunos, por toda a sua prática e doação.

Alguns testemunhos dos voluntários

Para mim foi muito positivo a forma como o Karuna entrou na minha vida, trouxe me mais compaixão por mim mesma e mostrou me uma forma mais assertiva de como chegar ao próximo.
A experiência do voluntariado para mim foi magnífica ainda não consigo ter palavras para descrever a sensação do que é dar sem preocupação e agradeço a oportunidade por poder partilhar o que aprendi.
Grata. – Maria Sierra

Adorei o Karuna!!!
“Compaixão” é uma palavra que o define lindamente.
Senti-o de uma forma diferente do Reiki, para mim foi muito mais intenso.
Voluntariado é algo a pensar….. é uma entrega muito boa, que gostei e senti-me muito bem a fazer. Muito obrigada pela experiência. – Gisela

A pratica de Karuna ajudou me a complementar a minha pratica de reiki. Permitiu-me ter mais serenidade, comigo próprio e com os outros, trabalhando o jardim da alma e a compaixão.
O voluntariado de Karuna foi uma experiência muito positiva que espero vir a repetir, ver as pessoas saírem com um sorriso e de alguma forma um pouco mais leves é muito bom.
Grata por estes momentos, grata ao Mestre João e as pessoas que partilharam este caminho.
Beijinhos – Valeria

A recitação do mantra Om Mani Padme Hum

Om Mani Padme Hum é o mantra que evoca a compaixão do Bodhisattva Avalokiteshvara. A sua repetição 108 vezes, segundo a tradição budista, evoca a transformação da nossa impureza, em pureza.

Om Mani Padme Hum

Todos nós temos impurezas, quer pelo que fazemos, pelos nossos pensamentos ou mesmo pelo nosso discurso. Estas impurezas vão-se acumulando em nós ao longo do tempo, criando uma espécie de “nuvens negras” que nos vão afastando de nós mesmos, da nossa essência.

Existem inúmeras técnicas para limparmos as nossas impurezas e do oriente, surge também a recitação dos mantras. Mantras são palavras que nos podem auxiliar a alcançar determinados estados de consciência e Om Mani Padme Hum é um mantra de seis sílabas que significa algo como Eu Sou uma Jóia de Lótus Indivisível, de uma forma muito simplista, sendo que este mantra é tão profundo que dificilmente tem uma tradução literal.

Assim, as seis sílabas Om Mani Padme Hum significam que dependendo da prática, que é a indivisível união entre método e sabedoria, podes transformar o teu corpo impuro, discurso e mente, num puro corpo, discurso e mente de um Buda. – Dalai Lama

A purifica de todos os nosso sentidos é muito importante, pois estes sentidos são as portas pelas quais a nossa percepção cria a realidade e classifica algo como sendo bom, ou sendo mau.

É muito bom recitar o mantra Om Mani Padme Hum, mas, enquanto se recita, deve-se pensar nos significados, pois os significados das seis sílabas são muitos e vastos.

Om simboliza o corpo, a fala e o discurso impuros do indivíduo; ao mesmo tempo ele simboliza a pureza do corpo, da fala e da mente do Buda. As próximas quatro sílabas indicam o Caminho.

Mani significa ‘joia’ e simboliza o método que é a intenção altruística de se tornar iluminado, simboliza compaixão e amor.

As duas sílabas ‘Padme’ significam lótus e simbolizam a sabedoria.

A pureza deve ser atingida através da unidade indivisível do método e da sabedoria, o que é simbolizado pela sílaba final ‘hum’, que significa indivisibilidade.

Assim, as seis sílabas, Om Mani Padme Hum, significam que a prática do Caminho leva à transformação do corpo, da fala e da mente impura na exaltação de pureza que são o corpo, a fala e a mente do Buda. – Dalai Lama

Este é um simples exemplo de recitação e poderás encontrar exemplos mais claros através do Youtube.

Como praticar Tonglen em Karuna

Tonglen significa dar e receber, é uma prática que temos também no Karuna e implica um verdadeiro exercício de compaixão.

O dar e o receber – a prática de Tonglen no Karuna

Sentir o sofrimento do outro e trazê-lo ao nosso coração, poderá ser algo que vai implicar grande esforço e, se calhar, um sofrimento acrescido em nós mesmos, se não estivermos assim tão bem.

Por isso mesmo, quero partilhar contigo uma forma de praticares o Tonglen, dentro da prática de Karuna, sem estares a levar uma energia mais densa para o teu coração e prejudicando, potencialmente, fragilidades que possas ainda ter. Esta é a forma como o podes fazer:

  1. Liga-te à energia Karuna, pode ser visualizando o Zonar em ambas as mãos;
  2. Visualiza uma esfera de energia à frente do teu chakra cardíaco e coloca lá dentro um Zonar;
  3. Visualiza a pessoa que está em sofrimento e observa o que ela necessita, para o seu bem supremo;
  4. Ao inspirar, imagina que retiras o sofrimento da pessoa e que ele vai para essa esfera de energia, para ser transmutado;
  5. Ao expirar, imagina que do teu coração, segue o fluxo da energia Karuna, para aquilo que ele mais precisa;
  6. Vai fazendo este exercício de retirar e preencher ao longo do tempo que sentires necessário;
  7. Quando quiseres terminar, visualiza a pessoa a desaparecer e também a esfera de energia a desaparecer;
  8. Sente como estás e preenche-te de energia;
  9. Faz o banho seco;
  10. Agradece.

A prática de Tonglen é também importante para ti mesmo, experimenta aliviar o teu próprio sofrimento e verás que coisas maravilhosas surgem para ti.

Karuna – o Caminho para a Compaixão, cartas técnicas

Depois de tantos anos a praticar e ensinar Karuna chegamos a um momento em que precisávamos de algo mais gráfico, visual e estruturado para auxiliar os nossos alunos na sua prática da terapia da compaixão.

Assim, surge este conjunto de cartas técnicas, de Karuna, como o caminho para a compaixão. Algo que te pode auxiliar a desenvolver os conceitos da filosofia de vida e ter ainda práticas precisas que te podem ajudar a compreender melhor a orientação terapêutica de Karuna.

Cartas técnicas – Karuna, o caminho para a compaixão

A compaixão leva-nos a um voto de querer aliviar o sofrimento de todos os seres, incluindo o nosso mesmo. Karuna é um caminho terapêutico para a compaixão e é um dos ramos do Reiki. A prática de Karuna também não está relacionada com religião, mas sim com uma filosofia de vida que vai beber os seus ensinamentos ao budismo, no entanto, os praticantes não têm que ser, de forma alguma, budistas.

Este conjunto de cartas, está desenhado para auxiliar os praticantes de Karuna a trabalharem a filosofia de vida e a energia dos símbolos que nos ajudam a construir, desenvolver e realizar um jardim para a alma – o nosso coração.

Aqui encontrarás as cartas com todos os símbolos, para que possas meditar e aplicar nas tuas situações. Zonar; Halu; Harth; Rama; Gnosa; Kriya; Iava; Shanti; Nin-Giz-Zida; Om; Dumo; Daikomyo. Encontrarás ainda o símbolo do Antakarana, para o potenciar da cura.

Com as cartas do nobre caminho óctuplo, podes encontrar inspiração para a tua elevação da consciência, rumo à compaixão. Elas são: Compreensão correta; Pensamento correto; Discurso correto; Ação Correta; Meio de vida correto; Esforço correto; Atenção correta; Concentração correta. Terás ainda algumas indicações para cultivar a filosofia de vida na prática de Karuna. Para finalizar, tens ainda as cartas de ação de Karuna, que te pedem o desenvolvimento de uma atitude compassiva. Lembra-te sempre que a compaixão começa contigo mesmo.

Estas cartas estão apenas disponíveis no CENIF.

Como te preparares para um curso de Karuna nível 1

Se queres iniciar um curso de Karuna no nível 1, apesar de “não ser necessário”, poderás também fazer algumas preparações para te auxiliar a entrar na perspetiva e vibração do curso de Karuna.

A tua preparação para um curso de Karuna de nível 1

De uma forma muito simples, podes dividir a tua preparação em três partes:

  1. Meditação e autotratamento;
  2. Compaixão;
  3. Prática dos símbolos.

Meditação e autotratamento

Sendo praticante de Reiki, porque não te empenhares, ao longo de cinco dias, na prática meditativa do Joshin Kokyu Ho? Irá ajudar-te a reciclares a tua energia e também a cultivar a mente vazia, o que irá auxiliar a criar um coração compassivo.

Durante três dias tenta aplicar o autotratamento completo de Reiki, pois irá ajudar a alinhar o teu centro energético.

Compaixão

Um tema central na prática de Karuna é mesmo a compaixão. E porque não tentares observar a forma como praticas a compaixão, ou mesmo, como necessitas dela?

O que é o dar e o receber? De que forma?

Prática dos Símbolos de Karuna

Outra forma interessante é tu ires praticando os símbolos de karuna do nível 1, para isso pede ao teu Mestre se tal é possível, pois o conceito pode mudar de escola para escola.

Para o curso de Karuna de nível 1 temos os seguintes símbolos:

  • Zonar;
  • Halu;
  • Harth;
  • Rama.

Podes também desenvolver a prática trabalhando com as cartas técnicas Karuna, o caminho para a compaixão.

Se quiseres podes ainda ler o livro Karuna, Terapia da Compaixão, escrito por mim e pela Sílvia Oliveira.

Autotratamento Karuna nível 1 para a serenidade e compaixão

Em qualquer nível de Karuna fazemos também a aplicação de 21 dias de autotratamento, para cultivarmos a prática dos símbolos, a manutenção do canal energético e, principalmente, o nosso cuidado energético, para a harmonia e equilíbrio do corpo, mente e espírito. Neste autotratamento, colocamos também a intenção, pois ela será muito importante. Assim, vamos experimentar colocar uma intenção para o cultivo da serenidade e compaixão.

Como realizar o autotratamento de Karuna para a serenidade e compaixão

Logo no primeiro nível de Karuna, despertamos para o cultivo de um coração mais compassivo, ou seja, mais atento ao sofrimento que temos em nós e nos outros. Se este despertar nos perturba, podemos compreender que encontramos o sofrimento em nós, mas que precisamos aprender a lidar com ele… com compaixão.

Antes de querermos o melhor para os outros, temos que querer o melhor para nós, só assim é que verdadeiramente saberemos que tal será bom para todos. Se eu quero serenidade para os outros, eu tenho que viver essa serenidade. Se eu quero compaixão para os outros, tenho também que a viver. Estas duas tónicas de forma de estar na vida, apresentam-se no primeiro nível de Karuna.

Serenidade significa a capacidade de reagir com harmonia às situações mais desestruturantes que vão ocorrendo na vida. Compaixão significa aliviar o sofrimento.

Tendo isto em mente, vamos colocar esta intenção no nosso autotratamento de Karuna nível 1 e sempre lembrar, em cada posição que o queremos é serenidade e compaixão. Muitas vezes no autotratamento as coisas parecem estar mais agitadas, porque não nos entregamos à aceitação de que também podemos ter serenidade e compaixão. Em cada posição sente como se a energia emanasse serenidade e compaixão para ti, para o teu interior.

Então, poderás fazer assim o teu autotratamento:

  • Dia 1 a 4 – Aplica apenas o Zonar;
  • Dia 5 a 8 – Aplica apenas o Harth;
  • Dia 9 a 12 – Aplica apenas o Rama;
  • Dia 13 a 16 – Aplica apenas o Halu;
  • Se tudo correu bem com estes dias, faz a indicação seguinte, se viste que foi desagradável com algum dos símbolos, aplica nos quatro dias seguintes apenas aquele símbolo que foi harmonioso para ti;
  • Dia 17 a 21 – Todos os quatro símbolos pela ordem – Zonar, Halu, Harth, Rama.

Se houve algum símbolo que te despertou inquietação, vamos aproveitar para compreender melhor que inquietação foi essa e que lição podemos tirar daí. Aplica também o envio de Reiki à distância para situações que possam ter surgido.

Como fazer um autotratamento de Karuna nível 2

No nível 2 de Karuna vamos continuar a desenvolver o trabalho emocional iniciado com o nosso primeiro nível e para tal, teremos mais quatro símbolos para trabalhar as várias situações que a prática terapêutica de Karuna pode abranger.

Aplicar um autotratamento de karuna nível 2 ao longo de 21 dias

A aplicação habitual do autotratamento poderá sendo desenhar os quatro símbolos deste nível numa mão e depois continuar com as posições habituais como fazemos na prática de Reiki. Mas podemos também pensar em formas de compreendermos melhor os símbolos, Assim, podes fazer o teu autotratamento da seguinte forma:

  • Dia 1 ao 3 – Gnosa;
  • Dia 4 ao 6 – Kriya;
  • Dia 7 ao 9 – Iava;
  • Dia 10 ao 12 – Shanti;
  • Dia 13 ao 15 – Aplicar os quatro – Gnosa, Kriya, Iava, Shanti;
  • Dia 16 ao 18 – Aplicar o Gnosa e o Kriya;
  • Dia 19 ao 21 – Aplicar o Iava e o Shanti.

Claro que estas são meras sugestões e podes fazer outras variações que sintas importantes.

Observa o que sente com cada símbolo e lembra-te de apontar pois poderá ser importante para o teu trabalho emocional.

Se sentires situações a serem resolvidas, envia Reiki e também os símbolos de karuna que despoletaram essa situação.

A importância de aprender Karuna

Karuna é um termo sânscrito cuja raiz kara, significa fazer. Este fazer é um princípio ativo e, neste caso, é o princípio da compaixão, ou seja, levar compaixão, aliviar o sofrimento.

Quando William Rand e Kathleen Miller pensaram em desenvolver uma prática terapêutica assente na compaixão, derivando e conjugando com Reiki, eles deram o nome de Karuna.

Karuna – terapia, filosofia de vida, prática complementar e integrativa

O desenvolvimento dos conceitos da compaixão é importante para o nosso crescimento como ser humano e também como parte da sociedade. Quanto mais cultivamos o sentido de que devemos aliviar o sofrimento e não transmitir mais sofrimento, a nossa consciência muda, o nosso projecto de vida muda e a própria forma como observamos a sociedade muda.

Para nos auxiliar no processo terapêutico, várias pessoas contribuíram para a criação de símbolos para esta prática. Os símbolos são meras ferramentas que nos ajudam a concentrar na energia, o verdadeiro trabalho é aquele de compreender o que cada símbolo tem como valor intrínseco e de qualidade humana.

A aprendizagem de Karuna é um processo natural para qualquer praticante de Reiki e que o poderá integrar no seu dia-a-dia, quer como filosofia de vida, quer como parte terapêutica.

Karuna está muito focado no tratamento emocional e nas questões da humanidade. É uma energia mais Terra e que nos traz os desafios de olharmos ao nosso interior, com bondade, amor incondicional e compaixão. Curando-nos, facilmente conseguimos encontrar contentamento e entendimento.

 

Como fazer um tratamento de Karuna para sentimentos depressivos

Os sentimentos depressivos podem tornar-se numa depressão se não forem rapidamente resolvidos e uma forma de o fazeres é através de Karuna, a terapia da compaixão. Como poderemos trabalhar os sentimentos depressivos com compaixão e com a energia?

A prática de Karuna num tratamento para os sentimentos depressivos

Os sentimentos depressivos podem surgir de muitas formas na nossa vida e mesmo em tenra idade. Eles podem ter origem na falta de autoestima, falta de autoconfiança, na pressão exterior, nos padrões e patamares que a sociedade coloca, nas expectativas que temos e naquelas que os nossos pares têm de nós, na falta de realização e muito, muito mais.

Compaixão significa a tomada de consciência que uma pessoa tem em relação ao sofrimento e ao desejo de libertar-se ou libertar os outros desse sofrimento. Não é, de facto, algo tão simples quanto isso e para nós, ocidentais, é muitas vezes um paradoxo estranho pois o poderemos associar à piedade ou misericórdia, coisa que nada tem a ver.

Ter compaixão pelos nossos sentimentos depressivos significa que tomamos a consciência de que:

  1. Estamos em sofrimento e queremos parar esse sofrimento;
  2. A culpa não é dos outros, nem é nossa, foram condições criadas e que podemos sempre trabalhar para contrariar essas condições;
  3. O nosso sofrimento leva também dor aos outros, por isso podemos magoar os que nos estão mais próximos, desde família, amigos, colegas de trabalho e conhecidos;
  4. Manter o estado depressivo não contribui para o nosso caminho para uma vida mais pacífica e feliz, assim como não contribui para a harmonia na humanidade;
  5. Apercebemo-nos que temos que ser tão bondosos para connosco como para com os outros;
  6. Entre muito mais…

Na prática terapêutica de Karuna podemos trabalhar os sentimentos depressivos

Vamos imaginar que a pessoa coloca a intenção de se harmonizar em relação aos sentimentos depressivos, que compreende virem de medos. Então, na nossa prática de karuna, podemos fazer o seguinte:

  1. Limpa a aura da pessoa;
  2. Faz a aplicação das posições como na prática de Reiki;
  3. Aplica o Halu no Chakra Raiz e no Esplénico;
  4. Aplica o Harth no Chakra Cardíaco;
  5. Aplica o Gnosa no Chakra Laríngeo;
  6. Aplica o Shanti no Chakra da Terceira Visão;
  7. Estes são meros exemplos, deves aplicar aquilo que realmente sentires na prática. Se quiseres, espalha também os símbolos na aura da pessoa, como se os desenhasses bem grandes e depois espalhas a sua energia com as duas mãos, ou de cima para baixo ou então do centro do corpo para as extremidades;
  8. Podes também visualizar um grande rio de energia Karuna, cor de rosa, por exemplo, a banhar a pessoa, trazendo-lhe grande paz;
  9. Poderás ainda usar o Iava para que aprenda a desapegar desses sentimentos negativos que cultivou;
  10. A aplicação da técnica Nentatsu pode ser também bastante benéfica para a pessoa.

A aprendizagem da prática terapêutica de Karuna irá ajudar-te a desenvolver o sentido da compaixão e de ferramentas terapêuticas, a nível energético, com um enfoque mais ativo e que trabalham bastante no campo emocional.

Trabalhar rapidamente os teus sentimentos depressivos, não deixes que se instalem em ti, lembra-te de também quereres aliviar o teu próprio sofrimento e de aceitares que também mereces estar bem.

Meditação do sorriso interior para praticantes de Karuna

Esta meditação está inserida no curso de nível 1 de Karuna, mas nada como partilhar pois o sorriso é algo de universal.

Enviar Karuna para a Terra

Karuna é também chamada a energia, a terapia, da compaixão e estando tão fortemente ligada à Terra, é uma forma muito interessante de aplicar um método de cura ao planeta.

Karuna e o envio da energia da compaixão para a Terra

A forma de enviar Karuna para a Terra é diferente da experiência que tens com Reiki e nada melhor que experimentar pois é mesmo muito bonito.

  1. Liga-te à energia Karuna;
  2. Visualiza um Zonar no chakra da mão esquerda e no chakra da mão direita;
  3. Sente a energia a fluir;
  4. Imagina o planeta entre as tuas mãos, como se o segurasses suavemente pela sua atmosfera;
  5. Visualiza o centro da Terra e envia os símbolos do primeiro nível de Karuna – O Zonar para trazer elevação à Terra; O Halu para transmutar os medos e proteger a energia da Terra; O Harth para preencher o planeta de compaixão e o Rama para equilibrar todo o planeta;
  6. Visualiza essa energia a fluir no coração da Terra e a cada batimento dela visualiza essa energia de compaixão a expandir-se;
  7. Sente que preenche toda a Terra, toda a atmosfera;
  8. Todos os seres vivos no planeta;
  9. Visualiza todas as pessoas em paz, em harmonia, com um coração bondoso.

Karuna é assim, promover a compaixão, o alívio do sofrimento e isso inclui o planeta também.

Karuna na comunhão com a natureza

No dia 22 fizemos um encontro de Nível 2 de Karuna no parque de Alvados, em Porto de Mós, para uma prática na natureza, com a Lúcia, Dina, Vera, Berta, Sónia e Ana.

Foi um dia bem preenchido de meditação, autotratamento, expressão nos símbolos e tratamento a outros. Muitos parabéns pelo excelente trabalho e pelo final de mais um percurso terapêutico e de desenvolvimento pessoal.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Podes ler mais sobre o que é Karuna no livro Karuna Terapia da Compaixão.

Page 1 of 5

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén