O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Categoria: Autotratamento (Page 1 of 5)

Chorar durante o autotratamento Reiki

E quando começas a chorar durante o autotratamento Reiki? Será que isso é sinal de tristeza? Ou o que poderá também querer dizer?

Porque se pode chorar durante o autotratamento Reiki

A energia universal, Reiki, ajuda-nos a alcançar o equilíbrio e harmonia em todos os nossos corpos, o físico, emocional, mental e energético. Muitas vezes temos em nós uma certa tristeza latente, parece que é algo como água tapada por um plástico e todos os dias andamos por cima desse mundo tão sensível e frágil. Então, quando colocas as mãos no corpo, poderás chorar durante o autotratamento, não porque estás triste, mas sim porque existe essa tristeza que está tapada, camuflada, mas presente em ti.

Então, sabendo que se procura o equilíbrio e harmonia, deixa fluir essa tristeza. Chora, deixa que o corpo responda à solicitação da energia, deixa que as tuas emoções aflorem, para que te possas libertar de todo esse peso interior.

Por outro lado, poderás até ser uma pessoa bastante alegre e não teres razões para tristezas à muito tempo, no entanto, pode surgir uma espécie de lágrima. Essa lágrima que escorre dos olhos poderá ser apenas água necessária a sair pelo canal lacrimal ou então uma pequena tristeza de há muito muito tempo, isto porque Reiki actua também nas várias camadas que vamos acumulando ao longo do tempo.

Então, chorar durante o autotratamento Reiki é algo que só pode ser benéfico, deixa-o acontecer. Tenta observar que pensamentos surgem, que emoções afloram. Teres essa atenção irá também ajudar-te a tratar dessa situação, se ainda houver necessidade para tal.

Como fazer o autotratamento Reiki em atenção plena

Fazer o autotratamento Reiki, em qualquer nível não é sempre fácil, principalmente quando temos pensamentos intrusivos ou emoções transbordantes. Poderá ser também um desafio quando existem distrações exteriores como filhos, animais, barulho, etc…

Então como fazer um autotratamento Reiki mais concentrado?

Aplicar a atenção plena ao autotratamento Reiki

As três técnicas base

Tudo começa com a tua preparação para o autotratamento, é como se mudasses de roupa… para ires dormir, vestes um pijama confortável, para ires trabalhar, vestes uma roupa possivelmente mais formal. Assim, antes de começares o autotratamento Reiki, vamos aplicar a “purificação”, ou o acto de limpar a energia densa que possamos ter na nossa aura. Para isso fazemos as três técnicas base.

O que representam as três técnicas base:

  1. Enraizamento

    A ligação à energia da Terra, o estar no momento presente, âncorado;

  2. Banho Seco

    A limpeza da energia que se acumula nos braços e mãos, assim como o corte de “ligações”, temporariamente, ao nível do cardíaco e plexo solar;

  3. Chuva de Reiki

    A limpeza da nossa aura.

Depois, tens ainda três momentos distintos, mas interligados:

  1. O esvaziar da mente e deixar fluir a energia;
  2. A recitação dos cinco princípios;
  3. A colocação da intenção.

E depois, passamos ao autotratamento. E é aqui que a nossa mente pode pregar partidas, assim poderás fazer um truque muito simples, para reforçar o aqui e agora, o Só por hoje, como indicava o Mestre Usui.

Assim, em cada posição do teu autotratamento, tenta prestar, levar a tua atenção ao seguinte:

  • Ao sentir do contacto das mãos com a pele e o que sentes em relação a isso;
  • Se não tens as mãos em contacto com a pele, sente o que se passa nesse espaço vazio;
  • Recita, em cada posição, os cinco princípios, lentamente e com verdadeira entrega;
  • Concentra-te no que se passa na ponta dos dedos ou nas palmas das mãos, em cada posição.

Para que estas dicas funcionem, não podes estar com expectativa, apenas com um querer fazer… entrega-te e verás como é simples.

A prática de autotratamento é mesmo aquilo que te traz equilíbrio e harmonia em termos energéticos, por isso, vale mesmo a pena praticar.

As reações após o autotratamento Reiki

Após fazermos o autotratamento Reiki podemos ter algumas reações físicas, emocionais, mentais e energéticas. São reações muito naturais, mas que por vezes nos podem fazer levantar dúvidas se estamos a fazer tudo bem.

As reações após o autotratamento Reiki que podemos ter

Lembra-te sempre que Reiki é como água e que os nossos problemas são como azeite. Reiki irá trazer à superfície essas questões, para que possa haver cada vez mais equilíbrio e harmonia.

Ter isto em mente, faz-nos lembrar o essencial na prática de Reiki – não há cura milagrosa, nem nada que se pareça, mas sim a criação de condições a que todo o nossos sistema vivo possa estar em equilíbrio e harmonia.

Para que isso aconteça, o corpo poderá reagir para voltar a encontrar um estado que seja conforme à continuidade da vida e assim, podemos ter reações após o autotratamento Reiki às quais, se chamam “crise de cura” ou em japonês Koten Hanno.

Então que reações podemos ter após o nosso autotratamento?

  • Emocionais – pode haver uma limpeza ou desbloqueio emocional se houver algo que esteja a bloquear a nossa harmonia emocional. Por vezes podem até surgir sensações como irritabilidade, mas isso é uma chamada de atenção para trabalhares o teu poder pessoal, ou seja, para que aprendas a colocar tudo no seu sítio certo e saberes por limites aos outros;
  • Mentais – clareza de pensamento ou poderão surgir os pensamentos das situações a tratar, ou que nos causam desequilíbrio;
  • Físicas – sensação de bem-estar geral ou limpeza através das reações naturais do corpo como a diarreia, vómitos, etc… Também poderemos sentir cansaço, mas isso é uma forma de o corpo nos dizer “tens mesmo que descansar, estiveste a abusar do esforço durante muito tempo”;
  • Energéticas – uma sensação de maior vitalidade ou percepções de fluxo de energia, por exemplo.

Por outro lado, poderemos não sentir nada. Em determinadas alturas, os praticantes podem não sentir a energia a fluir ou os seus efeitos, no entanto, se perseverarem, irão observar que os efeitos da prática, mesmo que não os sintam, tornam-se evidentes, isto porque passam a sentir-se de forma diferente, ou começam a adotar uma postura diferente perante a vida.

As reações após o autotratamento Reiki dependem muito também da tua própria predisposição. Se tiveres uma atitude positiva, tudo o que venha a acontecer, será encarado positivamente. Se estiveres com uma atitude mais apegada às coisas que não funcionam na vida e com grande expectativa de um milagre repentino, então poderás não perceber bem o que as reações te querem indicar.

É mesmo muito importante escutarmos as reações que surgem após o autotratamento e, se tiveres o nível 2 de Reiki, enviar Reiki à distância para algumas indicações que a energia te dê.

Usa também a técnica de enraizamento para te auxiliar a escoar melhor a energia que estejas a libertar com o autotratamento e, se quiseres, após a prática, aplica o banho seco e a chuva de Reiki, para limpares também a energia.

A prática de Reiki é verdadeiramente incrível, é uma jornada interior na “Arte Secreta de Convidar a Felicidade“.

E se fizeres mais do que um autotratamento Reiki por dia?

Usualmente fazemos um autotratamento Reiki por dia, ou aplicamos o autotratamento como profilaxia uma ou duas vezes por semana, mas e se num só dia fizermos dois, quatro, cinco práticas de autotratamento Reiki? Será eficiente?

Será que o autotratamento Reiki se for feito muitas vezes por dia tem benefícios?

Se fizeres um autotratamento Reiki ao longo de 30 a 45 minutos, estando a passar por todos os pontos chave e tratando também as regiões que sintas necessárias, então estarás a dar a energia suficiente para o teu dia.

Vamos imagina que fazes o autotratamento de manhã, antes de ires para o trabalho. Tudo correu bem, foste tendo energia para o dia, mas por volta das cinco horas, começas a ficar mais fraco, com pouca energia. Ao chegar a casa, se quiseres, podes também aplicar o teu autotratamento ao final da tarde ou noite.

Então, a aplicação de Reiki duas vezes por dia, poderá ser benéfica para o praticante, no entanto, essa perda de energia não é muito comum e significa que existe uma outra questão por detrás. O teu trabalho, tem que ser o de descobrir porque perdes energia, pois a aplicação do autotratamento é benéfica e irá recompor-te, no entanto, todo esse desgaste voltará a repetir-se. Nesses casos, experimenta avaliar com os cinco princípios a tua questão.

Noutra situação, vamos imaginar um sábado, decides fazer uma maratona de autotratamento. Por exemplo, aplicas Reiki de manhã, à tarde e à noite. Se a tua aplicação for feita com presença, trabalhando os pontos a serem trabalhados, irás sentir uma boa vitalidade. Decides repetir o mesmo no domingo e o mesmo nos dias seguintes, até que notas que não está a fazer sentido, que não estás a sentir tanto a energia. Isto acontece porque já estás a entrar em equilíbrio. Então, mais do que uma vez por dia é benéfico, mas não quer dizer que seja necessário ou útil todos os dias.

Finalmente, vamos experimentar cinco vezes por dia e aí, se calhar percebes que não há mesmo sentido, porque o nosso corpo tem um potencial de reciclagem de energia e de acumulação da mesma. Se estas cinco vezes foram muito úteis, então tens que ter um enorme cuidado pois estás à beira da exaustão e deves verificar a tua condição de saúde. O nosso corpo energético é como uma pilha, tem uma determinada duração e capacidade de recarregar. Não será por fazermos muitas vezes por dia que iremos ficar melhor. Se tens essa necessidade, observa as questões que estás a ter no teu dia-a-dia e te levam à exaustão, essas têm que ser tratadas.

 

Autotratamento Reiki para a fibromialgia

Os sintomas da fibromialgia podem ser muitos e diversificados, mas todos eles bastante incapacitantes e redutores da qualidade de vida da pessoa. Para quem é praticante de Reiki, pode beneficiar da aplicação terapêutica, mas também dos conselhos da Filosofia de Vida que temos.

Observar e tratar com Reiki a fibromialgia em praticantes de Reiki

Ao fazeres o teu autotratamento, começa primeiro por realizar um “varrimento” com as mãos, ao longo do corpo, para tentares compreender o byosen. Se tiveres o nível 2 ou 3, aplica esse varrimento uma vez por cada símbolo. Desenha cada símbolo na mão e faz o varrimento, para compreenderes se há algum tipo de byosen específico para cada vibração.

Depois, vamos à prática.

  • Inicia com as técnicas de limpeza;
  • Coloca a tua intenção para o tratamento, observando o que sentiste;
  • Recita os cinco princípios;
  • Aplica as várias posições e trata também as zonas que possas ter de dor, além das posições habituais;
  • Trata as várias partes dos braços;
  • Trata também as várias partes dos pés;
  • Quando terminares, volta a fazer o banho seco;
  • Agradece.

Tenta perceber o que acontece contigo quando surge algum sintoma da fibromialgia – se são pensamentos, se são emoções, por vezes é como um ruído de fundo que nem nos apercebemos. E isso tem que ser tratado. Se tiveres o nível 2 de Reiki, terás que enviar Reiki para cada uma dessas situações, para que possas estar em harmonia com elas.

Experimenta também tratar-te a ti mesmo à distância, pois poderá ser bastante interessante aquilo que vais sentir.

Quando começares a compreender aquilo que despoletou o surgimento da fibromialgia, aplica uma reflexão através dos cinco princípios.

  • O que te tirou a calma e a harmonia? O que precisas para a recuperar?
  • O que te tirou a confiança?
  • Que lições de vida esta doença te trouxe e como te fez mudar para melhor?
  • Como tens trabalhado para tratar esta questão?
  • Tens cuidado de ti de forma bondosa e tens-te permitido viver melhor?

A prática de Reiki é bastante completa e pode auxiliar-te a tratar complementarmente a questão da fibromialgia, tudo demora tempo, mas a perseverança faz parte da Arte Secreta de Convidar a Felicidade.

 

O autotratamento Reiki para a autoestima

Se a autoestima tem maus dias, o autotratamento Reiki poderá ser uma das formas para te ajudar a equilibrar e harmonizar. Não é uma promessa de cura, mas é um compromisso contigo mesmo para que te compreendas, sintas e até tragas algum equilíbrio aos teus pontos em desarmonia.

Como aplicar o autotratamento para situações de falta de autoestima

Temos sempre a opção de aplicar o autotratamento completo, em todas as posições e colocar a intenção para aquilo que mais necessitamos em relação à autoestima, mas também podemos orientar o nosso autotratamento para algo mais específico. Experimenta fazer da seguinte forma:

  1. Faz as técnicas de limpeza;
  2. Recita os cinco princípios;
  3. Deixa a energia fluir para as tuas mãos;
  4. Faz o byosen em todos os chakras do teu corpo;
  5. Tenta perceber quais os que tens que tratar mais;
  6. Quando quiseres, podes colocar a mão esquerda no teu chakra cardíaco e a direita vai andando pelos chakras que sentiste necessitarem de tratamento;
  7. Vai tentando perceber o que a energia te diz;
  8. Vê se surgem emoções ou memórias;
  9. Aplica o tratamento ao longo de vários dias seguidos e podes também aplicar os cinco princípios em cada uma dessas posições;
  10. Quando quiseres terminar, agradece.

autotratamento Reiki

É muito importante escutares o teu corpo, o que ele te diz, o que necessitas, irá ajudar-te muito. Tem confiança em ti mesmo e cuida-te.

Os cinco princípios em cada posição de autotratamento para a paz da mente

Por vezes encontramos dificuldade no autotratamento Reiki, poderá ser pela quantidade de pensamentos que fluem, como por algum desconforto que tenhamos no corpo. Podem sobressaltar emoções ou memórias. Então podemos usar um pequeno truque no autotratamento – os cinco princípios.

Como aplicar os cinco princípios no autotratamento para tranquilizar a mente

Inicia o teu autotratamento com habitualmente fazes, fazendo as técnicas de limpeza, recitando os cinco princípios e colocando a tua intenção.

Em cada posição que faças vai recitando os cinco princípios, como se a vibração deles fosse fluindo para dentro do corpo. Podes repetir até mais do que uma vez.

Recita-os calma e profundamente, deixa-te embalar no bem-estar que os princípios sempre te trazem e leva essa boa energia para o autotratamento.

autotratamento Reiki

Esta prática de aplicação dos cinco princípios irá ajudar-te a manteres-te cada vez mais focado na prática, seguindo aquela máxima do zen “quando como, como; quando durmo, durmo”, para nós será algo como “quando pratico Reiki, pratico Reiki”.

Além disso, esta repetição consciente dos cinco princípios irá ajudar-te a fortalecer a consciência e também a elevá-la.

Porque podemos bocejar na prática de Reiki

Já aconteceu estares a praticar Reiki e teres vontade de bocejar e por vezes mais do que uma vez?

O bocejar pode ser um movimento associado ao sono, mas também uma forma de nos mantermos num estado vigilante, evitando adormecer. Mas porque pode acontecer na prática de Reiki?

O bocejar na prática de Reiki

Ao fazer o autotratamento Reiki, a energia ajuda-nos a relaxar, a encontrar o equilíbrio e harmonia do corpo e da mente. Muitas vezes, ao aplicar Reiki durante a noite, adormecemos ainda no meio do autotratamento e isso nada tem de incorrecto. Poderás nestes casos bocejar porque tens sono, porque estás a relaxar profundamente, por isso, não te preocupes, adormece e descansa.

No entanto, se estiveres a fazer Reiki a outra pessoa, principalmente nesses casos, mas também poderá acontecer contigo mesmo, podes estar a ter uma reacção natural de limpeza da energia densa que possas estar a tratar.

Este é um acontecimento muito simples da energia e da interacção energética. Quando estás a tratar outra pessoa, a energia parece algo como “cotão” a sair da pessoa e esse cotão pode entrar em contacto contigo, o que é normal. Sendo absorvido pelo plexo solar, é muito normal que haja a necessidade de expelir essa energia, o que pode acontecer pelo bocejo ou com o arrotar.

Como qualquer uma das situações pode até ser estranha para a pessoa que está a receber Reiki, é aconselhável a que aumentes o teu enraizamento e deixes esse excesso de energia descer pelo enraizamento. Não te esqueças de reforçar o movimento com a respiração.

O mesmo tipo de conceito, podes aplicar no autotratamento. Poderás sentir a tua energia densa a libertar-se e pode dar-se o movimento do bocejo. Aumenta o enraizamento quando assim for.

Quando o autotratamento Reiki parece não estar a funcionar

Por vezes é logo ao início, outras em algum momento da vida, o autotratamento Reiki parece não estar a funcionar, parece que deixamos de sentir ou não conseguimos resolver a questão que temos. Isso é normal acontecer e vamos ver algumas formas de compreender, interpretar e até retomar a prática.

Porque o autotratamento Reiki pode não estar a funcionar

A Energia Universal, Reiki, sempre flui em nós, pois é a energia vital que tudo permeia, no entanto, nós praticantes de Reiki trabalhamos com ela de forma mais directa, no entanto, algumas situações podem fazer com que não sintamos tão bem a energia ou ela não flua tão bem através de nós.

  • Quando estamos constipados, a energia fica estagnada e o chakra da coroa tem tendência a fechar;
  • Com muitos pensamentos na mente, não conseguimos sentir correctamente;
  • Com muitas emoções a transbordar, não conseguimos sentir correctamente;
  • Podemos não estar habituados a sentir o nosso interior;
  • Há ambientes tóxicos que também não nos deixam sentir correctamente;
  • Com stress é mais difícil a energia fluir;
  • Com ansiedade, não nos conseguimos colocar dentro de nós mesmos para perceber o fluxo da energia;
  • Com sentimentos depressivos estamos demasiado imersos no interior do problema para sentir algo de bom a fluir;
  • Entre muitas outras condições…

Como vês, a energia não deixa de fluir, no entanto, muitas condições podem debilitar o fluxo e a sensação. Se sentires que esse bloqueio não consegue ser ultrapassado, procura um terapeuta de Reiki para te auxiliar, no aspecto energético e se for algo do foro médico, também um especialista.

No entanto, continua a aplicar o teu autotratamento. Por vezes não sentimos, mas a energia é como a água que vai caindo numa rocha dura, ela acabará por furar essa mesma rocha. Umas vezes, a rocha são as nossas crenças, outras vezes, as nossas questões interiores ou mesmo desequilíbrio físico.

Para te auxiliar, experimenta praticar meditação. Pelo menos quinze minutos por dia, tenta fazer a técnica Joshin Kokyu Ho, a técnica da respiração. Ao criares espaço interior, estarás a criar também tempo, capacidade de observar e compreender.

Experimenta também identificar o sítio onde tens o teu bloqueio e depois aplicar Reiki com a mão esquerda no Chakra Cardíaco e a direita no local onde esteja esse bloqueio, vamos tentar harmonizar essa zona.

Entrega-te à prática com uma atitude positiva… vais ver que tudo poderá mudar. Fala com o teu Mestre de Reiki sobre as questões que tens e se entenderes faz uma consulta para também te compreenderes melhor e perceberes outra forma da energia fluir em ti.

Os vários passos do autotratamento Reiki em video

A prática de autotratamento Reiki é o que nos auxilia a encontrar equilíbrio e harmonia de forma natural. Reiki, a energia universal, é a energia que tudo vitaliza, é a energia da própria natureza e como tal, parte de tudo. Ao trabalharmos mais diretamente com esta energia, poderemos compreender como estamos e o que possa ser necessário para nos equilibrarmos.

O autotratamento Reiki e os seus vários passos

São muitas as formas de aplicares o autotratamento, poderás ter um aspecto formal ou mesmo informal para a prática. Podes querer fazer todas as posições, ou apenas algumas. Não há o conceito de errado, apenas o conceito de prática, de bem-estar.

Vou dar-te algumas dicas para um autotratamento mais completo, mas já sabes que não precisa ser exactamente assim.

A limpeza

Antes de iniciares o autotratamento, podes começar por realizar o enraizamento, que será útil ao longo de todo o tratamento, o banho seco e a chuva de Reiki.

A técnica da respiração – começar com meditação

E porque não começares com meditação?

É mesmo esse o conceito do Joshin Kokyu Ho, a técnica da respiração que te permite revitalizar e acumular energia vital. Experimenta praticar durante quinze minutos.

Os cinco princípios como transformação da consciência

Começa a tua prática com a recitação e vivência dos cinco princípios. Eles irão mudar a tua forma de encarar a vida e também a forma como olhas para ti mesmo.

O autotratamento

Liga-te à energia, deixa-a fluir para a tua mente e coração. Coloca a tua intenção e faz as posições que aprendeste. Lembra-te que podes sempre aplicar mais posições se sentires que deves tratar outras partes do corpo. Podes fazer o autotratamento deitado ou sentado.

Este é um exemplo de música com sininhos que podes usar para mudar as posições no autotratamento. Se houver alguma parte que precise ser mais tratada, fica mais tempo.

No final agradece e se quiseres, volta a recitar os cinco princípios.

A seguir ao dia da sintonização podes praticar durante 21 dias, de preferência seguidos. Após esse tempo, vai fazendo também de forma regular.

Se sentires que o autotratamento esteve a limpar muita coisa, então volta a aplicar o banho seco e a chuva de Reiki. A prática de Reiki requer uma atitude positiva, porque vale mesmo a pena cuidarmos de nós mesmos.

Tratar o Chakra Raiz quando os pés estão frios

Sentes os teus pés frios e és praticante de Reiki? Então podes realizar uma prática de autotratamento bem simples.

Como tratar os pés frios e a influência do Chakra Raiz

O nosso chakra raiz rege a zona da bacia, pernas e pés. O chakra raiz faz toda a energia fluir ao longo dessas partes e é também que nos “liga” à energia da Terra. Quando a energia flui, o calor circula pelo corpo, se houver perda de energia em alguma parte do percurso então há frio.

Se os pés estão frios, então a energia não está a fluir, encontra-se bloqueada. Esse bloqueio pode ser encontrado nas articulações.

Então podes experimentar fazer o seguinte:

  • Antes do autotratamento, trata primeiro os joelhos;
  • Depois passa ao chakra raiz;
  • Então aí sim, começas na primeira posição e segues por todas até aos pés.

Digo os joelhos porque é aí que geralmente se encontra o bloqueio. Se no entanto o teu bloqueio estiver nos tornozelos, então é por aí que deves começar.

Como tratar o sentimento de Raiva com Reiki

A raiva é um veneno muito tóxico que corrói a paz de espírito e a nossa capacidade de conviver harmoniosamente em sociedade. Em casos extremos, a raiva torna-se não só autodestrutiva, mas também uma ameaça aos outros, então precisamos tratá-la logo desde início.

O tratamento da raiva com Reiki

São várias as razões do surgimento da raiva, dependem de pessoa para pessoa e das condições que tem em si:

  • Pressão contínua que vem do exterior;
  • Falta de autoestima, ou autoestima continuamente minada;
  • Esconder por demasiado tempo as emoções que sente;
  • Estar em contacto contínuo com situações que afectam a integridade ou estrutura central da personalidade;
  • Excesso de energia em desequilíbrio, sem escoamento;
  • Excesso de alimentação prejudicial à energia do fígado que causa saturação;
  • Entre muitas outras…

Observando algumas destas condições, como praticantes de Reiki, percebemos que devemos sempre ser capazes de comunicar, de saber expressar os sentimentos para libertarmos as emoções que temos retidas e que, muitas vezes, servem como um veneno que vai crescendo em nós.

Por outro lado, podemos ter condições exteriores que podem ser adversas a nós, mas que também nos trazem lições – o que precisamos aprender com estas situações para que no futuro elas não nos incomodem mais?

Sabemos que as situações tendem a repetir-se, que a fuga não é solução, então precisamos tomar consciência do que origina a nossa raiva – os cinco princípios de Reiki pode ser uma boa ferramenta auxiliar:

  • Só por hoje, sou calmo – que situações, o que sinto interiormente em mim, que faz ter raiva?
  • Confio – porque razão não tenho confiança em mim para lidar com as situações harmoniosamente, ou de que maneira o outro me fez perder a confiança nele?
  • Sou grato – que lições me trouxeram estas situações de raiva?
  • Trabalho honestamente – Será que comunico corretamente as minhas situações, será que falo comigo mesmo sobre o que me traz raiva, de que forma expresso na vida a raiva que sinto e se acho isso correcto?
  • Sou bondoso – De que forma poderei resolver esta raiva, sendo bondoso para comigo e para com todos os envolvidos?

A raiva é mesmo um veneno, tão grande que, por exemplo, no budismo, é considerado um dos três venenos causadores da destruição da pessoa. Por isso mesmo, não podemos suster em nós um carvão ardente como a raiva, porque nós é que ficaremos prejudicados e em sofrimento. Então como vamos tratar esta situação com Reiki?

  • Autotratamento – realiza durante cinco dias seguidos o autotratamento com a intenção de poderes harmonizar a tua raiva e presta atenção às emoções que surgem e às respostas do corpo;
  • Meditação – medita antes de realizares o autotratamento e até várias vezes por dia, realizando a técnica da respiração, o Joshin Kokyu Ho, libertando na tua expiração toda a dor e raiva que sintas, como se te fosses esvaziando;
  • Mudança de atitude – mudar a atitude é o mais correto para nós mesmos, podes fazer isso com uma técnica muito interessante, o Nentatsu. Visualiza-te a agir na situação sem raiva, coloca a mão esquerda na testa e a direita na nuca, deixa fluir energia.

A raiva não vale mesmo a pena, a saturação dessa energia dentro de ti poderá trazer doença, por isso mesmo, aplica Reiki e/ou procura um terapeuta de Reiki para te auxiliar.

Reiki para a autoestima – o plexo solar e o não

A autoestima é uma consideração e avaliação que temos de nós mesmos, mas que muitas vezes se encontra bem abaixo do que devia estar. Podemos trabalhar com Reiki para a autoestima, fazendo uso das técnicas e da nossa filosofia de vida.

Reiki para a autoestima

Uma grande questão que nos surge é como conseguir ter uma autoavaliação positiva, excelente sobre nós mesmos, fazendo com que a estima que temos seja considerável, realista e afirmativa?

Em primeiro lugar, tudo passa pela nossa capacidade de observação e contentamento. Observar o que fazemos, pensamos e sentimos, equilibrando com o contentarmo-nos com as nossas boas acções e carácter. Sabendo compreender a nossa insatisfação como uma ponte para melhores atitudes, não nos deixando afundar pelas críticas ou pelos hábitos e julgamentos.

Esta capacidade de observação pode ser alcançada através do Joshin Kokyu Ho, a técnica da respiração, que te auxiliar a encontrar um espaço vazio, um tempo essencial para cessar o pensamento e as emoções. A partir daqui, começarás também um trabalho com os cinco princípios, por exemplo:

Só por hoje, sou calmo – Porque perdi a minha harmonia, quando, para deixar de ter valor por mim mesmo?

Confio – Porque deixei de confiar em mim mesmo ou de que forma entreguei a minha autoconfiança aos outros?

Sou grato – Agradecer por todos os momentos que passei sem a minha autoestima e que lições retiro daí.

Trabalho honestamente – Comprometer-me a ser honesto comigo mesmo, a escutar os meus pensamentos e sentimentos, sabendo também comunicar com o outro de forma honesta.

Sou bondoso – O que é a bondade e a autoestima? Qual o limite de entrega aos outros e quando me devo entregar a mim mesmo?

Os cinco princípios podem mesmo auxiliar-te neste processo de crescimento e renovação da autoestima. Reflete com eles, medita, vive-os.

Também no teu autotratamento, poderás dedicar-te mais ao teu chakra do plexo solar, compreenderes como ele está de energia, reforçar essa mesma energia e criar aí um espaço de poder pessoal, onde tu saibas dizer não, de forma convincente a ti mesmo. Este não não é algo de negativo, mas sim um poder incrível que desenvolves dentro de ti, é uma força natural que te ajudará a quebrar barreiras e a estabelecer limites.

Depois, observa também o teu chakra cardíaco. Será que construíste um jardim bom para tu mesmo habitares no teu coração? Será que tens amor para ti mesmo?

As situações que achares que devem ser mudadas podem ser trabalhadas através do Nentatsu, a técnica para alcançar o pensamento positivo.

Reiki é muito completo e uma excelente ferramenta de trabalho, de ti, para ti. Entrega-te à prática e aceita-te.

Observa a tua depressão com a tua prática de Reiki

Se és praticante de Reiki e estás num momento de depressão ou com sentimentos depressivos, além de consultares um especialista, observa também com a tua prática de Reiki o que se está a passar contigo.

A depressão e a prática de Reiki

O Usui Reiki Ryoho indica que a nossa mente e corpo necessitam estar em equilíbrio e harmonia, que se tal não acontece, surge a doença, o desequilíbrio energético. Para observares a tua depressão há algumas questões que podes aplicar a ti mesmo:

  • Quando comecei com este estado depressivo?
  • Em que altura da vida estava e o que aconteceu?
  • Onde em mim eu sentia mais falta de energia?
  • Porque perdi alegria e autoconfiança?
  • De que forma me aceito a mim mesmo para viver?
  • Costumo ter ansiedade?
  • O que me faz sair do meu centro e perder o equilíbrio?

Outro aspecto que te pode ajudar é a filosofia de vida:

  • Só por hoje – o que me tira do aqui e agora, de aproveitar o momento presente? Vou mais para o passado ou para o futuro?
  • Sou calmo – porque perco a minha harmonia?
  • Confio – de que forma perdi a confiança em mim e nos outros? Como a poderei recuperar?
  • Sou grato – o que aprendi com este estado presente?
  • Trabalho honestamente – em verdade, porque estou assim? O que eu quero realmente e não consigo alcançar? Será necessariamente importante?
  • Sou bondoso – de que forma sou bondoso para comigo? Devia ser mais? Como?

Observa ainda a tua parte energética:

  • Quais as partes do teu corpo que mais precisam de energia?
  • Consegues fazer bem o enraizamento?
  • Consegues entregar-te à técnica da respiração durante 15 minutos?
  • Consegues tratar, cuidar de ti durante pelo menos 30 minutos?

Aplica as técnicas de Reiki:

  • Com o teu autotratamento, experimenta ainda aplicar duas técnicas de Reiki, de forma sistemática, durante 21 dias:
    • Heso Chiryo, a técnica da desintoxicação, para te libertares do que achares que esteja a ser tóxico para ti;
    • Nentatsu, a técnica do pensamento positivo, para construires um pensamento positivo, um valor que te ajude a ultrapassar a questão que tens.

Não apliques estas técnicas sem o auxílio do teu Mestre de Reiki, consulta-o para definires melhor os teus objectivos e também para dares as respostas a estas questões.

Começar o autotratamento Reiki de baixo para cima

Geralmente aplicamos o autotratamento Reiki começando no chakra da coroa, mas será que há algum problema em começarmos nos pés ou até mesmo no chakra raiz?

O autotratamento Reiki ao contrário

Se tens dificuldades de enraizamento, ou se achas que o teu chakra raiz não tem estado muito equilibrado, poderás experimentar a aplicação do autotratamento de uma forma diferente.

Caso queiras podes começar dos pés para cima, isto também te irá ajudar a desbloquear os chakras secundários dos tornozelos, joelhos e bacia, que ligam ao chakra raiz. No entanto poderás também querer começar do chakra raiz para cima. Esta técnica é particularmente interessante para aumentarmos a nossa energia, principalmente se os chakras “inferiores” estiverem um pouco mais fracos.

Nota que este autotratamento feito de baixo para cima, se for realizado à noite, pode trazer, em alguns casos, uma pequena insónia, mas nada como experimentar.

Podes fazer o autotratamento de baixo para cima da seguinte forma:

  • Aplica as técnicas de limpeza;
  • Liga-te à energia e recita os cinco princípios;
  • Começa pelo tratamento dos pés à frente e a trás;
  • Tornozelos;
  • Joelhos;
  • Chakra Raiz;
  • Chakra Esplénico;
  • Chakra do Plexo Solar;
  • Chakra Cardíaco;
  • Chakra Laríngeo;
  • Nuca;
  • Chakra da Terceira Visão;
  • Se quiseres, aplica também no Chakra da Coroa;
  • Quando quiseres terminar, agradece.

Page 1 of 5

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén