O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Categoria: Associação Portuguesa de Reiki (Page 3 of 9)

As 1as Jornadas de Terapeutas de Reiki um encontro de experiências e crescimento

És praticante de Reiki, de qualquer nível e sistema ou estás curioso sobre os efeitos práticos do Reiki mesmo não sendo praticante? Então as 1as Jornadas de Terapeutas de Reiki são o momento ideal para teres uma outra abordagem sobre o Reiki.

Participa e recebe material de apoio à tua prática.

1as Jornadas de Terapeutas de Reiki – Lisboa 2 de Abril 2016

As 1as Jornadas de Terapeutas de Reiki são um encontro para a partilha de experiências e apoio à profissionalização e prática de Reiki.

É um evento aberto a praticantes de Reiki de todos os níveis e sistemas, podendo também ser útil para quem queira compreender a prática profissional sem ser praticante, para a implementação de projetos em instituições.

2 de Abril, 2016 das 14h00 – 20h00 no Hotel Olissipo Marquês de Sá

Ao longo destas jornadas vamos escutar as necessidades dos que são ou querem ser terapeutas de Reiki, entender o lado da pessoa que procura Reiki como um complemento ao seu caminho de cura, várias formas de atender a pessoa numa consulta de Reiki, técnicas para o tratamento de casos específicos e ainda, como aplicar a filosofia de vida do Reiki no percurso terapêutico. Teremos ainda um caso de estudo muito importante que é a prática de Reiki no serviço de oncologia do Hospital de Dia em Faro.

Inscrições: Enviar comprovativo de transferência para eventos@montekurama.org
IBAN: PT50 0033 0000 45366862462 05 Monte Kurama

Agenda

Recepção dos participantes – 13h00

14h00 – Abertura das Jornadas – João Magalhães
– Que necessidades têm os terapeutas e que respostas dar
– A filosofia de vida no percurso terapêutico.
14h45 – À procura da saúde holística e complementar – Tânia Martins
15h30  – Técnicas de atendimento – Cristina Belém
16h15  – Reiki no hospital de Faro, serviço de Oncologia do Hospital de dia – Magda Fernandes e Rosa Boal
17h15 – Convívio e coffee break
17h45  – Ética na terapia Reiki – Maria João Marques
(Comissão Nacional de Ética para a Terapia Reiki)
18h45 – Técnicas para terapeutas de Reiki – Técnicas para a depressão, ansiedade, oncologia, saúde mental, orientação para seniores, crianças e animais. – Vários coordenadores.
20h00 – Encerramento

Inscrições

Inscrições: Enviar comprovativo de transferência para eventos@montekurama.org

IBAN: PT50 0033 0000 45366862462 05 Monte Kurama

Se tiveres dificuldades monetárias, contacta-nos.

ASSOCIADOS

COM QUOTAS EM DIA
19 Com certificado de Participação

NÃO ASSOCIADOS

ABERTO A TODOS OS PRATICANTES E NÃO PRATICANTES
26 Com certificado de Participação

Localização

Hotel Olissippo Marquês de Sá – Av. Miguel Bombarda 130, 1050-167 Lisboa
Ver no google maps

i jornadas de terapeutas de Reiki

Saber comunicar, com os cinco princípios de Reiki

O ser humano já comunica há milhares de anos mas, a comunicação continua a ser difícil, mal compreendida ou dirigida. É natural que assim seja pois na comunicação há o emissor, o receptor e o canal. No emissor e receptor, existe o seu entendimento, a aprendizagem formal, informal e as suas crenças. O canal pode ainda influenciar se não estiver nas melhores condições ou se for um pouco desconhecido para o receptor. Temos ainda a mensagem.

A mensagem é o conteúdo da comunicação, é o que se pretende passar. Por mais inócua que seja, mais bem pensada ou feita com a melhor vontade possível, dependerá da capacidade do emissor a transmitir empatica e objectivamente, dependerá do canal ser o mais adequado e do receptor ter a capacidade de entendimento, não se deixando envolver pelas suas crenças ou subjectividade. Algo que é muito difícil.

A comunicação no Reiki, entre praticantes de Reiki, também não é nada fácil. Cada um tem as suas crenças e o seu entendimento. Muitas vezes até todos falando sobre o mesmo interpretam coisas diferentes – tem a ver com as crenças. Quanto a isso não há problema excepto quando se zangam ou ofendem e aí entram em conflito com o primeiro e quinto princípios.

Esta questão na comunicação encontra-se também, muitas vezes, na incapacidade de trabalho conjunto, respeito mútuo ou construção de um trabalho conjunto. Mas somos praticantes de Reiki, porque não o conseguimos?

O Usui Reiki Ryoho, o método de cura natural que o Mestre Usui criou ele tinha um propósito – A Arte Secreta de Convidar a Felicidade. Pois este método pode trazer tratamento e cura, dentro do possível, para a melhoria do corpo e da mente. Para cumprir esta arte secreta, precisamos praticar cinco princípios, só por hoje:

Sou calmo,
Confio,
Sou grato,
Trabalho honestamente,
Sou bondoso.

Então vamos reflectir nestes princípios para trabalharmos a nossa capacidade de comunicação:

Só por hoje – Estar no aqui e agora é importante na comunicação. Ajuda-nos a escutar. A escuta activa é muito importante e muitas vezes tomam-se decisões porque nem se quer se ouviu o que realmente o outro estava a dizer, apenas se tomaram decisões com base nas emoções e nas memórias que elas provocaram.

Sou calmo – Manter a serenidade é muito importante quando queremos comunicar. Manter um ambiente harmonioso entre todos é também importante e se já à partida estamos desconfiados, poderá não correr muito bem. Se vais falar ou escutar, promove a paz.

Confio – Por vezes o que ouvimos soa-nos mal porque não confiamos em nós mesmos. Com a dúvida surge a sensação de ataque pessoal e quando isso acontece, vem a confusão, perde-se a calma e já não se escuta. Perde-se Reiki. Confia em ti, mesmo que não saibas algo, confia em ti. Se não tens segurança na vida, escuta o que a vida te diz e aprende esta comunicação valiosa.

Sou grato – Ter um coração pleno pela oportunidade de comunicar ajuda a relevar o que não é importante. A gratidão permite-nos ter outra perspectiva e escudar o coração do que poderíamos considerar um ataque à nossa integridade. Cada situação ajuda-nos a crescer, por isso podemos ser gratos.

Trabalho honestamente – Comunicar implica a verdade. Quais são, verdadeiramente, as tuas intenções? Muitas vezes, no fundo ou quase inconscientemente, procuramos ter a Razão, ser detentores da Verdade mas isso é impossível. Cada pessoa tem a sua própria perspectiva mas, precisamos de valores para aceitar essas perspectivas. Podemos encontrar valores nos princípios. Sê honesto no que pretendes e da forma como comunicas.

Sou bondoso – Quando praticamos o quarto princípio por vezes confundimos frontalidade com brutalidade. A forma como falamos deve ser bondosa. Mesmo a reprimenda pode ser bondosa. Se estas palavras te provocam agitação, regressa ao primeiro princípio, lembra-te do que é preciso – alcançar, manter e promover a paz. Se também tu estiveres cheio de bondade para contigo, o que te podem fazer as palavras dos outros? Sê bondoso para contigo e para com os outros.

pratica os principios pratica reiki - 2016

Praticar Reiki não é só pensar em autotratamento ou doar Reiki a outros, é em primeiro lugar transformarmos a nossa consciência, através de cinco princípios. Ser praticante de Reiki não é ter certificados, é demonstrá-lo através dos mais pequenos gestos diários, é não perder o rumo, é manter a alegria e promover a felicidade. Pratica, vale a pena.

Reiki na Escola Prof João de Meira

A Rádio Fundação, de Guimarães, realizou a “Grande Entrevista” a Sílvia Oliveira, coordenadora do Núcleo de Reiki da Associação Portuguesa de Reiki e a Helena Sousa, Professora e coordenadora do projecto de Reiki na Escola Professor João de Meira, em Guimarães. Este projecto surge da vontade de se auxiliar os jovens a obterem mais qualidade de vida e harmonia, o que lhes permite ter uma outra relação com as escola, com os seus colegas e um melhor aproveitamento e sucesso escolar.

O projecto conta com duas formadoras de Reiki e quinze voluntários para a terapia.

Podem ler mais sobre este projecto de Reiki na Escola Prof João de Meira, aqui…

Luta contra o cancro também com Reiki

A 4 de Fevereiro celebra-se o Dia Mundial do Cancro. Uma tomada de consciência, esclarecimento e apoio à pessoa com doença oncológica. Procurar soluções naturais, complementares e que cuidam da pessoa como um todo, está a ser cada vez mais uma atitude não só de quem está a passar por um cancro mas também pela parte dos profissionais médicos. Uma dessas respostas é o Reiki por ser uma terapia natural, sem contra indicações, que promove a harmonia e equilíbrio da pessoa antes e após as sessões de tratamento químico, o seu empoderamento, além de poder estar também acessível aos familiares.

Não se pode procurar Reiki como sendo uma promessa de cura pois não é isso mas é uma prática que além da harmonia física, mental e emocional, pode também trazer uma estrutura e força interior. Por isso mesmo, a pessoa com doença oncológica pode também aprender Reiki, mudar a sua mente com os princípios e autocuidar-se.

Podes ler mais sobre os projetos de Reiki na luta contra o cancro no site da Associação Portuguesa de Reiki – Reiki em Portugal.

Sobre o dia mundial do cancro

O Dia Mundial do Cancro comemora-se a 4 de fevereiro, numa iniciativa da UICC (União Internacional de Controlo do Cancro). A UICC é uma rede de cooperação internacional, composta por diferentes membros e organizações, que contribui com discussões e encontros científicos direcionados para políticas de saúde na área da oncologia. A Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC), fundada em 1941, é uma das mais antigas instituições no espaço europeu na luta contra o cancro. A LPCC é membro da UICC desde 1983, colaborando ativamente no desenvolvimento e implementação de projetos internacionais.

O Dia Mundial do Cancro é um evento global que une a população em torno da luta contra o cancro. Destina-se a salvar vidas humanas, através da sensibilização e da educação. Representa uma tentativa de criar oportunidades para se falar de cancro, focando diversas temáticas ligadas ao cancro. Constitui a oportunidade ideal para colocar a palavra cancro, no vocabulário das pessoas e dos media.

Tal como o cancro nos afeta, a todos, de diferentes maneiras, todos temos o poder de agir para reduzir o impacto que o cancro tem sobre as pessoas, famílias e comunidades. Assim, o Dia Mundial do Cancro é uma oportunidade para refletir e para agir! E cada um pode fazer a diferença.

Podemos recusar fazer Reiki a outra pessoa?

Quer sejamos praticantes, voluntários ou terapeutas de Reiki, algures na nossa prática teremos a seguinte questão – posso recusar fazer Reiki a outra pessoa?

A resposta é muito simples e segue o Código de Ética da Associação Portuguesa de Reiki – Sim!

Recusar fazer Reiki a outra pessoa – as implicações

Podemos ter várias razões, todas elas válidas, para recusar fazer Reiki a outra pessoa:

  1. Desconforto com a pessoa, sem saber exactamente porque;
  2. No momento não temos capacidade para fazer a prática;
  3. De alguma forma a situação a tratar mexe connosco, como se fosse um espelho e consideramos que não seremos objectivos;
  4. A situação a tratar vai contra os nossos princípios;
  5. Aquilo que a pessoa pede nada tem a ver com Reiki;
  6. Não nos sentimos capazes de auxiliar no percurso terapêutico e preferimos passar a outra pessoa.

Alguns praticantes indicam que é sempre nosso dever atender mas, se pensarmos um pouco, de que adianta estarmos a «tentar» aplicar Reiki se a nossa mente e o nosso coração não estão nas melhores condições para tal?

Então, temos os cinco princípios que nos auxiliam. Devemos estar no aqui e agora, ter calma, serenidade; Encontrar confiança para o que fazemos ou dirigir a pessoa para outro praticante; Agradecer as oportunidades, mesmo as de recusa, pois ajudam a crescer; Cuidar de nós antes de querermos cuidar dos outros e sempre trabalhar com um coração sincero; Ser bondoso, ajudar a aliviar o sofrimento mas não deixar que nós mesmos soframos com isso.

Reiki pede-nos uma atitude de sabedoria e compaixão, as duas devem estar interligadas. Compreender que o nosso Amor Incondicional por vezes tem condições, ajuda a perceber melhor as nossas atitudes.

Ao recusar fazer Reiki a alguém, tira também um momento para reflectires sobre as razões desta recusa – porque o fiz? Foi de sentir a energia? Foi da situação? Era eu que não estava em condições?

Qualquer que seja a razão, nunca desmoralizes. Pratica Reiki.

Código de Ética Reiki

Porque algumas pessoas se desmotivam ou desiludem no Reiki

Muitas pessoas deixam de praticar Reiki. Umas porque não faz sentido para o seu percurso de vida, outras desmotivam-se ou até mesmo se desiludem e não é nada difícil isso acontecer. Recentemente, um amigo meu estrangeiro, um investigador de muita longa data sobre Reiki, decidiu desistir. Não quer ter mais nada a ver com Reiki e a razão é ter-se fartado de tanto abuso, por parte de Mestres de Reiki, que cometeram com ele. Podemos ficar surpresos, principalmente pelas suas questões virem por parte de Mestres de Reiki mas nada supreende se pensarmos que todos somos humanos.

Então, precisamos mesmo compreender a desmotivação e desilusão que surge no Reiki.

Claro que cada pessoa é um universo em si e como tal, tem necessidades muito concretas. Por vezes basta não ter uma resposta no exacto momento que precisa ou até não ter acompanhamento para a sua prática e questões. Por vezes a prática acaba por ser stressante por requerer tempo e dedicação. A desilusão poderá vir de ver que o Reiki afinal não traz uma cura milagrosa nem muda a pessoa de um momento para o outro, ou então das atitudes de quem acharia estar isento delas.

Apoiar a motivação e o esclarecimento no Reiki

A motivação para praticar Reiki tem que vir da nossa própria vontade de crescimento pessoal e autocura. Precisamos encarar o Usui Reiki Ryoho não só como colocar as mãos mas também como uma forma de podermos convidar a felicidade através da transformação da nossa consciência. Então, se praticas Reiki estás a fazê-lo por ti, ou deves fazê-lo por ti. Podes até ter o desejo de querer curar os outros mas, se inicias algo pelos outros e não por ti, poderás encontrar várias decepções pela frente. Pensa realmente nas tuas motivações para praticar Reiki. Podemos pensar que é egoísmo mas, não tem nada a ver com isso, tem sim a ver com a tua capacidade de aceitares que também mereces crescer e ser cuidado.

Podes refletir com os cinco princípios sobre estas questões:

  1. Só por hoje – O que no momento presente, o que neste dia o Reiki me traz?
  2. Sou calmo – Tenho paciência para saber crescer? Sei escutar as minhas interrogações?
  3. Confio – Aceito este caminho que quero percorrer e confio na minha capacidade para o fazer e também em mim mesmo para pedir ajuda quando não o puder?
  4. Sou grato – Compreendo a transformação que o Reiki me traz e a mudança que faz à minha vida?
  5. Trabalho honestamente – Sei o que realmente tenho de questões e aplico-me diligentemente?
  6. Sou bondoso – Aceito desenvolver o amor incondicional e compaixão?

Se parares por não compreender algo, não te preocupes. Isso é um processo natural da nossa mente. Quando não compreende, pára. Então, procura esclarecimento e, acima de tudo, pratica. Não aceites dogmas mas sente o que Reiki faz em ti. Recita os princípios em consciência, pratica a meditação com a mente no presente, sem dúvida que aí compreenderás tudo o que Reiki te traz.

Se és Mestre de Reiki

Em ti recai muita responsabilidade. Ensinar é partilhar vivência. Para isso há que mostrar que somos humanos, que quem pratica Reiki não é para ser melhor que os outros mas que é para crescer interiormente e assim toda a humanidade crescer. Pratica e dá exemplo pela tua prática. Promove tempo e desenvolvimento aos teus alunos. Actualiza-te sempre mas mantém Reiki como ele é, acrescenta conhecimento mas não desvirtues a essência. Apoia os alunos e promove a união entre todos.

Em ti recai a capacidade de esclarecer. Tendo os princípios como base, apoia a construção de um caminho para a felicidade. Apoia também outros Mestres, apoia os terapeutas. Não precisas de pregar Reiki mas sim de o incluir na tua vida. Não é necessário que seja visível em roupas ou eventos mas, as tuas acções tudo dirão. Não vale a pena pregarmos amor incondicional quando nem sempre é fácil alcançá-lo. Mais vale assumirmos a humanidade e juntos construirmos algo de melhor. Reiki é para a melhoria do corpo e da mente, é a união com a força da energia universal.

pratica os principios pratica reiki - 2016

Estudo o Efeito do Reiki na depressão de pessoas seniores em casas de repouso

Zeynep Erdogan e Sezgi Cinar realizaram um estudo sobre os efeitos de Reiki, na Turquia, relativo à depressão em pessoas seniores residentes em casas de repouso. Este é um estudo de 2014, publicado em Janeiro de 2016 no Indian Journal of Tradicional Knowledge. Muito obrigado à Sónia Gomes pela indicação do estudo à Associação Portuguesa de Reiki.
Os associados poderão ler o estudo completo aqui…

Estudo o Efeito do Reiki na depressão de pessoas seniores em casas de repouso

Zeynep Erdogan* & Sezgi Cinar**
*Bulent Ecevit University, Vocational School of Health Services Zonguldak, Turkey;
**Manisa Celal Bayar University School of Health, Manisa, Turkey
O objetivo deste estudo foi a avaliação do efeito do Reiki na depressão em pessoas seniores, residindo em casas de repouso. O estudo foi conduzido de forma aleatória, controlada e experimental. O universo do estudo consistiu em 170 seniores, devido à longa duração deste estudo 90 seniores voluntariaram-se para o estudo preenchendo os critérios que formam a amostra. Os noventa indivíduos foram separados em três grupos através de um método de amostragem aleatória: 30 no grupo de Reiki, 30 no grupo simulado e 30 no grupo de controlo. A informação foi recolhida usando a Geriatric Depression Scale (GDS). Houve uma redução significativa no score da depressão para o grupo de Reiki, enquanto que não houve diferenças significativas nos scores da depressão para o grupo simulado e grupo de controlo, nas 4ª, 8ª e 12ª semanas. Os resultados deste estudo indicam que Reiki pode ser eficaz para a redução da depressão em seniores, residentes em casas de repouso.
Palavras chave – Reiki, Seniores, Depressão, Medicina alternativa e complementar, Casas de Repouso, Turquia.
Os associados poderão ler o estudo completo aqui…

René Vögtli, um realizador de documentários sobre Reiki

Tive o prazer de conhecer o René Vögtli no ano passado, quando contactou a Associação Portuguesa de Reiki para o apoio sobre um documentário da prática de Reiki num hospital em Berlim e a nossa relação continuou com o apoio a este seu novo projeto «A ponte para a reconciliação». Posso dizer que é uma pessoa muito amável, com uma experiência de vida que lhe trouxe a sabedoria sobre as relações humanas. Decidi entrevistá-lo para que partilhasse um pouco da sua experiência pois traz aspetos muito importantes para a reflexão aos praticantes de Reiki e às associações existentes. Para mim, muitas das suas respostas são chamadas de atenção à realidade. Vale a pena refletirmos sobre esta experiência de vida.

Foi presidente da Reiki Network, também com a sua esposa Mischa. Como foi essa experiência?

A Reiki Network é uma associação para mestres de Reiki internacionais. Ela adere esforça-se para os mais elevados padrões de formação possíveis para o Usui Reiki Shiki Ryoho; Eles não reconhecem linhagem espiritual como faz, por exemplo, a Reiki Alliance. A partir de 1996-2008, a minha esposa Mischa e eu estávamos na presidência. Nunca estivemos juntos neste papel. No início era eu e mais tarde era ela. Em 2010, deixamos por causa de disputas pessoais. Isso provavelmente é o que melhor descreve. Foi muito tocante, foi o fracasso em resolver desarmonias nos relacionamentos. E foi doloroso.

Entenda que, em 2010, 75% dos membros eram “descendentes” meus e de Mischa, ou seja, eles foram treinados por nós ou por mestres que haviamos treinado. Nós ensinamos o Treino de Mestres e cultivamos o relacionamento ao longo dos anos e, assim, pode imaginar o que foi o afastamento… um grande passo.

Passo a explicar porque o que nós experimentamos na organização é típico do que acontece em muitas organizações.

Então, “como poderia vir a terum final doloroso?”, alguém pode perguntar. E acrescentar “entre mestres de Reiki, de todas as pessoas?!?”. O último é mais fácil de responder: É ingénuo supor que há apenas paz e tranquilidade entre os mestres de Reiki. A questão realmente é – e eu acredito que mestres de Reiki merecem escrutínio particularmente rigoroso a este respeito: Como se comportam quando a dissonância surge? Como vamos lidar com conflitos? Não temos uma cultura de pedir desculpas e perdão?

A minha esposa e a minha posição dominante dentro da organização foi o resultado direto do nosso sucesso: desde 1992, temos vindo a trabalhar em tempo integral e exclusivamente com o Reiki. Muitos milhares de estudantes de Reiki vieram aos nossos seminários e cursos para mestrado profissional a mais de 40 pessoas. Naturalmente, a maioria delas tornaram-se membros da Reiki Network. Cegos pelo nosso próprio sucesso ou talvez simplesmente devido à falta de sabedoria, nós não reconhecemos o lado sombrio da nossa presença. Não há nenhum ponto em expandir esse outro do que dizer que olhando para trás, eu gostaria de ter visto mais cedo e deu um passo atrás das posições de chefia dentro da organização para permitir que outros a se desdobrar mais facilmente.

Em retrospectiva, gostaria de questionar a minha interpretação de responsabilidade em seguida. Como presidente eu sentia-me responsável por “liderar” e como um mestre de Reiki sénior, eu sentime responsável por “ensinar”. Em princípio não há nada de errado com isso. Sou um homem e sinto-me bem na minha masculinidade. Assim, é justo dizer que as minhas qualidades Yang influenciam a minha “liderança” e o meu “ensino”. Num campo onde a maioria dos praticantes é mulher, um conflito pode surgir. Olhando para trás, gostaria de ter tido a visão para entender isso. A questão do género é uma questão interessante. E eu sinto que isso ainda não foi resolvido em muitas organizações.

A minha esposa e eu somos mestres de Reiki pelo nosso próprio direito, independentes uns dos outros – paralelamente, se quiser – e desprendidos na nossa estreita cooperação. Estamos envolvidos no trabalho de organização como indivíduos e não como uma unidade. Claro, ambos consultamo-nos mutuamente – muitas vezes chegando a conclusões diferentes … (risos) … Como profissionais que são parceiros, o nosso casamento não é fator a interferir com o nosso trabalho. Claro que na parceria profissional, precisamos ser cautelosos para enfrentar falhas ou erros e deixá-los afetar a nossa relação de amor. É algo que gerimos muito bem, ouso dizer. É verdade, no início eu às vezes estava com ciúmes do maior sucesso da minha esposa (definido como tamanho da classe …). Mas isso é foi há muito tempo. O meu relacionamento com Mischa vai além das nossas profissões individuais e dos nossos próprios chamamentos na vida. Como tal, é um privilégio absoluto e um apoio significativo para partilhar com minha amada esposa a minha vocação pessoal, que é mais do que a nossa profissão, que também partilhamos.

Também fundou a RIO – Reiki International Organization. Quais são os principais objectivos?

Muito rapidamente, depois de sairmos da Reiki Network, fundamos a RIO juntamente com dois mestres de Reiki. A precipitação deste desenvolvimento foi, provavelmente, também porque ansiava por uma nova … pertença, uma casa. Além disso, é muito da minha natureza para ir a todo vapor uma vez que eu estou empenhado em alguma coisa. Em tais assuntos paciência não é o meu ponto forte (risos).

A RIO nunca foi um substituto ou uma competição para qualquer organização, e muito menos o que foi deixado. A RIO recebe Reiki pessoa de qualquer nível, origem ou pertencente organizacional. Alguém, mesmo “charlatões” pode entrar. Dependendo do serviço que queira usar, existem códigos de conduta nossos que precisam aderir. Por exemplo. se alguém se quiser registar numa emergência na nossa corrente de Reiki, existem certas condições (por exemplo, que a pessoa em necessidade concorda em receber tratamentos à distância). Para o Fórum ou para a Lista de Praticantes é diferente o código e regra de conduta. Informações na biblioteca estão abertas. Se um “charlatão” copiar, bem, isso é ótimo, fizemos uma contribuição para todos. Tornam-se mais bem informados e treinados. RIO é suposto ser um lugar de encontro, de partilha, informação e apoio mútuo. Hoje, existem mais de 300 participantes de 16 países. Não há taxa de entrada; contribuições financeiras são auto-determinadas e voluntárias.
A velocidade com que nós fundamos a RIO trouxe alguns problemas com ela. Cansaço dos indivíduos, as dificuldades financeiras só para citar dois. Consequentemente, nós mudamos a RIO na medida em que hoje eu sou o único executivo e tomo conta de todos os projetos. Assim, é claro, eu estou limitado e, portanto, alguns projetos foram congelados.

Atualmente, o Reiki como ajuda às pessoas em necessidade é o serviço mais ativo. A nossa loja é bem frequentada e a produção de vídeo é muito ativa. Um descendente do Rio tem organizado estágios para praticantes de Reiki no hospital em Berlim

Daí surgiu um estudo de eficácia de Reiki em um centro de droga

Fez um excelente trabalho e muito creditado com um documentário sobre a prática de Reiki num ambiente clínico num Hospital em Berlim. O que representa este projeto para si, pessoalmente e para a Comunidade de Reiki?

Comecei a fazer produções de vídeo, há alguns anos. No início estávamos, principalmente, a documentar encontros, etc. Então eu transcrevi um trecho de um documentário de televisão alemão, encurtando-o para a mensagem relevante sobre o Reiki. E comecei a ter alguns vídeos existentes traduzidos para outras línguas. Passei a retratar personalidades do Reiki e, finalmente, o grupo suíço que foi para a clínica em Berlim para um estágio de Reiki, que é o documentário a que se refere.

Paralelamente ao filme nós também gravamos músicas e mensagens de áudio, mesmo experimentando entoar Reiki num CD, uma experiência marcante. Assim surgiu o que hoje chamamos RIO-Productions (RIO-P).

As imagens dizem às vezes mais do que as palavras. O vídeo é uma media do nosso tempo. Além disso, relaciona-se com a ideia de tradição oral. O video sobre Berlin tornou-se a peça principal da Rio-Productions. Ao fazê-lo, descobri um lado completamente novo em mim: eu alcancei uma fonte de criatividade, que não sabia existir. Isto é muito emocionante para mim a nível pessoal. Ao fazê-lo encontrei o que eu considero a minha vocação na vida e que é também a minha profissão, ou seja, a disseminação do Reiki, o que considero uma revelação.

Se, além disso considerar agora que eu faço as filmagens com meu filho mais novo, que é o diretor dos filmes, bem, pode ver por que estou tão entusiasmado e inspirado.

Para a comunidade de Reiki espero que este video sirva como um motivador. Ele contém informações valiosas que devem estar disponíveis gratuitamente para todos. Eu gostaria de ver o meu trabalho como uma construção de pontes e este vídeo em particular, a ligação dos praticantes de Reiki com os profissionais. Com demasiada frequência muitos praticantes estão cheios de preconceitos em relação a medicina e ciência. E vice versa. Espero que este video contribua para limpar alguns desses preconceitos.

Além disso, é uma excelente forma de abrir portas quando se fala com pessoas céticas, seja no campo da medicina, em negócios ou na política. Quando eles vêem que uma clínicai reconhecida aprova Reiki, muitas vezes começam a levar as coisas a sério. Como tem acontecido na instituição de drogas que eu mencionei antes.

Eu, pessoalmente, alegro-me em mais um aspecto. Já olhou para as credenciais do vídeo, a lista dos patrocinadores? Estou muito satisfeito que algumas partes tenham patrocinado o vídeo apesar de no passado pode não terem cooperado uns com os outros. Isto, também, é uma espécie de construção de pontes que eu vejo como parte de minha missão pessoal.

rene_voegtli

Que feedback teve com este trabalho?

Houve um feedback muito positivo. A Reiki Magazine deu um parecer muito favorável e as pessoas falam sobre isso na comunidade. Eu acredito que está traduzido em 5 idiomas. Além do conteúdo, recebemos muitos elogios para a qualidade profissional do vídeo. O vídeo é muitas vezes visto e recolhe muitos gostos, além de ser partilhado em social media. Os patrocinadores do vídeo também estão muito felizes e alguns continuam a apoiar os meus projetos futuros.

É claro que estou satisfeito com o feedback, mas também sou um pouco distanciado dele. Sim, a reacção positiva é encorajadora e mostra o que se faz bem – para que se possa fazer mais. Mas eu acho que é o feedback negativo, os comentários críticos que realmente impulsionam para novas dimensões.

O que me faz mais feliz a este respeito é quando vejo as pessoas passarem de um video para o outro, além de recomendar a outros. Ainda não é viral mas … (risos).

Fale-nos sobre o seu mais novo projeto em Reiki?

Este é um grande problema. Nós apenas filmamos na Alemanha e viemos a perceber que ele provavelmente será, pelo menos, um documentário de 45 minutos. Trata-se de uma parte crucial da história do Reiki moderno que liberta as futuras gerações de levarem problemas não resolvidos do passado. É emocionante … e assustador. Assustador, porque a visão por trás dele é … ambiciosa, para dizer o mínimo. Tem como título «Estrada para a reconciliação».

Antes de prosseguir, permitam-me por favor, dizer o seguinte: eu acredito que o “projeto” mais importante que qualquer pessoa pode ter no Reiki é a prática. Como um mestre de Reiki eu sinto que o que fiz na semana passada, ou seja, iniciando as pessoas em Reiki, está acima de qualquer projeto-filme que possa ter.

Nos anos 80, após a morte Hawayo Takata, começou uma polarização na comunidade Reiki. Primeiro foi a Reiki Alliance vs Barbara Webber Ray. Nos anos 90 havia a tentativa de registar o Usui Shiki Ryoho que alienou muitos. Hoje em dia alguns acham que há uma divisão entre o que às vezes é chamado de Reiki “ocidental” e Reiki “oriental”. Essa polarização trouxe dificuldades nas cooperações.

Cerca de 5-7 anos atrás, uma mudança começou a manifestar-se. Acredito que a associação ProReiki alemã é um bom exemplo de cooperação bem sucedida e através da partilha de estilos de Reiki.

Hawaya Takata pode ter sido controversa e contraditória. Mas Reiki foi popularizado por ela, ela abriu as portas. Fato é que tudo o que sabemos hoje de Reiki foi iniciado com o seu trabalho. Isso inclui o renascimento e popularização do Reiki “Oriental”. Sem Takata não haveria nenhum de nós no mundo doReiki. É preciso lembrar que o grupo no Japão isolou-se, sendo um grupo pequeno e secreto até que com o tempo as pessoas formaram-se no Reiki ocidental e os descendentes de Takata os revelaram.

Uma das últimas testemunhas vivas desse tempo e uma que ainda está ativa até hoje é a neta de Takata – Phyllis Lei Furumoto. Ela está centralmente envolvida no desenrolar da história do Reiki a partir dos anos 80 até hoje.

O coração do «Road to Reconciliation» será uma entrevista em profundidade com a Sra Furumoto. Os pontos de vista dos outros protagonistas serão incorporados, bem como material histórico. O objetivo do filme é resolver obscuridades que terminam com um senso de … ou ainda melhor terminam com a reconciliação. Para ajudar e inspirar futuras gerações de praticantes de Reiki.

Quais são os maiores desafios para tornar este projecto uma realidade?

Primeiro precisávamos assegurar a participação da srª Furumoto. Deixei claro que isto não vai ser um filme de propaganda para ela ou a Reiki Alliance mas sim, que será uma documentação jornalística. Que eu precisava independência e permanecer crítico. Não a conhecia pessoalmente, não estou na Aliança e, portanto, não é de todo garantido que ela tenha entrado nesta aventura. O meu aluno, o Mestre David Bolius que conhecera a srª Furumoto foi fundamental para o nosso encontro.

Depois, há o financiamento. Nós todos concordamos que, se eu não encontrasse patrocinadores para um montante mínimo de € 10,000 antes do verão que seria um sinal de que o projeto não precisa ser realizado. Recebemos essa quantia, mas eu ainda estou à procura de mais apoio financeiro. Se algum leitor puder partilhar o entusiasmo por este importante trabalho, por favor, entre em contato comigo. Ainda há espaço para o seu nome nas credenciais no final do filme.

O maior desafio que foi a descoberta de quão forte são alguns sentimentos. Francamente, foi um pouco chocante. Ele ainda me deixa perplexo de ver como maus sentimentos sobre assuntos relativamente triviais são perpetuados durante um longo período de tempo. E como contraditório é Reiki, para a cura e perdão que está a ser ensinado pelas mesmas pessoas. A rigidez que encontro em alguns realmente fez-me pensar se o objetivo do filme – a reconciliação – pode em absoluto ser alcançado. Claro, ele também me mostrou como é muito importante o filme.

Um desafio que eu preciso continuamente de ser cauteloso é manter uma distância sobre o assunto. Não injetar minhas próprias preferências, os meus próprios julgamentos ou mesmo os meus problemas pessoais no trabalho. É uma ilusão pensar que se pode ficar neutro. Mas para ficar alerta sobre as brechas de uma própria subjetividade é um imperativo e uma responsabilidade desafiadora para um esforço jornalístico.

Outro desafio são as minhas próprias inseguranças. Estou a visar um documentário profissional, mas eu sou um autodidata. Eu posso fazer isto, eu posso viver até ele? E mais um desafio pessoal é trabalhar com o próprio filho. Será que nosso relacionamento interferirá? Será que vou ser capaz de permitir-lhe o espaço necessário? Este último video funcionou extremamente bem em Berlim, tenho o prazer de dizer, e encheu tanto de nós com uma alegria especial que é um bónus que não teríamos se fossemos estranhos a trabalhar em conjunto. Isso mostra que os desafios são também oportunidades.

Como acha que o filme pode trazer um novo olhar sobre o Reiki e todos os praticantes?

Cura, cura holística, em particular, é o objetivo do Reiki. Isso inclui perdoar. Se o filme pode mostrar como as gerações atuais estão a tentar, melhor: se se pode ver indulgente em movimento, bem, então eu acredito que nós fizemos um estudo de caso que tem impacto não só sobre as futuras gerações de Reiki, mas além disso. E se nós não, nós, o povo de Reiki, então quem iria fazer isso, este ato de desapego, esse perdão, essa reconciliação?

Como já visitou Portugal, qual a sua ideia dos portugueses?

A minha impressão do povo português é que é “Civilizado”. O que quero dizer com isto é que senti a polidez reservada e humildade do Português e a sua calma que, às vezes, é caracterizada como algo melancólica. Eu acredito que ressoa uma herança cultural profunda. Esta contém um sentido de responsabilidade que eu aplaudo e no contexto de Reiki sou muito grato que ela se manifeste em tais desenvolvimentos maravilhosos como seu a sua associação e o trabalho comunitário. Muito obrigado por tal.

Não se tira a roupa para receber Reiki – diz não!

Receber Reiki é muito bom, é encontrar um tratamento natural para o nosso equilíbrio físico, mental, emocional e energético. Após o esclarecimento sobre a terapia e as razões que levaram a pessoa a procurar a sessão, passa-se à prática que poderá ter as mãos em contacto com o corpo ou ligeiramente afastadas. Antes de ser realizada a colocação das mãos é necessário explicar onde se irá colocar as mãos. Este tipo de esclarecimento auxilia:

  1. A ter a autorização da pessoa para o toque;
  2. A compreender se tem alguma zona afectada no corpo, como uma cicatrização ou inflamação;
  3. Outra sensibilidade que a pessoa possa ter em relação ao toque, à prática ou até perceber no momento que poderá ter algum desconforto.

Este tipo de esclarecimento é muito importante pois auxiliará a pessoa a ter confiança na prática e em quem a irá fazer.

Para receber Reiki não é preciso tirar a roupa!

Sendo uma terapia de toque ou de colocação das mãos ligeiramente afastadas do corpo, não há necessidade de tirar a roupa por não haver manipulação física. Este aspecto é muito importante pois o relaxamento e equilíbrio acontece com a roupa vestida ou com roupa de qualquer cor. Mesmo o tirar de sapatos, se tal for desconfortável para a pessoa é evitável. Para isso temos casos de pessoas com mobilidade reduzida ou com algum desconforto pelo possível odor.

É para isso mesmo que existe um código deontológico. Este não seria necessário se realmente se aplicassem os princípios e houvesse um respeito claro pelo espaço e integridade da outra pessoa. Sendo aqui importante o aspecto da roupa, há que frisar – no Reiki não se tira a roupa e não há justificação para o fazer.

não se tira a roupa a receber reiki

No Código Deontológico da Associação Portuguesa de Reiki este aspecto é muito claro:

Relações terapeuta/paciente

  1. 1. O relacionamento entre terapeuta e paciente deve ter o padrão mais elevado de ética, integridade e objectividade.
  2. Em caso algum o terapeuta deve explorar o seu paciente financeira, sexual, emocional ou espiritualmente.
  3. Em caso algum o terapeuta deve criar dependência ao seu paciente ou de alguma forma manipular a sua maneira de pensar, sentir ou estar na vida.
  4. O terapeuta nunca deve pedir a remoção de roupa à excepção de casacos ou calçado.
  5. O terapeuta jamais deve julgar e/ou sentenciar o paciente.
  6. O terapeuta nunca deve diferenciar o paciente tendo em conta a raça, cor, credo ou orientação sexual.

Sobre tocar nas partes íntimas da pessoa é um acto absolutamente desnecessário e criminoso por se estar a tomar aproveitamento de um momento terapêutico de confiança para abuso do corpo da pessoa. Em circunstância alguma é necessário tocar em partes íntimas da pessoa e se tal acontecer, o cliente ou utente deve prestar queixa do mesmo.

Praticar Reiki é um acto de grande responsabilidade e todo o praticante deve ter um grande respeito por si mesmo, pela prática e pela pessoa que estará a atender.

Reiki no Dia Internacional do Voluntário celebrado com curso preparatório

Dia 5 de Dezembro celebrou-se o Dia Internacional do Voluntário com um encontro de voluntários e com a oferta do Curso Preparatório para Voluntariado Reiki, a preparação dos futuros voluntários. Ser voluntário é uma atitude valiosa, meritória, para qualquer praticante de Reiki e uma acção natural na sua aprendizagem.

As dificuldades encontradas no voluntariado são também sementes de grande crescimento quer a nível pessoal, quer a nível de prática de Reiki. O Amor Incondicional, a Compaixão e o Desapego são características muito importantes para os voluntários e foram alguns dos temas de reflexão e debate entre todos.

A Associação Portuguesa de Reiki conta com certa de 50 instituições onde é realizado o voluntariado Reiki.

voluntariado

Reiki na Alzheimer Portugal, em Lisboa

Daniel Azevedo é Mestre e Terapeuta de Reiki, no CENIF Amadora, e é o responsável pelo projecto na Alzheimer Portugal que arrancou oficialmente, com uma sessão de esclarecimento a 29 de Setembro de 2015. Este projeto inicia com o Cuidar de Quem Cuida, no apoio aos técnicos da instituição, indo futuramente passar para utentes. O projeto iniciou-se em 2015 com a Ana Santos, membro dos Órgãos Sociais da Associação Portuguesa de Reiki e é agora continuado pelo Daniel Azevedo.
terapia-ocupacional-alzheimer-portugal-47-728

Em que consiste este projeto com a Alzheimer Portugal, em Lisboa?

Este projeto visa levar à Associação de Alzheimer as potencialidades do Reiki enquanto terapia natural, complementar e integrativa. Proporcionando numa primeira fase o cuidado a quem cuida procurando com isto levar um maior equilíbrio e bem-estar aos seus colaboradores, que lidam com uma condição tão complexa como é o caso do Alzheimer, o qual é preciso uma atenção e dedicação constantes. Para que tal resulte é importante um bem-estar geral, equilíbrio energético e pessoal e é isso que pretendemos levar.

Numa fase posterior, o objetivo passa por levar o reiki aos doentes de forma a proporcionar uma melhor qualidade de vida. Enquanto que nós voluntários, dá-nos este projeto a possibilidade da prática, da doação e do contacto com outras realidades, pessoas e conhecimento.

Que tipo de dificuldades, enquanto terapeuta, encontras num projeto deste tipo?

A primeira dificuldade é a clarificação e desmistifica do que é o Reiki, do que ele representa, como funciona, os seus objetivos e benefícios, especialmente estando este projeto ligado a uma área tão ligada à ciência e à psicologia.

Enquanto prática é conseguir responder de forma adequada ao desgaste emocional, físico e acima de tudo mental que está associado não só à doença mas também a quem lida com ela. São as questões mentais e o desgaste que mais são notórios e os quais é preciso responder com equilíbrio e serenidade.

O voluntariado estará agora orientado ao Cuidar de Quem Cuida, achas que faz sentido?
Faz todo o sentido, porque são eles que tratam e acompanham os doentes e é muito importante que estejam bem de modo a conseguirem prestar um maior e melhor auxílio, tendo maior disponibilidade e capacidade de resposta às situações.

Estando os cuidadores bem automaticamente esse bem-estar e condição é alastrado aos doentes,  ao trabalho e às suas responsabilidades.

Será este tipo de projeto um exemplo para muitas outras instituições e para os seus profissionais?

É sem dúvida um exemplo para outras instituições pois tendo em conta a complexidade da doença e das necessidades da Associação ter recetividade a uma terapia como o Reiki permite um maior conhecimento e visão mais alargada da totalidade e complexidade do ser humano, uma maior abertura às alternativas de tratamento e uma maior troca de conhecimento.

Sendo que a Associação de Alzheimer conta com psicólogos é sempre positivo a recetividade enquanto tratamento complementar que é o Reiki, que visa proporcionar a todos bem-estar e equilíbrio. Sendo uma área ligada à ciência e à psicologia é sem dúvida um exemplo de abertura e recetividade desde projeto que espero servir de exemplo e se consiga chegar a mais lugares.

Daniel Azevedo, Mestre e Terapeuta de Reiki

Daniel Azevedo, Mestre e Terapeuta de Reiki

7 anos de Associação Portuguesa de Reiki

A 2 de Outubro, comemoramos a constituição da Associação Portuguesa de Reiki e neste ano de 2015, celebramos os 7 anos de existência. A Associação existe pela vontade e força dos seus associados que pretendem o esclarecimento do Reiki mais presente e apoio à sua prática. Estes anos foram marcados por centenas de projectos e eventos de Reiki aos quais temos um profundo agradecimento aos nossos coordenadores, voluntários e a todos os participantes. Mais que querer forçar ideias, escutamos, esclarecemos e tentamos incluir soluções que abranjam todos. Reiki é para todos, é simples, requer mente limpa e coração predisposto, disciplina e muito, muito amor incondicional. Através dos poemas do Imperador Meiji, fazemos uma reflexão sobre o nosso trabalho e como o queremos desenvolver para o bem comum.

Abertura e independência

Uma associação aberta a todos, que respeita todas as aprendizagens pois Reiki é apenas um.

Espírito
Seja o que for que aconteça
Em qualquer situação
É meu desejo
Que o meu espírito se mantenha
Sem fronteiras

Apoio à prática

Através dos guias de apoio, dos manuais, com a publicação de O Grande Livro do Reiki e ainda quase um milhar de artigos publicados, assistimos todos os praticantes, em todas as vertentes de aplicação.

Aprender
Devias saber
A partir da forma
Como as crianças aprendem,
Quanto mais praticas
Melhores resultados alcanças

Apoio a quem mais precisa

Com o voluntariado, ajudamos a cuidar quem mais precisa. São mais de cinquenta instituições por todo o país, além do voluntariado realizado nos núcleos.

Remédios
Em vez de comprar
Uma grande quantidade de remédios
É bem melhor
Cuidar do próprio corpo

Concentração no essencial

De pouco vale querer reconhecimento quando não se sabe o que é Reiki. É por isso que o nosso esforço vai na direcção do esclarecimento público e do apoio às necessidades reais dos praticantes e de quem mais necessita.

Em geral
É apropriado
Apreciar as flores
Depois de completares o trabalho
Que é suposto fazeres

Gerir uma associação

Estes sete anos representam um esforço hercúleo e desgastante mas enriquecedor de coração. Compreende-se que um praticante é um ser humano que constrói o seu caminho para a felicidade. Assim, ao invés de distinguir níveis e pessoas, esforçamo-nos para tratar todos por igual e criar uma consciência colectiva construtiva e plena de Reiki.

Em geral
Se o teu passado
É abastado
E sem problemas pessoais
As tuas obrigações humanas
São facilmente esquecidas

Em nome dos órgãos sociais, Só por hoje, um muito obrigado a todos.

sete anos reiki poema

Estudo científico sobre os efeitos físicos das práticas tradicionais de cura

Estudo científico sobre os efeitos físicos das práticas tradicionais de cura

O Prof. Luis Matos irá realizar um estudo na FEUP sobre os efeitos físicos do envio de Reiki, observando as propriedades vibratórias da água. Este é um estudo que requer voluntários, de nível 2 ou 3, que estejam em Portugal Continental ou Ilhas. As inscrições de voluntários devem ser feitas para o email info@montekurama.org com as seguintes informações:
Nome:
Email:
Data de Nascimento:
Nacionalidade:
Morada:
Localidade de onde enviará o Reiki para o estudo:

O candidato compromete-se, em verdade, que as indicações que dá são verdadeiras e que se compromete à realização das práticas nas datas e horários propostos.
Desta forma teremos mais um trabalho sobre Reiki, feito em ambiente académico, ao qual Luis Matos está de parabéns pela força, sabedoria e coragem por avançar. Resta-nos apoiá-lo, praticando o quarto princípio – só por hoje, trabalho honestamente. E com muita gratidão.

Entidades cooperantes

Screenshot_4

Objetivo do estudo

Verificar e medir os possíveis efeitos físicos das práticas tradicionais de cura “não locais”, nas propriedades vibratórias da água.

Calendário e duração

O estudo decorrerá em Setembro de 2015, durante duas semanas (quatro dias por semana).

1ª Semana: de 8 a 11 de Setembro.

2ª Semana: de 22 a 25 de Setembro.

Como participar: primeiros passos

  1. Os praticantes interessados em participar neste estudo deverão estar devidamente qualificados e familiarizados com as técnicas de cura à distância.
  2. Para salvaguardar questões de confidencialidade foi criado um formulário para registo dos participantes, ao qual apenas a Associação Portuguesa de Reiki tem acesso.
  3. Para preencher o formulário deve enviar uma mensagem para info@montekurama.org, manifestando o seu interesse no estudo e solicitando o link.

Como participar nas experiências

Primeira semana: de 8 a 11 de Setembro.

  1. Em cada dia foi estabelecida uma “janela” de envio de Reiki/intenção. Essa “janela” ou horário é das 13h às 14h.
  2. Antes do horário de envio de Reiki/intenção, todos os participantes devem observar uma fotografia do local onde se encontrará visível o receptor, bem como a descrição do local (laboratório… piso… do edifício… localizado na FEUP, Porto, Portugal). A foto, que será diferente em cada dia do estudo, pode ser vista em: https://docs.google.com/presentation/d/1RP2LSQIUfI2cPr7sb0yfX1a85rsDriB-A9o4xarVuag/edit?usp=sharing
  3. O receptor será a água destilada contida em frascos similares aos seguintes.
    Screenshot_5
  4. Os frascos com o receptor serão marcados com uma letra que poderá ser A, B ou C. Cada letra terá um índice numérico de 1 a 10 (num total de 10 frascos com a água receptora).
  5. Os frascos serão posicionados numa bancada de forma aleatória e similar à imagem seguinte.
    Screenshot_6
  6. Apenas nos frascos com a letra visível estará a água receptora. Os restantes frascos não serão alvo do envio de Reiki/intenção.
  7. Cada participante enviará Reiki durante o tempo que sentir adequado (a duração deverá ser registada no formulário), no horário das 13h às 14h, com a seguinte intenção:

“Alterar o estado vibratório das moléculas de água contidas nos frascos com a letra… que se encontram no laboratório…”

Segunda semana: de 22 a 25 de Setembro.

O procedimento é o mesmo, porém as fotografias reportam-se aos dias da semana anterior, ou seja, por exemplo, no dia 22 de Setembro cada participante visualizará uma fotografia do dia 15 de Setembro e assim sucessivamente.

Cada participante enviará Reiki durante o tempo que sentir adequado, no horário das 13h às 14h, com a seguinte intenção que tem em consideração o dia:

“Alterar o estado vibratório das moléculas de água contidas nos frascos com a letra… que se encontram no laboratório… no dia…”

Análise e comunicação dos resultados

As propriedades vibratórias da água serão avaliadas por espectrometria de Raman e os resultados serão comunicados a todos os participantes no final do estudo.

Grato! Luís Matos

10 Razões para Seres Associado

Quando tive que pensar neste artigo, a primeira dificuldade com que esbarrei foi – só 10 razões? Então, que razões mais importantes poderei escolher para identificares a importância de seres um membro da Associação Portuguesa de Reiki?

O Associativismo é algo de intrínseco na estrutura social. Tendemos a juntar-nos em grupos com ideias semelhantes, propósitos com os quais nos identificamos, com iniciativas que nos permitem criar relacionamentos positivos, crescimento pessoal e desenvolvendo em nós maior humanidade. Vamos então ver que 10 razões poderás ter para te associares na APR.

associacao_portuguesa_reiki_redondo

1 – Abertura

A Associação Portuguesa de Reiki é aberta a todos os praticantes, independentemente do seu sistema de aprendizagem, Mestre ou mesmo de terem outras filiações. Apesar de apenas estarmos em Portugal, aceitamos qualquer membro da lusofonia em qualquer parte do mundo.

Esta abertura, é uma das mais exigentes tarefas pois requer de nós a capacidade de aceitação, de escuta, aprendizagem e doação. Se achamos que Reiki é para todos, então é para isso que devemos trabalhar, escutando ideias, promovendo o diálogo e o crescimento comum. A Associação Portuguesa de Reiki, além de promover o encontro de praticantes também faz o mesmo com outras associações de Reiki, através do Congresso, das Jornadas de Mestres de Reiki e ainda os prémios de voluntariado. Este é um dos nossos pilares desde a fundação a 22 de Maio de 2008.

openness

2 – Apoio

Através do facebook e dos emails, respondemos a centenas de pedidos todos os anos. O nosso apoio estende-se também à criação de conteúdos para os praticantes, de workshops, sessões de esclarecimento, voluntariado ou mesmo o apoio à criação de protocolos para projectos de associados que queiram desenvolver projectos de voluntariado em instituições.

msm1

3 – Solidariedade

Desde 2010 que desenvolvemos e promovemos o voluntariado como uma forma de doação e campo prático para os praticantes de Reiki. Hoje, são perto de cinquenta as instituições aonde chegamos, o que representa um impacto em centenas de pessoas que vêm a sua condição apoiada, melhorada, através da terapia Reiki. Em nenhum outro país se encontra este tipo de estrutura e aplicação do Reiki com tanta presença.

images

4 – Humanização

Ao desenvolvermos actividades para “cuidar de quem cuida”, reflexão na filosofia de vida do Reiki; Ao levarmos Reiki às empresas, principalmente para a mudança de comportamento, equilíbrio e concentração, ajudamos as pessoas a estarem mais felizes e harmonizadas no espaço onde mais tempo passam no seu dia-a-dia. Com o voluntariado, levamos o contacto humano aos seniores e auxiliamos no alívio das suas dores e pesares; Apoiamos as pessoas com doença oncológica e portadoras de deficiência; Levamos o Reiki até aos animais. Tudo isto são pequenos exemplos que quem vive o Reiki sabe o que significam – uma atitude humanizadora, um coração predisposto e pleno de Amor Incondicional, que cresce em cada acção.

shutterstock_196903448-700x467

5 – Estrutura

Apesar da simplicidade que aparenta, a estrutura da Associação Portuguesa de Reiki é profunda – Os órgãos sociais; Os Coordenadores; Os representantes; Os voluntários. Esta estrutura permite-nos chegar a perto de 50 núcleos e mais de 150 voluntários. São poucas as instituições que conseguem ter uma tal representantividade, com um espírito voluntário, onde a sua estrutura não aufere de rendimentos.

Numa outra perspectiva, a APR cria estruturas de método e prática, como por exemplo: Um guia de apoio à prática de Reiki em instituições e eventos; A estrutura para a uniformização do Ensino; Os Códigos Deontológicos para terapeutas e Mestres de Reiki; A Norma da Prática para a Terapia Complementar Reiki.

E numa outra vertente, temos ainda a estrutura que criamos com outras entidades fora do país, assim como outras associações e federações que reconhecem o nosso trabalho e dedicação. Também somos a primeira associação de Reiki a ser parte da direcção da Federação Nacional do Voluntariado em Saúde. É mesmo caso para dizer, tão poucos que tanto fazem, o que é típico do espírito português. Tudo isto é possível pela vontade dos associados. É através dos inquéritos que realizamos, das comunicações por email e das assembleias gerais que auscultamos e colocamos em prática o que nos é pedido e sugerido. Acredita que fazes a diferença.

awesome-scene-with-clumping-bamboos

6 – Empreendedorismo

Apoiamos a profissionalização e mesmo o empreendedorismo, quer através de fóruns, quer através de materiais, acções de esclarecimento e capacitação para a preparação de terapeutas.

Muitos profissionais, acabam por ter a sua escola prática nas ações de voluntariado da Associação, compreendendo também a necessidade de equilíbrio que existe na prática – se cobrar, deve também ser capaz de doar. Criamos inquéritos que permitem compreender os vários valores cobrados nas sessões por todo o país, assim como artigos de suporte a quem contrata e a quem se quer dedicar profissionalmente à prática.

Alternative traditional medicine and massage, young spirit healer doing reiki treatment to old woman. Head and shoulders

7 – Investigação

Desde cedo que promovemos a investigação no Reiki, publicando artigos sobre as descobertas científicas, assim como com palestras como o Simpósio Luso-Brasileiro de Reiki, com o Prof. Dr. Ricardo Monezi. Somos a única associação, internacionalmente, a promover a investigação e a atribuir um prémio de reconhecimento – Prémio Hayashi de Investigação Reiki, criado em 2012. Todos os premiados têm o seu trabalho publicado e está disponível publicamente no site da Associação. Em 2015 criamos também o prémio Takata de integração Reiki.

Research_Hero

8 – Esclarecimento

O esclarecimento foi sempre o pilar da Associação. Ele surgiu pela necessidade de explicar o que é esta prática e filosofia de vida, de levar credibilidade ao público em geral e união aos praticantes.

São já centenas de eventos de esclarecimento, de encontros que fizemos desde 2008. Em 2015, teremos o VI Congresso Nacional de Reiki que junta sempre entre 200 a 300 pessoas, partilhando as várias temáticas sobre o Reiki. Criamos documentação, apoiamos a divulgação literária e fazemos mesmo revisão da mesma. Tudo num trabalho voluntário.

happy-person-e1404843762520

9 – Vivência

Não há coisa melhor que praticantes de Reiki se encontrarem para partilhar; Pessoas com necessidade receberem Reiki ou mesmo, curiosos compreenderem o que é a prática. Tudo isso fazemos em muitos núcleos e na Casa Coração, para que o Reiki chegue a todos. Instituímos o Dia Internacional do Reiki, 15 de Agosto, a data de nascimento do Mestre Mikao Usui, como o dia do Reiki e dos praticantes de Reiki. Em união, sem interessar níveis, sistemas ou filiações. É um ano comemorado desde 2010. Promovemos a filosofia de vida, cada vez mais. Para que a mudança de consciência possa ser eficaz. É esta que realmente fará a diferença na psicossomática, na vivência social e mesmo na própria prática.

giving

10 – Reiki

É curioso “terminar” estas 10 razões com Reiki, quando Reiki é sempre o início. Isto representa que o nosso princípio, meio e fim, é sempre o Reiki. Reiki é simples mas não simplista. Requer prática, entendimento e muito coração. Reiki é sentido por cada pessoa de uma forma muito diferente e vai exigir de ti abertura. Essa abertura, é aquela pela qual começamos – compreende, aceita, abarca também os outros praticantes. Para nós, Reiki é Reiki, por isso é que todos são bem-vindos. Que sempre a sabedoria do Mestre Usui nos possa guiar, são cinco princípios muito simples e que dão explicação a tudo.

gokai

E porque precisamos de associados?

Porque para conseguirmos manter toda a doação precisamos de manter o espaço da Casa Coração, os sites, os pagamentos de congressos e outras iniciativas de esclarecimento. O valor da quota pouco mais é que €1 por mês mas que faz a diferença para nós. Observa como era o Reiki antes do aparecimento da Associação e a divulgação e presença que hoje tem. Tudo se deve à persistência, coração e bondade de muitos e muitos praticantes. Por tudo isso, “Só por hoje, somos gratos”. Hoje e sempre. Muito obrigado a ti, também por te associares. Vem, associa-te e traz um amigo também.

Muito obrigado Mestre Mikao Usui – 150 anos

Hoje celebramos os 150 anos do Mestre Usui no CENIF Amadora. Estiveram 21 praticantes de Reiki, que número tão simbólico para este dia de agradecimento e partilha.

Fizemos meditação, partilhamos o Reiju e muito Reiki. Houve ainda um bolinho e muita alegria por este dia e encontro. O dia 15 de Agosto é um dia de união, de alegria entre todos os praticantes de Reiki, independentemente da escola ou sistema. Reiki é Reiki e que a todos possa trazer muita alegria, paz, bondade e felicidade. Muito obrigado a todos pela presença, pelos emails de apoio, por toda a alegria _/|\_

Só por hoje,
Sou calmo,
Confio,
Sou grato,
Trabalho honestamente
Sou bondoso.

Aqui fica a minha prenda para ti, neste dia tão especial…

dia internacional do reiki - alunos cenif

Page 3 of 9

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén