O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Page 30 of 120

O byosen com os símbolos de Reiki

Os símbolos de Reiki correspondem a uma frequência própria da energia, com a qual podes trabalhar. O uso dos símbolos é apenas para nos manter a mente focada, assim como a intenção. Com cada um dos símbolos, tu poderás sentir um byosen diferente e isso poderá ajudar-te, em muito, em tratamentos específicos.

A aplicação do byosen com os vários símbolos de Reiki

Uma das melhores formas de desenvolveres a tua prática de Reiki é através da percepção, ou seja da prática do byosen. Como o podes fazer é muito simples:

  1. Coloca a intenção para sentir algo que necessites de tratar com o chokurei (tenta ser específico);
  2. Desenha o símbolo na mão;
  3. Sente o símbolo nas duas mãos, deixa a sua energia estar activa durante algum tempo;
  4. Depois, leva as mãos a cada uma das posições de autotratamento e tenta perceber o byosen em cada uma delas;
  5. Faz o mesmo com os outros símbolos de Reiki para que possas ter diferentes percepções.

Este simples mas exigente exercício irá ajudar-te a desenvolver muito a prática de Reiki. Com os símbolos de Reiki podes também compreender aspectos mentais e emocionais a tratar e até usares as virtudes dos símbolos como forma para te auxiliar melhor.

byosen símbolos de Reiki

Podes ler em Reiki Guia do Método de Cura vários tipos de byosen e compreender o seu significado através de ilustrações.

 

A intenção numa sintonização de Reiki

A intenção é a força e o pedido que colocamos, como orientação para algo que façamos. Como tudo é energia, incluindo os nossos pensamentos. Assim, uma boa intenção até te pode ajudar a orientar o canal energético.

A intenção na sintonização Reiki

Em qualquer nível de Reiki, irás receber uma sintonização nova. Este é um processo que te irá auxiliar a trabalhar com os símbolos do novo nível ou então para te sintonizares pela primeira vez na prática Reiki.Intenção na sintonização de Reiki

A intenção, na sintonização de Reiki, pode ser muito auxiliadora para o teu processo de crescimento pessoal. Em primeiro lugar, a intenção é orientada a ti mesmo e ao teu bem supremo, ou seja, a algo que é realmente bom para ti. Não será talvez o ferrari ou o emprego novo, mas talvez a capacidade de ser mais sereno ou harmonioso.

Então, antes de receberes a tua sintonização, coloca uma intenção, algo como:

Peço à energia Reiki que me ajude a…

Para o meu bem supremo e com serenidade.

O bem supremo já sabes que é para o teu bem maior e a serenidade é para que os efeitos apareçam ao longo do tempo. Nada precisa ser imediato, há um longo caminho pela frente.

Como o processo de sintonização é diferente de mestre para mestre, por favor, segue as indicações que o teu mestre te der.

O que fazer com o nível 2 de Reiki quando se está sozinho

Se estás no nível 2 e afastado da escola ou não tens com quem praticar, existem muitas coisas interessantes a fazer com o teu saber do nível 2 de Reiki. Vamos abordar a perspectiva da filosofia de vida, das técnicas, autotratamento e aplicação a outros.

O que fazer com o nível 2

Se não consegues estar com os teus colegas para desenvolver a prática em conjunto, não te preocupes, não ficarás prejudicado pois podes continuar a desenvolver a prática de muitas formas:

Filosofia de vida

O maior desafio no Usui Reiki Ryoho é sempre a filosofia de vida, caso contrário já teríamos atingido o perfeito equilíbrio e harmonia. Assim, observa com dedicação qual o princípio que mais te está a ser difícil e trabalha-o até o ultrapassares.

Aproveita e no livro Reiki Guia para Uma Vida Feliz, observa as virtudes a alcançar com este nível e o que há a alcançar, vais ver que te fará toda a diferença.

Técnicas

A super técnica do nível 2 é o envio de Reiki à distância. Por isso mesmo, explora bastante esta prática, não só para ti mesmo, para as tuas questões do passado, assim como envia Reiki a outras pessoas.

Além disso, pratica o Seiheki Chiryo, que é uma variante do nentatsu.

Autotratamento

O autotratamento não se fica apenas pela aplicação de Reiki nos 21 dias, em determinadas posições. Podes ainda divertir-te com outras aplicações:

  1. As 33 posições de autotratamento;
  2. O byosen em cada chakra;
  3. O byosen em cada chakra mas usando cada um dos símbolos para distinguir a diferença;
  4. A aplicação de Reiki nos braços e antebraços, nas pernas;
  5. A aplicação de Reiki de forma cruzada, a mão esquerda no ombro direito, a mão direita na anca esquerda e depois trocar;
  6. Experimentar as várias intenções e usar os símbolos de forma diferenciada.

Aplicação a outros

Experimenta falar com os teus amigos mais próximos, diz-lhes que estás a praticar Reiki e explica o que é. Diz-lhes que precisas de desenvolver prática e se te podem ajudar com isso. Será muito simples, basta quererem receber Reiki. Se assim for, então podes experimentar várias coisas:

  1. Aplicar Reiki com a pessoa sentada, o que irá dar-te flexibilidade nas posições;
  2. Aplicar Reiki com a pessoa deitada, de frente, o que te ajudará também a praticar o byosen;
  3. Aplicar Reiki frente e costas na pessoa, dando uma experiência completa no tratamento.

Poderás ainda, porque não, começar uma iniciativa de voluntariado, após teres experiência com os teus amigos.

Reiki na série Einstein… um pouco mau mas também uma chamada de atenção

Num dos episódios da série Einstein, surge o caso de uma pessoa assassinada através de um microondas. Até aqui, faz parte do enredo de uma série. O mais caricato foi que a pessoa em causa também aplicava Reiki, mas usando umas luvas que tinham componentes de microondas embutidos.

Para alegrar ainda mais o enredo, a sua ligação a uma pessoa que era guru de uma seita estranha, que ainda falava com anjos e criava uma água milagrosa, tornou tudo ainda mais colorido. Além da parte cómica, há a infelicidade de mais uma perspectiva negativa do Reiki, para milhares de telespectadores.

Reiki e aquilo que mostramos que é

Se numa série de carácter cómico/investigação a prática de Reiki surge, ainda que ligeiramente, mas com uma má conotação, associada a charlatães e embustes, então é porque a opinião pública no geral ainda não está suficientemente esclarecida sobre o que é Reiki. Talvez isso surja por aquilo que vão vendo e mal interpretando ou por aquilo que alguns praticantes possam demonstrar como sendo Reiki.

Sobre as outras práticas, nada temos a fazer, pois isso será das suas competências mas, sobre Reiki, precisamos reforçar a nossa atitude.

Se pensares que és o rosto do Reiki, compreenderás que tudo o que fizeres com Reiki será tomado, por aqueles que de ti receberem ou com quem falares, como um exemplo. Se a tua prática for restrita ao campo energético que Reiki trabalha e se o mostrares com seriedade, respeito e harmonia, tudo poderá vir a ser mais fácil.

A mudança começa connosco, são pequenas sementes que vamos plantando, mas num solo cada vez mais fértil. Não percas a esperança, continua a fazer um bom trabalho e com muito Reiki.

Como enviar Reiki para o planeta e porque

Temos a fortuna de viver num planeta que é um paraíso por si, mas muito possivelmente deves estar a notar que o próprio planeta está diferente e está a precisar de energia, é por isso mesmo que precisamos, devemos enviar Reiki para o planeta, assim como enviamos Reiki para as nossas situações ou pessoas que necessitam.

Como enviar Reiki para o planeta Terra

A Terra não tem estado a mudar apenas climatericamente, mas também energeticamente. Muito possivelmente sentes que alguns sítios que antigamente eram fantásticos, estão agora algo estranhos. Isto significa que a Terra está a ter uma saturação demasiado rápida e não consegue alcançar a homeostasia. Tal como nós, a Terra necessita do equilíbrio e harmonia. Tudo nela é perfeito até chegar ao ponto em que não consegue reciclar mais.

Se consideras que o problema é apenas a poluição, então observa também a energia. Já reparaste como há cada vez piores acções? Elas são energia. Já reparaste como há cada vez pensamentos piores? Eles também são energia. Tudo escoa na Terra, tudo rodeia a Terra.

Como nós temos esses pensamentos e essas acções, como também descarregamos muita energia para a Terra, temos então a obrigação, o dever, de tratar da Terra.

Enviar Reiki para o planeta terra

Enviar Reiki para a Terra

Para enviares Reiki para a Terra, podes usar o Enkaku Chiryo, a técnica de envio de Reiki à distância, mas caso não tenhas o segundo ou terceiro nível de Reiki, então poderás fazer da seguinte forma:

  • Coloca as mãos  em concha, com uma palma virada para a outra, ou então em forma de taça;
  • Visualiza o planeta entre as tuas mãos;
  • Pede à energia que flua para o seu equilíbrio e harmonia;
  • Vai visualizando a energia densa a ser transmutada e o planeta a ficar brilhante;
  • Envia Reiki para os mares e rios;
  • Para toda a Terra;
  • Para o ar;
  • Para as florestas e desertos;
  • Para todos os seres vivos no planeta;
  • Se quiseres visualiza a essência do planeta, se quiseres dá-lhe uma forma e trata essa forma;
  • Deixa que Reiki flua;
  • Quando quiseres terminar, visualiza o planeta muito brilhante e radiante, assim como todos os seres nele.

Quando terminares, faz as técnicas de limpeza.

[psicologia] O que é Reiki, afinal?

Partilho contigo um artigo escrito pela psicóloga e formadora Joana Madureira sobre o que é Reiki, publicado no blog  BLOGA8, pela necessidade que sentiu em investigar e esclarecer sobre o que é Reiki e a sua prática, desmistificando e colocando de forma clara, sucinta e esquematizada, muita informação pertinente sobre “O que é Reiki”. O meu muito obrigado à Joana pelo seu trabalho e partilha.

[psicologia] O que é Reiki, afinal?

Estamos em pleno ano de 2017 e muito se fala e se lê sobre Reiki…

Em plena era da tecnologia, ainda há quem opine, sem se fundamentar devidamente; outros tentam procurar sobre o assunto, mas encontram alguma contra-informação. No meio disto tudo, ficam pessoas que, como eu, não são praticantes de Reiki, mas prezam saber, afinal, do que se trata o Reiki.

A verdade é que o Reiki já chegou aos Hospitais e conquistou profissionais de todas as áreas, sejam da ciência ou não. Querem saber mais? Eu procurei saber e sintetizo-vos o essencial, neste texto.

Significado de Reiki

Começando pela palavra em si, eis o significado mais consensual e corrente: Rei = universal + Ki = energia, ou seja, energia universal, “uma energia que está em todo o lado”.

De acordo com João Magalhães, presidente da Associação Portuguesa de Reiki e autor de O Grande Livro do Reiki (2016), “o Reiki é simples“:

“É uma energia universal, que está em todo o lado com uma frequência abrangente, curadora e vital (…) [com] o propósito de bem-estar,cura e vitalidade. O Reiki apenas funciona quando a pessoa tem a vontade de doar incondicionalmente, daí ser uma energia dependente do chacra cardíaco do praticante. Sem amor incondicional e capacidade de doar, o Reiki não funciona, nem para autotratamento nem para aplicação a outros.” (Magalhães, 2016)

Ainda de acordo com aquele autor, o Reiki “trata o homem como um todo, auxilia o processo de autocura do próprio corpo, relaxa os músculos, alivia pequenas dores, auxilia no relaxamento mental e proporciona um bem estar prolongado“.

Partindo do pressuposto de que tudo é composto por energia e que a mesma é inesgotável, aceita-se que a utilização da energia Reiki não tenha limites – os únicos limites são “apenas aqueles que estabelecemos” –  uma vez que pode ser aplicada nas diversas vertentes da nossa vida.

Origem do Reiki

Atribui-se a descoberta – ou concepção, se preferirem – do Reiki, ao Mestre japonês Mikao Usui, quando este se encontraria num retiro no Monte Kurama, No ano de 1922.  Desde então, tem sido a associação Usui Reiki Ryoho Gakkaia representante dos ensinamentos do Mestre Usui, tal como eles foram passados.

Princípios do Reiki

O Mestre Usui indicou cinco princípios como base desta filosofia de vida:

Só por hoje, sou calmo;

Confio;

Sou grato;

Trabalho honestamente;

Sou bondoso.

O que é o Reiki

Reiki NÃO É: uma religião, espiritismo, bruxaria, seita, dogma.

O seu criador, Mestre Mikao Usui, identificava o Reiki como método de cura natural através da energia, uma energia que pode harmonizar e auxiliar no processo de cura. Para além da energia e daqueles cinco princípios, já identificados acima, o Mestre Usui seleccionou 125 poemas do Imperador Meiji para reflexão e trabalho interior.

Para uma explicação mais detalhada, opto por citar novamente o autor João Magalhães, também ele Mestre de Reiki:

“O Reiki deve ser entendido como uma filosofia de vida, uma prática de desenvolvimento pessoal e uma terapia complementar e integrativa. Como tal, um praticante nunca deve deixar de tomar medicação [se previamente prescrita pelo seu médico] ou aconselhá-lo [deixar a medicação] a outra pessoa. Somente profissionais de saúde capacitados é que têm o saber para tal. Assim como nunca deve ser indicada qualquer promessa de cura. Esta ocorre por tantos fatores que muitos são absolutamente desconhecidos por nós.” (idem, ibidem)

Se algum praticante de Reiki vos prometer cura, indaguem-no sobre qual a sua intenção e quais os objectivos reais que estipula. O Reiki pode fazer parte de um processo de cura, mas não cura sozinho.

A citação seguinte, diz muito sobre o que é o Reiki e o que ele se propõe a promover:

“O Reiki é uma prática que nos convida à felicidade, por nos ajudar a elevar a consciência, a transformar os nossos padrões de comportamento e a criar harmonia em todos os nossos corpos. A nossa base é a energia e o saber holístico.” (idem, ibidem)

Se estamos bem connosco e com os outros, então estamos bem, em paz, em harmonia, em felicidade e essa é a verdadeira “cura”.

A “cura” em Reiki

De acordo com os escritos do Mestre Usui, “a missão do Usui Reiki Ryoho é guiar para uma vida pacífica e feliz, curar os outros, melhorar a sua felicidade e a de nós mesmos“.

O Reiki pode ser “autocurativo” ou pode ser direccionado a outras pessoas (sendo, para isso necessária uma formação de nível 2 avançada ou nível 3). Mas é importante voltar a ressalvar de que o Reiki não “cura” per si, sendo o elemento fulcral de mudança, o ser humano.

A palavra “cura”, que surge em contexto de Reiki (como na citação acima), pode ser interpretada como o sentimento de bem estar (holístico) da pessoa – ao equilíbrio física (corpo), mental (psique), emocional e espiritual (alma) – e à prática de uma atitude pacífica, consigo e com outros.

Eu interpretei a expressão “curar os outros”, como uma forma de exprimir os nossos mais sinceros e profundos votos de bondade e benquerença, ou como uma profunda manifestação da “intenção” de querer bem ao outro.

Quando querem transmitir um sentimento muito forte a alguém, costumamos dar um abraço apertado, certo? Pois na prática de Reiki usam (a imposição d)as mãos e a elevação da consciência, como instrumento de passagem dessa energia invisível, mas visualizada mentalmente. Reiki convida à meditação, à sintonização de energia e ao foco.

“A transferência e o envio de energia, em forma de pensamento, é comum em nós, sempre existiu, como naquelas situações em que estamos mais desamparados e alguém nos diz «estou a torcer por ti, tem força». Essa energia chega até nós e dá-nos verdadeiramente alento. Então, o envio de Reiki para situações é tão normal como o envio de energia pelo nosso pensamento.” (idem, ibidem)

Quantos de nós não desejava que os nossos maiores desejos e pensamentos se tornassem realidade? Pois foquem-se naquilo que querem que aconteça e as energias podem confluir a vosso favor. Pelo menos acreditar, ainda não paga imposto!

“(…) o propósito do Reiki não é curar, mas sim estabelecer harmonia e equilíbrio para que a saúde se estabeleça. É neste âmbito que é tão importante a abordagem da prática do Reiki no dia a dia, nas diversas vertentes da vida.” (idem, ibidem)

Reiki nos Hospitais – um aliado da saúde

A prática de reiki já conquistou hospitais por todo o mundo. Portugal conta já com casos como o do Hospital São João do porto, o Hospital do Fundão e o Centro Hospitalar Barreiro Montijo (Serviço de Obstetrícia).

Sugiro que possam ler mais a respeito aqui, ou consultar o site Pubmed, onde constam mais de 2500 artigos científicos publicados sobre reiki aqui!

Aprender Reiki

O ensino de Reiki pode depender do Sistema e do Mestre, sendo que a distribuição de ensino mais comum, para o Reiki Tradicional, é a divisão da aprendizagem em quatro níveis:

  • Nível 1 (Shoden) – o despertar, que trabalha ao nível físico;
  • Nível 2 (Okuden) – a transformação, que trabalha ao nível emocional e mental;
  • Nível 3 (Shinpiden) – a realização, nível de Mestre; e
  • Nível 3B (Gokukaiden) – Mestrado, nível de Professor.

Também existe o ensino de Reiki Essencial que só tem três divisões da aprendizagem.

Nota: Em Portugal, até à data de hoje, ainda não existia regulamentação sobre a prática de Reiki. Em 2008, a Associação Portuguesa de Reiki foi registada oficialmente como objectivo de unificar as várias escolas, mestres e terapeutas de Reiki em Portugal, e com ele foi criado um código de ética para a autorregulamentação.

Como saber se vocês se identificam com o Reiki?

A opção por estudar (e praticar) Reiki, passará pelos mesmos princípios de escolha como qualquer outra disciplina que se queira aprender, quer seja como complemento à vida profissional, quer seja para auto-conhecimento.

João Magalhães (2016) identifica cinco questões essenciais que se deve colocar, quando estão perante a vontade de aprender, mas não a certeza dessa decisão:

  • Que intenção me motiva para aprender Reiki?
  • Quais os meus objectivos de aprendizagem?
  • O que irei fazer com esse conhecimento?
  • Tenho motivação para cuidar de mim?
  • Quero tratar os outros e compreendo que tenho de me equilibrar primeiro?

O Reiki e a Psicologia

E para os que questionam o que tem este texto a ver com psicologia, deixo-vos esta reflexão. Exemplos como o Reiki, permitem-nos reflectir e sentir o poder da psique humana. E a psique é o foco de estudo da Psicologia!

“É de notar que o Reiki não cura, não é milagroso – o milagre está na pessoa, ela é que representa o maior milagre de todos: um ser senciente e maravilhoso, com capacidade de racionalizar e demonstrar emoções. A própria cura é muitas vezes realizada pela pessoa. O Reiki apenas auxilia o equilíbrio, dando o tempo e o espaço, contribuindo para a homeostasia de todo o nosso sistema de vida.” (idem, ibidem)

Esta frase fez-me lembrar do trocadilho que se faz sobre os psicólogos, e que tem toda a lógica se o aplicarmos à compreensão das pessoas: “quantos psicólogos são precisos para mudar uma lâmpada? Apenas um, mas é preciso que a lâmpada queira mudar.

Se um paciente não se sente preparado para mudar, cria resistências. Ninguém pode mudar outra pessoa. A mudança (que pode representar a melhoria, a solução ou a cura), parte sempre do próprio, ainda que, para isso, necessite de apoio, orientação, ajuda, motivação extra para fazer essa caminhada, devidamente acompanhado.

Da mesma força, se alguém não quer acreditar no Reiki, nenhum argumento pode demover. Mas pelo menos agora já sabem um pouco mais sobre Reiki.

Deste lado, como adepta que sou da educação para a felicidade, ao ler que o seu criador Mestre Usui, apresentou o Reiki como “a arte secreta de convidar a felicidade“, tornei-me interessada no assunto e tenho procurado saber mais, ao conversar com diversas pessoas, sejam não praticantes, praticantes ou mestres.

O saber não ocupa lugar e dá azo a belíssimas conversas, quando o respeito impera numa comunicação. Já sabem, conto com as vossas partilhas de vivências!

Até breve

Joana Madureira

 


BIBLIOGRAFIA

Magalhães, J. (2016). O Grande Livro do Reiki – manual prático e atualizado sobre a arte da cura, níveis 1, 2 e 3. Desperte para o Reiki: a arte secreta de convidar a felicidade. Braga: Nascente, 20|20 Editora.

Artigo por Joana Madureira

Mulher e Mãe de duas crianças. Psicóloga, Formadora, Consultora de Recursos Humanos e Blogger Mentora da marca registada SCHOLA – Educar para a Felicidade.

Honshazeshonen para o tratamento de traumas

Se considerarmos que um trauma é também uma energia que fica presente em nós, poderemos aplicar o Honshazeshonen – o terceiro símbolo de Reiki, para o seu tratamento.

Como tratar com o Honshazeshonen e Reiki, um trauma

O terceiro símbolo de Reiki, que trabalhamos no Okuden, o segundo nível, significa literalmente “Esta pessoa corrige/ajusta, os seus pensamentos/sentimentos”. É um símbolo dedicado ao tratamento mental e ao envio de Reiki. Para os orientais, existe uma larga diferença no conceito de mente/coração. Para eles, poderá significar o mesmo, ao passo que para nós são coisas extraordinariamente diferentes.

Assim, o papel do Honshazeshonen, será o de trabalhar o pensamento positivo, o de equilibrar a mente e o coração.

O tratamento de um trauma não deve descurar o obrigatório acompanhamento médico. Em primeiro lugar a pessoa deve ter um acompanhamento especializado e Reiki servirá como uma terapia complementar e integrativa.

Considera então o trauma como sendo uma energia e essa energia tem uma forma e um tempo de início.

Assim, terás que tratar esse início de trauma com o Enkaku Chiryo, o envio de Reiki à distância e poderás ler aqui toda a sua sistematização. Depois, deves também limpar a aura da pessoa, sentindo onde está a pressão dessa energia ao longo do corpo. Um tratamento completo de frente e costas é também aconselhado, tendo em conta, principalmente, os locais afectados pelo trauma e os medos que possam estar presentes no corpo energético, como poderá ser o caso dos rins ou de outro local. Sente o byosen da pessoa.

Ainda se considerares pertinente, tens o Nentatsu, a técnica que ajudará a pessoa a alcançar o seu pensamento positivo, um reforço que poderás ter com o uso do Honshazeshonen no tipo de pensamentos e sentimentos que a pessoa ainda tenha perante a sua situação traumática.

Karuna e Reiki para a autoestima

Podemos utilizar a prática de Karuna para auxiliar o nosso tratamento da autoestima. Karuna é uma terapia complementar ao Reiki e pode ser aplicada simultaneamente.

Karuna no tratamento da autoestima

Este tratamento é baseado nos conhecimentos que podes adquirir com o nível 1 de Karuna, também conhecido como “o cultivar do jardim da alma“.

Se por alguma razão perdeste a tua autoestima e isso está relacionado com uma pessoa, então tens que fazer as pazes com essa pessoa, ou seja, tens que te equilibrar em relação a ela, enviando karuna e reiki para a situação.

Depois, aplicando a tua consciência, observa em que parte do teu corpo essa falta de autoestima se manifesta. Coração? Plexo solar? Aplica nesse local um Halu com a intenção de harmonizar esse trauma.

A seguir visualiza um grande Harth e coloca dentro dele toda a situação. Deixa fluir karuna, com muita compaixão, trazendo harmonia e equilíbrio a essa situação.

Ainda se quiseres, poderás aplicar a técnica nentatsu, para que possas modificar o teu comportamento, perante a experiência que tiveste com o karuna.

Reiki nos efeitos da anestesia

Existem vários tipos de anestesias e o seu conceito geral é o de reduzir ou anular a sensação de dor ou de intervenção num local ou no corpo em geral. Os seus efeitos são os de suprimir a actividade neuronal no sistema nervoso, o que influenciará também a frequência cardíaca e a própria respiração. Por vezes, em anestesia geral poderão surgir questões como falta de memória ou desorientação, fadiga ou mesmo náuseas. Poderemos aplicar Reiki no equilíbrio desses efeitos secundários.

A aplicação de Reiki para os efeitos das anestesias

A prática de Reiki é apenas inscrita no campo energético, não no campo físico e biológico, que é da responsabilidade médica. Pensando nos efeitos que a anestesia tem em nós, podemos considerar que a energia se torna estagnada, sedada, o que representa uma necessidade de fazer circular, fluir. Vamos então aplicar Reiki para manter a homeostasia e o correcto fluxo energético.

Como primeira abordagem, aplica Reiki para fazer fluir a energia de cima para baixo, ou seja, da cabeça para os pés. Se o fizeres em autotratamento, poderás colocar uma mão no chakra cardíaco e outra no plexo solar. Imagina a energia a fluir por todo o teu corpo, assim como faz o sangue e depois visualiza a energia a sair pelas pontas dos dedos das mãos e pelas palmas, assim como pelas plantas dos pés e pelos dedos dos pés. Deixa este rio interior correr durante algum tempo.

Aplica também as cinco posições tradicionais do Mestre Usui, na cabeça (podes encontrar em Reiki para o Corpo e a Mente) e depois coloca uma mão no plexo solar e outra no fígado. Depois, passa a mão do fígado para o baço e do baço para o esplénico.

Finalmente, trata o chakra raiz, joelhos e pés.

Se a situação se tornou algo traumática ou pesada para ti, envia Reiki para ela.

Se consideras que os efeitos da anestesia estão a ser intensos, comunica com o teu médico.

Pacemaker e Reiki – será um risco?

Um grande receio que sempre surgiu ao longo dos anos na prática de Reiki é aplicar a energia a pessoas com pacemaker. Os portadores de pacemaker têm que ter uma série de cuidados, no entanto Reiki não é um risco.

Reiki em portadores de pacemaker

Reiki é a energia universal que tanto está no universo como faz parte de nós mesmos, como indicava o Mestre Usui. Não tem polaridade, não dá choques eléctricos, mas as percepções que temos no byosen ou que o próprio receptor transmite, são por vezes semelhantes a “uma onda de energia”, “uma electricidade que percorre o corpo”, “um magnetismo que atrai ou afasta as mãos”.

Quando estamos a tratar uma pessoa com pacemaker e colocamos as mãos nos ombros, poderemos começar a sentir uma espécie de formigueiro ou electricidade na ponta dos dedos. Ao aproximar o chackra da mão para sentir melhor o que poderá ser esse byosen, apercebemo-nos que é algo mais “permanente” e que é uma electricidade emitida. Assim se poderá perceber que há um pacemaker no corpo da pessoa.

Não há razão alguma para ter receio porque se Reiki afectasse o pacemaker, então Reiki estaria comprovado cientificamente.

Na tua prática de Reiki, não conseguirás ter as mãos por cima do aparelho porque será desconfortável, assim como não é de todo necessário teres lá as mãos, pois não estarão a tratar nada no aparelho. Por isso mesmo, poderás tratar a zona do corpo no lado oposto, ou se quiseres, ainda mais afastadas.

Para a pessoa que tem pacemaker e quer receber uma sessão de Reiki, o mais indicado é ser transparente com o terapeuta, assim evitará alguma percepção mais estranha e poderá optimizar o tempo e a forma de tratamento. O percurso terapêutico tem também a responsabilidade do receptor.

Sábados Voluntários com Reiki no CENIF Amadora

Iniciou no dia 1 de Abril os sábados voluntários no CENIF Amadora, com a prática voluntária de Reiki.

Esta iniciativa é orientada pela Isabel Rodrigues e no dia 1 teve o apoio dos voluntários Luisa,  Helena, Anabela, a Tina, Cristina, Madalena e Sandra.

O voluntariado é um serviço de apoio aos alunos que necessitam de receber Reiki, mas está também aberto a familiares e à comunidade.

Este projecto, de momento, é realizado no primeiro sábado de cada mês, às 18h30.

 

Será que próteses afectam Reiki

Existe uma ideia que para praticar Reiki não se devem ter objectos metálicos, entre outros. E como será para quem tem próteses?

Reiki, materiais e próteses

Reiki é energia universal. Dizia o Mestre Usui que tudo no Universo tem Reiki. Tudo é também energia.

Claro que a energia tem melhores e piores condutores. Numa sessão de Reiki, tendo em conta que tudo é energia, poderá haver pertences na pessoa que podem fazer alguma resistência à energia, no entanto, não são motivo de preocupação. Nós, praticantes de Reiki, devemos estar prontos, preparados para tudo, em qualquer condição, em qualquer circunstância. A experiência no voluntariado Sénior, mostrou-me que é melhor não pedir para tirar objectos, pois muito provavelmente vão-se esquecer deles. Mas não é só com os seniores que tal acontece, também clientes esquecem-se dos seus pertences. Então, para evitar situações que podem ser mais desafiantes, nada melhor que manter-se como está.

Assim como na ética, também não precisamos pedir para tirar o cinto das calças. Se estiver muito apertado e for desconfortável, a pessoa irá desapertar. Se fossemos a pensar nisso, então e os aros de metal dos soutiens? Nunca se iria pedir a ninguém para tirar!!! Por isso mesmo, temos nós que ultrapassar as barreiras e entregarmo-nos à prática. A energia é harmoniosa e irá auxiliar.

prótese

No caso das próteses, pacemakers, implantes, não há qualquer tipo de stress. Reiki é energia natural, é a mesma energia que temos no nosso corpo. Se o corpo não rejeita as suas próteses e mesmo piercings, então muito menos Reiki rejeitará. O problema pode é estar com a nossa mente, essa sim é que bloqueia. De facto, a mente tem um poder enorme sobre a energia, por isso, mantém-te neutro, sem julgamento e acima de tudo, não te preocupes.

Um outro exemplo sobre tirar peças de vestuário inclui até os próprios sapatos. Há pessoas que têm uma dificuldade incrível em se abaixar, porque razão as iríamos atormentar com um pedido para tirar os sapatos. Outros até têm receio do cheio que possam ter… nada disso nos preocupa.

Limpeza de espaços com Seiheki de forma alternativa

A técnica de limpeza de espaços com o nível 2 de Reiki é muito simples. Colocamos um Seiheki nos cantos superiores da sala e um Chokurei ao centro. Mas podemos aplicar outros conceitos interessantes.

A limpeza de espaços com o segundo e terceiro níveis de Reiki

O mais maravilhoso na prática de Reiki é a partilha e a experiência de cada um. Ao partilharmos as nossas aventuras por este mundo da energia, todos crescemos. Assim, alguns praticantes usam outras técnicas para limpar espaços, tais como:

  • Chokurei nos cantos superiores e chokurei ao centro;
  • Seiheki e Chokurei nos cantos superiores, Seiheki e Chokurei ao centro;
  • Seiheki nos cantos superiores e Daikomyo ao centro.

Nada melhor como experimentares. Também importante será colocares a intenção nos símbolos.

Uma outra técnica a experimentares é observares a construção do espaço. Se por exemplo a sala tiver muitos pilares, experimenta também colocares os Seiheki nos vários pilares.

Outra experiência a realizares é desenhar o Seiheki nos cantos e depois “arrastar” essa energia verticalmente até ao chão, como se criasses um “pilar de luz”.

Caso queiras, aplica também os Chokurei nas janelas e portas da casa… mas atenção à intenção.

Já sabes que nada é permanente, por isso terás que verificar com regularidade a limpeza. Pensa também na própria energia da sala e “esvazia-a” de elementos que possam ser perturbadores.

Workshops e Cursos de Reiki em Abril

Para o mês de Abril temos vários workshops de acompanhamento de todos os níveis, assim como a abertura da nova turma de nível 1 de Reiki e de Karuna nível 1. Para iniciar Karuna, o aluno deve já ter o nível 2 de Reiki. Verifica sempre o calendário de aulas, que poderás encontrar aqui…

Cursos de Reiki

Curso de Nível 1 de Reiki – 29 de Abril (João Magalhães), 6 meses de acompanhamento

Curso de Nível 1 de Karuna – 28 de Abril (João Magalhães e Sílvia Oliveira), 4 meses de acompanhamento

Workshops de Reiki e Karuna de acompanhamento

Nível 1

3 de Abril – 10h00

7 de Abril – 19h30 (Turma de Fevereiro)

8 de Abril – 18h30 (Turma de Dezembro e Janeiro)

18 de Abril – 19h00 (Para quem só possa à semana, turmas antigas)

29 de Abril – 15h00 (Turma Novembro e Dezembro)

Nível 2

9 de Abril – 10h00

19 de Abril – 19h00 (Turma de Abril)

Nível 3

8 de Abril – 17h00

Nível 3B

26 de Abril – 19h00

Karuna 1

6 de Abril – 19h00

Karuna 2

8 de Abril – 15h00

Workshops especiais

Grupo de Estudo de Reiki Guia do Método de Cura – 11 de Abril, 19h00 (inscrição gratuita para escola@cenif.com)

 

Os conselhos de Buda para tratamentos

Ao que se sabe, Buda estudou várias formas de tratamento, o que o levou a conhecer a natureza das doenças e a sua cura. Para o desequilíbrio do ki aconselhava manteiga clarificada, mas a sua verdadeira especialidade era a doença, o desequilíbrio mental.

Os ensinamentos de Buda na medicina

Algo que para Buda era muito importante, era não apenas tratar a parte física, médica, mas muito principalmente o estado de infelicidade. No estado da saúde mental, ele considerava a ganância, a raiva e a ignorância como as mais graves enfermidades psicológicas (os três venenos). Buda ensinou que a ignorância podia ser curada pela contemplação da impureza; a raiva pela contemplação e prática da bondade; e a ignorância pela contemplação da verdadeira natureza de todas as coisas e pelo cultivo da sabedoria.

No sura do diagnóstico do Buda, explicou que ao atender o paciente, o procedimento médico deve ser feito em quatro etapas:

  1. Descobrir a origem da enfermidade;
  2. Procurar compreender a doença profundamente;
  3. Receitar o medicamento adequado para a cura;
  4. Curar a doença completamente e de forma a prevenir a sua recorrência.

Além disso, um bom médico deve basear as suas acções num coração generoso, vendo os pacientes como se fossem amigos queridos.

Identificou ainda cinco práticas a serem adotadas pelos enfermeiros:

  1. Garantir que os pacientes sejam atendidos por médicos competentes e de bom coração;
  2. Despertar mais cedo e dormir mais tarde do que os pacientes, permanecendo sempre atento às suas necessidades;
  3. Conversar com os pacientes com voz doce e compassiva caso eles se encontrem deprimidos ou ansiosos;
  4. Nutrir os pacientes com a quantidade correta de alimentos adequados e na frequência indicada, de acordo com o tipo de enfermidade e segundo as intruções médicas;
  5. Usar de habilidade e desenvoltura para falar aos pacientes sobre dharma, instruindo-os sobre os cuidados adequados a serem dispensados ao corpo e à mente.

E Buda ainda se dirigiu aos pacientes, aconselhando-os para uma cura rápida e completa:

  1. Seja cuidadoso e selectivo no que diz respeito aos alimentos;
  2. Alimente-se a intervalos adequados;
  3. Mantenha contacto frequente com médicos e enfermeiras, mostrando-lhes sempre gentileza e cortesia;
  4. Conserve uma perspectiva optimista e esperançosa;
  5. Seja gentil com os seus cuidadores, tendo consideração por eles.

Page 30 of 120

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén