O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Page 30 of 124

Sentir frio interior na prática de Reiki

Se sentes frio interior quando estás a fazer o autotratamento ou quando recebes Reiki de alguém, então não te preocupes, estás no caminho certo para o teu equilíbrio e harmonia.

O frio interior e o que isso quer dizer na prática de Reiki

O frio interior poderá ser um sinal de byosen, ou seja, da emanação do desequilíbrio na pessoa, de falta de energia ou então de choque emocional. A falta de energia pode revelar-se desta forma, indicando que é preciso mais Reiki e que a zona foi levada até à exaustão, o que é muito perigoso para a pessoa.

Se o frio revelar um choque emocional, ou seja, algo emocionalmente deixou a pessoa em desequilíbrio e ela passa a ter uma espécie de frio constante, que muitas vezes é inconsciente, então é muito bom tu teres essa percepção. O que podes fazer é continuar sempre a prática, mas lembrando-te que Reiki vai estar a tirar esse frio de dentro. Precisas é ter cuidado para não o apanhares directamente nas mãos, pois poderá prejudicar o canal energético.

Poderá demorar muitas sessões, mas a pessoa irá encontrar o seu equilíbrio e calor interior. Auxilia também com os cinco princípios, pois poderão orientar à compreensão das questões emocionais.

A responsabilidade de um praticante de Reiki para com o mundo

Se Reiki é a Energia Universal disponível para todos nós em qualquer lado, recebendo-a naturalmente todos os seres vivos, então nós, praticantes de Reiki, os praticantes da Energia Universal temos uma responsabilidade para com ela.

O praticante de Reiki, a energia universal e a responsabilidade para com o mundo

A Energia Universal, segundo indicava o Mestre Usui, constitui todas as coisas do grande Universo que nos rodeia e no qual vivemos, assim como nos constitui a nós mesmos. Somos parte dessa mesma energia que usamos para nos cuidar ou cuidar os outros e chegamos a ela através de cinco princípios – Só por hoje, sou calmo, confio, sou grato, trabalho honestamente, sou bondoso.

Aprendemos a praticar Reiki, ou seja, a trabalhar com a Energia Universal, libertamo-nos da energia densa que vamos acumulando, muitas vezes através do enraizamento, libertando esse excesso para a Terra. Mas chega uma altura em que o nosso equilíbrio já atingiu um momento tal em que é chegada a altura de assumirmos uma responsabilidade – a de cuidar da Terra, do mundo, de todos os seres vivos.

Esta é uma grande responsabilidade e que faz mesmo parte da nossa prática. Observa as palavras do Mestre Usui:

O treino, de acordo com a lei natural deste mundo, desenvolve a espiritualidade humana. Quando te convenceres de que isto é verdade, o teu treino empenhado trará a unificação com o Universo. As palavras que falas e as ações que tomas tornam-se unas com o Universo e trabalham sem esforço como o absoluto ilimitado. Esta é a verdadeira natureza do ser humano. – Mikao Usui

E lembra-te do poema 115 do Imperador Meiji – O mundo está seguro se tomares o caminho certo.

Quanto mais praticares, mais compreenderás o que faz sentido na vida. Esse sentido será cada vez mais claro porque tu estás Uno com o Universo. Reiki é extraordinário, é bem mais do que apenas colocar as mãos e deixar fluir energia. É estar em harmonia e equilíbrio com a vida.

Ser praticante de Reiki é ser responsável, é ter uma atitude de cuidado para com a vida.

Podes compreender melhor o sentido da filosofia de vida e de todos estes conceitos no livro Reiki Guia para Uma Vida Feliz.

Voluntariado Reiki – doação e responsabilidade

O voluntariado é uma doação do tempo e saber de cada um. Muito naturalmente surge o voluntariado Reiki como a doação da terapia a quem mais esteja a necessitar.

O que é o voluntariado Reiki

É uma acção de apoio às comunidades ou instituições, através da prática de Reiki. Quando pensamos em doação, compreendemos o sentido o Amor Incondicional, algo que nos é tão despertado através da consciência dos cinco princípios e da prática de Reiki. Então, é muito natural que queiras ser voluntário e que sintas grande apelo para auxiliar os outros, essa é uma função muito humana e claro, algo de muito próprio para um praticante de Reiki.

A atenção com a responsabilidade no voluntariado Reiki

Quando te entregas à prática como voluntariado tens responsabilidade para com quem está a organizar o projecto, para com a instituição que acolhe, a pessoa que estás a tratar e ainda mais com Reiki por si. Está responsabilidade significa que deves estar sempre nas melhores condições possíveis ao nível mental, emocional e energético, para que possas dar o melhor de ti e deixares fluir a energia para aqueles que atendas.

É por isso que voluntariado requer consciência e responsabilidade.

Como seres voluntário

Para seres voluntário, deves ter pelo menos o segundo nível de Reiki. Porque?

Com o segundo nível, começas a trabalhar mais com os outros, a compreender o que está além dos sintomas e a procurar causas, começas a compreender a importância do envio de Reiki e a aprimorar o teu fluxo. A experiência começa-te a trazer sabedoria e a prática traz-te segurança.

Lembra-te que vais cuidar de outros e que se não tiveres preparação para tal, algo pode correr mal.

Fala com o teu Mestre sobre:

  • Se tens a prática suficiente para o fazer;
  • Que preparação específica deves fazer;
  • Se estás em equilíbrio o suficiente para aceitar a responsabilidade da doação.

Contacta a Associação Portuguesa de Reiki:

Será que as coisas podem correr mal por se fazer Reiki

Reiki é energia e o que há de mais comum entre as pessoas é a interacção energética. Por vezes as coisas podem correr mal mas isso tanto acontece com a energia como com os pensamentos ou sentimentos. Então porque teremos medo da energia, pensando que algo pode correr mal na nossa vida?

Reiki, as coisas que correm mal e as condições

Pensa que tudo é energia. Quando realizas o teu trabalho diariamente, estás a trabalhar em termos energéticos e a criar condições positivas ou negativas. Quando falas com alguém, tudo se converte em energia e poderá ser positiva ou negativa. Quando tens os teus pensamentos, eles podem ser positivos ou negativos. Tudo isso cria determinadas condições.

Quando aplicas Reiki a alguém, o mesmo acontece, criam-se condições onde lidamos com a energia positiva ou “negativa” que é libertada. Este negativo não é de algo mau, mas sim de uma energia mais densa. Esta energia mais densa é o que nos pode fazer sentir cansados, sem força, ou até mesmo desmotivados, ao passo que a energia positiva nos eleva e traz bem-estar.

Quando tratamos alguém que esteve com bastante energia densa, criamos condições positivas para aquela pessoa, mas nós estivemos em contacto com a sua energia densa e poderemos ter que saber lidar com isso.

Não é a prática de Reiki que faz as coisas correrem mal ou o termos tratado alguém que estava mal, mas sim as condições que temos na vida, que precisamos resolver, assim como a quantidade de energia que deixamos acumular ou estagnar.

Daí ser tão importante nós fazermos o autotratamento, praticarmos muito os cinco princípios e muitas vezes recebermos tratamento de colegas.

Quando um insecto nos interrompe o autotratamento

Quando estamos a fazer o nosso autotratamento, estamos num momento de entrega que nos traz relaxamento e bem-estar. O autotratamento traz-nos também uma sensação de paz e conforto, mas e se formos interrompidos por algum insecto?

Como lidar com um insecto a interromper o autotratamento

Uma das formas de prevenires o surgimento de insectos é usando óleos essenciais, que poderás colocar com uma base de água, num recipiente próprio que é depois aquecido:

  • Óleos essenciais como o de eucalipto-limão
  • Óleo de citronela, além de estar no queimador pode colocar-se nos antebraços;
  • Ou mesmo óleo de lavanda;
  • Pomada tigre branco, porque é um repelente e também bastante eficiente após a picadela;
  • Se preferires existem também pequenos aparelhos ligados à corrente eléctrica que são bons repelentes de insectos.

Para o caso de nada resultar e teres que matar o insecto, tenta fazer algo como “respeito a tua vida e agradeço a tua parte nela”. Apesar de tentarmos ao máximo evitar uma morte desnecessária, ela pode acontecer se estivermos em prejuízo. Agradece e se quiseres recita os cinco princípios. Assim, tudo no universo está em harmonia.

Continua o teu autotratamento do ponto em que deixaste, ou se estiver a ser difícil concentrares-te, pratica um pouco o Joshin Kokyu Ho e depois retoma a prática.

Autotratamento Reiki – uma posição por dia

Ao fazeres o teu autotratamento Reiki diário, poderás ter grande tendência para adormecer, principalmente se o fizeres à noite e deitado. Se é o que te costuma acontecer, então podes adotar uma estratégia que é também interessante para outros casos – fazer uma posição por dia.

Uma posição por dia no teu autotratamento Reiki

Podes usar esta técnica muito simples no caso de quereres desenvolver mais o teu autoconhecimento, sensibilidade da energia ou apenas porque estás a adormecer no autotratamento.

Então é bastante simples, irás focar-te apenas numa posição por dia e podes fazer o seguinte:

  1. Faz as técnicas de limpeza – enraizamento, banho seco, chuva de reiki;
  2. Esvazia a mente;
  3. Recita os cinco princípios e deixa fluir a energia;
  4. Começa pela primeira posição ou pela posição onde terminaste;
  5. Como te vais dedicar só a uma posição experimenta primeiro sentir como está essa parte do corpo;
  6. Experimenta afastar ou aproximar as mãos para veres como sentes melhor a energia;
  7. Limpa a zona de alguma energia em desequilíbrio;
  8. Deixa fluir Reiki para a zona.

E pronto, se adormeceres, não faz mal.

Se por alguma razão o autotratamento trouxer algo ao de cima que te sintas desconfortável, aplica novamente o banho seco.

Artigos na Revista Reiki & Yoga de Junho 2017

A Revista Reiki & Yoga de Julho de 2017 já está nas bancas desde o dia 16 e neste número além dos artigos sobre Reiki, poderás ler também sobre Yoga e temas num caderno especial sobre a Hipnoterapia.

Artigos de Reiki na revista Reiki & Yoga

  • Aumente o nível de Energia – Penelope Quest
  • Auto-tratamento mental e emocional – Penelope Quest
  • Método de autocura – Juliana De’ Carli
  • Mude a sua forma de pensar – Penelope Quest
  • Desenvolver a intuição com Reiki – João Magalhães
  • Envie a si próprio um tratamento à distância – Penelope Quest
  • Cuidados do Terapeuta – João Magalhães
  • Proteção e Limpeza – João Magalhães
  • Tratamento de traumas – João Magalhães
  • Como enviar Reiki para situações? – João Magalhães
  • Tratar a aura e os chakras. – Penelope Quest

Muitos parabéns a toda a equipa pela criação de mais um número prático, apelativo e muito útil.

Retomar a prática de Reiki após longos anos de ausência

Se já há muitos anos que não praticas Reiki e queres regressar a uma prática regular, podes fazê-lo a qualquer altura.

Como retomar a prática de Reiki

Dependendo do teu nível, podes retomar a prática de Reiki usando as várias aprendizagens, assim, vamos fazer de forma distinta o nível 1, do nível 2 e 3.

Praticantes de nível 1

Tens três aspectos muito interessantes para regressar à prática, são eles os princípios, o autotratamento e as técnicas.

  • Começa por regressar a uma prática constante dos cinco princípios, levando também a filosofia de vida às tuas próprias questões existenciais e sociais;
  • Retoma o teu autotratamento diariamente. Quanto mais praticares, mais começarás a sentir a energia e também o bem-estar da harmonia e equilíbrio te trará o prazer da prática;
  • Retoma a técnica do byosen, para que vás sentindo nos teus chakras o que possa estar em desequilíbrio;
  • Caso tenhas oportunidade, pratica o Joshin Kokyu Ho, a técnica da respiração, pelo menos 15 minutos por dia.

Praticantes de nível 2 e 3

Se estás no nível 2 ou 3, tens ainda mais práticas para o teu regresso:

  • Os cinco princípios diariamente;
  • O autotratamento diariamente;
  • O byosen;
  • O desenho dos símbolos – volta a desenhar os símbolos até os rememorizares;
  • Aplica os símbolos no autotratamento, por exemplo, uma semana com chokurei, uma semana com seiheki, uma semana com honshazeshonen, uma semana com todos ou com o Daikomyo.

Acima de tudo, tenta render-te à prática e sente o que Reiki te traz de bom.

Se sentires, realmente necessidade, tenta realizar uma sintonização presencial para voltares a pegar em força na prática, para tua harmonia e equilíbrio.

Quando repetir os níveis de Reiki

Repetir os níveis de Reiki não significa desvalorizar o que já foi aprendido. É sim uma forma de sentires, envolveres-te com a prática de uma forma diferente e captares a aprendizagem actualizada que o Mestre te possa facultar.

Se quiseres podes consultar Reiki para o Corpo e a Mente para trabalhares todo o aspecto da filosofia de vida, autotratamento, símbolos e técnicas, de forma a praticares seguindo objectivos para o teu crescimento.

 

A mistificação e fascinação – dois perigos inconscientes

Muitas vezes de forma inconsciente, surgem dois perigos para a nossa consciência e liberdade, eles são a mistificação e a fascinação, que se podem revelar autênticas prisões e decrescimento do nosso bem-estar, equilíbrio e harmonia.

Porque devemos estar atentos à mistificação e fascinação

A mistificação é a criação de uma ilusão, que leva a pessoa a perder a noção do que é e não é real.

A fascinação é a tendência para se estar demasiado dependente de uma pessoa, considerando-a como um “guru”, guia, ou mesmo a obsessão por um determinado tema.

Estas são duas situações que podem ocorrer muito no campo das matérias espirituais, o que não quer dizer que não ocorram também no campo científico, pois a incapacidade de desvelar o que não se sabe pode fazer surgir uma mistificação sobre “impossibilidades”, assim como uma fascinação pela autoridade de algumas pessoas.

Na prática de Reiki não necessitamos nem de mistificação nem de fascinação. De que forma te podes enganar com a mistificação e fascinação:

  • Através do que consideras ser a tua intuição e considerares que é uma verdade absoluta;
  • Dos sonhos que tenhas e te apegas a eles, criando uma possível realidade com a tua energia, ou apenas ficando com receio dos mesmos;
  • Através do apego a alguém que consideres detentor de “poderes”, quer seja por medo da pessoa ou por fascinação;
  • As sensações que tens, se forem levadas à hipersensibilidade causam-te falsas avaliações da situação real e podem levar a outra pessoa, se for caso disso, a sentir-se inferiorizada ou pior do que está;
  • Se estás sempre preso a determinado tipo de pensamentos obsessivos, assim como mentalizações;
  • Quando te encontras em práticas que desconheces e julgas obter poderes;
  • Entre muitas outras…

A mistificação e a fascinação surgem, facilmente, quando consideramos que o campo do energético e do espiritual, são incomuns, inalcançáveis para todos e que se pode fazer jus ao provérbio “quem tem olho em terra de cegos é rei”. Qualquer uma destas situações é errónea.

O campo energético e espiritual, são comuns e podem ser entendidos por todos. A grande diferença é que tentamos desenvolver progresso apenas no campo das ciências exactas, daí haver algum atraso na explicação daquilo que ainda é apenas mais sentido que observado. Acredito que tudo pode ser explicado e tem uma lógica, nós é que ainda não a compreendemos. De facto, nem todas as pessoas são “sensíveis” a estes campos, mas querer que tal fosse possível seria como nós querermos que todas as pessoas compreendessem contabilidade, ou todas fossem do benfica. Cada um tem a sua própria tendência e percurso na vida, reconhecer e respeitar, ajuda a compreender a igualdade.

Quanto ao provérbio, é de lamentar qualquer tipo de oportunismo, em qualquer área que seja da nossa vida. É por isso mesmo, que mistificação e fascinação devem ser dois “venenos” da consciência que devemos estar atentos, quer para não o promovermos, quer para não cairmos neles. Desenvolver entendimento, criar harmonia, equilíbrio e liberdade, são bem mais importantes.

Ficar com comichão ao aplicar Reiki

Quando estás a fazer Reiki poderás sentir comichão em qualquer parte do corpo. Poder parecer esquisito, mas poderá ter uma explicação bem simples.

A comichão ao praticar Reiki

Por alguma razão ainda não comprovada cientificamente, Reiki provoca desidratação. Esta desidratação, em conjugação com o estado da tua pele, a sensibilidade aumentada com que estás pela prática e a “pele morta” que todos temos, além do aumento de temperatura do corpo, poderá criar uma sensação de irritação ou vontade de coçar a pele.

Uma das formas de evitar isso é garantires a tua hidratação, quer através da água, quer também por um creme hidratante necessário.

Se sentires que este tipo de situações se mantém, verifica também como está o sistema nervoso e aconselha-te junto do teu dermatologista.

Ficar com sono na prática de Reiki

Por vezes, ao aplicar o autotratamento Reiki ou tratamento a outros, podemos ficar com sono e isso não é tão incomum quanto possamos pensar.

Ficar com sono a fazer Reiki

A sonolência com Reiki pode surgir com o autotratamento ou mesmo com o tratamento a outros. Vamos ver cada caso distinto.

Ficar com sono a fazer o autotratamento

Se ficares com sono a fazer a tua prática de autotratamento, está tudo bem, ou seja, Reiki está a ajudar-te a relaxar, descontrair e assim podes até adormecer mais rapidamente.

Apesar de ser um aspecto muito positivo, podes ficar sem saber como está o resto do teu corpo, então, para isso, no dia seguinte continua na posição onde adormeceste e continua para a posição seguinte. Desta forma, consegues ir aplicando Reiki em todo o corpo.

Ficar com sono a fazer Reiki a outros

O sono quando aplicamos Reiki a outros poderá ter outras explicações. Por um lado, realmente a energia pode relaxar-nos como faz com o autotratamento, principalmente se estivermos “cansados”, ou tivermos tido um dia mais exigente. Por outro lado, o “sono”, pode ser apenas o movimento de bocejo que ajuda a oxigenar. A respiração é muito importante na prática de Reiki pois ajuda a energia a fluir mais.

Por outro lado, a sonolência poderá ser uma espécie de tratamento “inconsciente” da energia da pessoa que estamos a tratar, mas tal não pode acontecer, tens que sempre fazê-lo conscientemente. Por isso, quando te sentires a adormecer, ou parece que vais aterrar para dentro da pessoa, abre os olhos, inspira com mais vigor, firma o teu enraizamento e se necessário afasta as mãos. Afastar as mãos pode também ajudar a controlar melhor o fluxo de energia, pois a pessoa poderá estar a “puxar” muito.

Nentatsu para a auto estima

Por vezes minamos a nossa própria auto estima ou não temos uma verdadeira percepção de quem realmente somos. Muito facilmente podemos nos desvalorizar ou deixar que os outros nos desvalorizem. Vamos ver como poderemos trabalhar com uma técnica de Reiki, o Nentatsu, para alcançar a nossa merecida auto estima.

Alcançar a auto estima através do Nentatsu

Nentatsu significa “Alcançar o pensamento positivo” e é uma técnica do Usui Reiki Ryoho que aplicamos para mudar padrões de comportamento e pensamentos.

Existe uma forma muito simples de aplicar a técnica que é apenas focar a mente num único pensamento, por exemplo “auto estima” e repetí-lo muitas vezes, com as mãos a deixarem fluir Reiki, a esquerda na testa, a direita na nuca.

Outra forma, é trabalhar um pouco mais a mente e o nosso comportamento.

Vamos então observar uma situação em quer “perdemos” a nossa auto estima. Coloca em mente, como gostarias realmente que a situação corresse, não da parte dos outros, mas sim da tua própria parte, na mudança do teu comportamento e atitude.

  • Coloca as mãos em gassho, recita os cinco princípios e liga-te à energia;
  • Esvazia a mente;
  • Coloca na tua mente a situação;
  • Coloca a mão esquerda na testa e a mão direita na nuca;
  • Deixa fluir energia para a situação dentro da tua mente;
  • Visualiza o teu comportamento a mudar, para uma atitude mais positiva, tendo mais auto estima, sabendo valorizar-te e também valorizar os outros;
  • Deixa a energia sempre fluir;
  • No final, quando quiseres terminar, visualiza todas as pessoas bem, sente-te forte, equilibrado e tranquilo;
  • Quando quiseres, retira as mãos e agradece;
  • Se necessário, faz o banho seco.

Além do Nentatsu, investe muito tempo a reflectir com os cinco princípios para a tua questão da auto estima. Por exemplo:

Só por hoje, sou calmo – porque eu perco a calma perante esta situação?

Confio – porque não acredito em mim mesmo para resolver a situação?

Sou grato – que lições tenho a tirar desta situação?

Trabalho honestamente – estou a comunicar verdadeiramente? Estou a querer resolver a situação?

Sou bondoso – de que forma vou resolver a situação, sendo bondoso para comigo e para com todo os envolvidos.

O grande truque da auto estima é que quando a alcançamos, não devemos fazer aos outros o que nos fizeram a nós. Tudo faz parte de um processo de equilíbrio, no qual devemos manter a harmonia.

Entrega-te ao autratamento Reiki

O autotratamento é uma das técnicas mais importantes do Usui Reiki Ryoho. Seguido dos cinco princípios, o autotratamento traz a harmonia e equilíbrio que os nossos vários corpos possam necessitar.

O autotratamento e a entrega

Ao fazer o autotratamento, nem sempre encontramos o momento certo, a ausência de pensamentos ou emoções, nem sempre sentimos, ou nem sempre as reacções são as esperadas. É por isso mesmo que tens que experimentar entregar-te na tua prática de autocuidado. A entrega ajuda-te a estar no aqui e agora, no momento presente.

A entrega é tu reconheceres a importância da prática para ti, é dizeres “é bom estar aqui”, “é bom receber Reiki”, “eu cuido de mim”. Quando colocamos as mãos em nós e deixamos fluir a energia não há nada melhor que isso… o fluir de um conforto interior, que por vezes nos leva a perceber como estamos verdadeiramente. Não conseguimos mesmo perceber isso, se não nos entregarmos à prática.

Entrega-te ao teu tratamento, sorri, mesmo que não estejas a sentir a energia, ela flui. Permite tratares de ti mesmo, só por hoje, no aqui e agora.

Podes ler mais sobre o autotratamento e outras técnicas em O Grande Livro do Reiki.

O enraizamento – tão bom estar aqui

Conhecemos o enraizamento como uma forma de nos conectarmos com a energia da Terra, ou uma forma de escoar o excesso de energia que tenhamos. Mas, o enraizamento tem também um outro aspecto muito importante.

O enraizamento e o momento presente

A técnica de enraizamento, que não é de forma alguma exclusiva da prática de Reiki, é também uma boa forma de nos entregarmos ao momento presente. Esta técnica é muito aconselhável a quem esteja mais com a “cabeça no ar”, sofra de ansiedade, tenha dificuldade em integrar o seu mundo ideal com o real.

O enraizamento permite-te trazer à consciência as tuas ideias, dar força à tua vitalidade, segurança aos teus receios.

Como aplicar o enraizamento para o aqui e agora

  1. Afasta ligeiramente as pernas;
  2. Firma os pés no chão;
  3. Sente o corpo direito;
  4. Coloca as palmas das mãos paralelas ao chão, como se estivesses a enviar Reiki para o chão;
  5. Relaxa o corpo e ao dizeres “que bom que é estar aqui”, sente como se a tua energia descesse até ao centro da Terra;
  6. Podes imaginar as tuas “raizes” a descerem pelos pés até envolverem o centro da Terra.

Já sabes que tudo é imaginação, mas quanto mais criativo fores, melhor. Entrega-te, esse sim é o grande segredo. O aqui e agora é muito importante para a nossa harmonia e equilíbrio.

Uma mão de cada vez na prática de Reiki

São muitas as formas de aplicar Reiki em alguém. Podemos ter as mãos em contacto com o corpo ou podemos ter as mãos ligeiramente afastadas. Quem está a receber, poderá ter percepções sobre a emissão da energia que podem variar consoante tu colocas as mãos.

As mãos e a prática de Reiki a outro

As nossas mãos emitem energia, é através delas que flui para ou para nós ou para os outros. Ao deixares fluir Reiki para outros, convém que o teu canal energético esteja nas melhores condições possíveis, pois o fluxo dependerá também disso.

Sobre o que o receptor sente da energia que flui para ele, pode haver uma diferença no fluxo se mudares de posição muito abruptamente. Por isso mesmo, muda uma mão de cada vez, como se houvesse uma ligação contínua de um ponto para o outro. Isto também se explica de uma forma muito simples. Por vezes a energia traz uma percepção de calor à pessoa e se retiras a emissão desse calor abruptamente, poderá ser algo desconfortável. Assim, lembra-te, uma mão de cada vez. Desta forma a energia manter-se-à serenamente na pessoa.

Ao deixares fluir Reiki, mantém a tua mente vazia e o coração tranquilo. Não te apegues às tuas situações, ou desejo de cura da pessoa, mantém um estado neuto, simples e pacífico. Experimenta sorrir ao praticares.

Aquilo que a pessoa sente, também depende muito do teu próprio esforço. Cultiva uma forma de estar na prática de Reiki.

Page 30 of 124

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén