O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Page 2 of 116

Como alinhar os chakras com Reiki

Alinhar os chakras é uma expressão muito corrente, que surgiu principalmente na década de 80 com a divulgação do movimento “new age”. Na prática de Reiki, alinhar os chakras significa que vamos realizar um autotratamento ou até mesmo tratamento a outra pessoa.

Como alinhar os chakras com a prática de Reiki

São muitas as formas de alinhar os chakras e elas podem mesmo diferenciar quase radicalmente de sistema de reiki para sistema de reiki, por isso observa estas indicações com tranquilidade e, principalmente, faz aquilo que te ensinaram.

Podemos alinhar os chakras de baixo para cima, para “despertar” e potenciar a energia ou podemos alinhar os chakras de cima para baixo, para “despertar” e potenciar a energia. De propósito, fiz a referência aos mesmos efeitos, porque é mesmo assim, mas claro que de formas diferentes. Quando tu aplicas Reiki de baixo para cima, estás a trabalhar a partir do chakra raiz, ou seja, estás a trazer força ao teu suporte de vida e a levar um fogo interior de chakra a chakra. Quando aplicas Reiki de cima para baixo, estás a trabalhar a partir do chakra da coroa, despertando a entrada da energia que vem de cima, ou seja, Reiki e levando esse rio de harmonia e equilíbrio para os restantes chakras abaixo.

Vou então passar-te os conceitos para alinhar os chakras de baixo para cima, sendo que se quiseres inverter, podes fazê-lo da mesma maneira:

  1. Faz o banho seco;
  2. Liga-te à energia e recita os cinco princípios;
  3. Coloca a intenção de trazeres harmonia e equilíbrio aos teus chakras;
  4. Faz o enraizamento, para que a energia escoe;
  5. Coloca as mãos no chakra da coroa, em contacto ou a alguma distância da pele;
  6. Sente como está o chakra;
  7. Se houver necessidade, imagina que limpas o que não esteja bem no teu chakra da coroa;
  8. Agora, preenche-o com energia, deixa fluir Reiki até deixares de sentir o fluxo a correr. Se quiseres, podes até visualizar a cor do chakra, que é algo que ajuda as pessoas que são muito mentais;
  9. Quando deixares de sentir necessidade de tratar o chakra da coroa, passa então para o chakra da terceira visão e repete os mesmos passos;
  10. Vais fazendo todo esse trabalho até ao chakra raiz;
  11. Quando quiseres terminar, sente como estás, agradece e, se necessário, faz o banho seco novamente.

alinhar os chakras

Como vês, na prática de Reiki, temos várias formas de alinhar os chakras e de os trabalhar. Muito importante é tomares a consciência dos seus valores e o que representam, para que possas mudar os teus hábitos e corrigires padrões. Poderás ler muita informação sobre como alinhar os chakras e o que eles significam em O Grande Livro dos Chakras e da Anatomia Energética.

Como tratar os rins com Reiki

No nosso autotratamento nem sempre é fácil tratar os rins ou outras partes das nossas costas, no entanto, estes chakras secundários são incrivelmente importantes e a sua profilaxia pode evitar bastantes complicações

Tratar os rins através da prática de Reiki

Os chakras secundários que estão localizados na região dos rins, representam a nossa vitalidade geral e poderão também estar associados ao impulso, à capacidade de seguir em frente, de ter força e resolução para as situações.

Quando os rins começam a perder energia, pelas mais diversas razões, podemos ficar mais “presos”, restringidos, com menos força para o que devemos fazer e, poderá também surgir, o medo!

Principalmente quando a energia dos rins começa a ficar fria, ou seja, quando há mesmo uma ausência de energia ou um evento traumático ali localizado, a falta de força poderá originar medo e esse é o medo que nos paralisa de fazer as coisas. Assim, tratar os rins é algo de muito essencial para o nosso equilíbrio.

Como tratar os rins através da autoaplicação

Aplicar Reiki nos rins poderá não ser muito fácil para algumas pessoas, por isso mesmo, vou indicar um tipo de autotratamento que poderá facilitar as questões de mobilidade e tu adaptarás consoante aquilo que consigas fazer:

  1. Faz o banho seco;
  2. Liga-te à energia e recita os cinco princípios;
  3. Coloca uma intenção para a tua prática;
  4. Inicia o autotratamento no chakra raiz e ao longo das posições, vai sempre prestando atenção ao byosen;
  5. Depois, passa para o chakra esplénico, abaixo do umbigo;
  6. A seguir, move as tuas mãos, uma de cada vez, para a zona dos rins, mas na frente do corpo;
  7. De seguida, se conseguires, move uma mão de cada vez para a zona dos rins, nas costas;
  8. Lembra-te sempre de limpar a energia se sentires picadas ou formigueiro (desde que essa não seja a tua forma habitual de sentir a energia);
  9. Depois, passa para a frente e trata o plexo solar;
  10. E finalmente, o chakra cardíaco. Experimenta aí recitar os cinco princípios;
  11. Quando quiseres terminar, agradece.

Tratar os rins é muito importante para que possas manter o teu equilíbrio de uma vida sem medos. Claro que estamos apenas a falar de conceitos de energia e não de aspectos físicos. Se vires que o byosen que sentes nos rins se mantém, durante muitos dias, tem atenção e vai a um médico.

Podes ler mais sobre tratamentos específicos e como desenvolveres a tua prática terapêutica no livro Reiki Guia do Método de Cura.

As sensações no envio de Reiki à distância terapêutico

O envio de Reiki à distância é uma forma terapêutica que se aprende a partir do nível 2 de Reiki, a técnica, em japonês, é chamada de Enkaku Chiryo, o tratamento distante ou ausente (da pessoa a ser tratada). Neste tratamento, naturalmente que poderemos ter byosen, ou seja, a emanação do desequilíbrio da pessoa.

As sensações, o byosen, e como o trabalhar no envio de Reiki à distância em terapia

Quando estás na técnica de envio de Reiki à distância para alguém, para tratar essa pessoa, poderás ter sensações como o formigueiro, as picadas, ou mesmo o frio nas mãos. Estas são sensações que nos indicam que existem perturbações energéticas na pessoa. Por exemplo, o formigueiro poderá querer indicar que nessa parte do corpo ou na energia global da pessoa, está a haver uma perturbação, uma possível estagnação da energia. É como se a energia começasse a ficar parada e começa a irradiar essa perturbação.

As picadas representam inflamação da energia e o frio ausência ou então alguma questão emocional mais profunda.

Perante estas sensações no envio de Reiki à distância, precisamos fazer como presencialmente. Devemos limpar essa energia, como se a agarrássemos e a retirássemos daquele local. Depois, tenta perceber o que a energia te pede para fazer, o que ela te indica… Tenta fazer aquilo que sentes, mesmo sendo à distância, fará todo o sentido.

Promove o fluxo da energia por todo o corpo da pessoa e em especial nessa parte do corpo, como se fosse um rio interior. Se quiseres, podes até usar a visualização de cores, exactamente como os chakras. Podes usar o verde, que é bastante comum para o tratamento, para a cura, o azul celeste, que é usado para acalmar ou o violeta que é muito bom para a transmutação da energia e harmonia da pessoa.

Se verificares que essa percepção se mantém ao longo de muitos dias, fala com a pessoa e pergunta se tem algum problema no local ou se precisa de ir ao médico.

Ao fazer o teu envio de Reiki à distância, experimenta tratar a pessoa como se ela estivesse deitada numa marquesa.

Nota: O envio de Reiki à distância não deve ser interpretado como uma consulta, por que não o é, nem deve ser pago.

Como equilibrar o chakra laríngeo

O nosso chakra laríngeo é o quinto chakra principal a contar da raiz e representa a purificação de todas as nossas questões, estando relacionado com a sabedoria, verdade e comunicação. O seu bloqueio manifesta-se, muitas vezes com sintomas como apertos, uma sensação de inchaço sem nada estar inchado, ou com flutuações de humor, que são atribuídas à função da tiróide.

Dicas para o equilíbrio do chakra laríngeo

Existem muitas formas para o equilíbrio do chakra laríngeo até através de disciplinas excelentes como o Chi Kung, o Yoga e muitos mais, mas vamos observar como o poderemos trabalhar com Reiki e com cristais.

Como tratar as questões do chakra laríngeo com Reiki

Através da prática de Reiki podes começar por tentar compreender o bloqueio através dos cinco princípios. Poderás fazer algo assim:

  1. Começa por praticar a técnica Joshin Kokyu Ho, para meditares e trazeres o teu pensamento ao momento presente e a clareza à mente;
  2. Depois, coloca a mão direita na terceira visão e a esquerda no chakra laríngeo;
  3. A seguir, tenta colocar questões como, o que me tem feito perder a calma? Porque não tenho confiado em mim? Que lições preciso aprender com estas situações? Porque não as tenho resolvido? Como posso ser mais bondoso para comigo e com os outros?
  4. Se tiveres pensamentos de situações, é uma boa oportunidade para enviares Reiki para as situações;
  5. Se surgirem efeitos no teu corpo, trata-os através do autotratamento;
  6. A aplicação das técnicas de desintoxicação, poderá ser também interessante se precisares de libertar muito “peso” interior;
  7. Quando quiseres terminar, agradece.

Também podes usar um conceito como a meditação, visualizando o chakra como sendo uma esfera, limpa o seu interior e preenche-o com uma energia azul muito brilhante. Quando existem questões no chakra laríngeo, convém observares como tem andado a tua comunicação interior e até mesmo com a vida.

Tratar o chakra laríngeo com cristais

O uso dos cristais poderá ser muito interessante como ferramenta terapêutica complementar. Então vamos seguir a seguinte lógica, como exemplo:

  1. Usar um quartzo fumado durante cerca de 10 minutos, para a limpeza do chakra laríngeo, colocado diretamente no local;
  2. Coloca uma ametista na terceira visão, para que possas aquietar, harmonizar a mente, ter uma visão e pensamentos claros;
  3. Coloca uma água marinha no chakra laringeo para que te traga uma boa comunicação, paz e descanso sobre as muitas situações que lá possam estar;
  4. Coloca um quartzo roza, se quiseres serenar o coração, ou uma aventurina, caso a questão se prenda com estares demasiado parado, ou refreares os teus sentimentos;
  5. Podes fazer este tratamento ao longo de 15 minutos, ou o tempo que sentires melhor.

Já sabes que qualquer questão médica deve ser verificada com um profissional competente de especialidade médica.

Poderás ler em O Grande Livro dos Chakras e da Anatomia Energética as várias perspetivas sobre o nosso chakra laríngeo e como o equilibrar.

O que é um praticante de Reiki

Praticante de Reiki é um termo usado em Portugal para designar aquele que pratica a filosofia de vida e arte terapêutica do Usui Reiki Ryoho, comummente dito como Reiki. No Brasil, o termo usado é reikiano. Vamos ver porque usar a expressão praticante de Reiki e o que realmente implica.

Ser praticante de Reiki – o que significa

O sufixo iano representa proveniência, origem de algo ou alguém, por exemplo, italiano, coreano, presbiteriano, marciano, assim, a utilização do termo reikiano indica uma proveniência, aquele que vem de Reiki ou faz parte de Reiki. Num conceito mais profundo, o termo é até correto porque, como o Mestre Usui indica “Nós, humanos, detemos o Grande Reiki que preenche o Grande Universo”, no entanto, num sentido prático e perceptível por todos, o sufixo iano poderá associar a uma religião ou movimento espiritual, algo que “Reiki”, o Usui Reiki Ryoho, não é.

Assim, o uso do termo praticante de Reiki consegue ser mais claro, objetivo e genuíno para a cultura portuguesa. Praticante de Reiki é aquele que pratica o Usui Reiki Ryoho e isso significa alguém que:

  1. Aplica os cinco princípios na sua vida quotidiana e se esforça para mudar a consciência;
  2. Aplica em si os conceitos terapêuticos da prática para o seu autocuidado e profilaxia;
  3. Aplica nos outros, dentro do saber e indicação dos vários níveis de aprendizagem, a prática terapêutica nos outros;
  4. Observa o código de ética e assume uma prática íntegra e harmoniosa;
  5. Compreende e aplica a Missão do Usui Reiki Ryoho, conforme estabelecida pelo Mestre Usui;
  6. Mantém uma “mente de aprendiz”, ou seja, sempre uma predisposição de aprender, partilhar e vivenciar, sem julgamento, apego ou distinção por nível de aprendizagem;
  7. Entre muito muito mais…

Um praticante de Reiki é aquele que pratica, o que compreende que para alcançar a “Arte Secreta de Convidar a Felicidade” tem que desenvolver a técnica e para isso “praticar, praticar, praticar”, é necessário. Ele sabe que a felicidade não é um fim, mas um caminho que se percorre com altos e baixos e por isso mesmo vai desenvolvendo a força de uma montanha e a resiliência de um bambu.

O praticante de Reiki é uma pessoa de qualquer idade, profissão, etnia, credo e sabe que é tão igual quanto qualquer outra pessoa, sem sentimentos de superioridade ou inferioridade, de pertença ou exclusão, é alguém que trabalha para manter o seu equilíbrio e harmonia, fazendo pelos outros aquilo que faz por si.

Ser praticante de Reiki é incrível.

Terapeuta de Reiki grávida – que cuidados ter

Se és uma terapeuta de Reiki grávida, em primeiro lugar, parabéns duplamente porque além de partilhares esta incrível energia de vida, estás também a gerar vida. Sendo uma terapeuta de Reiki grávida, há realmente alguns cuidados que precisas ter, em relação à energia.

Os cuidados a ter de uma terapeuta de Reiki grávida

Reiki é energia vital e trabalhar com ela é sempre benéfico, portanto, não é a energia Reiki que irá trazer algum tipo de dificuldade ou problema a uma terapeuta de Reiki grávida, muito antes pelo contrário. Ao aplicares Reiki, há sempre energia que flui para ti mesma e sem dúvida que o autotratamento te irá ajudar bastante com as dores e efeitos secundários que sintas, ao longo de todo o maravilhoso período de gestação.

A grande questão mesmo está na reação à energia da outra pessoa, aquilo que no Usui Reiki Ryoho chamamos de byosen, termo japonês que significa a “irradiação da doença”.

Se o byosen, a comunicação energética da outra pessoa for muito “insistente” contigo e se sentires que te afecta física, energética e emocionalmente, então tens que tomar algumas precauções, como por exemplo:

  1. Aplicar o enraizamento e garantir que a energia escoa, assim como manter a mente focada;
  2. Limpar sempre a aura da pessoa com o segundo ou quarto símbolo, antes de começar a aplicação;
  3. Interpretar o contacto da energia da outra pessoa como sendo uma informação, uma indicação para uma necessidade e indicares “ok, já irei tratar”, esta é uma forma de “cortares” essa ligação e evitar a insistência;
  4. Observares qual o teu chakra que é mais sensível e fica sempre afectado em alguma comunicação energética, terás que o tratar, por exemplo, limpando o seu interior e aplicando Reiki, no entanto, não te esqueças de ver que tipo de consciência ele representa e o que terás a ultrapassar;
  5. Verifica que está sempre Reiki a fluir em ti e concentra-te mais nessa passagem que propriamente a sentires a outra pessoa, intensamente, (no tratamento);
  6. Caso verifiques que existe energia mais intensa na pessoa, afasta as mãos até um limite confortável para não estares tão sujeita a essa intensidade;
  7. Aplica o autotratamento regularmente e verifica sempre como estás;
  8. Podes também usar o primeiro símbolo em cada um dos lados da tua aura, para intensificares a tua energia;
  9. Há também quem goste de se visualizar dentro de uma “bolha” de energia para se proteger.

Um bebé é uma energia maravilhosa que depende mais dos seus pais do que outras energias exteriores, por isso tem uma espécie de “proteção” natural, que faz parte do seu crescimento. No entanto, se a mãe estiver afectada durante muito tempo, claro que algo poderá afectar o bebé, mas só se essas forem as suas condições de crescimento. Por isso mesmo, à partida, não há que ter receios, mas sim ter todas as precauções que uma grávida tem no seu dia-a-dia. O cuidado energético não difere dos cuidados físicos.

Em O Grande Livro dos Charkas e da Anatomia Energética poderás encontrar, mais detalhadamente, pormenores sobre esta interação energética e como a trabalhar.

Uma gravidez muito feliz e com muito muito Reiki!!!

Detox para o verão com três técnicas de Reiki

Quando pensamos em detox para o verão, o nosso pensamento dirige-se para a dieta, mas há muito mais que podemos fazer, principalmente com a prática de Reiki.

Como fazeres detox para o verão com três técnicas de Reiki

Vamos então preparar um plano de detox para o verão com Reiki?

De uma forma muito simples, podemos pensar em três técnicas a aplicar ao nosso detox:

  1. Joshin Kokyu Ho;
  2. Heso Chiryo;
  3. Nentatsu.

Estas técnicas representam a meditação, a desintoxicação propriamente dita e ainda a mudança do nosso padrão de pensamento. Podes aplicar esta prática ao longo de, por exemplo, 3 ou 5 dias, da seguinte forma:

  1. Reflete sobre o que queres desintoxicar em ti, por exemplo, um hábito. Pensa de que forma esse hábito te afecta e como poderias mudar o teu comportamento para não o continuares a ter;
  2. Reflete também com os cinco princípios sobre esse tipo de intoxicação que tens, de que forma eles te aconselham;
  3. Se quiseres, em conjunto com as técnicas podes aplicar o autotratamento;
  4. Começa sempre cada dia com 15 minutos de meditação, usando a técnica Joshin Kokyu Ho, sentindo a energia a entrar com a respiração, até ao tanden e depois ao expirares e fluir para todo o corpo;
  5. Recita os cinco princípios, que poderá ser até antes de iniciares a meditação;
  6. Depois, passa à desintoxicação, coloca a intenção para a energia te ajudar a libertar essas “toxinas”, colocando o dedo médio da mão esquerda no umbigo, é a técnica Heso Chiryo;
  7. Passados 15 minutos, aplica o pensamento positivo, ou seja, aquilo que tu achas que deves fazer para que não te voltes a intoxicar. Mantendo em pensamento em mente, coloca a mão esquerda na testa e a direita na nuca, deixa fluir a energia, também durante cerca de cinco ou dez minutos, o tempo que aguentares;
  8. Quando quiseres terminar, agradece, recita os cinco princípios e faz o banho seco.

Se estiveres em época balnear, nada como um grande banho de mar depois de fazeres esta desintoxicação. Irá auxiliar-te bastante no teu processo de limpeza. Lembra-te que é importante teres também uma alimentação saudável e se gostares, bebe água com limão logo pela manhã, para um grande reforço imunitário e desintoxicação.

No livro e cartas técnicas Reiki para o Corpo e a Mente podes encontrar estas dicas e muitas mais, além de uma forma muito divertida e simples para aplicares Reiki no teu tempo livre de verão.

Criar objetivos para combater sentimentos depressivos

Em algum momento da vida surgem sentimentos depressivos pelas mais variadas razões. Por perdermos um emprego, uma relação, um ente querido, ou até mesmo pela pressão social. Estes sentimentos depressivos, podem também ser observados como energia e o seu estado indica estagnação e densidade.

O Chakra esplénico e a criação de objetivos para combater sentimentos depressivos

Em situações depressivas devemos sempre consultar um profissional de saúde para auxiliar e podemos também ter uma perspetiva mais holística e abrangente perante aquilo os nossos desequilíbrios. Vamos então observar, do ponto de vista da energia, o que representam os sentimentos depressivos.

Os nossos chakras são centros de energia, emissores e recetores, uma espécie de baterias que trabalham entre si e que representam também estados de consciência. O nosso segundo chakra, considerado o esplénico, está intimamente relacionado com a energia que pode levar a sentimentos depressivos. Ele trabalha os aspetos do inter-relacionamento, da alegria de vida, sensação de liberdade, orientação, centro, objetivos de vida. Assim, ele é como um fogo que nos inunda de vitalidade e alegria contagiante, com desejo criativo e capacidade criadora, mas quando começa a ficar demasiado constrangido, pressionado, inundado pela tristeza, desmoralização, a sua energia começa a ficar mais “parada”, estagnada. A partir daqui, começamos a ter aquelas sensações de baixar os braços, de perder a vontade de fazer coisas, de irmos em frente. Parece que estamos “amarrados”, bloqueados e que nada avança.

Uma das formas de contrapormos essa energia é, por exemplo, criarmos objetivos de vida. Poderá parecer pateta, mas a criação de objectivos ajuda-nos a movimentar energia e a não perder foco da nossa capacidade criativa, mas para criar estes objectivos, temos que ter também a capacidade de sentir na mente e coração, o seguinte:

  1. Todos temos um valor intrínseco que apenas nós podemos ver genuinamente, não os outros;
  2. A nossa capacidade criadora é única e somente a nossa própria energia é que pode por em movimento os nossos projetos;
  3. Se te sentes parado, cultiva-te com bons pensamentos e não te deixes arrastar por aqueles que são mais fáceis, os sentimentos depressivos;
  4. Cultiva um interior forte, onde a tua mente e coração estão em uníssono, assim não terás dúvidas para onde deves ir, tudo depende verdadeiramente de ti.

Se fores praticante de Reiki, tens ainda muitas mais dicas para aplicar aos sentimentos depressivos:

  1. Pratica Joshin Kokyu Ho, a forma meditativa do Usui Reiki Ryoho;
  2. Coloca a intenção de te trazer força de vontade e alegria de vida, para o teu autotratamento e vai prestando atenção às sensações, ao que a energia te transmite para o que tens a tratar;
  3. Muda os teus padrões de pensamento com o Seikaku Kaizen, a técnica para a mudança de hábitos.

Então, se formos a ver, a energia está relacionada com a nossa atitude e tomada de consciência. Quando começamos a desenvolver-nos no sentido de termos mais clareza sobre o que nós mesmos fazemos e somos, tudo começa a ter um outro sentido.

Poderás ler em O Grande Livro dos Chakras e da Anatomia Energética mais sobre o Chakra Esplénico, na perspetiva ocidental e oriental.

Seikaku Kaizen Ho a mudança de caracter com Reiki

A mudança de caracter é algo tomamos muito a sério na prática do Usui Reiki Ryoho. Ao compreender que querer prosseguir uma vida pacífica e feliz remete à mudança de consciência, percebemos claramente que a mudança de caracter e o burilar das nossas “imperfeições” em atitudes e gestão emocional, é algo que será constante. Temos uma técnica excelente para nos auxiliar na prática de Reiki, o Seikaku Kaizen Ho.

Read More

Reiki Summer School 2018 – A Escola de Verão de Reiki

Este ano teremos também a segunda edição da Reiki Summer School do CENIF, desta vez na Terça-feira 7 de Agosto às 9h30 e no Sábado 11 de Agosto às 9h30.

Reiki Summer School – a importância de escola de verão de Reiki

A Reiki Summer School, ou escola de verão de Reiki é um curso intensivo da prática de Reiki para quem pretende reavivar o conhecimento, em qualquer nível, ou mesmo para quem deseje compreender melhor o Usui Reiki Ryoho, por vir de um sistema diferente.

Por isso, se estás já um pouco afastado da prática e pretendes retomar, este pode ser um excelente ponto de partida.

Neste curso vamos ter conceitos teóricos e ainda muita prática para aplicares em ti mesmo e nos outros pois iremos abordar os conceitos de aplicação de Reiki noutras pessoas.

Para te inscreveres, basta enviares um email para escola@cenif.com

Para mais informações, podes ver cada um dos eventos criados para o dia:

Reiki Summer School está aberto a todos os praticantes de Reiki, nacionais e internacionais, de qualquer nível.

Reiki para a limpeza da primavera

Muitas pessoas aproveitam a altura do bom tempo para a limpeza da primavera – trocar as roupas, dar um outro ar à casa, limpar a fundo. Mas para quem é mais sensível à energia, isso depois traz umas reacções um pouco estranhas. A limpeza da primavera é muito importante e não devemos de a deixar de fazer, apenas saber que também precisamos fazer uma limpeza da primavera energética.

A limpeza da primavera e como Reiki pode ajudar nos efeitos secundários

Quando iniciamos a mudança de objetos e roupa em casa, a sua energia acumulada “levanta-se”, é como se tivesse pó. A mesma coisa acontece quando mudamos livros, discos, etc, de lugar. Essa energia acumulada é um pouco mais densa, contém memórias e emoções, não quer dizer que seja má energia, nem de longe, mas é uma energia um pouco parada e a nossa aura vai lidar com ela, o que poderá fazer com que tenhamos reacções como dores de cabeça, vómitos, tonturas, diarreia, má disposição, irritabilidade, entre outras…

Então, se estás mais sensível a esta energia, vamos fazer o seguinte:

  1. Ao iniciares a limpeza de primavera, verifica se a divisão onde estás tem uma janela aberta, para passar o ar;
  2. Se quiseres, aplica a técnica de limpeza de espaços do nível 2. Se ainda não estiveres no nível 2, podes acender um pauzinho de incenso ou usar um difusor de aromas;
  3. Sempre que terminares a limpeza em cada divisória, volta a aplicar a técnica de limpeza de espaços, agradece à energia, pede harmonia e serenidade para o local e para todos;
  4. Agradece.

Se a energia for um pouco mais intensa, vai fazendo essa técnica de limpeza logo no imediato e se sentires necessidade, envia Reiki à distância para o tipo de memória que possa estar a estimular.

Como fazer uma limpeza da primavera interior

E já agora, porque não fazermos uma limpeza da primavera interiormente?

É muito importante tirarmos algum tempo para renovarmos os nossos pensamentos, emoções, sentimentos e mesmo energia. Ao longo do tempo vamos acumulando tudo isso e, por vezes, parece que carregamos uma mochila pesada ou então até um peso interior bem estranho.

Para fazeres esta limpeza de primavera, porque não aplicares os conceitos de Reiki para o Corpo e a Mente?

Então tenta seguir estes passos:

  1. Avalia o que queres destralhar em ti mesmo, ou o que pretendes libertar, limpar;
  2. Num primeiro dia, faz um autotratamento com essa intenção;
  3. Num segundo dia, faz o autotratamento e quando chegares ao umbigo, aplica a técnica Heso Chiryo, a desintoxicação pelo umbigo;
  4. Visualiza sempre a tua desintoxicação, a saída daquilo que não queres e a entrada das coisas boas ou só Reiki;
  5. Passados alguns minutos, aplica o Nentatsu, para mudares o teu comportamento, evitando os padrões que levaram à intoxicação;
  6. Quando quiseres terminar, recita os cinco princípios, faz o banho seco e agradece.

Podes aplicar estes conceitos durante cinco dias. Aproveita e muda os teus padrões, lê coisas que te interessem e cultivam, sai mais para locais saudáveis, apanha ar e convive com pessoas que gostas.

A diferença entre uma consulta de Reiki e um autotratamento Reiki

Apesar de ser a mesma energia e de podermos utilizar os mesmos pressupostos numa consulta de Reiki e num autotratamento, existem muitas e significativas diferenças entre estas práticas e, desconhecendo isso, muitos praticantes de Reiki acabam por nunca terem realizado recebido uma consulta, chegando mesmo ao nível de Mestre. Mas será que é realmente importante fazer uma consulta de Reiki?

A diferença entre uma consulta de Reiki, um autotratamento e qual a sua importância?

O autotratamento de Reiki é uma técnica que o aluno aprende logo no seu primeiro dia de prática e é algo que deve ser mantido sempre, ao longo do tempo. Esta técnica permite-nos compreender melhor como estamos, ao nível da energia, trabalhar profilaticamente e desenvolver a nossa capacidade de percepção. Quando aliamos as técnicas e a filosofia de vida, a prática de autotratamento enriquece-se muito e traz grandes benefícios para o praticante, independentemente do seu nível.

A consulta de Reiki, quando realizada por um profissional experiente, pode auxiliar o praticante a ter uma perspetiva diferente da sua questão, levando-o a tomar consciência do mesmo, assim como auxiliar a ter harmonia e equilíbrio de uma forma diferente. Por exemplo, quando tens dores nos ombros pela tensão, experimentas massajar essa zona, mas se continua durante algum tempo, vais a um massagista ou tomas comprimidos. Ou seja, há a nossa capacidade de autotratamento e há, naturalmente, a procura de um terceiro, ou de uma solução auxiliar, para ajudar a restaurar o equilíbrio e harmonia.

Para que possas compreender melhor a diferença entre uma Consulta de Reiki e um autotratamento da prática, coloco aqui uma lista de algumas das diferenças entre um e outro.

Consulta de Reiki

Autotratamento Reiki

  • As percepções podem ser muito diferentes, saindo mesmo do byosen habitual que o praticante sente nas suas mãos;
  • O relaxamento poderá ser maior por estar entregue a outra pessoa e não ter que se focar em trocar de posições ou manter-se desperto;
  • O terapeuta tem uma prática maior que lhe permite aconselhar técnicas ou formas de realizar autotratamento que possam ajudar na questão do praticante;
  • Por vezes, o facto de pagar por algo é um incentivo à valorização e responsabilização por um percurso terapêutico;
  • O terapeuta pode auxiliar a desbloquear os canais energéticos de uma forma mais eficaz, pela sua experiência e perspectiva sobre a prática;
  • Tendo uma perspetiva holística e experiência na filosofia de vida do Usui Reiki Ryoho, o terapeuta pode auxiliar o praticante a encontra causas para as suas condições;
  • O terapeuta por vezes faz um trabalho duplo, tratando a pessoa e enviando Reiki para a situação, compreendendo as ligações que existem;
  • A terapia, em conjunto com questões bem colocadas, pode ajudar a pessoa ter insights, clareza sobre o que a leva à consulta de Reiki;
  • Entre muitos outros benefícios…
  • Por vezes pode ter sempre as mesmas percepções por não diferenciar a intenção ou estar focado na mesma questão;
  • O esforço para se manter desperto e atento às posições e ao que sente pode não trazer tanto relaxamento como numa consulta;
  • Por vezes o autotratamento torna-se “monótono” e o praticante pausa durante algum tempo;
  • Como a Energia está sempre disponível para o praticante, nem sempre valoriza esse benefício que tem e acaba por não praticar tanto quanto devia;
  • Por vezes um bloqueio no canal impede o praticante de compreender porque a energia não flui em si, fazendo parar a prática;
  • O praticante pode andar à volta das suas condições de desequilíbrio, mas não conseguir compreender de onde vêm as causas;
  • O praticante pode enviar Reiki para as situações, no entanto pode desconhecer as suas ligações;
  • A prática do autotratamento pode ajudar o praticante a ter uma visão mais clara sobre a sua questão, se se mantiver objetivo e de mente vazia;

De facto existem grandes benefícios em procurares uma consulta de Reiki e já sabes, não há milagres, mas sim um percurso terapêutico. Isto não quer dizer que deves deixar o autotratamento, muito pelo contrário, deves ainda mais investir no teu autotratamento e com o teu terapeuta e Mestre de Reiki, procura o melhor aconselhamento para a prática.

Podes ler em Reiki Guia do Método de Cura várias abordagens sobre a prática terapêutica e no que se baseia uma consulta de Reiki.

O Terapeuta de Reiki deve sempre seguir um rigoroso código de ética, para isso aconselhamos a Associação Portuguesa de Reiki e as suas indicações para a prática de Reiki.

Podemos sentir mal na prática de Reiki quando acumulamos muita energia densa

Se acumulares muita energia densa ou estagnada em ti poderás sentir mal ao realizar o autotratamento. Não te preocupes, tem uma razão de ser.

Sentir mal no autotratamento e o que tem a ver com a energia acumulada

Há alturas em que estamos muito tempo sobre pressão, com stress, ansiedade, sentimentos depressivos, ou com uma vida tão agitada que as coisas vão-se acumulando sem nos apercebermos disso. Infelizmente, é algo de comum neste tempos, mas que poderá ser incrivelmente prejudicial para a nossa saúde.

Como observamos que tudo se converte em energia, este tipo situações torna-se energia de vibração mais densa, ou mesmo estagnada, o que irá dificultar bastante o fluxo da energia em nós e, como tal, dificultar o processo de homeostasia no corpo.

Então, quando um praticante de Reiki inicia o seu autotratamento, poderá deparar-se com grandes dificuldades. A energia pode parecer fluir com mais dificuldade, o byosen poderá ser exigente com sensações de formigueiros, frio ou outras, poderão surgir sensações como vómitos, diarreia, dores de cabeça, tonturas e muito mais. As noites poderão ser agitadas, os dias poderão parecer que não correm muito bem, quase como se se estivesse doente.

É mesmo assim, é como se estivessemos a drenar um pântano, ou muita areia de um rio que impede o seu fluxo. Então o que poderás fazer?

  • Inicia sempre com as técnicas de limpeza;
  • Se puderes, pratica o Joshin Kokyu Ho, a técnica da respiração, ou seja, medita durante quinze minutos;
  • Se já tiveres aprendido, poderás acelerar os efeitos de limpeza com a técnica heso chiryo, se ainda não, não faças;
  • Coloca a intenção ao teu autotratamento para que te sintas em paz, harmonia e integrado;
  • Se os dias de autotratamento anteriores tiverem sido “estranhos”, aplica primeiro no chakra raiz, joelhos e pés;
  • No dia seguinte tenta fazer o autotratamento por completo e verifica como te sentes, é muito importante estares enraizado e sentires-te presente;
  • Termina com as técnicas de limpeza, se necessário toma um banho de seguida, para limpar a energia que foi “saindo” do teu interior;
  • Recita novamente os cinco princípios;
  • Agradece;
  • Faz coisas boas para ti durante o dia, eleva o teu interior.

Não te preocupes por teres acumulado energia densa, isso só acontece porque faz parte da vida e nada como uma terapia natural como Reiki para te ajudar a encontrar o equilíbrio necessário.

Muda também o teu padrão na vida e assume o que é essencial para ti.

O que fazer quando família e amigos não acreditam em Reiki

Alguns membros da família e dos nossos amigos, não acreditam em Reiki e por vezes isso tem um impacto grande na nossa prática, motivação ou mesmo poderá ser uma razão para se desistir.

Se a família e amigos não acreditam em Reiki não há problema

Se há alguém que tem que acreditar na prática de Reiki és tu. O Usui Reiki Ryoho, ou seja, o método criado e ensinado pelo Mestre Mikao Usui, não faz apologia de religião ou de movimentos espirituais, é uma filosofia de vida universal e uma prática terapêutica, em primeiro lugar para ti e depois para os outros.

Assim sendo, há um grande foco nesta prática – tu mesmo. Não precisamos de crenças ou de cultivar crenças, mas precisamos perceber se isto realmente nos é benéfico ou não, se encontramos benefício em ser útil aos outros ou não. Se encontramos este benefício mútuo, sabemos que é uma prática valiosa.

Se a família e amigos não acreditam em Reiki e no que fazemos, temos que ter o coração no lugar certo e não nos sentirmos ofendidos ou fragilizados por isso. É natural que não compreendendo corretamente o que é Reiki e vendo algumas práticas mesmo muito esquisitas que dizem ser Reiki, mas nada tem a ver, é muito compreensível que por vezes tenham um mau julgamento ou nem queiram saber o que é. Assim, podes fazer o seguinte:

  • Sem querer “vender” ou “convencer”, indica claramente o que é a prática de Reiki, mostra em primeiro lugar a filosofia de vida e como os seus valores são universais, como essa prática é para ti e como te tem mudado;
  • Depois, explica que é para te tratares em primeiro lugar;
  • Enquadra também o sentido de que trabalhamos apenas com energia, não usamos santos, anjos, guias, ou quaisquer referências espirituais, isso sim fará parte da crença de cada um;
  • Esclarece que é um método japonês criado em 1922;
  • Indica que qualquer pessoa pode praticar, porque a energia é algo comum em todas as pessoas;
  • Pergunta à pessoa se não quer experimentar, para perceber melhor o que é. Lembra-te que, por vezes, “santos da casa não fazem milagres” e poderás recomendar experimentar com um colega teu.

Acima de tudo não sintas que as outras pessoas te têm que compreender, pois o mais importante é que tu mesmo sintas a “Arte Secreta de Convidar a Felicidade” e continues o teu progresso, para o equilíbrio e harmonia. Não precisamos apregoar que praticamos Reiki, nem precisamos que todas as pessoas pratiquem Reiki, este é um caminho único que, se fizer sentido para alguém, essa pessoa o encontrará, não precisa ser convencida, apenas o precisa de viver.

Sente no teu coração os cinco princípios, vais ver que não há problema algum em família e amigos não acreditarem em Reiki, não há nada em que acreditar, mas há muito que viver em prática.

O grande livro dos chakras e da anatomia energética

O Grande Livro dos Chakras e da Anatomia Energética

A nossa anatomia energética e o conceito de Chakras que tanto usamos na prática de Reiki e em muitas outras práticas energéticas, são algo que exigem sempre muito aprofundamento. Não podemos dizer que apenas uma forma de encarar os chakras e a anatomia energética pode ser verdadeira, mas quando observamos várias perspetivas, enriquecemos muito o nosso saber e vemos que elas se complementam. Assim, sem pretenções, o Grande Livro dos Chakras e da Anatomia Energética apresenta-se como um guia para perspetivas, para o teu desenvolvimento no tratamento e elevação dos centros de consciência que são os Chakras, assim como a compreensão de algumas questões que existem em relação à anatomia energética e o fluxo da energia.

O Grande Livro dos Chakras e da Anatomia Energética

«O nosso corpo energético é um grande mistério. E é por isso uma aventura de vida incrível partilhar as minhas pesquisas sobre o tema.»

Este é o primeiro grande manual de um autor português a sistematizar os conhecimentos sobre os centros vitais do ser humano e todas as questões relacionadas com a anatomia energética.

João Magalhães, autor do bestseller O Grande Livro do Reiki, apresenta nesta obra as questões que se colocam a quem se inicia no mundo dos chakras e pretende saber mais sobre conceitos como enraizamento, aura, prana, kundalini, entre tantos outros. Aqui se aborda a visão ocidental, mais contemporânea, e a visão oriental, mais tradicional, mostrando-se também como o trabalho sobre o campo energético se pode revelar uma autêntica filosofia de vida.

Um livro indispensável que o ajudará a:
– Conhecer em profundidade os chakras principais e também os secundários;
– Aprender técnicas de limpeza e proteção energética;
– Compreender os diferentes mantras e mudras;
– Dominar uma filosofia de vida assente na integridade, na compaixão e na bondade.

Page 2 of 116

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén