O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Page 2 of 123

Cinco anos de CENIF Amadora

Este ano de 2018 celebramos cinco anos de CENIF na Amadora. Foi um projeto que iniciamos há muito mais tempo em Guimarães e que no momento de melhores condições pode também ser cultivado na Rua Emídio da Conceição Fernandes 10.

Muito obrigado querido Mestre Usui.

Estes cinco anos foram o amadurecimento dos valores que queremos levar a todos aqueles que queiram partilhar o caminho de Reiki connosco e é incrível ver como hoje em dia os praticantes sentem a prática e como levam a filosofia de vida às suas questões quotidianas.

Ao longo destes cinco anos, fomos complementando esta via ampla do caminho de Reiki com outros saberes que reforçam a nossa prática e consciência. Foi algo que demonstramos também no nosso Seminário de Práticas, que realizamos na Agência DNA Cascais, exclusivo para os nossos alunos. Assim, a nossa gratidão vai também para todos aqueles que têm colocado o seu esforço para que os alunos desta família CENIF tenham uma vida cada vez melhor, com alicerces mais fortes e estruturados para uma vida pacífica e feliz.

Acima de tudo queremos que o CENIF seja um bom porto, uma escola onde cada um aprende a ser mais resiliente às questões diárias, cada vez com mais esclarecimento, sabedoria e claro sempre seguindo as indicações do Mestre Usui.

Muito obrigado a ti, por estes cinco anos de escola.

Reiki só com uma mão é possível?

E se aplicarmos Reiki só com uma mão será que estaremos a aplicar Reiki? Será isso possível?

É, sem dúvida alguma e este é um tema que merece algum desenvolvimento pois não só poderá ser um estímulo para quem tenha alguma limitação física como poderá servir como estímulo aos praticantes que tenham alguma situação onde apenas possam aplicar Reiki só com uma mão.

Porque e como aplicar Reiki só com uma mão

A Energia Universal, Reiki é algo não visível e é um tipo de energia que se enquadra no campo da energia vital, portanto presente em tudo. Como o Mestre Usui indicava:

Tudo no Universo possui Reiki sem excepção alguma.

Mikao Usui

O nosso corpo energético absorve essa energia, Reiki, e distribui-a pelos nossos variados corpos – físico, mental e emocional.

Quando não temos uma parte do corpo físico, o corpo energético mantém essa forma e propriedade energética, ou seja, poderei não ter uma mão ou braço fisicamente, que o manterei no campo energético, algo que por vezes se sente com as dores fantasma. Outro exemplo é o caso de pessoas que retiram a tiróide e visícula, muitas vezes sentem o órgão, ou as funções energéticas desse centro de consciência continuam a ser sentidas.

Assim, um praticantes que não tenha um braço ou mão, pode “apenas” aplicar Reiki só com uma mão e se não tiver ambas, não há problema algum, mentaliza esse fluxo através das suas mãos energéticas e com muita certeza irá sentir esse fluxo. Esta é também uma experiência que fazemos com o envio de Reiki à distância no nível 2 de Reiki.

Por outro lado, uma pessoa poderá ter uma mão ocupada e a outra livre. Isto é algo que pode acontecer, por exemplo, no nosso trabalho. Então imagina que estás numa reunião. Tomas notas do que estás a escutar, mas no entanto começas a sentir alguma instabilidade emocional que se apresenta no teu Chakra do Plexo Solar. Para que a situação não se detiore, podes aplicar Reiki com uma mão, tendo a outra ocupada na tomada de notas. Claro que não estarás com concentração no fluxo de energia, mas não te preocupes, a energia estará a fluir, com certeza, e irá ajudar-te a estar mais equilibrado.

Desta forma, podes até agir profilaticamente, trazendo harmonia e equilíbrio a ti mesmo, ao longo do dia, antes que algo possa acontecer que te perturbe ou desequilibre.

Esta situação mostra-nos mesmo que precisamos descomplicar e observar cada vez mais o nosso corpo energético. Tudo funciona, tudo flui, é só mesmo nós nos permitirmos a isso, é por isso que a prática de Reiki é extraordinária e pode ser levada ao nosso dia-a-dia.

Livre arbítrio – Reiki e pensamentos

Por vezes há um certo de receio de que a prática de Reiki possa interferir com o livre arbítrio de cada um. Este é um tema muito importante pois a liberdade individual e colectiva é muito importante. Para compreendermos corretamente este contexto, precisamos ter um entendimento claro do que é o livre arbítrio e do que é Reiki.

Como Reiki (não) influencia o livre arbítrio

O livre arbítrio é a capacidade que cada indivíduo tem de tomar decisões por si próprio, é ser o seu próprio árbitro, julgando cada situação segundo o seu próprio entendimento, assim como cada ação que faça. É uma decisão livre e sua, desapegada da ética ou moral. A ética e a moral farão parte da educação formal ou informal de cada indivíduo e através de valores e códigos de conduta, levarão a que tome consciência dos seus atos para que cada ação sua não seja contra a sua própria natureza ou bem estar comum.

Reiki é um método terapêutico natural, baseado na Energia Universal que tudo permeia, chamada de Reiki em japonês. É um método fundado sobre uma filosofia de vida que incute valores que são como uma bússola para a vida do praticante. Neste método, o fundador, Mikao Usui, instituiu também uma missão:

A missão do Usui Reiki Ryoho é guiar para uma vida pacífica e feliz. Curar os outros, melhorar a felicidade dos outros e a sua própria.

Mikao Usui

Os praticantes de Reiki aprendem várias técnicas terapêuticas, incluindo o autotratamento, que é a técnica para tratarem de si mesmos e práticas de tratamentos a outros, que inclui técnicas como o envio de Reiki à distância, técnicas para o cultivar o pensamento positivo, a desintoxicação, entre muito outras.

Reiki é uma energia vital, a mesma energia que encontramos na natureza, nos nossos corpos, em tudo o que existe. O Mestre Usui indicava que:

Tudo no universo possui Reiki sem excepção alguma.

Mikao Usui

A energia vital é algo de passivo, nós não conseguimos empurrar vitalidade para ninguém, então, qualquer pessoa que queira receber Reiki, terá mesmo que o querer, consciente ou inconscientemente, ou seja, só mesmo ela poderá aceitar recebê-la ou não. Isto vai de acordo com o livre arbítrio de cada um, ou seja, cada pessoa é que decide por si mesma, tem em si essa única decisão. Se algo acontece que seja uma energia forçada, então não é Reiki, nada tem a ver com a nossa prática.

O próprio praticante tem então que estar regido por uma perspetiva clara do que é a prática – ele tem os cinco princípios e muitas indicações do Mestre Usui que o devem guiar sempre por um caminho correto, assim, o praticante sabe que nunca fará nada para alterar o comportamento da pessoa, mas sim para proporcionar boas condições à harmonia e equilíbrio para a vida da pessoa.

Há um exemplo muito claro que nos poderá ajudar a observar toda esta situação.

Imagina que estás dentro do combóio e vês alguém escorregar e cair para trás. O combóio vai partir, não podes sair. Algumas pessoas riem-se da situação porque é o que muitas vezes fazemos sem termos vontade, outros ficam muito preocupados, mas parados nos seus lugares e alguém vai ajudar presencialmente aquela pessoa (esperamos nós). Cada um deste tipo de pessoas tem um pensamento. Cada pensamento tem uma energia. Quando eu penso em alguém, essa energia é direcionada para a pessoa. Temos então vários tipos de energia direcionadas para a mesma pessoa, uns de preocupação, outros de nervosismo e sabemos lá mais que outros pensamentos. A pessoa recebe toda essa energia e será que essa energia afeta o seu livre arbítrio?

O praticante de Reiki faz o seguinte, pede para que a energia flua para a pessoa, para a sua harmonia e equilíbrio se assim for possível, ou seja, se for da condição da pessoa aceitar essa energia, ou se realmente a precisa. De que forma isto afeta o livre arbítrio da pessoa?

Preferes receber pensamentos dos outros ou Reiki?

Os benefícios de uma sintonização após uma sessão de Reiki

Há alturas em que uma pessoa no seu processo terapêutico poderá receber uma sintonização de Reiki após a sua sessão ou consulta. Esta prática não é usual, mas poderá ser uma solução muito interessante entre alguns praticantes de Reiki.

Porque uma sintonização após a sessão ou consulta de Reiki

O propósito de uma sessão ou consulta de Reiki é a de promover o equilíbrio, harmonia e o despertar da consciência da pessoa em relação a determinado aspeto que requer a sua atenção. A consulta de Reiki funciona como um desvelar de questões, a promoção da tomada de consciência e a harmonia dos vários centros energéticos, mas também o equilíbrio do corpo, mente e coração.

Quando o terapeuta sente que a pessoa, sendo ela praticante de Reiki, pode beneficiar ao realizar-se uma sintonização, neste caso, a repetição da sintonização de determinado nível que a pessoa tem, tal prática pode ser muito benéfica.

A sintonização de Reiki deverá ser feita após a aplicação de Reiki na pessoa, pois esta aplicação, o tratamento de Reiki, auxilia ao correto fluxo do canal energético que implica um desbloqueio do mesmo. Estando a pessoa mais “alinhada”, equilibrada, o processo de sintonização é mais fluido.

Esta conjugação de sintonização e sessão terapêutica ajuda a aumentar a energia da pessoa – e o que ela poderá fazer com essa energia?

É importante que a pessoa pegue nesta oportunidade e faça a sua real transformação. Este tipo de prática não é como tomar uma aspirina, não resolve nada por si, mas dá um potencial extraordinário à pessoa para que tenha energia para resolver as coisas em harmonia, ou para estar na vida com uma predisposição mais serena.

Vale mesmo a pena este tipo de prática, não é aplicável a todas as situações e casos, assim como também não representa a necessidade de se fazer uma consulta de Reiki antes de aprender Reiki. É uma situação excepcional que deve ser considerada pelo terapeuta e quem sabe, porque não também pela pessoa?

O byosen ao enviar Reiki para a Terra

Quando estás a enviar Reiki para a Terra podes ter também percepções do seu estado. A estas várias percepções chamamos o byosen.

Byosen significa a irradiação da “doença”, ou seja, do desequilíbrio e desarmonia, neste caso, do planeta. Sempre que emitimos energia, temos um retorno, uma percepção.

O que fazer com o byosen ao enviar Reiki para a Terra

E se começares a sentir picadas ou mesmo dores, desconforto, ao enviar Reiki para a Terra? Isto pode acontecer e não é tão incomum quanto isso, pior ainda, neste último ano a condição energética da Terra vem vindo a deteriorar-se cada vez mais e a nós isso traz sensações não tão agradáveis.

Quando sentes formigueiros em determinada parte da mão, pode ser energia que está a criar algum tipo de desequilíbrio ou mesmo alguma parte física da Terra em desequilíbrio. Podes experimentar retirar e limpar essa mesma energia.

Podes também sentir vibrações estranhas nas mãos, ou até má disposição, por isso mesmo, está atento ao que sentes e ao que te apetece fazer, ou seja, o teu corpo e a tua terceira visão poderão ajudar-te a cuidar corretamente da energia emanada pela Terra, confia em ti.

Como enviar Reiki para a Terra

Existem várias formas de fazeres o envio de Reiki à distância para a Terra, este é apenas um exemplo:

  1. Preparação

    Se for um envio mais formal, poderás querer fazer o banho seco e enraizamento, recitando também os cinco princípios e sentir o fluxo da energia.
    Caso possas fazer o envio de Reiki ao ar livre e se estiverem outras pessoas perto, apenas visualizas para não estares a realizar as técnicas ao pé de outras pessoas. Faz como entenderes melhor.

  2. Envio de Reiki

    Sente a energia a fluir em ti;
    Visualiza o terceiro, segundo e primeira símbolo e recita os seus mantras;
    Indica que vais iniciar o envio de Reiki à distância e coloca uma intenção;
    Imagina que tens o planeta entre as mãos;
    Deixa a energia fluir para todo o planeta, preenchendo o planeta com harmonia e equilíbrio.

  3. Término e agradecimento

    Quando quiseres terminar, coloca as mãos em gassho, visualiza o planeta a desaparecer suavemente;
    Visualiza os três símbolos novamente e indica que terminas o envio de Reiki à distância;
    Faz novamente o banho seco;
    Agradece.

Enviar Reiki para a Terra é uma responsabilidade, um dever de todos os praticantes de Reiki, principalmente com o nível 2 ou 3. Nem que sejam apenas cinco minutos, mas todas as semanas tem em atenção o cuidado energético da Terra.

Porque é que uma boa ação pode ter um mau resultado

À medida que vamos cultivando uma boa consciência, compreendemos que a boa ação é o caminho natural de tudo o que devemos fazer. Uma boa ação deixa de ser algo pensado e avaliado, para ser algo apenas feito, porque sabemos que o devemos fazer, no entanto, uma boa ação poderá ter um mau resultado e isso faz-nos questionar – porque fiz uma boa ação e tive um mau resultado?

A boa ação e o mau resultado, um resultado que afinal pode ser positivo

Quantas vezes já fizeste uma boa ação e tiveste um retorno negativo?

Por exemplo, vais ajudar alguém e tens um acidente, ou acabaste de doar algo e perdes algo, ou tentas criar harmonia e surge discórdia?

Várias situações em que tentamos realizar boas ações, poderão ter um resultado negativo, mas poderá não ser bem assim se soubermos olhar a situação com outra consciência.

Em primeiro lugar, se a tua ação natural é uma boa ação, então parabéns! Estás no caminho certo. Em segundo lugar, se a tua boa ação leva a um resultado negativo, vamos observar dois aspetos.

  1. A boa ação evitou um resultado pior

    Realizas a tua boa ação e de seguida acontece algo um pouco estranho que quase te prejudica. Poderá acontecer pois o potencial da ação que foste sanar podia ser demasiado negativo e essa tensão teve que ser libertada, no entanto, a força positiva com que fizeste as coisas preveniu que algo de pior acontecesse.
    Se pensares em termos de energia, verás que há um entendimento mais claro.

  2. A ação precisa ser revisitada

    Por vezes achamos que a nossa ação é uma ação positiva, mas poderá não o ser totalmente, ou seja, podemos não ter observado todas as circunstâncias e o que pretendemos fazer não tem ainda condições suficientes para ser realizado, ou não é realmente aquilo que é o melhor para a situação.
    Nestes casos temos mesmo que desenvolver o olhar do observador e ter mais atenção antes de agir.

Quando fazes boas ações e as coisas não correm bem, não é para desistires, é para reavaliares as situações e continuares a fazer mais boas ações. Pensa sempre em termos energéticos e vais ver que as peças do puzzle das tuas dúvidas se começam a encaixar.

Equilibrar o coração com uma posição de Reiki muito simples

Há dias mais agitados em que precisamos equilibrar o coração pois as nossas emoções estão descontroladas e os pensamentos também. Na prática de Reiki temos uma posição muito simples que te poderá auxiliar.

Como equilibrar o coração

Equilibrar o coração não é uma tarefa fácil e, muitas vezes, pensamos que são apenas os sentimentos, as emoções, que precisam ser trabalhados, mas na realidade temos que ter também em atenção os nossos próprios pensamentos.

O Chakra cardíaco é o centro de consciência que rege os nossos sentimentos e o Chakra do Plexo Solar, aquele que rege os pensamentos e as emoções. Este dois chakras são então um motor para o nosso entendimento e equilíbrio do sistema pensamentos > sentimentos > emoções.

De uma forma muito simples temos uma posição que te ajudará a equilibrar o coração:

  • Uma mão no Chakra Cardíaco e outra no Chakra do Plexo Solar.

Será mesmo só isto?

Não, claro que não e depois devemos ainda fazer a nossa habitual reflexão com os cinco princípios, mas como posição de autotratamento esta é sem dúvida aquela que nos traz mais harmonia e equilíbrio para o nosso coração.

Em O Grande Livro dos Chakras e da Anatomia Energética poderás encontrar mais informações sobre o Chakra Cardíaco e o Plexo Solar, assim como várias dicas para o seu tratamento.

Reiki a Energia Universal com segunda edição

Após um ano do seu lançamento, Reiki a Energia Universal, um Manual para Mestres e para quem pretende ensinar a Arte que convida à felicidade, teve a sua segunda edição.

Este é um manual de apoio aos praticantes que pretendem seguir um caminho para serem Mestres de Reiki, para todos os sistemas e fundamentado nos ensinamentos do Mestre Usui, Hayashi e Takata. É um guia que partilha as experiências de vida como Mestre de Reiki, as dificuldades que se encontra e os erros que muitas vezes cometemos por desconhecimento, por isso mesmo, é um livro acessível, com uma perspetiva de partilha para cada um dos níveis de ensino que temos.

Reiki a Energia Universal

Em primeiro lugar tenho que agradecer a todos os que de alguma forma têm cruzado o caminho de Reiki comigo, quer como alunos, como amigos ou como pessoas que diariamente escrevem com várias questões, isso fez com que o livro ficasse mais rico por responder a situações reais e às dificuldades que todos nós sentimos.

Muitas vezes pensa-se que ensinar Reiki é fácil, mas é absolutamente o contrário. Cada aula é uma aula, cada matéria não é debitada, mas sim apropriada a cada grupo de alunos que são constituídos por pessoas que têm as suas próprias questões de vida. Como Mestres, nunca nos podemos esquecer da missão que nos foi legada pelo Mestre Usui:

A missão do Usui Reiki Ryoho é guiar para uma vida pacífica e feliz, curar os outros, melhorar a sua felicidade e a nossa própria.

Mikao Usui

Ter uma missão destas é assumir uma enorme responsabilidade e assim, todos os dias, querer progredir com a prática, para poder auxiliar da melhor forma possível todos aqueles com quem trabalhamos.

Esta missão também nos lembra que todos temos uma razão para aprender e praticar Reiki, que muitas vezes essa razão vem com um sofrimento e, de uma forma equilibrada, é o que iremos a ajudar a pessoa a ultrapassar. Por isso mesmo o Mestre Usui indicava que era para “a melhoria do corpo e da mente”.

Se és Mestre de Reiki, muitos parabéns e que tenhas sempre força e harmonia para levar o teu trabalho seguindo sempre o propósito da prática.

Se ainda estás a realizar o teu percurso para ser Mestre de Reiki então fundamenta-te bem com os cinco princípios, transforma as tuas questões de vida, verás que irá fazer todo o sentido.

Ficha técnica de Reiki a Energia Universal

Reiki a Energia Universal
Reiki a Energia UniversalTerapias AlternativasJoão MagalhãesEditora NascenteOutubro 2017150 x 230 x 25,5 mm384Editora Nascente

Reiki: A Energia Universal é um guia de apoio para quem quer fazer o percurso completo da prática de Reiki. Apresenta respostas a questões sobre o ensino de Reiki em Portugal, dicas práticas para todos os níveis e sobre todas as matérias, e ainda ensinamentos únicos para mestres de Reiki. Este livro ajuda a compreender a Energia Universal e o Método criado por Mikao Usui, sendo um apoio essencial à transformação e ao desenvolvimento pessoal. Feito à imagem de um curso, é o primeiro livro a nível mundial com indicações sobre como realizar o Reiju.

UM LIVRO INDISPENSÁVEL QUE O AJUDARÁ A:
 
Compreender e preparar uma sintonização entre mestre e alunos;
Organizar uma escola de Reiki;
Ultrapassar as dificuldades comuns de um mestre de Reiki;
Motivar os alunos a praticar;
Explicar aos alunos como fazer autotratamento e as variantes de tratamentos a outros;
Responder e pensar sobre as críticas atuais ao Reiki.

Como programar o Super Reikinho

O Super Reikinho tem sido o herói de muitas crianças, uma enorme ajuda e amigo dos pais e muitos educadores que têm procurado as sessões de Reiki para os seus filhos e alunos.

Um auxiliar da energia que os terapeutas de Reiki usam e que ensinam também os pais que são praticantes de Reiki a usar, é a “programação” do Super Reikinho.

Como trabalhar com o Super Reikinho

Se és terapeuta de Reiki ou se tens o nível 2 de Reiki, podes colocar uma intenção no Super Reikinho. Para os pais que lêem isto, não é nada de estranho, é exactamente a mesma coisa quando damos um ursinho de peluche para a criança dormir melhor. Eu quando era pequenino tinha um ursinho que era o Misha e sentia-me sempre muito protegido à noite quando estava com ele.

Da mesma forma, podemos colocar uma intenção no Super Reikinho, para isso, podes fazer algo do género:

Pergunta à criança qual é a sua intenção ou após a sessão de Reiki falem sobre como pode o Super Reikinho a ajudar;

  1. Liga-te à energia;
  2. Com as mãos no bonequinho, deixa fluir a energia para essa intenção;
  3. Agradece.

Há também quem faça o mesmo com um papelinho, como costumamos fazer no envio de Reiki e coloca na capa do Super Reikinho.

Sílvia Oliveira, Super Reikinho

Trabalhar com o Super Reikinho tem vindo a ser muito positivo e é uma forma das crianças materializarem as suas questões e sentirem o apoio todo que os pais, os educadores e amigos lhes dão.

Contacta a ARCJ e a Sílvia Oliveira, para mais informações.

Como retomar a prática de Reiki com o nível 1

Se aprendeste há muito tempo e pretendes retomar a prática de Reiki do teu nível 1 podes fazer tendo em conta duas perspetivas que te podem ajudar. 1) Iniciares o processo de autotratamento de nivel 1 de Reiki; 2) Pedires ao teu Mestre uma nova sintonização ou iniciares um novo curso.

Retomar a prática de Reiki

Reiki é mesmo algo de muito positivo para nós. Não quer dizer que apenas devemos aplicar a energia quando estamos mal, mas devemos também ter o cuidado preventivo de fazer autotratamento para trazer equilíbrio e harmonia a todo o nosso ser. Vamos então ver as duas formas de retomar a prática de Reiki.

Iniciares o processo de autotratamento para retomar a prática de Reiki

Se já não praticas há algum tempo, mesmo que há anos, a tua percepção da energia poderá estar mais “enfraquecida”, tudo por uma questão de falta de prática e pelo próprio canal energético poder ficar mais “estreito”, pela ausência de um fluxo mais intenso.

Uma boa forma de retomares a tua prática é mesmo pelo autotratamento, para isso, ao longo de 21 dias, podes aplicar o autotratamento como te foi ensinado.

Estas são algumas indicações para retomar a prática de Reiki através do autotratamento, tenta observar sim, como foi indicado pelo teu próprio Mestre pois poderá ser diferente.

  1. Limpeza

    Começa pelo banho seco e enraizamento, é importante o estares no momento presente e também escoares a energia mais densa que possas estar a limpar.

  2. Ligar à energia

    Com as mãos em gassho, deixa a energia fluir para a mente e para o coração, recita os cinco princípios.

  3. Aplicação do autotratamento

    Aplica a energia às posições de mãos que aprendeste e deixa tudo acontecer, sem expectativa.
    Nos tratamentos seguintes, tenta voltar aos conceitos do byosen, para compreenderes como a energia se manifesta nas tuas mãos.

  4. Fecho do autotratamento

    Quando terminares, se sentires que o autotratamento foi muito exigente, volta a fazer o banho seco. Caso não tenha sido, podes terminar com os cinco princípios, deixando-os ecoar em ti.

Sintonização para retomar a prática de Reiki

Poderás pedir ao teu Mestre de Reiki para que volte a fazer a sintonização do nível 1 e depois retomas a prática de autotratamento e regressas às suas aulas, para fundamentares a tua prática.

Caso queiras, podes mesmo iniciar um curso de Reiki, receber novamente a sintonização e começar do “zero”. É claro que um praticante de Reiki numa recomeça do zero, mas se já passou muito tempo e sentires essa necessidade é algo a ter em mente pois já muitas práticas foram redescobertas e a orientação do método pode ser diferente daquele que aprendeste.

A filosofia de vida para retomar a prática de Reiki

Apesar deste ser o último tópico, a filosofia de vida é, sem dúvida, a parte mais importante que deves ter em consideração para retomar a prática de Reiki. O método é mesmo assente num propósito – Guiar para uma vida pacífica e feliz, curar os outros, melhorar a sua felicidade e a nossa própria. Isto era o que indicava o Mestre Usui e, escutando estas palavras, compreendemos o sentido dos cinco princípios. Eles realmente existem para a nossa transformação e elevação da consciência.

Então começa mesmo por aí, regressa a uma prática constante dos cinco princípios, não só os recitando diariamente, mas também compreendendo a importância que eles têm para a resolução das tuas questões de vida.

Os cinco princípios são como uma bússola para a nossa orientação e eles irão trazer-te muitas respostas às tuas muitas perguntas… confia.

Se quiseres ler um livro para te apoiar o teu retomar à prática, posso aconselhar O Grande Livro do Reiki, que é um manual prático para todos os níveis e muito mais.

Uma pessoa tóxica pode não o ser para outros – a perspetiva positiva de Reiki

O conceito de pessoa tóxica significa que é alguém que traz um desconforto, sofrimento, de forma contínua a outra pessoa. É como se sentíssemos que somos um lago límpido e que a aproximação dessa pessoa o contamina, deixa sujo.

Mas o conceito pode estar demasiado limitado e levar-nos a julgar o outro de uma forma que nos traz ainda mais sofrimento. Vamos observar como Reiki nos pode ajudar a compreender uma pessoa tóxica e como também nos pode ajudar a ultrapassar essa dificuldade.

A perspetiva positiva de Reiki sobre uma pessoa tóxica

Muitas vezes na vida surge alguém que, pelas suas características, torna-se uma pessoa tóxica para nós. Parece ser como uma sanguessuga, uma sombra, um parasita, um virus, algo que consome e destrói de forma mais lenta ou rápida a nossa harmonia emocional, mental, física e energética. 

Quando vemos alguém assim, queremos a maior distância possível e consideramos aquela pessoa tóxica como alguém que não pode ser boa pessoa, mas na verdade, não é bem assim, há uma outra perspetiva que poderá trazer-nos maior entendimento e compreensão sobre essa pessoa e a sua atitude.

A prática de Reiki requer uma mudança de consciência para alcançarmos a vida pacífica e feliz que todos pretendemos. Esta mudança ela não ocorre apenas por fazermos o autotratamento ou recebermos Reiki de alguém, mas sim pelo trabalho continuado, diligente e harmonioso dos cinco princípios de Reiki.

Através desta tomada de consciência, compreendemos que uma pessoa tóxica o poderá ser para nós, mas poderá não o ser para outros. Para nós, ela faz-nos sofrer, mas também está em sofrimento. Compreendendo isto podemos perceber que não existe harmonia entre nós porque ambos estão a sofrer.

Se olharmos para esta situação através da sabedoria dos cinco princípios, poderemos ter mais entendimento e menos sofrimento:

  1. Só por hoje sou calmo

    O outro está em sofrimento, sem a minha harmonia, não o entenderei. Sem uma harmonia conjunto, não haverá serenidade.

  2. Confio

    Preciso confiar em mim, porque duvidar de mim faz com que o outro me possa afectar mais. Esta confiança irá promover a minha autoestima.

  3. Sou grato

    Na verdade, que lições tenho a tirar desta situação? Porque esta pessoa surgiu na minha vida e eu na vida dela? O que há a aprender em comum? E individualmente?

  4. Trabalho honestamente

    Será que tenho comunicado o sofrimento que me causa? Tenho-o feito da melhor forma?

  5. Sou bondoso

    Como poderei resolver esta relação com a pessoa tóxica sendo bondoso para comigo e para com todos os envolvidos.

O poema 90, caminho, do Imperador Meiji, também nos ajuda a refletir sobre este tema:

Mesmo se ficares para trás das outras pessoas com quem estavas a ir, não percas o caminho que deves seguir. Quando todos estão a ir pelo mesmo caminho, pensas que estás a ir no caminho certo, mas isso nem sempre é o caso. Então, julga o caminho com cuidado.

Conviver com uma pessoa tóxica, ou que pelo menos nós consideramos tóxica não é fácil, porque como o próprio nome indica ela irá atingir-nos com algo e retirar-nos a harmonia que temos, mas essa pessoa é também uma grande lição para nós, ela na verdade pode ajudar-nos a uma transformação incrível na nossa vida. Aquilo que nos afeta é aquilo que ainda precisa ser trabalhado.

Então, nem sempre o resultado de conviver com uma pessoa tóxica é a cisão, por vezes há uma transformação terapêutica que resulta numa pessoa saudável e numa relação saudável.

O sofrimento precisa ser compreendido e a decisão sobre lidar com esse mesmo sofrimento é de cada um, ninguém poderá dizer por ti o que fazer melhor. Tenta sim o teu melhor e cada decisão que tomes será também a melhor que tens, nesse preciso momento de consciência.

Lembra-te que tu mesmo podes ser considerado uma pessoa tóxica para outrem, apesar de não o considerares ser. A prática de Reiki ensina-nos a olhar para cada pessoa como única, a sua questão é única, o seu percurso terapêutico é único. Mas ajuda-nos também a compreender que tudo está interligado e que o propósito final é a harmonia.

O livro Reiki Guia para Uma Vida Feliz pode auxiliar-te a desenvolver mais a perspetiva da filosofia de vida e a atitude positiva na prática de Reiki.

Sentir a dor dos outros num tratamento de Reiki

Por vezes os praticantes de Reiki têm uma percepção que é sentir a dor dos outros que nem sempre é identificado, ou então é reconhecido e provoca-lhes algum pânico.

Sentir a dor dos outros não é exclusivo da prática de Reiki e qualquer pessoa pode ter condições para que isso aconteça, está muito relacionado com a empatia e com o Chakra do Plexo Solar.

Sentir a dor dos outros

A empatia de sentir a dor dos outros não é um poder ou um dom, é uma característica natural que algumas pessoas têm mais evidente e outras não. Um terapeuta de Reiki ou um praticante de Reiki de qualquer nível, não necessita sentir a dor dos outros para realizar corretamente o tratamento, mas quando isso acontece, é preciso compreender o que é e como lidar com a situação.

Ao sentir a dor dos outros podes ter em mente o seguinte:

  1. Avaliação da empatia

    É importante compreenderes porque sentes empatia por alguém, ou se é algo de inconsciente, porque a tua atenção se espalha tanto?
    Este espalhar de atenção significa que a energia da tua aura está demasiado atenta a tudo o que a rodeia e isso pode levar-te à exaustão ou até a situações de ansiedade.

  2. A condição do teu chakra do plexo solar

    Se há muita ligação poderás estar com alguma questão sobre o teu poder pessoal. Como tem estado o teu Chakra do Plexo Solar?
    Observa o seu comportamento e a tua própria gestão emocional, a forma como te ligas, o que necessitas e os resultados que isso tem na tua vida.

  3. Aplicar o tratamento necessário

    Sentir a dor dos outros é também uma chamada de atenção da energia da outra pessoa. Ela apenas te está a pedir que a ajudes, por isso não tenhas medo. Trata-a. Onde sentires a dor poderá ser o local onde a pessoa está a sentir a dor, ou até poderá ser o reflexo, o espelho, por isso mesmo tem atenção e se te fizeres de “adivinho”, as coisas podem não correr exactamente como esperas. Nada como prestar atenção à energia e indicar “já percebi, já irei tratar”.

  4. Enviar Reiki

    Se não podes tratar a pessoa presencialmente e sentes a sua dor, envia Reiki à distância para ela, se já tens o segundo ou terceiro nível de Reiki. Ou pede simplesmente que a energia flua para a pessoa, para o seu equilíbrio e harmonia.

  5. Terminar a ligação

    Este é um passo muito importante. Tens que cortar a ligação com a pessoa e isso pode ser mentalmente ou então através do teu banho seco.

Sentir a dor dos outros é um processo muito natural e quanto mais compreendido for, mais tu o conseguirás resolver. É por isso mesmo que é necessário ir às aulas de Reiki e trabalhar cada vez mais, para desenvolver entendimento e capacidade.

Como fazer o enraizamento a outra pessoa num tratamento de Reiki

O enraizamento é um conceito energético e uma prática de mentalização que nos auxilia a estar mais conectados à energia da Terra, uma concentração maior no momento presente e o veículo necessário para escoar energia.

Este é um conceito muito interessante para praticantes de Reiki, não só para autotratamento como também no tratamento de Reiki a outros.

O enraizamento quando se aplica um tratamento de Reiki a outra pessoa

Quando estás a aplicar Reiki a alguém, poderá ser interessante fazeres o enraizamento se sentires:

  1. O corpo a abanar;
  2. Absorção da energia densa;
  3. Desconcentração.

Mas a prática é também importante para a própria pessoa que está a receber Reiki, porque há alturas em que é necessária uma circulação e escoamento de energia e tal não acontece por a pessoa estar “bloqueada”.

Podes fazer o enraizamento a outra pessoa de várias formas:

  1. Visualização

    Visualiza o chakra raiz da pessoa e imagina que a energia flui do chakra para os pés. Daqui, a energia vai fluindo em direção ao centro da terra, como se fossem raizes que se vão agarrando e indo cada vez mais fundo, até abraçarem o centro da terra.

  2. Desbloqueio do Chakra Raiz

    Neste passo, vamos tratar o Chakra Raiz da pessoa, começando primeiro com as mãos na bacia, depois passa para os joelhos e, finalmente, para os pés. Em cada um dos passos, imagina a energia do passo anterior a conectar-se com a posição onde estás agora, até conseguir fluir pelos pés por completo.

Fazer o enraizamento a outra pessoa durante o tratamento pode ajudar a desbloquear, descongestionar a energia e promover um fluxo que auxilia na eficácia do tratamento.

Poderás ler mais sobre estes conceitos e aprofundar a teoria através do livro Reiki Guia do Método de Cura.

Reiki Guia para Uma Vida Feliz – 3ª Edição de um manual de Reiki para a Filosofia de Vida

Em 2016 foi editado o livro Reiki Guia para Uma Vida Feliz, um manual de Reiki, para todos os níveis, orientado à estruturação e esclarecimento da Filosofia de Vida, na prática de Reiki.

É um livro composto por 528 páginas e ainda com tanto por dizer, é um manual dedicado à Memória do Mestre Mikao Usui e à Arte Secreta de Convidar a Felicidade. Só tenho a agradecer-te por leres este livro e por apoiares, praticares a filosofia de vida que o Mestre Usui nos legou. Acredito que aos poucos, com a mudança de cada um, muito poderá mudar no que nos rodeia.

O que uma terceira edição de Reiki Guia para Uma Vida Feliz significa

A prática de Reiki em Portugal era muito baseada na terapia, naquilo que se chamava a “imposição de mãos”, o que era um conceito importado e conjugado com outras práticas espirituais, muito ao lado do que realmente Reiki representava e de alguns anos para cá, tem vindo a crescer cada vez mais o sentido profundo do Usui Reiki Ryoho e do trabalho valioso que podemos encontrar na filosofia de vida.

Então, encontramos cada vez mais praticantes a compreender o que são os cinco princípios de Reiki, a levá-los para as suas questões do quotidiano, a usá-los nas suas variadas profissões e ainda a trabalhar o aspecto terapêutico com estes mesmos princípios. Isto representa uma visão cada vez mais clara da nossa prática e um cumprir do que o Mestre Usui indicava que Reiki é “Para a melhoria da mente e do corpo“.

Neste livro, estão também publicados os 125 poemas do Imperador Meiji, que o Mestre Usui escolheu, uma tradução direta do japonês e que nos traz uma riqueza de interpretação em relação a outras traduções. Então, encontramos também um outro sentido para a nossa prática, através da meditação, reflexão, através dos poemas do Imperador Meiji.

Reiki Guia para Uma Vida Feliz está escrito para ti, praticante de qualquer nível ou mesmo curioso pela prática de Reiki, pois irá abordar os vários aspectos do nosso método à luz das indicações do Mestre Usui, Hayashi e Takata, com textos dos próprios que te trarão grande compreensão em todos os âmbitos da prática, como é exemplo da seguinte citação do Mestre Hayashi, médico e oficial da Marinha Japonesa.

Mais ainda, neste livro poderás encontrar também as palavras do Mestre Usui, orientadoras, sobre a Missão do Usui Reiki Ryoho:

Este é um livro que espero que te auxilie a ver Reiki cada vez mais como uma prática transformadora, como um pilar de filosofia de vida, uma entre tantas válidas e que pode estar na tua vida e na vida de todos, para uma vida pacífica e feliz.

Informações técnicas sobre Reiki Guia para Uma Vida Feliz

Reiki Guia para Uma Vida FelizTerapias AlternativasJoão MagalhãesEditora NascenteMarço 2016150 x 230 x 29,5 mm528Editora Nascente

Este é um guia acessível que o ajudará a abrir a sua mente para a aprendizagem e desenvolvimento de novas atitudes. É o livro perfeito para todos aqueles que procuram uma filosofia que lhes permita mudar, crescer e redescobrir a beleza da vida, com Reiki. 
Ao percorrer o caminho que aqui lhe propomos, estará a transformar a mente e o coração, convidando a felicidade a entrar na sua vida. Os métodos apresentados são adequados a qualquer sistema e a qualquer nível de Reiki.
Um livro que inclui:
– Princípios para desenvolvimento da filosofia de vida no Reiki, para todos os níveis;
– Apresentação de métodos de cura;
– Textos e citações de sabedoria de alguns dos maiores mestres de Reiki;
– Explicação sobre o que é a energia e como transformar os chacras;
– Programas de meditação;
– Técnicas para o aperfeiçoamento do corpo e da mente.

Cuidados a ter para tratar as costas com Reiki

Reiki é excelente para tratar as costas, mas por vezes, algumas questões podem fazer sobressair e até intensificar a dor se não forem tidas em conta alguns procedimentos.

A aplicação de Reiki nas costas pode ser logo aprendida no nível 1 de Reiki, como parte do tratamento formal e natural que um praticante pode fazer a familiares e amigos.

O que ter em atenção para tratar as costas com Reiki

Se vais tratar as costas de alguém com a energia universal pergunta sempre à pessoa se tem questões físicas ou a tensão emocional faz com que a parte superior do tronco fique tensa. Desta forma, começarás a compreender o estado das costas, segundo a descrição da própria pessoa.

Depois, lembra-te que poderá ser muito útil perceber onde estão os bloqueios na circulação de energia nas costas, por isso, poderás fazer uma avaliação através do byosen. Presta particular atenção à região do chakra laríngeo e do coccix.

Verifica também o enraizamento da pessoa. Por vezes não faz enraizamento, está num processo de retenção e a energia não escoa. Isso faz com que tenha a energia bloqueada e estagnada no corpo, o que poderá levar a dores nas costas.

A acumulação de energia densa nas articulações também poderá trazer bastante dor.

Se a pessoa tiver hérnias ou algum tipo de dor assente na coluna, será preferível que apliques as mãos no corpo (vestido) da pessoa, perguntando se pode ser ou se não se estará a exercer muita pressão, ou até mesmo pedindo para indicar se houver essa pressão. O toque é preferível pois se a dor for algo do género de “energia eléctrica”, ou seja, uma espécie de energia que está um pouco flutuante e inflamada no corpo, então poderá haver um desconforto para o receptor, isto porque a intensidade da energia das mãos do praticante em contacto com a energia “inflamada” nas costas, poderá dar origem a uma dor. Isto não significa que Reiki provoca dor, mas sim que no processo de tratar a dor na pessoa, poderá surgir este desconforto. 

Então, para minimizar o desconforto, é mesmo preferível que seja feita a aplicação de Reiki com as mãos em contacto com o corpo e não ligeiramente afastadas.

A aplicação de Reiki para tratar as costas é algo de absolutamente extraordinário, mas em algumas situações temos que ter pequenos cuidados.

Page 2 of 123

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén