O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Author: João Magalhães (Page 30 of 107)

Como pode um Mestre de Reiki ajudar na profissionalização terapêutica

As funções de um Mestre de Reiki nem sempre são muito evidentes pois não se ficam só por transmitir os conhecimentos sobre os vários níveis de Reiki, mas também muito por auxiliar no desenvolvimento pessoal, capacitação e mesmo profissionalização terapêutica do seu aluno. Estes são novos contextos que temos que ver à luz destes tempos.

A ajuda de um Mestre de Reiki na profissionalização terapêutica

Pensar na profissionalização implica muitas vezes repensar até toda a forma como o curso total está feito. É importante compreender que não há formas certas ou erradas, cada um tem a sua própria forma, mas temos que pensar na capacitação da pessoa e lembrar que Reiki irá actuar no campo holístico da saúde da pessoa, o que implica responsabilização.

Observa os textos seguintes apenas como uma reflexão. É através da partilha de vivências que todos crescemos.

O curso de Reiki

Precisamos de tempo para aprender, precisamos de tempo para integrar, precisamos de tempo para praticar, precisamos de tempo para experimentar.

É claro que mal acabamos o nível 1 de Reiki, podemos já pensar no nível 2 de Reiki… eu pensei, estava completamente entusiasmado, mas felizmente fui forçado a aterrar e a cumprir tempo de trabalho e crescimento. Isto permitiu-me compreender a necessidade de ter tempo para crescer. Mesmo ao longo do tempo fui refazendo a estrutura dos cursos para que eles pudessem ter mais tempo de prática, para que pudesse proporcionar mais crescimento, vivência e maturidade.

Dicas para os cursos

  • Proporcionar mais tempo de consolidação de saberes;
  • Ter mais práticas;
  • Observar com maior profundidade a teoria;
  • Verificar o crescimento pessoal e transformação na vida através da filosofia de vida.

A prática terapêutica

O que vamos percebendo ao longo do tempo é que a relação terapeuta/paciente não surge num só dia ou num curto espaço de tempo então, como Mestres de Reiki, temos também que dar esse período de preparação ao nosso aluno, isso será muito positivo para ele e muito positivo para quem vá receber Reiki dele, futuramente como profissional.

Formas de proporcionar prática terapêutica:

  • Partilhas exclusivas por nível;
  • Promover o voluntariado;
  • Estágio para tratamento terapêutico com uma pessoa só, para observar a sua evolução.

A recomendação

Todos sabemos que Reiki é para todos, todos o podem praticar. Uns terão mais tendência para determinado tipo de tratamentos, outros até apenas “só” para animais, outros para crianças. Há todo um universo incrível onde Reiki pode auxiliar os outros, mas surge a questão – todos estarão capazes?

A reflexão que fica é, em quem confiarias para receber uma sessão de Reiki? Que alunos recomendarias idoneamente para fazer consultas de Reiki? Uma boa forma de o descobrir é pensar se se gostaria de receber Reiki dele. Isto faz-nos rever a forma como preparamos.

Preparar para uma recomendação profissional

  • O aluno compreender como o Reiki flui através de si e de que forma o deixa fluir para a pessoa;
  • O seu autocuidado diário, mantendo os níveis energéticos ideais;
  • O entendimento de como fazer Reiki a outros, para os mais diversos casos e também dentro de uma ética profissional.

A filosofia de vida

A filosofia de vida no Reiki é muito importante para todos nós e, sem dúvida, que irá auxiliar imenso o futuro profissional até mesmo como a levar até aos outros para o seu bem-estar e transformação pessoal, por isso mesmo vale a pena trabalharmos os princípios e tudo o que representa a filosofia de vida.

Dicas para a filosofia de vida

  • Observar as questões de vida através dos cinco princípios;
  • Reflectir com os poemas do Imperador Meiji;
  • Compreender a compaixão e o amor incondicional.

pratica os principios pratica reiki - 2016

Precisa mesmo de ser longo, o caminho de um praticante de Reiki que quer cuidar da saúde holística dos outros. Ele precisa de saber cuidar-se a si mesmo, precisa compreender a sua ligação com a energia e de que forma ser um canal e também um terapeuta. Reiki é a arte secreta de convidar a felicidade.

E se te enganares num símbolo de Reiki

Por vezes enganamo-nos a desenhar ou colocar um símbolo de Reiki no autotratamento ou mesmo em tratamento a outros. Por vezes poderá acontecer também até em meditação.

Podemos enganar-nos num símbolo por várias razões:

  • Estavamos desenraizados ou não muito focados no que estavamos a fazer;
  • O local precisa de outro símbolo que não aquele que pensamos ser o melhor.

Quando nos enganamos no símbolo de Reiki

Se numa situação de autotratamento, tratamento a outros ou meditação te enganares no símbolo, podes fazer umas experiências muito giras. Por exemplo:

  • Querias desenhar o Chokurei e desenhaste o Seiheki. Experimenta agora desenhar o Seiheki e ver se faz sentido, se encaixa;
  • Querias desenhar o Chokurei, desenhaste, mas disseste o mantra do Seiheki, por exemplo. Experimenta voltar a desenhar o Chokurei e a dizer o seu mantra, se te enganares outra vez ou antes tiveres vontade de usar o Seiheki, é porque é para usar o Seiheki.

Com estes pequenos exemplos conseguimos compreender que a prática de Reiki não é linear e que sempre requer prática. A prática traz-nos a sabedoria da experimentação e da vivência. Sente como a energia quer fluir e tudo fará sentido.

Pode fazer-se Reiki em ossos partidos

Se conheces alguém que partiu uma perna, braço, ou outros ossos partidos, aplica Reiki. A aplicação de Reiki em ossos partidos auxilia à maior rapidez do processo de cura.

Reiki em ossos partidos

Se estiveres a acompanhar uma pessoa que acabou no momento de partir um osso ou se viste alguém num acidente imediato, em primeiro lugar tem que se chamar os serviços médicos. Depois, podes enviar ou fazer Reiki à pessoa. Não coloques as mãos em cima do local ou perto, para que não haja mais alguma infecção ou para até o calor do Reiki não provocar dor na pessoa, pois poderá acontecer.

Não te preocupes porque o osso não vai colar no momento, nem os vasos vão fechar, tudo isso demora muito mais tempo, devido ao traumatismo sofrido. No entanto, Reiki irá auxiliar a aliviar a dor da pessoa, a diminuir a inflamação, o traumatismo, os hematomas e mesmo a ajudar o trauma emocional.

Ao fazeres Reiki em ossos partidos mesmo já tendo passado algum tempo, verifica sempre que a energia flui pela pessoa e não fica bloqueada em lado algum. Por exemplo, se estás a tratar da perna, verifica que a energia flui e sai pelo pé. Esta técnica irá ajudar a sarar mais rapidamente pois há uma reciclagem de energia. Caso seja no braço ou mão, verifica que a energia também sai pela mão e pela ponta dos dedos. Ao fazeres esta aplicação de energia assim, não só Reiki flui por todo o corpo, mas também ajuda a desbloquear qualquer tipo de bloqueio e parte inflamada.

Adormeces no autotratamento Reiki – não te preocupes!

Se costumas adormecer ao fazer o teu autotratamento Reiki, não te preocupes, isso é normal e até é bom. Adormecer no autotratamento indica que encontraste harmonia e relaxamento, que a energia ajudou-te a teres paz interior e conforto.

Adormecer no autotratamento Reiki, como continuar?

Os 21 dias de autotratamento representam um período de mudança, harmonia e crescimento. Este crescimento representa a tua capacidade de te autocuidares, sentires a energia e elevares a consciência com os cinco princípios.

No caso de adormeceres, não há problema algum. Geralmente acontece no chakra cardíaco ou no plexo solar. Não te preocupes.

No dia a seguir, voltas a fazer de novo. Se adormeceres, no outro dia, começa pela posição onde adormeceste. Assim poderás fazer todas as posições e perceber onde o teu corpo possa estar em desequilíbrio.

Um truque para te manteres acordado é não te deixares ir com o fluxo da energia, para o interior do corpo. Podes também inspirar com um pouco mais de intensidade, para que o ar se renove e a respiração não baixe tanto. Mas se adormeceres, não tem problema algum.

É claro que o autotratamento requer disciplina, mas também alegria e discernimento com a prática.

Não tem também problema algum parares um dia ou dois para tentares perceber o que se passa contigo, sem fazeres autotratamento. Praticar Reiki vale a pena!!!

Mapa A3 de autotratamento Reiki

Mapa A3 de autotratamento Reiki

Os chakras desalinhados e o que isso quer dizer

Quando alguém te disser tens os chakras desalinhados – não te preocupes, não é o fim do mundo, nem estás com nenhuma doença grave.

Os chakras são os nossos centros energéticos, eles funcionam como receptores e emissores de energia, cada um deles numa frequência muito própria que será transmitida às partes correspondentes do corpo físico, mental e emocional.

chakra-colors-2

O que são os chakras desalinhados

Sempre que nos deparamos com situações mentais, emocionais ou físicas, tal afecta os nossos chakras e eles tornam-se desalinhados, desequilibrados. É simples compreendermos isto, vamos tomar o plexo solar como exemplo. Este chakra tem a ver com o nosso poder pessoal e com a gestão de emoções, entre muito mais. Se eu ficar preocupado com uma situação, ansioso, se perder a minha auto-confiança, então o chakra fica mais débil e “desalinhado” ou mais correctamente, desequilibrado.

Desalinhado significa que não está em linha com o padrão normal que todos os chakras deviam ter. Tendo em conta a nossa vida social de hoje em dia, é muito fácil compreender que possivelmente 99% das pessoas tem os chakras desalinhados pela exigência do nosso dia-a-dia. Por vezes estamos com falta de ideias, ou estamos demasiado fechados ao mundo das ideias – é o chakra da coroa que está em desequilíbrio ou falta-nos a criatividade do chakra esplénico. Por vezes os nossos pensamentos andam a torturar-nos, ou temos visões pessimistas da vida, é a terceira visão e o chakra laríngeo que estão desequilibrados. Se andarmos muito com a cabeça no ar, ou com medos, poderá ser o chakra raiz e por aí fora. São inúmeros os exemplos que nos mostram que, possivelmente, ao longo do dia, podemos ter algum desequilíbrio em um ou mais chakras. É por isso mesmo que quando alguém diz que se tem os chakras desalinhados não há uma constatação de algo muito errado na pessoa, é algo comum e normal.

Como alinhar os chakras

Acima de tudo será o teu comportamento, fruto da tua consciência, que irá modificar e alinhar os chakras. Além disso, poderás praticar várias disciplinas que te irão ajudar a estar com a energia mais equilibrada:

  • Autotratamento Reiki;
  • Reflexão nos cinco princípios;
  • Meditação;
  • Caminhada;
  • Yoga;
  • Chi Kung ou Tai Chi…

O importante é termos a consciência de como estamos, tentarmos ultrapassar as nossas questões pessoais e caso não o consigamos, encontrar a ajuda de algum especialista. Tenta também estar mais com a natureza, sentir e observar a vida, isso poderá trazer-te muito entendimento e equilíbrio.

Manual de Reiki para invisuais

A Associação Portuguesa de Reiki desenvolveu um Manual de Reiki para apoio a invisuais. É um manual de Reiki nível 1, simplificado de forma a poder ser lido pelo computador, sem imagens e também simplificado para se poder enquadrar em todos os sistemas de Reiki.

É um manual sem pretensões, apenas se deseja auxiliar da melhor forma possível os Mestres de praticantes invisuais ou, individualmente os invisuais que pratiquem Reiki.

Caso tenham propostas de melhorias ou o possam passar para Braile, por favor, contactem-nos.

Os associados, podem aceder ao manual, na nossa biblioteca de Reiki online…

A contenção de energia vital

A energia vital é aquela que é parte integrante de cada um de nós e que vamos recolher às energia que nos envolvem, como por exemplo a energia do céu, da terra e mesmo alimentos, sentimentos, etc… Os nossos chakras servem para captar essa energia vital, nas suas várias frequências e enviá-la para os locais correspondentes nos nossos vários corpos. Em japonês, chama-se a essa energia, o Ki.

Podemos dizer que a energia vital permeia-nos completamente e que o seu esgotamento ou debilidade, traz-nos desequilíbrio, o que leva à doença. Assim, precisamos ter em atenção alguns aspectos para observarmos a contenção e manutenção da nossa energia vital.

O que pode contribuir para a nossa desvitalização:

  1. Chakra da coroa bloqueado – a energia que vem de cima não consegue entrar;
  2. Chakra raiz bloqueado – não há um escoamento para a Terra, a energia pode ficar parada, não absorvemos energia da Terra;
  3. Emoções – as emoções negativas podem fazer-nos perder energia, o desejo e o apego também;
  4. Pensamentos – o excesso de pensamentos, os pensamentos repetitivos, pode fazer perder energia vital;
  5. As ligações – quando estamos ligados a demasiadas pessoas e situações, por exemplo com preocupação, apego, desejo, etc…
  6. Energia Sexual – o desperdício da energia pode trazer desvitalidade e instabilidade emocional. Esta energia é diferente de pessoa para pessoa e de homem para mulher;
  7. Desequilíbrio alimentar – uma alimentação desequilibrada pode não nutrir a energia suficiente para a nossa vitalidade;
  8. Energia transmitida pelos pais e antepassados – A energia que retemos dos nossos pais ou antepassados pode influenciar-nos.

Como conter a energia vital

Na prática de Reiki podemos sempre ter em atenção as seguintes técnicas:

  • Autotratamento – promover o equilíbrio energético;
  • Cinco princípios – melhoria da mente e das emoções;
  • Joshin Kokyu Ho – reciclagem e acumulação da energia (pelo menos 15 a 30 minutos);
  • Banho seco – para cortar ligações desnecessárias e excesso/acumulação de energia densa;
  • Nentatsu – irá ajudar a mudar os hábitos negativos;
  • Enraizamento – para promover a ligação à terra e a descarregar energia densa;
  • Tratamento dos chakras individualmente – irá ajudar ao seu equilíbrio;
  • Fecho do circuito energético – Colocar a língua no palato e contrair o ponto hui yin, para acumular e limpar energia.

Sobre a última técnica, ela não pertence bem ao Reiki, mas pode ser bastante interessante para compreendermos o que se passa com a energia dentro de nós. Experimenta fazer o seguinte:

  1. Centra-te no tanden;
  2. Aperta o períneo, para fechares o ponto hui yin;
  3. Traz energia para dentro de ti e sente o que acontece com ela em todo o corpo;
  4. Expira;
  5. Faz o mesmo, contraindo o períneo e colocando a língua no palato;
  6. O que aconteceu à energia?
  7. Expira, soltando o períneo e a língua, o que aconteceu?

Esta técnica pode ser um grande truque para os Mestres de Reiki.

Manter a nossa vitalidade é muito importante e devemos compreender por onde perdemos energia, que pensamentos e hábitos negativos nos fazem perder a energia. Desta forma, a nossa energia vital será muito maior e de melhor qualidade.

Respiração violeta ou respiração do fogo violeta

A técnica da respiração violeta é muito usada em sistemas de Reiki como o Tibetano e outros de origem comum a ele ou ao essencial. Não é uma prática comum nos sistemas japoneses. A técnica da respiração violeta serve para potenciar a intensidade da energia libertada, transmitida à pessoa, principalmente numa sintonização de Reiki desses sistemas.

A respiração violeta ou respiração de fogo violeta

O uso da energia violeta é uma prática muito comum em vários grupos ou disciplinas de carácter energético. A frequência da energia violeta é a mais alta, dentro do espectro luminoso, como parte da difracção da luz. Ela serve como energia transmutadora, curadora do campo espiritual ou mesmo como elevação da consciência.

Auxilia, para o praticante, a iluminar o seu corpo energético e também a promover o fluxo da sua energia vital.

Introdução à técnica da respiração violeta

Existem várias formas de o fazer, observa o que fará sentido para ti. Uma das formas é iniciar a passagem de energia com uma luz branca, que depois passa a azul e depois a violeta. Eu irei introduzir esta técnica apenas com luz violeta. Aconselho a que experimentem também a técnica iniciando com a luz branca.

  1. Liga-te à energia, promovendo também o teu enraizamento;
  2. Visualiza uma grande energia violeta por cima da cabeça;
  3. Traz essa energia para dentro do teu corpo, ao inspirar, descendo pela frente do corpo, indo do chakra da coroa à raiz;
  4. Visualiza a energia a subir pelas costas, novamente até ao topo da cabeça;
  5. Coloca a língua no palato e contrai o períneo, onde está localizado o ponto hui yin;
  6. Expira ou mantém a respiração presa;
  7. (Agora tens o circuito energético fechado);
  8. (Se usaste a energia branca, visualiza-a agora a tornar-se azul e depois violeta);
  9. Visualiza dentro da tua boca o quarto símbolo de Reiki, dizendo interiormente o seu mantra três vezes;
  10. Quando sentires o símbolo bem cheio dessa energia, podes soprá-lo.
  11. Se quiseres usar a técnica só para ti, visualiza o símbolo a percorrer todos os teus chakras, limpando-os;
  12. Quando quiseres, expira, solta a língua do palato e solta o ponto hui yin.

1_15_12-pain-how-feel

Podes ir fazendo várias inspirações e expirações mas lembra-te sempre de manter o períneo apertado e a lingua no palato.

O abraço no Reiki

Há um grande historial do abraço no Reiki e vemos muitos praticantes de Reiki a darem abraços. O abraço pode ser curador, ajudando a ultrapassar as dificuldades emocionais, pode ser uma demonstração de afecto ou um cumprimento “de coração para coração”.

Na generalidade e com bom senso, o abraço pode ser uma boa forma de ajuda e de cumprimento. No entanto, o abraço pode também trazer desconforto e é mais sobre esse aspecto que me irei debruçar.

Nem todas as pessoas ou praticantes de Reiki gostam de abraços. Isso pode ser pelas mais diversas razões e não nos diz a nós respeito o porque. Então precisamos compreender o que o abraço poderá trazer, em várias situações:

  • Quando estamos rodeados de muitas pessoas, abraçar uma pessoa em particular e não abraçar outras que também são próximas. Outros poderão sentir que não fazem parte desse “carinho” especial (se bem que tal pode não ser verdade);
  • Abraçar uma pessoa sem lhe perguntar se podemos abraçar poderá criar um grande constrangimento. A pessoa poderá não gostar de abraços. Nestes casos precisamos compreender o espaço de cada um e a sua própria forma de estar na vida. Em caso algum se deve forçar essa situação ou então até expor que a pessoa não gosta de abraços. Assim, se houver dúvidas, é preferível não abraçar;
  • Um abraço curto pode ter significado, um abraço demasiado longo poderá ser desconfortável;
  • Os Mestres de Reiki precisam também ter cuidado com o abraço, principalmente os que são homens pois quem observa poderá sempre considerar outras coisas, então, nada como evitar situações constrangedoras.

5977aea84f36dbd4ac2bf73bee203225

Estes pontos servem para tomarmos consciência sobre o abraço. É bom abraçar e ser abraçado, mas também temos que ter alguma reserva, sensibilidade e atenção sobre isso. Lembrem-se sempre, num conjunto de pessoas, só abraço uma, e as outras? Por vezes o coração está sensível e ressente ainda mais com essa questão.

Uma boa alternativa ao abraço de peito com peito, (que pode ser constrangedor principalmente de homem para mulher) é usar o abraço no ombro. Acima de tudo, o afecto, a bondade, o amor incondicional entre as pessoas, nem sempre precisa de uma manifestação como o abraço, se bem que por vezes é curador.

Este é daqueles tópicos pelos quais vale mesmo a pena observar a vida e os que nos rodeiam. Cada um tem uma resposta própria para esta questão.

O caderno de Reiki e um acto de compaixão

O caderno de Reiki é uma parte do Enkaku Chiryo, a técnica de envio de Reiki à distância que aprendemos no segundo nível de Reiki, o Okuden.

Este caderno de Reiki pode ser uma boa forma de realizares actos de bondade, de compaixão. Por exemplo, se tiveres amigos que necessitem de ajuda, ou de tratamento à distância, esta é uma boa ferramenta para usares.

Caderno de Reiki - envio de reiki à distância

Como fazeres o teu caderno de Reiki

Podes escolher um caderno qualquer, ou mesmo fazer o teu próprio, para realizares esta técnica. Se quiseres, podes colocar na contracapa ou na primeira página os símbolos de Reiki que tens, sempre do último para o primeiro. São várias as formas de fazer esta técnica de Reiki, por isso partilho uma que pode não ser a melhor ou a mais eficiente. O que funcionar melhor para ti, será a melhor técnica:

  • Escreve o nome da pessoa que necessita de Reiki à distância;
  • Por baixo escreve a intenção: Que flua Reiki, para o seu Bem Supremo, para tratar/ajudar…
  • Desenha os símbolos, dizendo os seus mantras, do terceiro para o primeiro ou do quarto para o primeiro caso tenhas o nível 3;
  • Sempre que queiras enviar Reiki, basta colocares as mãos sobre o caderno e deixar fluir Reiki.

Há quem goste de colocar as duas mão sobre o caderno, há quem goste de ter o caderno entre as mãos. Não te esqueças de te ligares à energia, colocando a tua intenção para que a energia flua, desenha na mão os símbolos ou apenas visualiza, dizendo sempre o seu mantra.

Quando a pessoa já não precisar desse envio de Reiki, podes sempre riscar no caderno, caso queiras.

Se durante o envio de Reiki sentires que é preciso desenhar, visualizar algum símbolo ou símbolos, fá-lo. Não é preciso concentrares-te em ninguém, deixa apenas a energia fluir. Podes ler mais no livro Reiki Guia para uma Vida Feliz…

Porque já não nos importa aquilo que alcançamos no caminho para a felicidade e paz duradoura

Um praticante de Reiki segue o caminho da Arte Secreta de Convidar a Felicidade. Ao longo desse caminho, vai tendo uma percepção das coisas que não estão bem em si, da interligação com os outros, do próprio caminho do mundo. O praticante, compreende que ele faz esse caminho para encontrar a felicidade e a paz duradoura, que isso é o que há de mais valioso, precioso e humano. Ao procurarmos a felicidade, correctamente, estamos num caminho de despertar, elevação da consciência, iluminação.

Ao longo do nosso crescimento, teremos vários momentos de consciência. Por vezes teremos gosto em apreciar o nosso crescimento e principalmente que os outros o apreciem. Não é errado e faz parte, é uma lição. Depois, começamos a ter o entendimento correcto que não precisamos da necessidade de ter apreciação e louvor por parte dos outros. O Sutra do Diamante, um texto budista, tem uma interpretação muito interessante deste aspecto, relatada por um dos dez discípulos principais de Buda, cujo nome é Subhuti, cujo nome significa Boa Existência e que se tornou um perito em compreender o vazio.

Subhuti, o que pensais, pode um santo dizer a si mesmo ‘eu obtive a perfeita e completa iluminação?’”. Subhuti diz “não, honrado pelo mundo, porque não há nenhuma condição tal como perfeita iluminação. Se um santo de perfeita iluminação disser ‘eu sou perfeitamente iluminado’, ele necessariamente participaria da ideia de uma ego entidade, um ser ou uma individualidade separada”. Vajracchedika Sutra

Este conceito vai de acordo com o interser, com todos estarmos interligados e “dependentes” uns dos outros, de todas as coisas, não havendo uma necessidade de destaque, por parte própria, em relação aos outros. Por exemplo, um Mestre de Reiki pode querer destacar-se de um outro praticante, indicando-se como Mestre de Reiki, mas não se reconhecendo como tendo o nível 3 de Reiki. Subhuti continua o seu discurso e ajuda-nos a compreender melhor o desapego e a iluminação:

Honrado pelo mundo [diz Subhuti], quando Buda declara que eu sobressaio entre os homens santos na yoga da perfeita aquiescência, na atitude recolhida e na superação das paixões, eu não digo para mim mesmo ‘eu sou um santo de perfeita iluminação, livre de paixões, honrado pelo mundo’, se eu dissesse para mim mesmo isso, vós não poderias declarar: ‘Subhuti encontrou felicidade abrigando-se na paz em reclusão, no coração da floresta’. É por isso que Subhuti não reside em lugar nenhum, portanto ele é chamado ‘Subhuti: o feliz, abrigado na paz, residente na reclusão da floresta'”

É por isso mesmo que existem muitas pessoas que são iluminadas e ninguém as conhece e, numa postura natural da sua vida, não lhes faz qualquer sentido dizer que estão acima de algo, ou que alcançaram algo, tanto que o que alcançaram faz parte de todos e na verdade, o seu desejo é encontrar a mesma condição em todos os seres.

Esta história ajuda-nos a compreender que no Reiki não há uma verdadeira importância nos níveis. Eles representam técnica, prática e crescimento, mas a nossa atitude poderá não honrar o que cada um desses níveis representa. É por isso mesmo que tudo é uma certa aprendizagem e que essa mesma nos aproxima cada vez mais do entendimento de uns e de outros, para termos em nós mesmos felicidade e paz, para que as possamos levar aos outros.

A intenção e o desejo na prática de Reiki

Na prática de Reiki podemos colocar uma intenção para o fluxo da energia. A intenção tem a ver com um pedido que é feito à energia, para que ela flua para determinada situação, auxiliando o Bem Supremo da pessoa ou pessoas envolvidas. Esta intenção vem do mesmo conceito que diz que “onde está o teu pensamento, está a tua energia”. Assim, a intenção ajuda-nos a fixar no objectivo e a não divagar, assim como proporciona um caminho possível à energia, sabendo que existem muitos e até aqueles que nem sequer conseguimos perceber.

A intenção e o desejo na prática de Reiki

Quando colocamos a intenção, naturalmente estamos a ter um desejo. Logo à primeira vista poderá alguém pensar que esse desejo leva a apego e sabemos que o apego leva ao sofrimento. Se aprofundarmos mais o conceito de desejo, compreendemos que é uma vontade transversal em todos os campos da nossa vida e não apenas de algo relacionado com sobrevivência ou prazer (apegos). Ou seja, podemos e temos desejos que são positivos e construtivos. O desejo é um impulso, uma visão de alcance, uma vontade. Assim como temos bons e maus pensamentos, temos bons e maus desejos. Assim como a nossa mão pode fazer um gesto obsceno, a mesma mão pode ajudar uma pessoa. Tudo faz parte de nós e é a nossa consciência que faz funcionar da melhor forma tudo aquilo que somos.

Assim, toda a intenção tem um desejo por detrás. A diferença está no tipo de desejo que temos. Se tivermos apego no resultado, algo que faz parte da nossa vontade normal de querermos que a pessoa fique bem, poderemos não estar a ter o melhor dos desejos. Apesar de ser bom desejar o bem aos outros, se nos apegarmos podemos sofrer e criar sofrimento.

Como gerar uma intenção com um desejo positivo, na prática de Reiki

Quando colocares a tua intenção, lembra-te sempre que o resultado final não depende de ti. O resultado deve ser sempre o melhor para a pessoa, dentro das condições que ela mesma cria. Tu és também uma dessas condições e por isso mesmo deves estar na melhor condição possível para que Reiki flua para a pessoa. O teu desejo positivo é que a energia flua, se tal for possível, para aquilo que é melhor para a pessoa, sem te apegares ao seu resultado final.

É neste sentido que muitos falam no aspecto de o praticante de Reiki ser “apenas um canal”. Ou seja, através dele passa a energia, mas para todos os efeitos não será ele o responsável pela possível cura da pessoa. Faz sentido, desde que tal não seja uma forma de laxismo ou desresponsabilização do conhecimento, saber, experiência e condições óptimas para praticar Reiki nos outros.

A intenção é precisa, o desejo faz parte. Todos temos um grande desejo, o de alcançar a felicidade, o de ver os outros sem sofrimento. É um grande desejo positivo que aprendemos com uma mente vazia e um coração preenchido. Assim compreendemos o que é o desejo positivo.

Os quatro votos do bodhisattva

Vamos observar, dentro da filosofia oriental, os quatro votos do Bodhisattva, que apesar de não estarem relacionados com o Reiki nos ajudam a compreender a mentalidade oriental:

shujō muhen sei gan do 衆生無邊誓願度
bon-no mujin sei gan dan 煩惱無盡誓願斷
ho mon muryō sei gan gaku 法門無量誓願學
butsu do mujō sei gan jo 佛道無上誓願成

Os seres sencientes são inúmeros; Eu comprometo-me a salvá-los a todos.
Os desejos são inesgotáveis; Eu comprometo-me a por um fim a eles.
Os dharmas são ilimitados; Eu comprometo-me a dominá-los;
O caminho de Buda é inultrapassável; Eu comprometo-me a alcançá-lo.

Assim como o Bodhisattva pretende desapegar-se do desejo, também o Bodhisattva deseja libertar do sofrimento todos os seres sencientes. E é isto o desejo. Por um lado temos o apego, que será negativo ou trará condições negativas e por outro o desejo, a vontade, o compromisso para algo que é bom, desapegado, que trará condições positivas.

download

 

Reiki para a dor de dentes

Ao irmos arrancar ou tratar a higiene oral podemos ficar com dor de dentes ou com uma dor generalizada na boca. Também podemos usar Reiki para tratar dessas dores e desconforto.

Reiki para a dor de dentes

Caso tenhas o nível 2 de Reiki, podes usar o Seiheki para auxiliar na purificação e harmonização de toda a área afectada. Podes imaginar o símbolo como sendo energia refrescante, que vai arrefencendo, limpando e diminuindo toda a dor. Ao fazer o autotratamento, tens apenas em atenção que se a mão aquecer, pode fazer doer a zona inflamada, por isso podes querer afastar, caso seja essa a situação.

Podes também limpar toda a parte da aura da zona onde se sente a dor de dentes ou onde há um inchaço. Isto irá ajudar a eliminar a inflamação ao nível energético.

Outra técnica interessante é imaginar que existe uma espécie de enraizamento da zona de dor, como se estivesse a sugar todo o excesso de energia e dor, para a Terra.

Como libertar o excesso de energia e calor interior

Por vezes temos um excesso de energia e mesmo calor interior no nosso corpo. Quando esse excesso se torna incomodativo, precisamos mesmo ser capazes de o libertar.

O excesso de energia ou calor pode vir de situações como:

  • Ingestão de demasiado sal;
  • Situação de raiva;
  • Alguma emoção pode despoletar um excesso de actividade interior;
  • Nervosismo;
  • Desejo;

Na prática de Reiki podemos também encontrar esse excesso de energia quando estamos a fazer Reiki a outra pessoa. Parece que ela “pede” muita energia e então muita energia circula por nós aumentando o nosso calor e activando-nos em “demasia”.

Em qualquer situação que haja um excesso de energia podemos sempre realizar o enraizamento:

  • Visualiza o teu chakra raiz;
  • Imagina que vão dois tubos muito grandes pelas pernas, que passam pelos pés e entram na Terra;
  • Imagina esse excesso de energia a escoar-se para a Terra, ao mesmo tempo que Reiki flui para ti.

Poderás também ter que afastar um pouco as mãos do local, se for o caso de um tratamento a outros ou a ti mesmo.

Esta técnica de enraizamento funciona também quando existem outras razões para estarmos com excesso de energia ou calor interior.

Se a questão for por nervosismo, o ideal é começar a realizar a meditação gassho, com a concentração no tanden.

 

Halu

Meditação com o Halu para tratamento de padrões negativos

O Halu é o segundo símbolo do Karuna, que se aprende no nível 1. Ele serve para trabalhar os padrões do inconsciente, dissolver a negatividade, proteção, desbloquear a energia, trabalhar aspectos sexuais , melhorar a negatividade e os padrões negativos, além da protecção.

Podes usar o símbolo em meditação para resolver as tuas questões sobre padrões, situações negativas até mesmo questões que tenhas tido no âmbito sexual. É para isso mesmo que podemos usar a meditação com o Halu.

Meditação com o Halu para tratamento de padrões negativos

  • Senta-te confortavelmente;
  • Liga-te à energia karuna e deixa-a percorrer todo o teu corpo;
  • Enraiza-te
  • Visualiza um Halu na palma da mão esquerda e outro na palma da mão direita, sempre recitando o seu mantra três vezes;
  • Lembra-te da situação que queres resolver e pede para que a energia flua para a sua resolução, para o bem supremo de todos;
  • Visualiza um Halu na terceira visão;
  • Imagina um grande Halu à tua frente, bem grande e “senta-te” no interior da sua pirâmide;
  • Deixa a energia fluir;
  • Se te forem surgindo situações ou aspectos dessa situação, deixa a energia fluir para elas;
  • Quando terminares agradece e faz o banho seco.

Page 30 of 107

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén