O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Autor: João Magalhães Page 1 of 126

Reiki para problemas de circulação

Os problemas de circulação sanguínea devem ser vigiados por um médico e podes tratá-los, de forma complementar, através da prática de Reiki.

Além disso, não te esqueças da hidratação, exercício e alimentação, que também poderão ajudar nos teus problemas de circulação sanguínea.

Exercícios de Reiki para problemas de circulação

Através da seguinte imagem, poderás ver algumas posições a reforçar o teu autotratamento ou mesmo tratamento a outros.

Tratamento Reiki para problemas de circulação

Para compreenderes melhor os teus problemas de circulação, poderás seguir estes passos:

  1. Byosen

    Começa por colocar a intenção de querer tratar os problemas de circulação e depois realiza a técnica byosen, para ires compreendendo o que possas ter como bloqueio ao fluxo da energia.

  2. Autotratamento

    Aplica o teu autotratamento regular com mais incidência sobre as áreas onde sentiste que o byosen indicava necessidade de tratamento.

  3. Reforço do Chakra Cardíaco

    Adicionalmente, está mais tempo a trabalhar o Chakra Cardíaco, visualizando, a partir dele, toda a energia a fluir para todo o corpo.

  4. Trabalhar os problemas de circulação nas mãos

    Também adicionalmente aplica mais Reiki nos antebraços, como indicado na imagem.

  5. Trabalhar os problemas de circulação nas pernas

    E também a partir do Chakra Raiz, coxas, joelhos, canelas, tornozelos e pés.

Tratar os antebraços irá, muito possivelmente, ajudar-te a observares melhorias na má circulação nas mãos, por isso persevera e podes até mesmo aplicar nessas posições várias vezes por dia.

Meditação da mente vazia, fluxo de energia e jardim do coração

Esta é uma meditação guiada que muito facilmente te poderá ajudar a compreender o estado da mente vazia (ou não), de como está o fluxo de energia pelo teu canal energético ao longo de todo o corpo, assim como a condição energética do teu Chakra Cardíaco, representado como “jardim do coração“.

Esta meditação e muitas mais, poderás encontrar no livro Reiki, Meditação e Consciência.

Como enviar Reiki para situações que nos cansam

Há momentos no dia em que nos sentimos exaustos, parece que existem determinadas situações que nos cansam e nem sempre nos apercebemos sequer delas.

A prática de nível 2 de Reiki poderá auxiliar-nos a lidar, em determinada perspetiva, com este tipo de cansaço.

As situações que nos cansam e como enviar Reiki para o nosso equilíbrio

Se há algo que por vezes nos esgota ou situações que nos cansam, não podemos deixar que a nossa vida fique parada por conta disso. O nosso propósito de vida, porque vivemos, não é para estarmos esgotamos inconscientemente, mas sim para resolvermos diligentemente as questões e assim podermos construir uma vida mais pacífica e feliz.
Desta forma, vamos tentar trabalhar a situações que nos cansam da seguinte forma:

  1. Perceber a rotina e o que acontece

    Quando surge esse cansaço imediato, alguma coisa aconteceu. Um pensamento, um desconforto, uma emoção. Qualquer coisa se passou e precisas identificar claramente o que foi. Por isso, na próxima vez que sentires que te estás a esgotar ou que há uma situação que te cansa, tenta perceber onde e de que forma ela se manifesta em ti. Isso será importante para poderes tratar de imediato.

  2. Agir de imediato

    Assim que começares a sentir os primeiros sinais de cansaço, age de imediato. Envia Reiki para essa situação, como se deixasses fluir energia para a situação e proporcionasses harmonia para ela, fazendo com que a sua carga emocional não te desgaste.
    Se quiseres, poderás também colocar um Seiheki no local onde estás a sentir o cansaço (visualizando) e também enviando para a situação ou sensação que tens.

  3. Tratar posteriormente

    Aplica o teu autotratamento regularmente, até sentires que atingiste o equilíbrio necessário.

  4. Mudar a atitude

    Depois de teres encontrado a razão, a causa, pela qual te sentes esgotado, precisas de mudar a tua atitude perante ela. Uma das excelentes formas de o fazer é através da técnica Seiheki Chiryo, que se aprende no nível 2 de Reiki.

É também importante trabalhar as situações que nos cansam através dos cinco princípios de Reiki, compreender a harmonia necessária, o que falta em confiança, que lições nos traz, que diligências devemos realizar e, sem dúvida, qual deve ser a nossa ação bondosa.

Visualizar cores na prática de Reiki – será que é preciso?

Um dos grandes motivos de bloqueio para praticantes de Reiki é o pensar que têm que visualizar cores, para poderem praticar corretamente.

Felizmente, não é preciso!

Várias práticas energéticas, algumas terapêuticas, utilizam a visualização criativa para para compreender, interpretar e veicular a energia, mas na prática de Reiki, conforme ensinado pelo Mestre Usui, não havia essa perspetiva.

Se não conseguires visualizar cores não há stress

O Mestre Usui indicava que qualquer pessoa podia aprender Reiki e aplicá-lo a si mesmo, que a prática não estava dependente de pensamentos ou crenças. Visualizar cores é uma crença se colocarmos essa prática como sendo algo de necessário para trabalhar com Reiki.

Mas o que é realmente o visualizar cores? É uma forma de comunicação que a nossa terceira visão tem, para nos transmitir determinada situação e sensação. Por exemplo, posso pensar numa situação harmoniosa e ter uma percepção de cor branca, azul ou dourado. Posso sentir amor por alguém e ter uma percepção de cor de rosa que nos envolve. Posso sentir dor numa perna e ter a percepção de vermelho e preto.

Se isto acontecer é uma forma da minha intuição, da terceira visão, interpretar a energia que estou a sentir, mas poderei ter essa interpretação de imensas outras formas.

Por isso mesmo, se era tua preocupação teres que visualizar cores para praticar Reiki, não há motivo algum para quereres desistir. Na prática de Reiki, não é preciso visualizar cores, mas sim compreender como tu mesmo sentes a energia.

Cinco dicas para meditar com Reiki, Meditação e Consciência

Nem sempre compreendemos bem qual o caminho para a meditação, ou porque realmente o devíamos fazer. Sabemos que a meditação é também o desenvolvimento da concentração e, existindo várias técnicas para tal, podemos observar cinco dicas para meditar, com simplicidade, através dos conceitos de Reiki.

Cinco dicas para meditar

A nossa mente precisa de uma razão, ou até várias, para conseguir compreender porque deve abrandar as suas funções e nos proporcionar um espaço de tranquilidade mental e emocional. Por isso mesmo, em primeiro lugar, precisas ter uma intenção para meditar. Esta será como um foco para o teu trabalho meditativo e também um alerta para avaliares se realmente estás a cumprir o que pretendes ou não.

Sem dúvida que devemos ser sempre observadores, mesmo quando meditamos e, por isso mesmo, podemos até levar essa meditação para uma ou mais das cinco dicas para meditar.

Estas cinco dicas para meditar são pilares, são os ensinamentos que podemos ter através dos cinco princípios:

  1. Meditar para a harmonia

    Porque não meditar para conseguires estar contigo mesmo? Porque não ter o grande gosto de estar na tua própria presença, usufruindo de silêncio e harmonia?
    O primeiro princípio estabelece essa ponte para com a capacidade de eu estar comigo mesmo, por isso, quando meditares, tem gosto em estar contigo mesmo.

  2. Confiança

    Porque meditar nos pode trazer autoconfiança?
    Quando conseguimos estar connosco, percebemos que tudo afinal tem um sentido, que o mar agitado da vida que está à nossa volta é natural, mas que nós não precisamos também de viver assim agitados.
    Meditar traz-te a paz da autoconfiança e também da confiança na vida.

  3. Gratidão

    Meditar é também sentir o fluxo da nossa vida. Quando meditas, consegues sentir se estás bem, se a tua mente te leva para o sítio certo, se os teus sentimentos te conduzem corretamente, se a vida está de acordo contigo mesmo e tu com a própria vida.

  4. Diligência

    Sê perseverante na tua prática. Sem prática muito pouco alcançamos. Nem que seja um minuto ou dois por dia, pratica e depois vai gradualmente aumentando o tempo. Usufrui, genuinamente, desses momentos.

  5. Construir o melhor coração

    E, para finalizar, sem dúvida que meditar é também para contruir o melhor dos corações. É esvaziar os pensamentos que geram emoções e criar espaço para que, em serenidade, possamos viver cada vez melhor tudo o que temos, no momento presente, sabendo partilhar e também sorrir.

Lançamento do livro Reiki, Meditação e Consciência, CENIF Amadora.

No dia 17 de Fevereiro, realizamos um encontro no CENIF Amadora mesmo para o trabalharmos este tema das cinco dicas para meditar. Um enorme obrigado a todos os participantes e que possam continuar a sua prática meditativa com um sucesso cada vez maior.

Poderás ler no livro Reiki, Meditação e Consciência, mais dicas para meditar, para te introduzires à meditação, ou mesmo desenvolveres a tua prática, através da perspetiva do Usui Reiki Ryoho.

A obsessão pela felicidade e será que os praticantes de Reiki são tolinhos?

A obsessão pela felicidade é um tema que se manifesta insconscientemente pelos vários media. Várias publicidades televisivas remetem-nos a bons momentos, a união, a felicidade. Desde medicamentos a produtos de seguros, passando por carros e muitos outros segmentos.

Se a obsessão pela felicidade é uma razão, porque será que ela acontece e porque se há-de considerar pejorativamente um praticante de Reiki?

Reiki, praticantes de Reiki e a obsessão pela felicidade… ou talvez não

Um bom Mestre de Reiki explica claramente que Reiki nada tem a ver com promessa de cura e que não é uma espécie de pó mágico que de repente traz felicidade à vida da pessoa, como se fosse um “Tang” instantâneo.

Essa clarificação vem do entendimento da Missão que o Mestre Usui nos legou e também dos seus preceitos.

“A missão do Usui Reiki Ryoho é guiar para uma vida pacífica e feliz, curar os outros, melhorar a felicidade dos outros e de nós mesmos”. – Mikao Usui

Quando falamos da “Arte Secreta de Convidar a Felicidade“, não estamos a falar de usar um colar que vai trazer felicidade, entoar umas palavras mágicas ou ver um filme. Estamos sim a constatar que ao longo de toda a nossa vida, se queremos um percurso que nos guie a uma vida mais pacífica e feliz, precisamos firmar, sempre com uma atitude de momento presente, as seguintes atitudes.

  1. Sou calmo

    Ao longo dos vários momentos quotidianos, ser capaz de lidar com harmonia as diferentes situações que nos são exigentes emocional e mentalmente, sabendo também levar essa harmonia aos outros.

  2. Confio

    Construir uma autoconfiança positiva e não alicerçada num sentimento de superioridade perante os outros.

  3. Sou grato

    Compreender a sua própria vida e qual o rumo que está a tomar.

  4. Trabalho honestamente

    Ter uma boa consideração pelos outros e por si mesmo, sabendo perseverar nas coisas que há a fazer.

  5. Sou bondoso

    Edificar uma vida onde se consegue distinguir a nossa necessidade das necessidades dos outros, com uma compreensão clara da capacidade de entreajuda e também do que pretendemos com essa ajuda.
    Ser bondoso requer uma grande dose de sabedoria, que só se constrói através da vivência.

Parece tão simples que talvez seja por isso que algumas pessoas catalogam os praticantes de Reiki como “tolinhos”. Na verdade, estes cinco princípios demonstram-se incríveis provações. Por exemplo:

Quando entramos em conflito com um colega de trabalho. Será fácil manter a calma perante tantas situações de importúnio? Ou conseguiremos manter a autoconfiança quando tantos nos tentam diminuir continuamente?

Estes são apenas os dois primeiros princípios, para não falar dos restantes três.

Será que, então, os praticantes de Reiki vão praticar por uma obsessão pela felicidade, ou sabem que apenas estão a construir, através de várias ferramentas, a sua capacidade de gerir melhor as condições internas e externas da vida?

É uma questão que cada um poderá colocar a si mesmo, ao longo de vários anos de prática.

Reiki é exigente e tem uma aplicabilidade em todos os momentos da nossa vida quotidiana.

No livro Reiki Guia para Uma Vida Feliz, poderás compreender de forma mais aprofundada, o que é a prática de Reiki direcionada para a filosofia de vida e para um caminho de construção para uma vida pacífica e feliz.

Livro Reiki Meditação e Consciência

Nos preceitos que o Mestre Usui escreveu, encontramos a advertência – Só por hoje. Aqui e agora, o momento presente. Muito antes do movimento Mindfulness, a prática de Reiki tinha como indicação uma atitude de concentração e atenção plena. Mas não foi apenas com essa advertência, que o Mestre Usui nos indicou que o Usui Reiki Ryoho é construído em práticas meditativas.

As técnicas Joshin Kokyu Ho, Gassho Kokyu Ho, o Hatsurei Ho, Nentatsu e Seiheki Chiryo, são práticas onde é muito evidenciada a meditação e atenção plena.

Vemos então, que praticar Reiki não é apenas colocar as mãos para tratar os outros ou a nós próprios, mas mais profundamente temos os cinco princípios, a filosofia de vida e a prática meditativa.

À medida que desenvolvemos a prática, compreendemos a necessidade da atenção plena e como ela é realmente cultivada, fazendo-se espelhar na mudança que sentimos na vida.

Ficha técnica de Reiki, Meditação e Consciência

Reiki, Meditação e Consciência<br> Book Cover
Reiki, Meditação e Consciência
Terapias Alternativas João Magalhães Editora Nascente Fevereiro 2019 352 páginas

«De maneira didática, mas sempre acompanhada de uma leitura muito prazerosa, o livro conduz-nos numa viagem de introspeção e reflexão para uma mudança de consciência, algo cada vez mais raro, infelizmente, nos dias de hoje.» — Mauro Nakamura, Professor de Budismo
Reiki, Meditação e Consciência é um guia para quem pretende cruzar os conhecimentos e as práticas de Reiki com as vantagens concretas das técnicas meditativas. Estas duas áreas, aparentemente distintas, têm na realidade vários pontos de contacto: a ligação à energia de cada um, a atenção plena ou a procura da felicidade e da paz interior. Um manual para praticantes ou não praticantes de Reiki, que visa orientar o leitor pelas possibilidades que a meditação dá de uma vida mais pacífica e feliz.

Reiki, Meditação e Consciência, é um livro divido em 21 capítulos, escrito para praticantes e mesmo para quem não é praticante de Reiki. Assenta sobre os princípios da desmistificação da prática meditativa, do cultivo da atenção plena e do incentivo da meditação para a vida quotidiana, para que possamos alcançar uma vida mais pacífica e feliz.

É um livro para todos, acessível e ainda com meditações guiadas, para te auxiliar ao longo dos vários níveis de Reiki.

CD no livro Reiki, Meditação e Consciência

Tens ainda um CD com dez meditações guiadas:

  1. Joshin Kokyu Ho, a técnica da respiração
  2. Fusão com a energia
  3. Limpar emoções através da meditação
  4. Envio de Reiki e mudança de comportamento
  5. Meditação para a bondade
  6. Meditação para o Sexto Chakra
  7. Tratamento da Criança Interior
  8. Daikomyo para a Orientação
  9. O caminho de Vida
  10. Envio de Reiki para o Planeta

Como aliviar a dor numa articulação com a prática de Reiki

A dor numa articulação pode dar-nos uma sensação muito incapacitante e ainda também uma sensação de imobilidade perante a vida. Além do tratamento médico necessário, poderás aplicar alguns dos conceitos de Reiki para o teu tratamento e assim aliviar a dor numa articulação.

Aliviar a dor numa articulação com Reiki

A prática de Reiki visa sempre restabelecer o fluxo energético do nosso corpo, para auxiliar à sua harmonia e equilíbrio.

Tendo isto em mente, é exatamente esse o processo que vamos tentar realizar:

  1. Análise

    Faz o byosen ao longo de todo o membro (por exemplo, o braço) onde tens a dor numa articulação. Tenta perceber o que a energia te transmite e o que “apetece” fazer para tratar.

  2. Tratamento

    Verifica se não há necessidade de primeiro remover a energia que possa não estar bem nesse local. Depois, aplica o tratamento antes e depois da articulação.
    Se não sentires dor na articulação, experimenta também aplicar em cima da mesma, sempre com o propósito de desbloquear, como se fosse uma torneira que precisa ser aberta.

  3. Verificação

    Observa como está o fluxo de energia ao longo do membro ou da parte do corpo onde está a dor numa articulação. Tenta perceber se a energia consegue fluir sem bloqueios e se sai pelas mãos ou pés (o que esteja mais próximo).

Continua a aplicar este tratamento durante vários dias seguidos e não te esqueças do acompanhamento médico.

No livro Reiki Guia do Método de Cura, poderás encontrar várias informações auxiliares para os teus tratamentos.

Sete anos a publicar na imprensa

No outro dia estava a organizar vários materiais e revistas que tenho e comecei a aperceber-me das datas de publicação. Pude então ver que já há pouco mais de sete anos que escrevo, regularmente, para a imprensa ou contribuo para os seus artigos e reportagens.

É incrível ver, como de forma tão positiva, Reiki surge constantemente como uma ferramenta para a autoajuda, quer no campo do desenvolvimento pessoal, quer como apoio ao cuidado terapêutico da pessoa.

Só tenho mesmo a agradecer por todo o esforço editorial que tantas revistas fazem, assim como aos seus jornalistas por continuarem tão bom trabalho.

O autotratamento para uma pessoa com doença oncológica

Se tens uma doença oncológica e és praticante de Reiki, podes sempre aplicar o autotratamento.

Fazer esta técnica tem muitas vantagens, sendo a principal a estimulação do fluxo de energia, o que auxilia à capacidade autocurativa do corpo.

Os passos do autotratamento para uma pessoa com doença oncológica

Em primeiro lugar, segundo o conceito do Usui Reiki Ryoho, não és um doente, mas sim alguém que está a passar uma fase de desequilíbrio. Isto quer dizer que não nos devemos assumir como sendo a doença, mas percebendo que ela surge como um desequilíbrio e que o nosso papel na vida é tentar, da melhor forma possível, levar tudo o que somos a um melhor equilíbrio e harmonia.

A tua atitude positiva, com toda a certeza, ajudará muito no processo terapêutico que tenhas a fazer, por isso mesmo é que o Mestre Usui reforçou este método que praticamos com cinco princípios estruturantes.

O saber manter a harmonia e levá-la aos que nos rodeia, acreditar em nós próprios e ajudar os outros a acreditarem neles mesmos, compreender o que a vida nos quer dizer, sendo diligentes no que há a fazer e sempre com muita bondade.

A aplicação do autotratamento para alívio dos efeitos secundários na doença oncológica

Esta é uma forma para fazeres o teu autotratamento, nos períodos que sintas estar capaz para o realizar.

  1. Limpeza

    Começa por enraizar-te, fazer o banho seco e a chuva de Reiki. Esta é a “limpeza”, antes da limpeza que a energia nos traz.

  2. Ligação

    Recita os cinco princípios calmamente, sente-te ligado aos valores que eles transmitem. Coloca a tua intenção.

  3. O autotratamento geral

    Aplica o autotratamento tal como te foi explicado.

  4. O tratamento específico das articulações

    Aplica Reiki, dentro do possível da tua mobilidade, em cada uma das articulações. Poderá ser em cima da articulação, ou um pouco antes. Visualiza a energia a fluir como um rio e a sair ou pela mão, ou pelo pé.

  5. O tratamento específico das mãos e pés

    Para tratar as mãos, começa por colocar a mão no músculo braquiorradial. Depois passa para a palma da mão. Visualiza sempre a energia a fluir e a sair pelas pontas dos dedos.

  6. A desintoxicação

    Quando sentires que é confortável para ti, experimenta a técnica da desintoxicação, o Heso Chiryo.

Não te preocupes com a regularidade do autotratamento, mas sim com a tua vontade de o aplicar. A obrigatoriedade não nos ajuda a estar felizes no momento, mas compreender que “eu posso tratar de mim mesmo e escolher onde me trato”, isso poderá trazer um valor acrescentado para ti e para o tratamento médico que estás a realizar, esse sim deve ser cumprido rigorosamente.

Uma outra alternativa para o autotratamento para pessoa com doença oncológica

São mesmo muitas as formas de realizares os teus autotratamentos, por isso coloco aqui mais uma alternativa no cuidado do teu corpo e mente, perante a doença oncológica. Esta é uma variante de meditação com autotratamento.

Nota: estes passos só devem ser feitos dentro do teu conforto. Qualquer questão, informa-te também com o teu mestre de Reiki.

  1. Aplica a técnica Gassho Kokyu Ho, durante 15 minutos;
  2. De seguida aplica a técnica de desintoxicação Heso Chiryo, a técnica da desintoxicação pelo umbigo;
  3. Volta a aplicar Gassho Kokyu Ho, durante mais 15 minutos;
  4. Aplica agora o autotratamento completo, ou se quiseres, as posições que sentes que melhor irão ajudar. Poderás também fazer o byosen para teres essa percepção.

O livro Reiki Guia para Uma Vida Feliz poderá auxiliar-te a compreender as técnicas de meditação e o aprofundamento da filosofia de vida na prática de Reiki.

Sempre que queiras, coloca as tuas mãos no chakra cardíaco e no plexo solar, irá ajudar-te a tranquilizar interiormente.

Como interpretar os poemas do Imperador Meiji

Os poemas do Imperador Meiji foram escolhidos pelo Mestre Usui, para a prática da sua filosofia de vida em meditação.

Os alunos recolhiam-se para o seu estado meditativo, em seiza e, possivelmente, com as mãos em gassho. Com a mente vazia, recitavam o poema do Imperador Meiji, para terem a elucidação sobre uma questão.

Os poemas do Imperador Meiji em meditação

Uma das formas de interpretares um poema do Imperador Meiji poderá ser algo como:

  1. Intenção

    Antes de escolheres um poema, coloca uma intenção, uma questão que tenhas, de forma clara, no teu pensamento.
    Escolhe à sorte um poema do Imperador Meiji, por exemplo do livro Reiki Guia para Uma Vida Feliz.

  2. Respiração

    Após leres o poema, mantém a tua mente vazia, pratica durante algum tempo meditação, por exemplo, através da técnica Joshin Kokyu Ho.

  3. Recitar o poema

    Quando te sentires sereno, lembra-te da tua intenção e recita novamente o poema, por exemplo: “Vai lá abaixo e livra-te da neve que se acumulou nos galhos frágeis de um jovem pinheiro.”

  4. Silêncio

    Mantém o silêncio e deixa fluir em ti uma perspetiva, uma resposta à tua questão, mas sem expectativa.
    A resposta pode surgir de muitas formas, não te prendas à noção de que é “escutar” algo.

“Vai lá abaixo e livra-te da neve que se acumulou nos galhos frágeis de um jovem pinheiro.”

O que poderá querer dizer este poema?

Por vezes temos que tirar de cima de nós o peso desnecessário para o nosso caminho.

A interpretação dos 125 poemas do Imperador Meiji

No livro Reiki Guia para Uma Vida Feliz, poderás encontrar os 125 poemas do Imperador Meiji e a interpretação dos mesmos.

No livro está também a classificação dos poemas, pelo tipo de atributos que eles têm, além de uma descrição mais pormenorizada do Imperador Meiji e da Imperatriz Shoken.

Como pode um Mestre de Reiki perceber se o aluno pode passar de nível

Não é uma tarefa fácil perceber se um aluno pode passar de nível ou não. Se o curso for de um dia, o Mestre terá como referência o tempo que ele determinar para essa passagem, mas se o curso for com acompanhamento, muitos mais fatores tornam-se determinantes e auxiliadores para perceber se o aluno pode passar de nível.

Passar de nível na prática de Reiki

Sabemos que no tempo do Mestre Usui, eram feitos exames à qualidade do aluno, principalmente na sua capacidade de compreender o byosen e o desenvolvimento pessoal que foi crescendo em si. Também as técnicas eram relevantes e a capacidade de praticar.

Para compreendermos melhor as condições para se passar de nível na prática de Reiki, precisamos ter um entendimento claro sobre para que serve o Usui Reiki Ryoho.

A missão do Usui Reiki Ryoho é guiar para uma vida pacífica e feliz, curar os outros, melhorar a felicidade dos outros e de nós mesmos.

Qual o objetivo de praticar Reiki

Pelas palavras do Mestre Usui, em primeiro lugar, a nossa prática serve para a construção de uma vida pacífica e feliz, aquilo que em japonês se pode chamar o Anshin Ritsumei.

Por esta consideração, a progressão pelos níveis de Reiki de um praticante é para que ele cresça, desenvolva os preceitos e os princípios da prática na sua vida e assim consiga ser mais resiliente, aproveitando cada momento (só por hoje) e sabendo construir cada oportunidade do futuro, sabendo compreender o seu passado.

Assim, passar de nível é muitas vezes uma progressão interior que a pessoa faz, mas tal deve ser feito de forma consciente.

Por outro lado, o Mestre Usui indica que é também para “curar”, ou seja, é um percurso terapêutico. Esta é a realidade para muitos praticantes, pois querem passar de nível para aprender mais para se tratarem melhor a si mesmos.

Então, as condições que um Mestre de Reiki pode observar para que um aluno possa passar de nível, têm muito a ver com a própria característica e vontade desse aluno.

A sua vontade de crescer, de ultrapassar as suas limitações ou doença, o entendimento da prática de Reiki e a fundação de sementes valiosas para a sua própria vida e para a construção de uma vida melhor para os outros.

Muitas vezes o próprio Mestre até assume uma responsabilidade de deixar o aluno passar para o nível seguinte, sabendo que há algo de errado nele, isto porque quer trabalhar esses aspectos e auxiliar o aluno, através do exemplo, à mudança. Infelizmente isso não seria possível com um só dia de curso.

Compreendendo genuinamente os cinco princípios, entendemos que a prática de Reiki tem muito a ver com um crescimento pessoal e sabemos que esse crescimento leva tempo.

Passar de nível na prática de Reiki, requer também grande honestidade por parte do praticante – será que quer mesmo mudar a sua consciência?

Por vezes complicamos demais o que é simples, mas isto quer dizer que a simplicidade está em compreender a missão clara do Usui Reiki Ryoho.

Passar de nível é um caminho de progressão e cada um está em momentos diferentes da sua própria vida. O respeito mútuo entre praticantes, apoiados pelo seu Mestre de Reiki, trará grande sentido aos cinco princípios.

Sentir um buraco no coração – como tratar com Reiki

Por vezes podemos sentir um buraco no coração, algo que parece que nos falta, um vazio, uma sensação que nos leva a colocar as mãos para que esse espaço seja minimamente tapado.

Essa sensação além de trazer desconforto, pode também estimular-nos algumas emoções, mas será importante compreender o que tudo isso nos quer dizer.

Aplicar Reiki quando estamos a sentir um buraco no coração

Quando existe uma sensação como a de um buraco, um vazio, podemos ter várias abordagens terapêuticas, através do Usui Reiki Ryoho, vamos observar uma delas:

  1. A percepção

    Em primeiro lugar tenta compreender o byosen do local, ou seja, o que tu sentes quando as mãos estão sobre o coração ou sobre o peito.

  2. A limpeza

    Perante a tua sensação, tenta limpar essa área, ou seja, tenta retirar a energia e percepção que sentes nesse local, essa limpeza irá auxiliar num tratamento mais rápido do local.

  3. O tratamento

    Se quiseres, aplica o autotratamento completo ou apenas nos locais que sentires mais necessidade. O efeito está no chakra cardíaco, mas essa poderá não ser a causa do problema. Observa também todos os restantes chakras, poderá haver uma falta de estrutura, medos associados, entre muitas outras questões.

  4. O envio de Reiki

    Se notares que esse “buraco” vem de uma situação, caso tenhas o nível 2 de Reiki, pratica o envio de Reiki para essa situação, pois irá ajudar-te a harmonizar a energia que está estagnada nesse lugar e que te traz esse mal estar.

  5. A tomada de consciência

    Após este tratamento, tenta perceber o que realmente originou esse sentir um buraco no coração e o que tens a mudar. A tua tomada de consciência e consequente atitude positiva, na transformação de um padrão, irá ajudar-te em circunstâncias onde se repitam questões que te provoquem o sentir um buraco no coração.

Nota que este tipo de tratamento é para questões energéticas. Se existe realmente um desconforto no coração, deves consultar um médico especialista.

Será que o autotratamento ou tratamento feito por outros tem o mesmo efeito?

Uma das bases fundamentais da prática de Reiki é a autoaplicação, mais conhecida como autotratamento. Esta é uma técnica que faz com que o Método Usui Reiki Ryoho tenha também um objetivo muito diferente de outras práticas, pois está centrado no praticante e no seu autocuidado.

Mas será que apenas aplicar o autotratamento regularmente é suficiente?

Será que tem o mesmo efeito que o tratamento feito por outros praticantes ou terapeutas?

A diferença entre o autotratamento e o tratamento feito por outros

O autotratamento Reiki é a técnica que te permite desenvolver o sentir em ti mesmo, explorar as tuas próprias emoções, sentimentos e até pensamentos em cada uma das diferentes posições.

Aplicamos o autotratamento não só para tratar questões do campo energético, mas também como forma profilática para a manutenção do nosso bem-estar, através da harmonia e equilíbrio pela energia vital.

Quando fazemos o autotratamento tornamo-nos mais conscientes de nós mesmos, do fluxo ou ausência dele no nosso corpo energético.

A grande questão é que podemos começar a criar vícios e hábitos de tratamento que nos deixam desatentos. Podemos adormecer porque é confortável, podemos passar à frente porque estamos cansados da posição, podemos não compreender bem as emoções ou pensamentos que surgem.

O tratamento Reiki aplicado por outros

Quando alguém aplica um tratamento em nós, se estamos predispostos a receber, então podemos ter sensações diferentes pois poderão até aplicar Reiki nas costas, ou em posições que nunca antes tínhamos experimentado.

Mas porque realmente pode haver uma diferença sem ser só pelas posições?

Porque cada pessoa trabalha a energia de uma forma muito própria e única, existe ainda a intenção que é colocada no tratamento e ainda a chamada “troca” energética, que deve ser mais corretamente chamada de comunicação energética. Neste processo de comunicação energética, sentimos necessidades por vezes a níveis diferentes e por isso a resposta da energia será também diferente.

Temos ainda outro aspecto muito importante que é a tomada de consciência da pessoa que está a receber Reiki. Como está receptiva, entregue à sessão e à intenção que colocou, a energia poderá auxiliar a compreender determinadas questões que tenha.

Por isso mesmo, o autotratamento e uma consulta de Reiki poderão ter efeitos diferentes, apesar de usarem a mesma energia e até as mesmas posições. Na verdade, qualquer praticante de Reiki devia receber Reiki ocasionalmente para verificar como está, o que é uma atitude profilática ou então para auxiliar, complementarmente, a tratar alguma questão que tenha.

E já agora, uma dica – a aplicação do autotratamento ou mesmo tratamento a outros – aplicar os cinco princípios.

Mitos do Reiki – Não aplicar Reiki num osso partido

Um dos mitos do Reiki que surgiu foi o não se aplicar Reiki num osso partido com o risco que fique mal colado.

Este é um mito falso.

A colagem de um osso poderá demorar semanas ou meses, dependendo é claro da condição da pessoa e do tipo de fratura que tem. Se um praticante de Reiki colasse um osso fraturado, no momento, seria a solução para muitos problemas, mas a prática de Reiki não se trata da realização de milagres, mas sim de auxiliar a capacidade autocurativa da pessoa.

Como aplicar Reiki num osso partido

Após o tratamento médico é muito benéfica a aplicação de Reiki.

  1. Atenção à condição da pessoa

    Deve ter-se em atenção como a pessoa está, se se sente muito apertado pelo gesso e que outras dores indica ter.

  2. Aplicação no local e onde possível

    Antes da aplicação poderás também aplicar o byosen e tentar compreender as zonas que possam estar secundariamente afectadas.
    Se possível faz um tratamento completo, caso não seja, aplica apenas no local ou onde conseguires. Tem em atenção que se houver inflamação a pessoa poderá sentir “ardor” pelo efeito do calor que Reiki possa causar, mas isso não é também uma regra pois para cada pessoa poderá ser diferente.

  3. O fluxo da energia

    A energia deve correr como um rio dentro do nosso corpo. Quando há uma fractura há uma paragem no fluxo da energia.
    Visualiza sempre a energia a fluir e a sair pelas pontas dos dedos das mãos e pés.

Page 1 of 126

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén