O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Autor: João Magalhães (Page 1 of 122)

Começar um novo ano sem dívidas

Sempre que se chega um final de ano fazemos uma revisão e nada melhor que terminar e começar um novo ano sem dívidas, mas estas dívidas não têm que ser necessariamente monetárias.

Quando começamos a seguir a filosofia de vida do Usui Reiki Ryoho, compreendemos que há coisas que precisamos saber desapegar, pois estaremos ou a sobrecarregar-nos com dívidas ou a criar dívidas aos outros.

Ano novo sem dívidas numa perspetiva da prática de Reiki

A dívida implica que há algo a dever, algo que foi feito ou pedido que necessita de um equilíbrio para todas as partes. Quando criamos a energia de uma dívida, ela pode prender-nos a um determinado tempo e impedir-nos de avançar com a vida. Como se pode explicar isto?

Em muitas coisas da nossa vida nós temos tendência a procrastinar, adiamos, adiamos e adiamos ainda mais um pouco. Ou por esquecimento, ou por acharmos não ser importante ou ainda porque não temos capacidade no momento para lidar com a situação, quer seja por medo, por indecisão ou apenas porque estamos a ser irresponsáveis, não queremos assumir um compromisso.

Quando isso é traduzido para o campo da dívida, podemos começar a compreender porque algumas coisas não se movimentam mais – por vezes andamos a carregar muitas dívidas na nossa mente e no nosso coração.

Quantas mais carregamos, mais parados ficamos.

É por isso mesmo que devemos libertar-nos das dívidas, mesmo que sejam aquelas de dizer um obrigado ou de pagarmos €20.

O mesmo conceito se aplica para a criação de dívidas que levamos para o outro. Há alturas em que criamos condições de dívidas quando a pessoa nunca nos pediu isso e este aspecto é também muito importante de sanar, pois estás a apegar-te a uma pessoa e fazes com que a energia estagne aqui.

Como observar os cinco princípios para começar um ano novo sem dívidas

Uma boa forma de começares o teu ano novo sem dívidas é compreenderes todo este conceito através dos cinco princípios.

  1. Só por hoje

    Neste preciso momento, faz uma revisão do que achas que deves aos outros e do que achas que os outros te devem a ti. Pesa essas dívidas. Em relação às tuas, sabes o que deves fazer, em relação às que os outros têm para contigo, serão realmente importantes? Há apego? De que forma isso te condiciona a vida?

  2. Sou calmo

    Criar harmonia significa não gerar dívidas, tudo está bem. Observa esta questão das dívidas em relação à harmonia na tua vida e de que forma isso te tem perturbado.

  3. Confio

    Se estás a adiar o pagamento de dívidas é porque? Apenas questões financeiras ou porque há uma outra atitude encoberta? Esta reflexão poderá também trazer uma grande serenidade à tua autoconfiança.

  4. Sou grato

    Que lições tens a aprender com as dívidas que foste acumulando, o que achas que há a mudar com o ano novo?

  5. Trabalho honestamente

    Sê diligente a resolver as tuas dívidas. Se não o és isso acontece porque?

  6. Sou bondoso

    Resolver as dívidas poderá ser um ato de bondade, de valorização dos outros ou até mesmo de perdão. Como te sentes perante esta perspetiva?

Para terminarmos esta reflexão, principalmente se te sentes um pouco desorientado na vida, há algo que te pode ajudar a compreender o caminho, isso é uma simples questão: A vida é única, como poderás pagar à vida pela vida que tens?

A prática de Reiki auxilia-nos principalmente a despertar a consciência, é por isso mesmo que o nosso caminho tem tudo a ver com “A Arte Secreta de Convidar a Felicidade“.

Desintoxicação pós natal e pré também

Aproxima-se uma grande época festiva e por vezes pensamos na desintoxicação pós natal pela quantidade de doces e comida que se avizinham para a mesa. São os imensos almoços e jantares de natal, os doces maravilhosos da cozinha portuguesa e claro, o convívio que traz sempre mais aconchego quando acompanhado por boa comida e bebida. Esta é a típica época natalícia em Portugal, mas podemos ter alguns truques com a prática de Reiki para nos auxiliar na desintoxicação pós natal.

Como aplicar a desintoxicação pós natal

Depois de te teres divertido muito e, possivelmente, comido alguns fritos a mais, podes experimentar várias técnicas detox incluindo a desintoxicação pós natal com Reiki que te recomendo.

A aplicação da desintoxicação pós natal pode ter duas fases distintas ou que podem ser feitas de forma integrada. Se comeste mesmo em demasia tem atenção aos efeitos do Heso Chiryo, por isso aplica o autotratamento em primeiro lugar e reduz para cinco minutos a aplicação da técnica.

  1. Autotratamento

    Coloca a intenção de te ajudar a desintoxicar o corpo da alimentação excessiva e depois aplica o autotratamento completo.

  2. Heso Chiryo – a técnica da desintoxicação

    Podes fazer a técnica independentemente do autotratamento ou então na altura em que chegas à região do Chakra Esplénico.
    Coloca o teu dedo médio da mão esquerda no umbigo, a intenção de desintoxicar do excesso de alimentos e deixa a energia fluir durante quinze minutos. Poderás querer fazer o banho seco após o tratamento.

Podes aplicar este conceito de desintoxicação ao longo de cinco ou sete dias seguidos. Se te sentires enjoado já sabes – exageraste mesmo nos doces e na comida, por favor, tem atenção ao efeito que isso pode ter em ti pois é prejudicial para a tua saúde.

Desintoxicação pré natal

Precisaremos fazer uma desintoxicação antes do natal? Talvez sim e também a poderemos fazer de duas formas – a física e a mental.

O natal é também uma altura de muito consumo e stress familiar e social. É uma época fabulosa, mas ao querermos que tudo corra na perfeição, por vezes deixamo-nos arrastar pelo objectivo e levamos o caminho de forma meio estranha. São os encontrões no supermercado, a condução insana, as filas gigantescas, os restaurantes cheios, os pedidos, o pouco dinheiro… tudo poderá contribuir para que a nossa época natalícia seja de grande stress e se inverta o que de bom gostaríamos de ter.

Então, poderás também fazer uma desintoxicação antes do natal, para isso podes seguir algumas ou todas as indicações que se seguem:

  1. Aplica autotratamento regularmente, é o que te irá ajudar a manter o equilíbrio e harmonia. Podes colocar a intenção de te trazer o que necessitas para esta época (e não são as prendas);
  2. Observa os cinco princípios e fá-los viver em todas as tuas ações;
  3. Pratica o Tanden Chiryo, a técnica de desintoxicação pelo tanden, colocando a mão esquerda abaixo do umbigo e a direita nas costas, na mesma direção;
  4. Medita diariamente com a técnica Joshin Kokyu Ho;
  5. Usufrui estes dias.

Acima de tudo, desejo que o teu Natal seja muito feliz, com muita harmonia e paz entre todos. Diverte-te e pratica Reiki.

Karuna uma terapia de compaixão também com voluntariado

A prática de Karuna pretende estimular os praticantes de Reiki ao desenvolvimento da compaixão. Este foi um sistema criado por William Rand e Kathleen Miller nos anos oitenta que procurava uma resposta para a orientação terapêutica pela compaixão.

Voluntariado Karuna

Após a conclusão do curso de nível 1 de Karuna, realizado por alunos de nível 2 de Reiki, fizemos um dia de voluntariado atendendo 20 pessoas e celebrando também o Dia Internacional do Voluntariado.

Neste dia de voluntariado Karuna fomos oferecer esta prática aos voluntários da Associação Portuguesa de Reiki que às segundas-feiras e sábados estão sempre disponíveis para auxiliar quem mais precisa.

Dar e receber é um dos grandes princípios cultivados no voluntariado, não só devemos doar aos outros, mas também temos que saber receber, pois é importante para uma vida em equilíbrio e harmonia.

Muitos parabéns a todos os alunos, por toda a sua prática e doação.

Alguns testemunhos dos voluntários

Para mim foi muito positivo a forma como o Karuna entrou na minha vida, trouxe me mais compaixão por mim mesma e mostrou me uma forma mais assertiva de como chegar ao próximo.
A experiência do voluntariado para mim foi magnífica ainda não consigo ter palavras para descrever a sensação do que é dar sem preocupação e agradeço a oportunidade por poder partilhar o que aprendi.
Grata. – Maria Sierra

Adorei o Karuna!!!
“Compaixão” é uma palavra que o define lindamente.
Senti-o de uma forma diferente do Reiki, para mim foi muito mais intenso.
Voluntariado é algo a pensar….. é uma entrega muito boa, que gostei e senti-me muito bem a fazer. Muito obrigada pela experiência. – Gisela

A pratica de Karuna ajudou me a complementar a minha pratica de reiki. Permitiu-me ter mais serenidade, comigo próprio e com os outros, trabalhando o jardim da alma e a compaixão.
O voluntariado de Karuna foi uma experiência muito positiva que espero vir a repetir, ver as pessoas saírem com um sorriso e de alguma forma um pouco mais leves é muito bom.
Grata por estes momentos, grata ao Mestre João e as pessoas que partilharam este caminho.
Beijinhos – Valeria

Sofrer por amor – como Reiki nos pode dar uma perspetiva

Sofrer por amor é algo que não é apenas o registo da adolescência, muitas vezes esse padrão continua ao longo da nossa vida e, de uma forma ou de outra, acabamos por sofrer por amor. Como a prática de Reiki nos pode auxiliar a ter uma perspetiva mais saudável sobre o amor e como evitar esse sofrimento?

Sofrer por amor

Tudo começa quando somos ainda pequeninos. Quando não temos atenção sofremos pois não temos capacidade por nós mesmos de suprir as nossas necessidades do momento. Não temos capacidade para perceber se são boas ou realmente necessárias, mas sabemos, ou melhor, sentimos, que o que precisamos é urgente. Estas necessidades poderão ser o afeto e a atenção, ao que chamamos commumente de amor.

Quando em crianças sentimos falta de amor, esse vazio poderá criar em nós apego ao que sentimos falta e a ilusão de que realmente essa falta existe. Isto quer dizer que o amor poderá existir por parte de outros para connosco, mas não quer dizer que nós somos capazes de o aceitar, reconhecer ou ter o entendimento que ele é o que procurávamos e por isso mesmo, é o que nos basta.

Como identificar o sofrer por amor

Se estás a sentir que algo falta na tua vida e nada tem a ver com uma missão de vida ou caminho, então poderás estar a sofrer por amor. Isto significa que há algo que falta em ti, algo a que pedes atenção, afeto, carinho, compreensão, apoio. Não quer isto dizer que seja até a necessidade de uma relação amorosa com outra pessoa, ou de uma relação sexual, mas pode haver sim uma falta de amor em determinado aspecto da tua vida. Reflete então sobre as seguintes questões:

  1. Sentes-te incompreendido?
  2. Achas que ninguém te apoia nas tuas decisões?
  3. Há um vazio no teu peito?
  4. Sentes falta de alguém (mesmo que tenhas um relacionamento)?
  5. És uma pessoa que não baixa as defesas?
  6. Preferes ser duro que admitir uma necessidade sobre algo?
  7. Custa-te pedir ajuda?
  8. Achas que o teu lugar não é aqui?
  9. Apesar de seres alegre, há sempre um ruído de fundo de tristeza?

Estas questões são apenas meros exemplos que poderás desdobrar em muito mais, ajudando-te a compreender se estás a sofrer por amor. Se sim, significa que algo que consideras muito importante, está em falta na tua vida. Mas como poderás preencher essa ausência?

Sofrer por amor e a perspetiva da prática de Reiki

Se o amor está em falta na tua vida, na prática de Reiki temos algumas indicações que te poderão auxiliar a compreender o que se passa contigo e o que poderás fazer para suprimir esse sofrimento.

A arte secreta de convidar a felicidade

Mikao Usui

O Mestre Usui indicava que o seu método implicava um trabalho interior, que era um processo evolutivo e que serviria para convidares a felicidade. Isto quer dizer que a tua procura não está fora, não nos outros, mas sim em ti mesmo.

Ao longo da vida, vamos compreendendo que não é nos outros que precisamos encontrar amor. Se o encontrarmos, será muito bom, principalmente se o soubermos retribuir, mas o importante é sabermos descobrir o amor em nós próprios. É uma espécie de arqueologia interior que precisamos fazer pois este amor a que podemos chamar de amor próprio, é verdadeiramente aquele que nos pode aliviar de sofrer por amor.

Para nos ajudar nesse caminho, o nosso querido Mestre Usui indica cinco orientações que começam por uma atitude essencial:

  1. Só por hoje

    A quantidade de coisas na cabeça distância nos dos outros mas a ausência de propósitos leva-nos a ansiedade, ciúmes e obsessão. Só por hoje significa que estaremos presentes, atentos, conscientes. Compreendemos que a nossa cabeça não precisa estar cheia de coisas e as que tiver devem ser avaliadas – serão positivas ou negativas?

  2. Sou calmo

    Se sofro por amor como isso vai contra a harmonia que eu quero? De que forma considero que alguém não me dá algo e se é realmente esse o problema? O que eu dou e o que eu tenho em mim? Será mesmo assim?

  3. Confio

    Se quero ter confiança em alguém, em primeiro lugar tenho que ter confiança em mim mesmo. Terei?

  4. Sou grato

    Amor implica gratidão. Não e dívida, mas é a serenidade de compreender como algo é bom e maior gratidão terei se reconhecer que tudo o que procuro, também eu sei ter em mim e para mim.

  5. Trabalho honestamente

    Será que tenho trabalhado de forma diligente na minha arqueologia interior?

  6. Sou bondoso

    Bondade e amor tem tudo a ver um com o outro. Se não sou bondoso para comigo, também não sou capaz de amar – a mim mesmo e aos outros. Como o poderei fazer?

A prática de Reiki não te dá respostas, traz-te questões e são essas que, quando bem colocadas, te trazem uma grande elevação da consciência.

Os cinco princípios de Reiki são pilares de força interior e podem ajudar-te a redescobrires-te, a entenderes melhor o sofrer por amor que sentias e ainda a ultrapassar esse sofrimento pela prática consciente. Além destas reflexões, do autotratamento que poderás fazer, principalmente com o chakra cardíaco, podes ainda aplicar a respiração das nove purificações que encontrarás em O Grande Livro dos Chakras e da Anatomia Energética.

A compulsão pela comida e o Chakra do Plexo Solar

Com certeza que já passaste por um momento em que sentiste compulsão pela comida, um desejo insaciável de comer e por vezes coisas não tão saudáveis. Muitas vezes esses impulsos essa compulsão pela comida, advém de uma desarmonia emocional e podemos relacioná-la com um determinado Chakra.

Como trabalhar a compulsão pela comida e equilibrar o chakra do plexo solar

Temos um chakra, um centro de consciência, que está associado à parte digestiva – é o Chakra do Plexo Solar e esta é a sua função no corpo físico pois está associado ao estômago, pâncreas, fígado, em suma, a todo o aparelho digestivo.

Quando observamos que estamos com uma compulsão pela comida, algo que é fora do normal, devemos observar como está a nossa gestão emocional. Estamos a comer por fome ou estamos a comer por necessidade de preencher um vazio?

Será que comemos determinado tipo de alimentos ou estamos irregulares, comendo doces e salgados? Na verdade o que falta em nós para querermos preencher, ocupar, a nossa “digestão”?

Esta questão é essencial fazer para compreendermos o que realmente se está a passar connosco. Será que precisamos de adrenalina, ou apenas nos queremos sentir confortáveis e anestesiados, o que se passa verdadeiramente connosco?

Este tipo de questões é muito importante e, se necessário, deves procurar um auxílio profissional. Também para uma alimentação equilibrada, poderás procurar o apoio de um nutricionista especializado no tipo de alimentação que prevês ser melhor para ti e para os teus objetivos, mas o que podes fazer com Reiki para te auxiliar?

Em primeiro lugar tens a reflexão com os cinco princípios, onde poderás tentar compreender que insatisfação está a ter raiz em ti? Perceber o que te tira a harmonia, de que forma a autoconfiança está minada, que lições há a compreender, que esforço é necessário para ultrapassar esta questão e ainda como poderás resolver tudo sendo bondoso para contigo?

Depois, tens o autotratamento ou tratamento feito por outra pessoa onde poderás colocar a intenção de tratar e compreender a compulsão pela comida. 

Fazendo um tratamento local ao Chakra do Plexo Solar, pensa nos seguintes passos:

  1. Limpeza

    Começa por limpar a energia de toda a região abdominal, assim como do Chakra do Plexo Solar;

  2. Condicionamento

    Coloca o chakra do tamanho que deve ter (cerca de 20cm) pois possivelmente está de um tamanho diferente dos restantes;

  3. Reforço

    Aplica muito Reiki no chakra, em toda a zona abdominal. Se quiseres coloca uma mão no chakra cardíaco e outra no plexo solar;

  4. Mudança de atitude

    E porque não aplicares o nentatsu, a técnica do pensamento positivo para mudares a tua atitude perante a alimentação?

Como vês, a prática de Reiki pode ajudar-te a ter outra perspetiva e também levar-te a cultivar uma atitude positiva perante as tuas situações, aumentando a autoconsciência e promovendo o equilíbrio através de boas práticas e atitudes. Experimenta.

Porque o plexo solar pode ficar frio

O nosso plexo solar é o centro de consciência que está mais ligado à gestão emocional e à nossa força de vontade, ou poder pessoal, por isso mesmo, em certas circunstâncias sente uma grande pressão e desgaste, chegando por vezes a manifestar sensações, entre elas o frio.

O plexo solar e a sensação de frio

Poderás entrar para um sítio e sentir no plexo solar um frio que te faz encolher, ou podes estar perante uma situação que te gela a zona abdominal. Estas duas circunstâncias representam reações diferentes apesar de os efeitos serem semelhantes.

Este frio que se sente no plexo solar poderá ser:

  1. A energia do local interfere com a nossa e dá-nos a indicação do tipo de energia do local;
  2. A energia do local exaure a nossa própria e ficamos a sentir esse chakra vazio e frio;
  3. Algo no local estimulou uma questão que temos e refletiu-se dessa forma no chakra do plexo solar;
  4. A nossa empatia estava centrada no plexo solar e o esforço desgastou a energia do chakra,

O Chakra do Plexo Solar é tipicamente um chakra empático, ou seja, através dele fazemos muita comunicação emocional e, como tal, para algumas pessoas ele poderá apresentar um desgaste maior, ou por vezes mesmo extremo quando confrontado com uma energia que possa estimular uma fraqueza ou então uma energia mais densa que faz perder a energia vital da pessoa.

O que fazer quando o Chakra do Plexo Solar fica frio

Quando sentires que o teu Chakra do Plexo Solar fica frio tens que o tratar o mais rapidamente possível.

  1. Visualização de limpeza

    O mais rapidamente possível tenta fazer o seguinte para limpar o chakra de alguma energia exterior ou perturbação que tenha sentido:
    1 – Visualiza que estás dentro do chakra;
    2 – Imagina que tens um aspirador ou pano de pó mágico;
    3 – Limpa todo o interior do chakra, retira toda a energia que não seja de lá.

  2. Respiração para revitalizar

    Usa a técnica Joshin Kokyu Ho para revitalizares o Chakra. Imagina que na expiração a energia que sai do tanden vai preencher o Chakra do Plexo Solar.

  3. Autotratamento

    Em casa, assim que possas, faz um autotratamento ou completo ou então colocando uma mão no chakra cardíaco e outra no plexo solar.

  4. Revisão da atitude

    Observa porque aconteceu esta situação. O que estavas a pensar, de que forma te ligaste à energia do espaço, o que realmente aconteceu e sentiste, para que não repitas esse padrão e possas trabalhar de forma diferente a tua ligação energética no futuro.

Podes ler mais sobre o Chakra do Plexo Solar e os seus tratamentos em O Grande Livro dos Chakras e da Anatomia Energética.

Como me ligar à energia através dos cinco princípios

Ligar à energia significa a conexão, a união, que sentimos entre nós e a energia vital que nos rodeia. Cada Mestre de Reiki terá uma forma própria de ensinar como ligar à energia universal e mais ainda, cada praticante tem uma forma muito única e pessoal de o fazer, mas existe uma “fórmula” quase mágica, imediata, para que te ligues à energia Reiki e essa é através dos cinco princípios.

Os cinco princípios para me ligar à energia universal

Porque será que os cinco princípios nos trazem uma grande conexão com a energia?

A resposta é muito facilmente entendida se sentires o que eles realmente querem dizer. Quando, por exemplo, colocas as mãos em gassho, viras-te para o teu interior e recitas com a tua voz profunda, do centro do teu ser, o que estás a ativar é a própria essência de Reiki em ti e a iluminar essa centelha intensa com a Energia Universal que te rodeia.

Os cinco princípios representam algo como um grande lago de energia que nos traz o fogo da vitalidade, não de uma forma “excitante”, mas sim de uma forma harmoniosa, como se a vida nos fosse preenchendo serenamente. Cada princípio é então, por si só, um ligar à energia Reiki. Um fluxo que nos percorre, mas que ao mesmo tempo também nos “acorda”, anima.

Para que sintas Reiki dessa forma profunda, tens que deixar de os encarar como palavras. Não são apenas ar articulado que sai pela nossa boca, mas são um profundo desejo que surge da união da nossa mente e do nosso coração.

Como recitar os cinco princípios para te ligares à energia

O exemplo que vamos ver é o de uma prática formal, poderás estar da forma como queiras para sentir os cinco princípios e te ligares à energia:

  1. Começa por colocar as mãos em gassho;
  2. Inspira e expira serena e profundamente;
  3. Esvazia a tua mente;
  4. Sente a ligação da mente com o coração, como se um tocasse no outro em harmonia, em acordo;
  5. Do centro do teu coração, mantendo a ligação com a mente, recita cada um dos princípios de forma pausada, tranquila e profunda;
  6. Inspira e ao expirar recita profundamente – Só por hoje, sou calmo;
  7. Inspira e ao expirar recita profundamente – confio;
  8. Inspira e ao expirar recita profundamente – sou grato;
  9. Inspira e ao expirar recita profundamente – trabalho honestamente;
  10. Inspira e ao expirar recita profundamente – sou bondoso;
  11. Sente estes princípios a ecoarem em ti e sente a vibração da energia.

Ligar à energia pode ser algo de muito fácil para uns e um conceito um pouco mais estranho para os outros, a prática dos cinco princípios irá ajudar-te, sem dúvida alguma, a compreenderes com maior profundidade o que é Reiki e também a ligares-te a essa energia vital.

Qual será o símbolo de Reiki mais poderoso

A partir do segundo nível de Reiki temos a aprendizagem de símbolos. Um símbolo de Reiki representa graficamente uma determinada vibração da energia, não tem nada de extraordinário, nem de estranho, mas é uma forma de focarmos a atenção na prática. Existindo apenas quatro símbolos na prática de Reiki, haverá razão em perguntar qual deles o mais poderoso?

Que símbolo de Reiki tem mais força ou é o mais poderoso?

No nível 2 de Reiki aprendemos três símbolos:

  1. Chokurei – o símbolo que intensifica a energia;
  2. Seiheki – o símbolo de Reiki que promove a harmonia;
  3. Honshazeshonen – o símbolo dedicado à mudança de pensamento

No nível 3, aprendemos um símbolo de Reiki:

  1. Daikomyo – Representa a grande energia do universo.

Podemos pensar que o símbolo de Reiki do nível 3 será o mais poderoso, ou talvez até o Chokurei pois traz a ligação à energia, se bem que o Mestre Hayashi tinha uma profunda ligação com o Honshazeshonen, o terceiro símbolo de Reiki.

Na verdade, será que existe algo de mais poderoso dentro da prática de Reiki?

Naturalmente que não, pois o método, Usui Reiki Ryoho, está orientado à evolução, ao desenvolvimento da pessoa e nada tem a ver com comparações do que possa ser ou não mais poderoso, algo mais eficaz ou não, dentro da própria prática. Qual a melhor maneira de te aperceberes disso?

Através de uma prática profunda, exaustiva e contínua ao longo de anos e anos. Tudo faz sentido como um grande puzzle, ou como um grande tapete persa.

O desejo, Reiki e o Chakra Cardíaco

Todos nós temos desejo e é algo que faz parte da humanidade desde os primórdios da nossa evolução. O desejo é algo tão profundamente enraizado em nós mesmos que tanto pode ser destruidor como algo de inspirador e motivador.

O que poderá Reiki ter a ver com o desejo e como ele se manifesta nos nossos centros de consciência?

Reiki e o desejo

Algo que se quer pode mover-nos. Quando quero praticar Reiki para o meu equilíbrio, estou a cultivar um desejo de bem querer para mim. Quando quero entregar-me ao voluntariado para auxiliar os outros incondicionalmente, estou a cultivar um desejo de bondade.

Estes dois exemplos caracterizam o aspecto positivo de querer algo, de desejar ou ter desejo por algo. Neste caso focamos no nosso bem-estar, que é imperativo para uma vida equilibrada e na doação aos outros, que é também importante para uma sociedade equilibrada e participativa.

Quando pratico Reiki para desejar ganhar dinheiro, estou a ter um desejo neutro, que dependerá do que vou fazer com este pensamento. Se pensar em trabalhar honestamente, cumprindo os cinco princípios e também doando a quem não tem possibilidades, estou a cultivar um desejo positivo. Se apenas desejar ganhar dinheiro porque por aqui parece ser fácil, então estou a cultivar um desejo muito negativo, pois irá afectar a saúde, bem-estar, harmonia e equilíbrio de outros, tendo um ato irresponsável.

Quando pratico Reiki para que tudo me corra bem, em tudo o que faço, não estou a ter um bom desejo. Parece contraditório, não é, mas na verdade eu posso estar a cultivar em mim um desejo que não é o mais correto.

Isto acontece porque estou a colocar o meu desejo além do meu esforço de mudança de consciência. Lembrando as palavras do Mestre Usui sobre o seu método:

Os ensinamentos do Usui Reiki Ryoho para a tua evolução

Mikao Usui

E ainda

A arte secreta de convidar a felicidade.

Mikao Usui

Reforçado com:

Para a melhoria do Corpo e da Mente.

Mikao Usui

Tudo isto representa o grande trabalho interior que temos a fazer com a nossa prática e isto representa colocar o desejo segundo uma perspetiva correta. E que perspetiva o Mestre Usui nos indica para seguirmos?

Só por hoje,

Sou calmo

Confio

Sou grato

Trabalho honestamente

Sou bondoso

Mikao Usui

Através dos cinco princípios de Reiki encontramos um bússola interior que nos pode guiar através do entendimento do nosso caminho e missão de vida.

Podes avaliar o teu desejo, segundo os conceitos destes cinco princípios. Será que o teu desejo serve para promover a harmonia? A confiança? Há gratidão? Existe honestidade? Bondade?

Através destes pilares da nossa vida, compreendemos o nosso verdadeiro desejo. Também na prática de Reiki, por vezes damos um outro nome ao desejo – a intenção.

A intenção é a direção que colocamos à energia, por exemplo: “Que a energia me auxilie a estar em harmonia”, ou “que Reiki me ajude a acalmar as emoções”. Esta intenção ou desejo nada tem a ver com um apelo a algo superior como Deus, mas sim uma orientação específica para o tipo de energia, efeito e resultado que pretendemos alcançar.

O desejo e o Chakra Cardíaco

Ao longo de muitos anos de prática terapêutica, fui observando onde residem os vários tipos de desejos. Eles centram-se em determinados centros de consciência, ou seja, Chakras e dependem das características que têm, pois cada centro de consciência tem uma vibração muito específica, no entanto, há um chakra muito peculiar, onde reside a maior parte dos nossos desejos ou da causa dos nossos desejos – o Chakra Cardíaco.

Aqui reside o amor, a bondade, tudo o que são os grandes valores da humanidade, mas também neste chakra residem aspectos inversos como a ganância, a inveja, o ciúme. Então, para tratares o teu desejo, observa sempre o teu Chakra Cardíaco. Para reforçares o teu bom desejo, reforça também o Chakra Cardíaco, dando-lhe força, equilíbrio e uma cada vez maior humanidade.

Poderás ler mais sobre os centros de consciência e sobre todo este trabalho de elevação em O Grande Livro dos Chakras e da Anatomia Energética.

Cinco anos de CENIF Amadora

Este ano de 2018 celebramos cinco anos de CENIF na Amadora. Foi um projeto que iniciamos há muito mais tempo em Guimarães e que no momento de melhores condições pode também ser cultivado na Rua Emídio da Conceição Fernandes 10.

Muito obrigado querido Mestre Usui.

Estes cinco anos foram o amadurecimento dos valores que queremos levar a todos aqueles que queiram partilhar o caminho de Reiki connosco e é incrível ver como hoje em dia os praticantes sentem a prática e como levam a filosofia de vida às suas questões quotidianas.

Ao longo destes cinco anos, fomos complementando esta via ampla do caminho de Reiki com outros saberes que reforçam a nossa prática e consciência. Foi algo que demonstramos também no nosso Seminário de Práticas, que realizamos na Agência DNA Cascais, exclusivo para os nossos alunos. Assim, a nossa gratidão vai também para todos aqueles que têm colocado o seu esforço para que os alunos desta família CENIF tenham uma vida cada vez melhor, com alicerces mais fortes e estruturados para uma vida pacífica e feliz.

Acima de tudo queremos que o CENIF seja um bom porto, uma escola onde cada um aprende a ser mais resiliente às questões diárias, cada vez com mais esclarecimento, sabedoria e claro sempre seguindo as indicações do Mestre Usui.

Muito obrigado a ti, por estes cinco anos de escola.

Reiki só com uma mão é possível?

E se aplicarmos Reiki só com uma mão será que estaremos a aplicar Reiki? Será isso possível?

É, sem dúvida alguma e este é um tema que merece algum desenvolvimento pois não só poderá ser um estímulo para quem tenha alguma limitação física como poderá servir como estímulo aos praticantes que tenham alguma situação onde apenas possam aplicar Reiki só com uma mão.

Porque e como aplicar Reiki só com uma mão

A Energia Universal, Reiki é algo não visível e é um tipo de energia que se enquadra no campo da energia vital, portanto presente em tudo. Como o Mestre Usui indicava:

Tudo no Universo possui Reiki sem excepção alguma.

Mikao Usui

O nosso corpo energético absorve essa energia, Reiki, e distribui-a pelos nossos variados corpos – físico, mental e emocional.

Quando não temos uma parte do corpo físico, o corpo energético mantém essa forma e propriedade energética, ou seja, poderei não ter uma mão ou braço fisicamente, que o manterei no campo energético, algo que por vezes se sente com as dores fantasma. Outro exemplo é o caso de pessoas que retiram a tiróide e visícula, muitas vezes sentem o órgão, ou as funções energéticas desse centro de consciência continuam a ser sentidas.

Assim, um praticantes que não tenha um braço ou mão, pode “apenas” aplicar Reiki só com uma mão e se não tiver ambas, não há problema algum, mentaliza esse fluxo através das suas mãos energéticas e com muita certeza irá sentir esse fluxo. Esta é também uma experiência que fazemos com o envio de Reiki à distância no nível 2 de Reiki.

Por outro lado, uma pessoa poderá ter uma mão ocupada e a outra livre. Isto é algo que pode acontecer, por exemplo, no nosso trabalho. Então imagina que estás numa reunião. Tomas notas do que estás a escutar, mas no entanto começas a sentir alguma instabilidade emocional que se apresenta no teu Chakra do Plexo Solar. Para que a situação não se detiore, podes aplicar Reiki com uma mão, tendo a outra ocupada na tomada de notas. Claro que não estarás com concentração no fluxo de energia, mas não te preocupes, a energia estará a fluir, com certeza, e irá ajudar-te a estar mais equilibrado.

Desta forma, podes até agir profilaticamente, trazendo harmonia e equilíbrio a ti mesmo, ao longo do dia, antes que algo possa acontecer que te perturbe ou desequilibre.

Esta situação mostra-nos mesmo que precisamos descomplicar e observar cada vez mais o nosso corpo energético. Tudo funciona, tudo flui, é só mesmo nós nos permitirmos a isso, é por isso que a prática de Reiki é extraordinária e pode ser levada ao nosso dia-a-dia.

Livre arbítrio – Reiki e pensamentos

Por vezes há um certo de receio de que a prática de Reiki possa interferir com o livre arbítrio de cada um. Este é um tema muito importante pois a liberdade individual e colectiva é muito importante. Para compreendermos corretamente este contexto, precisamos ter um entendimento claro do que é o livre arbítrio e do que é Reiki.

Como Reiki (não) influencia o livre arbítrio

O livre arbítrio é a capacidade que cada indivíduo tem de tomar decisões por si próprio, é ser o seu próprio árbitro, julgando cada situação segundo o seu próprio entendimento, assim como cada ação que faça. É uma decisão livre e sua, desapegada da ética ou moral. A ética e a moral farão parte da educação formal ou informal de cada indivíduo e através de valores e códigos de conduta, levarão a que tome consciência dos seus atos para que cada ação sua não seja contra a sua própria natureza ou bem estar comum.

Reiki é um método terapêutico natural, baseado na Energia Universal que tudo permeia, chamada de Reiki em japonês. É um método fundado sobre uma filosofia de vida que incute valores que são como uma bússola para a vida do praticante. Neste método, o fundador, Mikao Usui, instituiu também uma missão:

A missão do Usui Reiki Ryoho é guiar para uma vida pacífica e feliz. Curar os outros, melhorar a felicidade dos outros e a sua própria.

Mikao Usui

Os praticantes de Reiki aprendem várias técnicas terapêuticas, incluindo o autotratamento, que é a técnica para tratarem de si mesmos e práticas de tratamentos a outros, que inclui técnicas como o envio de Reiki à distância, técnicas para o cultivar o pensamento positivo, a desintoxicação, entre muito outras.

Reiki é uma energia vital, a mesma energia que encontramos na natureza, nos nossos corpos, em tudo o que existe. O Mestre Usui indicava que:

Tudo no universo possui Reiki sem excepção alguma.

Mikao Usui

A energia vital é algo de passivo, nós não conseguimos empurrar vitalidade para ninguém, então, qualquer pessoa que queira receber Reiki, terá mesmo que o querer, consciente ou inconscientemente, ou seja, só mesmo ela poderá aceitar recebê-la ou não. Isto vai de acordo com o livre arbítrio de cada um, ou seja, cada pessoa é que decide por si mesma, tem em si essa única decisão. Se algo acontece que seja uma energia forçada, então não é Reiki, nada tem a ver com a nossa prática.

O próprio praticante tem então que estar regido por uma perspetiva clara do que é a prática – ele tem os cinco princípios e muitas indicações do Mestre Usui que o devem guiar sempre por um caminho correto, assim, o praticante sabe que nunca fará nada para alterar o comportamento da pessoa, mas sim para proporcionar boas condições à harmonia e equilíbrio para a vida da pessoa.

Há um exemplo muito claro que nos poderá ajudar a observar toda esta situação.

Imagina que estás dentro do combóio e vês alguém escorregar e cair para trás. O combóio vai partir, não podes sair. Algumas pessoas riem-se da situação porque é o que muitas vezes fazemos sem termos vontade, outros ficam muito preocupados, mas parados nos seus lugares e alguém vai ajudar presencialmente aquela pessoa (esperamos nós). Cada um deste tipo de pessoas tem um pensamento. Cada pensamento tem uma energia. Quando eu penso em alguém, essa energia é direcionada para a pessoa. Temos então vários tipos de energia direcionadas para a mesma pessoa, uns de preocupação, outros de nervosismo e sabemos lá mais que outros pensamentos. A pessoa recebe toda essa energia e será que essa energia afeta o seu livre arbítrio?

O praticante de Reiki faz o seguinte, pede para que a energia flua para a pessoa, para a sua harmonia e equilíbrio se assim for possível, ou seja, se for da condição da pessoa aceitar essa energia, ou se realmente a precisa. De que forma isto afeta o livre arbítrio da pessoa?

Preferes receber pensamentos dos outros ou Reiki?

Os benefícios de uma sintonização após uma sessão de Reiki

Há alturas em que uma pessoa no seu processo terapêutico poderá receber uma sintonização de Reiki após a sua sessão ou consulta. Esta prática não é usual, mas poderá ser uma solução muito interessante entre alguns praticantes de Reiki.

Porque uma sintonização após a sessão ou consulta de Reiki

O propósito de uma sessão ou consulta de Reiki é a de promover o equilíbrio, harmonia e o despertar da consciência da pessoa em relação a determinado aspeto que requer a sua atenção. A consulta de Reiki funciona como um desvelar de questões, a promoção da tomada de consciência e a harmonia dos vários centros energéticos, mas também o equilíbrio do corpo, mente e coração.

Quando o terapeuta sente que a pessoa, sendo ela praticante de Reiki, pode beneficiar ao realizar-se uma sintonização, neste caso, a repetição da sintonização de determinado nível que a pessoa tem, tal prática pode ser muito benéfica.

A sintonização de Reiki deverá ser feita após a aplicação de Reiki na pessoa, pois esta aplicação, o tratamento de Reiki, auxilia ao correto fluxo do canal energético que implica um desbloqueio do mesmo. Estando a pessoa mais “alinhada”, equilibrada, o processo de sintonização é mais fluido.

Esta conjugação de sintonização e sessão terapêutica ajuda a aumentar a energia da pessoa – e o que ela poderá fazer com essa energia?

É importante que a pessoa pegue nesta oportunidade e faça a sua real transformação. Este tipo de prática não é como tomar uma aspirina, não resolve nada por si, mas dá um potencial extraordinário à pessoa para que tenha energia para resolver as coisas em harmonia, ou para estar na vida com uma predisposição mais serena.

Vale mesmo a pena este tipo de prática, não é aplicável a todas as situações e casos, assim como também não representa a necessidade de se fazer uma consulta de Reiki antes de aprender Reiki. É uma situação excepcional que deve ser considerada pelo terapeuta e quem sabe, porque não também pela pessoa?

O byosen ao enviar Reiki para a Terra

Quando estás a enviar Reiki para a Terra podes ter também percepções do seu estado. A estas várias percepções chamamos o byosen.

Byosen significa a irradiação da “doença”, ou seja, do desequilíbrio e desarmonia, neste caso, do planeta. Sempre que emitimos energia, temos um retorno, uma percepção.

O que fazer com o byosen ao enviar Reiki para a Terra

E se começares a sentir picadas ou mesmo dores, desconforto, ao enviar Reiki para a Terra? Isto pode acontecer e não é tão incomum quanto isso, pior ainda, neste último ano a condição energética da Terra vem vindo a deteriorar-se cada vez mais e a nós isso traz sensações não tão agradáveis.

Quando sentes formigueiros em determinada parte da mão, pode ser energia que está a criar algum tipo de desequilíbrio ou mesmo alguma parte física da Terra em desequilíbrio. Podes experimentar retirar e limpar essa mesma energia.

Podes também sentir vibrações estranhas nas mãos, ou até má disposição, por isso mesmo, está atento ao que sentes e ao que te apetece fazer, ou seja, o teu corpo e a tua terceira visão poderão ajudar-te a cuidar corretamente da energia emanada pela Terra, confia em ti.

Como enviar Reiki para a Terra

Existem várias formas de fazeres o envio de Reiki à distância para a Terra, este é apenas um exemplo:

  1. Preparação

    Se for um envio mais formal, poderás querer fazer o banho seco e enraizamento, recitando também os cinco princípios e sentir o fluxo da energia.
    Caso possas fazer o envio de Reiki ao ar livre e se estiverem outras pessoas perto, apenas visualizas para não estares a realizar as técnicas ao pé de outras pessoas. Faz como entenderes melhor.

  2. Envio de Reiki

    Sente a energia a fluir em ti;
    Visualiza o terceiro, segundo e primeira símbolo e recita os seus mantras;
    Indica que vais iniciar o envio de Reiki à distância e coloca uma intenção;
    Imagina que tens o planeta entre as mãos;
    Deixa a energia fluir para todo o planeta, preenchendo o planeta com harmonia e equilíbrio.

  3. Término e agradecimento

    Quando quiseres terminar, coloca as mãos em gassho, visualiza o planeta a desaparecer suavemente;
    Visualiza os três símbolos novamente e indica que terminas o envio de Reiki à distância;
    Faz novamente o banho seco;
    Agradece.

Enviar Reiki para a Terra é uma responsabilidade, um dever de todos os praticantes de Reiki, principalmente com o nível 2 ou 3. Nem que sejam apenas cinco minutos, mas todas as semanas tem em atenção o cuidado energético da Terra.

Porque é que uma boa ação pode ter um mau resultado

À medida que vamos cultivando uma boa consciência, compreendemos que a boa ação é o caminho natural de tudo o que devemos fazer. Uma boa ação deixa de ser algo pensado e avaliado, para ser algo apenas feito, porque sabemos que o devemos fazer, no entanto, uma boa ação poderá ter um mau resultado e isso faz-nos questionar – porque fiz uma boa ação e tive um mau resultado?

A boa ação e o mau resultado, um resultado que afinal pode ser positivo

Quantas vezes já fizeste uma boa ação e tiveste um retorno negativo?

Por exemplo, vais ajudar alguém e tens um acidente, ou acabaste de doar algo e perdes algo, ou tentas criar harmonia e surge discórdia?

Várias situações em que tentamos realizar boas ações, poderão ter um resultado negativo, mas poderá não ser bem assim se soubermos olhar a situação com outra consciência.

Em primeiro lugar, se a tua ação natural é uma boa ação, então parabéns! Estás no caminho certo. Em segundo lugar, se a tua boa ação leva a um resultado negativo, vamos observar dois aspetos.

  1. A boa ação evitou um resultado pior

    Realizas a tua boa ação e de seguida acontece algo um pouco estranho que quase te prejudica. Poderá acontecer pois o potencial da ação que foste sanar podia ser demasiado negativo e essa tensão teve que ser libertada, no entanto, a força positiva com que fizeste as coisas preveniu que algo de pior acontecesse.
    Se pensares em termos de energia, verás que há um entendimento mais claro.

  2. A ação precisa ser revisitada

    Por vezes achamos que a nossa ação é uma ação positiva, mas poderá não o ser totalmente, ou seja, podemos não ter observado todas as circunstâncias e o que pretendemos fazer não tem ainda condições suficientes para ser realizado, ou não é realmente aquilo que é o melhor para a situação.
    Nestes casos temos mesmo que desenvolver o olhar do observador e ter mais atenção antes de agir.

Quando fazes boas ações e as coisas não correm bem, não é para desistires, é para reavaliares as situações e continuares a fazer mais boas ações. Pensa sempre em termos energéticos e vais ver que as peças do puzzle das tuas dúvidas se começam a encaixar.

Page 1 of 122

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén