Ler à Sexta

Ler à Sexta – Como ser feliz até aos 100, de Khee Kun Hoo

Olá e bem-vindo a mais um Ler à Sexta, desta vez com o livro “Como ser feliz até aos 100”, do psiquiatra coreano Khee Kun Hoo.

O autor traz-nos o relato da sabedoria e suas aprendizagens ao longo de 87 anos. É como se escutássemos um querido avô ao longo das dificuldades da sua vida e também bons momentos, com a sabedoria do envelhecer e como ser feliz ao longo da vida.

Por um lado pragmático e direto, por outro lado, com o tom da sabedoria que a vida traz, o psiquiatra Khee Kun Hoo apresenta-nos cinco capítulos cheios de segredos para uma vida longa e bem-sucedida.

Este livro tocou-me bastante porque veio ter a um momento de revisão tão importante e a um marco de idade também.

A sociedade coreana é fundada em princípios de aparência e estatuto, o que faz com que haja sempre um esforço em tudo o que se faz e no que se aparenta.

Também o autor nos mostra a sua fragilidade na construção da família e no acompanhamento dos filhos, algo que hoje em dia tanto se tenta ocultar com um perfeccionismo que apenas causa mais stress e ansiedade a quem vê e também às próprias crianças. Diz o autor:

“No entanto, quem entre nós pode considerar-se verdadeiramente irrepreensível como pai? Todos os pais são amadores e acabam por cometer alguns erros. Não há maneira de fugir a isso. Mas a boa notícia é que não são as nossas decisões como pais que definem os nossos filhos. Eles decidem por si próprios. Sim, se que talvez seja difícil aceitar, mas os seus filhos têm uma quota-parte de responsabilidade no crescimento e em se tornarem quem são por si mesmos, tanto quanto os ajuda a moldar aquilo em quem eles se tornaram.”

Mais ainda, tocando num ponto tão importante à medida que envelhecemos e também na medida de querermos uma vida feliz – o perdão:

“Quando era mais novo, havia uma divisão nítida entre os meus erros e o dos outros – aquilo por que precisava de pedir perdão aos outros e aquilo pelo qual esperava que me pedissem perdão -, porém à medida que fui envelhecendo, a divisão foi-se tornando cada vez mais esfumada. Quem perdoa a quem? Vou-me perdoar a mim próprio. Se não perdoasse primeiro o meu eu zangado e ressentido, quem me perdoaria por todos os meus erros?”

Este livro, que é uma jornada de vida, fez-me refletir em tantas coisas e a saber também contemplar um caminho que termina… e que continuará.

Para terminar

“Nunca parta do princípio de que aquilo que sabe é tudo o que existe na realidade. Se continuar a acreditar em segundas oportunidades quando tudo parece ter terminado, encontrará uma nova porta aberta algures nesse beco sem saída”…

Desejo que possas encontrar sabedoria que te acompanhe neste livro e sem dúvida, que possas “ser feliz até aos 100” e até mais…

Encontramo-nos no próximo Ler à Sexta…

Podes ler um excerto deste livro aqui…

Mais informações sobre o autor e a sua obra na Editora Nascente.

Conhece Khee Kun Hoo

Rhee Kun-hoo é um psiquiatra de renome e autor do best-seller “If You Live to 100, You Might as Well Be Happy” (Como ser feliz até aos 100).

Aos 89 anos, está a fazer ondas a nível internacional, uma vez que os seus ensaios foram traduzidos para diferentes línguas em 16 países este ano, graças ao aumento da popularidade da literatura coreana. Rhee afirmou que a popularidade global do seu livro resulta da curiosidade dos leitores sobre a Coreia.

Fonte: Korea Times

Khee Kun Hoo. Foto de Park Jin-hai

Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e fundador da Ser - Cooperativa de Solidariedade Social. Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki», «Reiki Usui», entre muitos outros. Fundador da revista "Budismo, uma resposta ao sofrimento". Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.