Técnicas de Reiki

A importância sobre pedir para nós num grupo de envio de Reiki à distância

Quando fazemos parte de um grupo de envio de Reiki à distância, estamos num projeto de voluntariado, numa doação incondicional para aqueles que requisitaram Reiki para o seu equilíbrio e harmonia. Mas e será que o voluntário deve também fazer um pedido aos colegas do grupo para também ele receber?

Pedir ou não pedir pelo próprio num grupo de envio de Reiki à distância

Claro que cada grupo poderá ter regras próprias, mas é muito natural e faz todo o sentido, se um dos membros do grupo precisar de receber Reiki, indicar a sua necessidade para o grupo ajudar.

Mais ainda, pelo menos uma vez por mês, o grupo devia fazer um envio de Reiki para todos os membros do grupo. É uma experiência muito bonita, gratificante e que também promove a união, partilha e vivência da prática.

E porque não experimentar?

Claro que por vezes o praticante pode sentir-se inibido, pois o grupo é para uma ação voluntária, mas na prática de Reiki nunca nos devemos esquecer de cuidar de nós próprios e, mais ainda, saber pedir ajuda, que é um ato de enorme bondade, compaixão e entendimento de nós mesmos. Se soubermos pedir ajuda, também nos tornamos mais capazes de auxiliar pois compreendemos a fragilidade e reconhecemos os limites.

Apesar do Reiki presencial ser o mais indicado para o acompanhamento e compromisso da pessoa no seu cuidado, o envio de Reiki é fabuloso e um bom auxiliar.

Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e fundador da Ser - Cooperativa de Solidariedade Social. Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki», «Reiki Usui», entre muitos outros. Fundador da revista "Budismo, uma resposta ao sofrimento". Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.