A sintonização presencial e o que é uma sintonização na prática de Reiki

Como seria a prática de Reiki quando o Mestre Usui começou a ensinar em 1922?

Não sabemos concretamente… Sabemos que recitavam os cinco princípios de manhã e à noite, aplicavam Reiki onde detectavam byosen, tratavam outras pessoas, encontravam-se regularmente para a prática, meditavam e recitavam os poemas do Imperador Meiji.

E o que distinguia um praticante em cada um dos níveis? Ou como ele sabia que estava a trabalhar com a energia?

A sintonização – um momento na prática do Usui Reiki Ryoho

A distinção entre cada nível tem e tinha a ver com a aprendizagem, com a capacidade de percepção do aluno e do seu crescimento espiritual. Cada nível era também distinto na sintonização.

Aqui que hoje em dia chamamos sintonização, ou Denju 伝授 Transmitir, passar, é um pouco diferente do que era feito no tempo do Mestre Usui, cuja técnica se chama de Reiju 霊授, dar/receber, a bênção espiritual (Reiki).

É muito natural ao longo dos tempos se irem mudando partes e pontos de uma técnica e isso não tem problema, mas seria ideal termos um relato de quando foi mudado e porque. Por exemplo, sabemos que a sintonização da Mestre Takata foi mudada, mas não porque. Por isso, como recomendação, caso alteres algo no teu ensino, explica isso claramente e deixa registado.

Pelo menos no tempo do Mestre Usui e Hayashi, desconhecemos se havia alguma prática à distância de sintonização, mas presencialmente sim, claro que sim. Por exemplo o Mestre Hure Nagano dizia “Conheci o Mestre Usui em maio de 1925, em Sagano, num Reiju Kai, um encontro de sintonização… Durante aqueles cinco dias, todos os participantes sentiram-se concentrados e felizes por ali estarem”.

E, de facto, o estar presente faz tão parte do Usui Reiki Ryoho que é indicado por “Só por hoje…”, o estar, a atenção plena, no que se faz. Só por hoje é verdadeiramente o “agora estou aqui para ti”.

Então, quando estamos presentes numa sintonização acontece algo muito mais do que apenas o um para um. Há uma envolvência de toda a energia, em tudo o que compõe a pessoa, na sua dimensão física, mental, emocional e energética. Esta presença transforma a sua vida e esta é uma experiência espiritual, ou seja, uma ressignificação da vida.

A prática de dar e receber uma sintonização presencialmente é uma vivência necessária na prática de Reiki, pois muito se transmite empaticamente e compassivamente entre todas as pessoas reunidas.

Como fazer a sintonização em tempos de pandemia?

Os tempos de pandemia trouxeram-nos o confinamento, onde não podíamos realizar as sintonizações ou aulas presenciais, mas no desconfinamento também há imensos cuidados a ter. Então, o que podes ter em atenção:

  1. À entrada sempre cumprir as normas de higiene e todos devem passar as mãos por álcool gel;
  2. Entre cada aluno, passa as tuas mãos por álcool gel, assim como as do aluno, indica para não coçarem os olhos ou retirar a máscara antes da desinfeção;
  3. Não sopres (se for um hábito do teu sistema), mesmo o aluno tendo máscara não se pode fazer isso;
  4. Manter a distância de segurança entre os praticantes;
  5. Desinfetar todas as superfícies.

A sintonização é um restabelecimento da coerência no praticante, perante si mesmo e perante a vida (o universo), o estares, vivenciares, entregares-te à prática é algo único, é um tesouro que apenas cada um de nós pode sentir.

O Mestre de Reiki é também sempre um praticante de Reiki… conferir esta “bênção” é uma oportunidade gigantesca que temos na vida, é algo de muito precioso, para nós mesmos e para todos. Só por hoje… vale a pena praticar.

Vive a vida, presente nela.

2 thoughts on “A sintonização presencial e o que é uma sintonização na prática de Reiki”

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.