Ser bondoso para com os animais e como o ser depois para pessoas – Golden Rule Day

Somos uma família com quatro cães e uma gata. Cada um deles tem uma personalidade na verdadeira aceção da palavra. Os animais podem ensinar-nos lições preciosas para a vida, principalmente o saber relacionarmo-nos com as pessoas.

Aprender a ser bondoso para com os humanos, como se é com os animais

A 5 de Abril celebramos o Golden Rule Day, o dia da regra dourada, o fazer o bem aos outros e ao planeta, tal como gostaríamos que fizessem a nós mesmos. Ao longo da semana, observamos várias aplicações desta regra dourada para o nosso quotidiano, hoje vamos colocar a sabedoria desde dia nos animais.

Cada um dos nossos animais tem um caracter muito próprio, é um ser senciente e sem dúvida alguma que têm uma alma naquilo que se possa considerar como sendo algo de único e de vivencial na existência.

Todos em conjunto são parte da família e individualmente também representam cada pessoa na família.

Eles fazem chantagem emocional para terem mais “doces” e mimos, resmungam quando têm sono, ficam birrentos quando não conseguem dormir e assumem propriedade da casa.

Não há grande diferença de nós humanos. Por isso mesmo, se gostamos tanto de animais, precisamos aprender com eles a gostar de pessoas. Como?

Como sentes a relação com um animal? Há uma espécie de ligação forte, não é? Parece que o animal consegue ter um amor incondicional por ti e que está contigo nos momentos mais difíceis. Como achas que consegues fazer essa ligação? Ela é apenas de amor do animal para ti, dás-lhe amor apenas porque ele te dá? Como poderias ter essa ligação com qualquer pessoa?

Onde fica o amor incondicional quando não te dá mimos quando pedes? Ou quando consegue destruir algo de precioso que tens? Como o desculpas? Pensa agora numa pessoa que tenha feito o mesmo… como a poderias perdoar? Como poderias aplicar essa capacidade que tens para com um animal a uma pessoa?

Os animais também querem algo. Dão muito, mas também precisam… de cuidados, de afecto, de presença. Tal e qual como os humanos. Se o consegues fazer com um animal, transporta também essa bondade para com os humanos. Todos precisamos saber coexistir pois não é separando-nos que crescemos, muito pelo contrário. Compreender necessidades e sofrimento, ajuda-nos a descentrar da nossa dor e desilusões, compreendendo que a bondade é o melhor de todos os bálsamos.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.