Qual a diferença entre um autotratamento presencial e o autotratamento feito à distância

Com o nível 2 de Reiki podemos usar, de forma criativa, a técnica de envio de Reiki à distância, ou “tratamento ausente”.

Uma destas formas criativas é aplicá-la a nós mesmos, mas qual será a diferença para um autotratamento físico?

O autotratamento com as mãos no corpo e o autotratamento pela técnica à distância

A técnica de envio de Reiki à distância é para ser usada de forma regrada e como excepção, mas mesmo para nós, há muitas situações que poderão ser bastante benéficas.

Por exemplo, quando temos uma dor nas costas ou num sítio que não consigamos tratar.

Vamos imaginar que sentes uma dor na região do chakra cardíaco, nas costas e não consegues lá chegar. O que podes fazer?

  1. Inicia a técnica de envio de Reiki à distância como te ensinaram;
  2. Depois, visualiza as tuas costas, podes imaginar que estás atrás de ti;
  3. Imagina que estás lá a colocar as tuas mãos;
  4. Deixa fluir Reiki;
  5. O que sentes?
  6. Ao terminar, faz o banho seco.

Sim, muitas vezes esta prática resulta, em muitas situações é bastante interessante para questões que estejam muito presentes na nossa energia. Mas quando se tratam de questões para as quais precisamos de conforto, de perscrutar o nosso byosen e compreendermo-nos melhor, sem dúvida alguma que o tratamento presencial é o ideal.

Por isso mesmo, sempre que possas, faz o teu autocuidado presencial, e sempre que necessário, complementa com a prática à distância.

O autotratamento presencial, com as mãos no corpo, permite-te desenvolver bastante a percepção da energia, compreender a reação/ação do corpo, mais ainda, é um ato que cultiva o amor-próprio.

1 thought on “Qual a diferença entre um autotratamento presencial e o autotratamento feito à distância”

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.