Porque sentimos mais nos outros que em nós?

Muitas vezes sentimos mais nos outros as coisas. A energia, as emoções, tudo. E quando queremos sentir em nós, nem sempre temos essa percepção. Até mesmo a meditar. Meditamos melhor guiados pelos outros que por nós mesmos.

Quando sentimos mais nos outros que em nós e como equalizar os dois aspectos

Poder sentir em nós mesmos o que sentimos mais nos outros é muito importante e não é impossível.

Quando temos a empatia muito apurada, natural e inconscientemente, desenvolvemos uma maior percepção ao encontro do outro.

Queremos escutar a sua dor atentamente, compreender o seu sofrimento.

Da mesma forma, ao aplicar Reiki, sentimos mais as suas necessidades e o que precisa, compreendemos melhor até a energia que está em si mesmo. Mas como podemos trazer até nós essas mesmas percepções?

Praticar o sentir em nós mesmos

Em primeiro lugar, tenta perceber como é que sentes a energia nos outros. Faz a ti mesmo as seguintes questões:

  • Quando estou a escutar, a que estou atento?
  • Quando estou a olhar, o que estou realmente a ver?
  • Quando estou a sentir a energia do outro, presto atenção a que?

Agora, experimenta fazer isso mesmo a ti:

  • Fala contigo mesmo. Como te escutas? Consegues escutar com o mesmo amor e compaixão?
  • Olha-te ao espelho, consegues olhar da mesma forma com que olhas para os outros?
  • Coloca as mãos no teu corpo, sente o contacto das mãos, dos dedos, com o corpo. O que sentes? Entregas-te da mesma forma como te entregas a sentir os outros?

A empatia é excelente e muito necessária, talvez cada vez mais, mas também a compaixão e o cuidar deve ser entregue a nós mesmos. Assim, estaremos sempre num bom equilíbrio entre nós e o outro.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.