A bondade por alguém que cuidamos – Golden Rule Day

Ser cuidador é prestar uma atenção tão grande ao outro que, muitas vezes, a nossa vida fica em standby. As nossas necessidades esquecidas de tal forma que o nosso calor interior vai sumindo, enfraquecendo, até já não encontrarmos mais amor no ato onde demonstramos tanto.

A bondade no cuidar do outro, quando já a perdemos

A Regra Dourada relembra-nos a importância de tratarmos o outros como gostaríamos de ser tratados.

Quando cuidamos de alguém, há um profundo amor que é demonstrado. Não o fazemos na esperança que nos venham também a tratar da mesma forma. Há um desejo de bem ao outro, um carinho e uma profunda bondade.

No entanto, o contínuo cuidar pode levar-nos a um desgaste profundo… toda a nossa empatia esvai-se e uma boa palavra pode tornar-se numa farpa muito dolorosa para o outro… e para nós também quando nos apercebemos dela.

Recuperar a bondade, lembrando-nos do quão bondosos somos

Em primeiro lugar devemos sempre lembrar-nos do profundo amor que temos em nós e do desejo humano de querer o bem ao outro. Este é um Grande Amor.

O grande sofrimento é aquele que surge da nossa exaustão. Então, o grande amor não mudamos, mas sim o grande sofrimento, o caminho que nos leva a ele.

Recordas-te porque tratas tão bem do outro?

Recordas-te do valor que é a bondade que precisamos ter com o outro, da mesma forma que também devemos ser bondosos para connosco, assim como o saber pedir ajuda?

A nossa bondade precisa de ter presença. Se a cabeça estiver em conflito e demasiado alterada com preocupações, então a bondade não se conseguirá manifestar. Sentes isso? Como poderia ser diferente? O que precisas?

Este dar e receber é tão importante como recordares-te do Grande Amor que possuis em ti e o expressas no outro. Não carregues o mundo às tuas costas, tu estás no mundo e ele pede-te para viveres, assim como ajudas o outro a viver.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.