2021 - Prática da Bondade

Quando tudo parece correr mal – cinco dicas para te reequilibrares

Quando tudo parece correr mal, não baixamos os braços, mas isso não significa que não possamos parar, pensar e agir de forma mais adequada.

Então, existem cinco dicas que nos ajudam a realinhar o nosso ser perante a adversidade.

As cinco dicas para quando tudo parece correr mal

1 – Transforma todos os percalços no caminho e o que encontrares é o teu caminho

As dificuldades trazem-nos inquietude e, claro, não gostamos que as coisas saiam fora daquilo que programamos. Quanto mais resistência fazemos, mais parece que sofremos.

Então, porque não transformar todos os percalços e dificuldades como sendo as pedras que pavimentam o nosso caminho.

Este é o caminho que percorremos, não podemos fugir dele pois há aprendizagens que são para o nosso crescimento. Compreender isto ajuda-nos a ter serenidade e a ficar mais atentos à mudança.

Sabe pedir ajuda. Não vivemos sozinhos neste mundo, dependemos uns dos outros e saber pedir ajuda é também uma ação muito humana e autocompassiva. Não tem nada de mal, nem é uma fraqueza – é humanidade.

2 – Conduz todos os erros para ti

Um mau caminho, por vezes, vem de más escolhas. Podemos ter sido influenciados, mas em última análise fomos nós que fizemos a escolha. Não culpar os outros leva-nos a não cultivar raiva e mágoa, mas ao colocarmos a origem do erro em nós, não se pretende a autocrítica negativa, nem a depreciação, muito pelo contrário.

Quando te observas como a origem do erro, também te vez como a origem de todas as coisas boas, ou assim o devias fazer. Confia em ti, lembra-te que mil experiências erradas podem levar a um grande sucesso, tal como Edison experimentou até à criação da lâmpada que todos nós usamos. Sem erro não existe o correto.

3 – Expressa gratidão

Quer sejam situações ou pessoas que entram na nossa vida de forma disruptiva, a gratidão permite-nos serenar. É uma atitude de entendimento, de paragem para observar, tomar consciência e compreender que a vida nos oferece algo que é uma oportunidade de crescer.

Não é fácil crescer e por vezes vem com dores. Podemos até mesmo lembrar-nos das nossas dores de crescimento físicas que passamos na adolescência. Também em termos de mente e consciência na vida podemos sentir essa dor ao nos depararmos com o nosso crescimento.

A gratidão permite-te relativizar e sanar a dor.


4 – A confusão e dificuldade é um mestre

Cada situação e cada pessoa que surge à nossa vida e nos traz desafios, representa um mestre.

Que cada momento exigente possa ser observado com respeito e dignidade, mais facilmente o compreenderemos e o ultrapassaremos.

5 – Faz coisas boas

Sem dúvida que o melhor antídoto de uma mente que fica presa à preocupação ou ansiedade é o dedicar-se a fazer coisas boas. Claro que a nossa mente vai direta para a ação pelo outro, mas a autocompaixão é algo de também muito valioso para ti mesmo. Experimenta.

Cuida de ti, é a tua maior bondade, exprime-te com ações bondosas para com os outros e a vida.

Sou Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e fundador da Ser - Cooperativa de Solidariedade Social Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki», «Reiki Usui», entre muitos outros. Fundador da revista "Budismo, uma resposta ao sofrimento". Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.