O que é Reiki à distância

Reiki à distância é um termo usado no ocidente para designar uma técnica tradicional chamada Enkaku Chiryo, ou seja, o “tratamento ausente”.

É uma técnica que se popularizou bastante e criou imensas ramificações de conceitos e formas de aplicar, mas qual a sua finalidade?

O Reiki à distância e a técnica do tratamento ausente

Quando precisamos tratar alguém que não pode vir receber Reiki, aplicamos a técnica do tratamento ausente. A Mestre Takata falava muito nesta técnica e, pelos registos que já pudemos ler, terá sido quem fez algumas ramificações da técnica, aplicando o conceito até numa sintonização à distância.

O conceito de Reiki à distância, ou envio de Reiki, torna-se muito mais simples para a comunidade portuguesa compreender do que expressarmos o conceito de “tratamento ausente”.

O Reiki à distância na sua origem cultural

Imagina-te no Japão, principalmente no início do século XX. A cultura xintoísta está muito presente e praticamente todos os japoneses têm os seus hábitos enraizados nesta cultura e religião popular que é ausente de uma hierarquia central como podemos encontrar em todas as outras religiões.

O sacerdote xinto percorre as casas da região do seu templo a perguntar se há algum familiar doente que precise de tratamento. Se sim, ele leva um papel com o nome da pessoa, a sua data de nascimento e problema físico para o templo. Esse e outros papéis são juntos numa cerimónia.

Então temos um conceito cultural, o tratamento à distância ou o tratamento de quem está ausente. Havendo uma base, muito facilmente surge uma linha de pensamento, uma técnica num método que represente algo parecido.

Assim, na prática do Usui Reiki Ryoho, temos o tratamento ausente, onde identificamos o pedido da pessoa e a energia flui para a condição que foi pedida, para o seu tratamento. Esta era uma técnica para tratamento do desequilíbrio da pessoa, que não se podia deslocar para ser tratada.

A prática ocidental do Reiki à distância

Hoje em dia, amplificamos o conceito. Enviamos Reiki para situações, para outras pessoas, animais, enviamos Reiki para o planeta e até fazemos autotratamento à distância.

Não é mau acrescentarmos algo a uma prática tradicional, pois tem resultados muito positivos e ajuda-nos a ajudar ainda mais, a nós mesmos e aos outros, mas também não nos devemos distanciar ao ponto de perder de vista o conceito e propósito original.

Então, o envio de Reiki à distância e o Tratamento Ausente fazem todo o sentido numa prática energética – cuidar, mesmo que não se esteja presente.

O uso dos símbolos no Reiki à distância

Existem divergências fundamentais na prática ocidental e tradicional, mas não sabemos como foram introduzidas ou porque, com toda a certeza há uma razão de experiência, por isso, segue conforme o teu Mestre te ensinou.

Na prática ocidental, usam-se os três símbolos – do terceiro para o primeiro. Na prática tradicional apenas se usa o terceiro símbolo.

Os símbolos não são muletas ou obrigações, são apenas formas de aprendizagem, técnicas para aprimorarmos a nossa percepção.

Os cuidados éticos no envio de Reiki

Tratar alguém à distância através do envio de Reiki é claro que segue propósitos importantes e uma ética.

A energia é passiva, não se empurra vitalidade, por isso Reiki apenas flui se o receptor o quiser. Assim como a energia funciona para um tratamento, não para desejar um carro melhor, ou que duas pessoas namorem – essas são energias pessoais.

Mais ainda, existe um percurso terapêutico, a responsabilização da pessoa pelo seu próprio tratamento. Quando um médico prescreve uma receita, a pessoa é responsável por a tomar rigorosamente. Da mesma forma, quando alguém pede Reiki à distância, a pessoa também é responsável por aquilo que faz com a vitalidade que recebe.

Assim, um tratamento ausente deveria sempre ter um acompanhamento de percurso e não apenas um envio por envio sem feedback. Hoje em dia, acabamos por fazer muitas vezes esta última situação, pois há tantos pedidos urgentes que raramente se encontra retorno. Será que nos devemos apegar a um retorno? Claro que não, este é um momento de doação na prática.

Então, Reiki à distância pede-nos enraizamento nos cinco princípios e também não precisamos ter todas as informações sobre a pessoa, quem requer, já está a fazer essa ligação.

Reiki é simples, mas requer profunda prática e só por hoje, vale a pena praticar.

Esclarecimento

A prática de Reiki não substitui os cuidados médicos, é apenas um auxiliar integrativo e exclusivamente do campo energético.
Não são dadas consultas de Reiki à distância.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.