Reiki para a gestão emocional

Há alturas em que a nossa gestão emocional falha redondamente. Tudo parece ser um remoinho louco que nos arrasta para uma incapacidade de reagir ou até mesmo agir, quer seja correta ou incorretamente.

Quando isso acontece, mais e mais energia emocional se vai acumulando em nós, trazendo mais e mais desequilíbrio

A gestão emocional e como aplicamos Reiki para a auxiliar

A que me apego nas questões emocionais e o que preciso realmente?

Quando colocamos estas duas questões, podemos ter uma reflexão muito profunda com tomadas de consciência que nos trazem um enorme crescimento.

Assim, trabalhamos a gestão emocional de duas formas:

  1. Filosofia de vida – Reflexão;
  2. Tratamento – Aplicação de Reiki no local.

O tratamento de Reiki para a gestão emocional através da filosofia de vida

São muitas as formas de abordarmos o tratamento do desequilíbrio energético da nossa capacidade de gestão emocional, por isso, o que indico aqui é meramente uma possibilidade e abordagem.

Reflete, através dos cinco princípios, o que está a estimular tanto a tua fragilidade?

Qual dos princípios parece falhar mais? O que achas que precisas para muda?

A aplicação de Reiki

  1. Aplica bastante Reiki no Chakra Raiz. Se for necessário, devido ao seu desequilíbrio, fica cinco dias a aplicar Reiki apenas nessa posição;
  2. Depois, passa para o Chakra Esplénico e Plexo Solar ao mesmo tempo, como se as tuas mãos preenchessem toda a barriga. Esta posição irá auxiliar-te a trabalhar a energia emocional que se acumula;
  3. Finalmente, experimenta o Chakra do Plexo Solar e o Chakra Cardíaco ao mesmo tempo.
  4. Em cada posição recita interiormente os cinco princípios como se estivessem a fluir para esses chakras, irá sem dúvida auxiliar a compreender a energia de algumas emoções que estão lá reservadas.

O Chakra do Plexo Solar é o responsável pela gestão da energia emocional, no entanto, se todos os chakras anteriores não estiverem também equilibrados, poderá não ter a capacidade para se sustentar perante as adversidades.

Por isso, o nosso tratamento tem que ser como um todo, olhado para várias perspetivas e, principalmente, entrando para dentro de nós mesmos.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.