Dia do Cuidador Informal e a Crise da Compaixão

Cerca de 1,4 milhões de portugueses representam o papel de cuidador informal, podendo ser mais desde o início da pandemia. O cuidar do outro é um grande ato de bondade e amor, mas que por vezes traz uma exaustão que podemos conhecer como a crise da compaixão.

A crise da compaixão no cuidador informal

A compaixão é o alívio do sofrimento, o dos outros e o nosso próprio. É um sentido que temos de auxiliar para o bem-estar, para um viver mais completo e ausente de sofrimento.

Quando os nossos familiares envelhecem ou ficam doentes, muitas vezes nos tornamos cuidadores. Queremos providenciar o amor, conforto, proteção que precisam enquanto recebem os cuidados médicos.

A crise da compaixão começa quando o nosso doar nos traz exaustão, quando aquele amor que sentimos por cuidar já está vazio, mas continuamos. Já não temos energia, mas continuamos a fazer exatamente tudo o que fazíamos.

Então, começa um estranho cansaço, irritabilidade. Resmungamos com o outro e resmungamos connosco por termos tido essa atitude. A crise agudiza-se e surtem emoções mais fortes que se podem tornar sentimentos.

Parece que nos distanciamos de nós mesmos e já não nos reconhecemos. A vida continua uma corrida, mas sentimos que já não temos força para continuar. Ansiedade, sentimentos depressivos, exaustão, são alguns dos resultados conhecidos.

Por isso mesmo é tão importante reconhecer o Cuidador Informal e também ele se reconhecer a si mesmo e aos sinais que surgem.

O bem-estar do cuidador informal é muito importante, pois poderá passar de cuidador a ter que ser cuidado e quem o fará?

Se és praticante de Reiki e cuidador informal, não te esqueças do teu autotratamento e de um estilo de vida saudável, recorda-te dos cinco princípios e insere na tua rotina diária a técnica de meditação Joshin Kokyu Ho.

Se não és praticante de Reiki, experimenta também sessões de Reiki e procura práticas que te auxiliem a libertar o stress e exaustão que possas sentir.

Para todos, aqui fica uma meditação para o auxílio do alívio da pressão interior.

1 thought on “Dia do Cuidador Informal e a Crise da Compaixão”

  1. Maria Filomena Pessanha

    Bom dia que maravilha. Sim é preciso cuidarmos de nós com compaixão para que a possamos ter com os nossos e de quem também cuidarmos.Obrigada <3

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.