O desapego é liberdade, na verdade é viver sem agarrar o que não interessa

Muito ouvimos falar em desapego, mas também muitas vezes o conceito é empregue de forma errada ou traz-nos uma sensação de desinteresse e egoísmo.

O que será que realmente o desapego significa e como o poderemos empregar corretamente?

O desapego…

Imagina que há uma pessoa que consideravas tua amiga que te trata de forma desconsiderada. Essa desconsideração traz-te dúvida “mas porque faz isso?”, “mas o que eu possa ter feito?”, “mas porque me magoa?”. Tentas compreender o que se passa, mas tudo parece bem, mas sabes que nada está bem. Então, a tua mente começa a agarrar-se cada vez mais a essa situação, que faz surgir emoções como a tristeza, a mágoa e… mesmo a raiva.

Algumas vez tiveste uma situação destas?

O ficar agarrado à situação é o que podemos chamar de apego. É um agarrar que parece sair fora do nosso controlo racional. Este apego, este agarrar, surge porque há algo que não conseguimos compreender e isso faz-nos parar na vida. A partir daqui, surge uma irrequietude, um desassossego na nossa mente, que transborda para a vida.

Com esta situação que tantos de nós vivemos muitas vezes, encontramos a definição de apego.

Quando, finalmente, a tua consciência se consegue sobrepor à dor das emoções e dos pensamentos confusos e decide que o agarrar não tem significado e apenas nos magoa a nós próprios, então encontramos o significado de desapego.

Será que podemos considerar o desapego como uma opção de liberdade? Sim, é a liberdade em relação às ilusões.

Desapegar é uma atitude que apenas pode ser feita conscientemente. Acharmos que cortamos relações com alguém, estando com raiva no nosso coração, não é desapego, pelo contrário estaremos a criar um apego ainda maior por estar oculto.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.