Filosofia de Vida,  Imperador Meiji

2020 em reflexão no Dia das Virtudes do Imperador Meiji

A 30 de Julho celebro sempre o Dia das Virtudes do Imperador Meiji como uma lembrança da nossa filosofia de vida. No Japão este dia é celebrado com cerimónias no templo dedicado ao Imperador Meiji. Este é um Imperador muito estimado ainda pelos japoneses pois levou o país ao desenvolvimento e à abertura com o ocidente. Promoveu a cultura, educação e saúde, como nunca antes tinha sido feito e também ele, contribuiu muito através da sua poesia.

O Mestre Usui, sabemos, escolheu 125 poemas dos milhares que o Imperador Meiji escreveu. Estes poemas eram usados para a reflexão, como âncoras para a atenção plena, para o crescimento interior do praticante. Entoados e interiorizados ao longo da prática meditativa.

Hoje em dia, também o podemos fazer. Na prática de reflexão, colocamos uma questão e escolhemos um poema.

Desde Março que, em Portugal, vivemos um tempo tão exigente. 2020 seria o ano de grandes coisas e até viagens extraordinárias. As grandes coisas revelaram-se na capacidade de humanidade e as grandes viagens foram feitas ao nosso interior. Então para este tempo tão conturbado, escolhi três temas para refletir com os poemas do Imperador Meiji:

  1. Sobre a pandemia
  2. Sobre a atitude do ser humano
  3. sobre o caminho futuro.

Sabemos que os poemas não são um “oráculo”, mas sim uma perspetiva que a nossa mente interpreta, mesmo assim, surgem três grandes e profundas considerações para o nosso caminho.

Três reflexões sobre o período conturbado que a humanidade atravessa

Sobre a pandemia

Comecei por refletir, meditar sobre a pandemia e o primeiro poema que surgiu foi o 11 – Às vezes.

Não te esqueças de trabalhar arduamente,
Não importa quão rico e satisfeito estás.

Imperador Meiji

Mas na época de confinamento todos tivemos que parar! Muitas pessoas até sentiram a necessidade de abrandar, então, o que este poema quer dizer?

Tivemos que parar, mas isso não quis dizer que devêssemos parar o trabalho interior e mesmo o esforço para manter a nossa sobrevivência. O trabalho árduo, na prática de Reiki, não quer dizer o esforço até ao esgotamento, quer dizer o esforço correto que colocamos em harmonia com a nossa vida.

Crescer como pessoas, crescer como indivíduos e comunidades é um desafio. Acharmos que alcançamos os nossos objetivos pode levar-nos a querer parar, mas na verdade, na vida tudo muda e a pandemia veio mostrar isso mesmo. De um dia para o outro, podemos ficar sem todas as economias e no entanto isso não nos impedir de ajudar o próximo. Trabalhar arduamente é o esforço correto para o nosso aprimoramento.

Sobre a atitude do ser humano

Para esta reflexão, surgiu o poema 8 – Amizade.

Quando alguém comete um erro,
Corrige o erro e aconselha-o a melhorar.
Essa é a verdadeira amizade.

Imperador Meiji

Não agir, não é apenas inação sobre algo que nos diz respeito, é também não estar atento a que tudo está interligado. Um erro feito por mim, não me afeta apenas a mim, mas terá também repercussões nos outros. Este tempo pede-nos envolvimento, mas também não de uma forma bruta ou moralista, mas sim consensual e harmoniosa.

A correção não é uma chamada de atenção, não é uma ofensa, é uma mudança que nos pode colocar no caminho que nos faz ser mais ligeiros. Quando compreendemos que, apesar de termos ritmos e percursos diferentes, o nosso objetivo será sempre o mesmo, tudo terá um outro sentido e com maior comunhão poderemos abraçar os desafios – os nossos internos e também os externos.

Se reconhecermos os nossos erros, temos a oportunidade de os mudar. Por vezes não os vemos, mas os outros podem observá-los e indicá-los. Estar atento e escutar faz vir ao de cima o terceiro princípio – só por hoje, sou grato.

Sobre o caminho futuro

Na meditação sobre o caminho futuro, surgiu coincidentemente o poema 83 – Caminho.

Embora possa demorar algum tempo,
Certamente não há perigo de ires para o lado errado
Se continuares a fazer o que é certo
Como ser humano.

Imperador Meiji

Novamente, é-nos exortado o fazer o correto e para isso precisamos estar conscientes. Tantas vezes olhamos para o passado e pensamos “que erro fiz e ainda para mais pensava que estava consciente”. A vida é um constante crescer, é bom que assim seja e é bom olhar para o passado e compreender que hoje somos diferentes. Da mesma forma, lembra-te que os outros podem mudar. Todos podemos vir a fazer o que é certo e a tomar o caminho correto. O importante é nunca nos esquecermos da nossa humanidade.

Neste dia das virtudes do Imperador Meiji, há sempre uma dança muito especial no seu templo, inspirada neste poema. Possa também a tua mente ser assim hoje… Só por hoje.

Sou Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e fundador da Ser - Cooperativa de Solidariedade Social Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki», «Reiki Usui», entre muitos outros. Fundador da revista "Budismo, uma resposta ao sofrimento". Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.