Nesta fase do COVID-19, porque praticantes de Reiki se sentem mal após o envio de Reiki e autotratamento

Neste tempo de emergência, com o alastramento do COVID-19, muitos praticantes de Reiki têm-se empenhado no seu autotratamento, assim com no auxílio aos outros através da técnica de Envio de Reiki, meditação, ou pensamentos positivos.

No entanto, muitos praticantes relatam que se sentem mal, que sentem indisposição, enjoo, sufoco, ansiedade, depois de enviar Reiki para o planeta, para as pessoas doentes, ou até mesmo após o seu autotratamento.

Porque a energia deste tempo do COVID-19 pode trazer-nos más sensações

A prática de Reiki, o Usui Reiki Ryoho, apenas lida com energia, nada mais do que isso. Assim, trabalhamos para a harmonia do nosso sistema vivo, quer seja o corpo ou até mesmo a harmonia do planeta, em termos energéticos.

Também na prática, temos um conceito chamado byosen – a irradiação do desequilíbrio e desarmonia (a doença).

Este conceito diz-nos que sempre que há um desequilíbrio, ele é irradiado e, desta forma, todas as pessoas tendem a ter a percepção desse desequilíbrio.

Pessoas que não são praticantes de Reiki, podem senti-lo inconscientemente, mas os praticantes de Reiki podem senti-lo nas suas mãos, terceira visão, ou apenas como uma espécie de sensação interior.

Neste preciso momento, em Março de 2020, há pânico, medo, terror, sofrimento, dor… tudo isso é irradiado.

Começamos a sentir a energia do planeta mais leve, pois não está a ser tão agredido com o nosso consumo exagerado, mas por outro lado, a energia do conjunto das pessoas, por todo o planeta, está pior pelo medo e pela dor que sentem ou temem vir a sentir.

Muitas vezes, os praticantes de Reiki são como as grandes baleias que se orientam por correntes marítimas, no nosso caso, orientamo-nos pelas correntes energéticas. Apesar de estarmos conetados à energia vital, não deixamos de sentir a forte corrente energética do medo e da dor e é exatamente essa corrente presente e a irradiação de cada pessoa e do conjunto de pessoas, que muitas vezes nos faz sentir mal, exaustos e perturbados.

Será que devemos parar?

Não!

Não devemos de parar de tentar transformar e harmonizar a energia, mas devemos ter mais atenção.

Também essa sensibilidade surge com o autotratamento, apesar de tudo estar bem connosco, a nossa sensibilidade e conexão à energia, permite-nos perceber que nada está bem ao nosso redor. Devemos aceitar essa percepção com gratidão e continuar a auxiliar os que precisam.

Antes e depois do autotratamento e do envio de Reiki, observa bem as tuas emoções e pensamentos, o que possam ser fragilidades.

Observa o que é a tua energia e o que é a energia externa. Por vezes a energia manifesta-se nos pontos onde estejas mais sensível ou fraco, reforça aí o tratamento.

Aplica o banho seco e a chuva de Reiki. Sempre que necessário – enraizamento.

Cuidares de ti é muito importante, enviares Reiki para os outros e para o planeta é também um grande papel.

Muito obrigado, vale a pena praticar!

O que fazer em tempo de emergência COVID-19
  • 21 dias de Prática e Renovação
  • Missão de cada praticante
  • Sentir mal ao enviar Reiki
  • Gerir a ansiedade
  • Cinco dias sem medo
  • Meditação para a Compaixão
  • Aplicar Reiki aos filhos
  • Reiki em animais
  • Responsabilidade, Respeito e Resiliência

  • O CENIF reabrirá a partir do dia 6 de Junho, mantendo todas as regras de segurança da DGS e seguindo passo a passo as indicações de desconfinamento e regresso à atividade.
    Segue o Podcast
    Outros Cursos
    Categorias de Artigos
    Recebe a newsletter

    Categorias
    Newsletter

    Comments
    All comments.
    Comments

    Deixe um comentário

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.