Dia 5 – Só por hoje, sou bondoso – com amor, conquisto o medo, com entendimento, elimino o que nunca existiu

Sábios em todas as épocas ensinam o mesmo – a bondade, o amor, são o bálsamo para a dor da nossa existência e para o sofrimento que o medo traz.

Observar o medo com bondade é como encarar os desafios árduos da vida com harmonia.

A bondade como uma forma de cura para o medo

Todos nós sofremos de grandes venenos – a raiva, a ganância, a ignorância. Lidamos com sentimentos profundamente enraizados que nos podem destruturar, como a rejeição e o medo.

Quando vivemos apenas em reação a estes sentimentos e venenos, não vivemos, apenas sobrevivemos apesar de tudo o que possamos ter materialmente. É a mente que não nos deixa em paz, a nossa própria mente, aquela que devíamos educar.

Quando o Mestre Usui trouxe para o seu Usui Reiki Ryoho cinco princípios, ele quis passar-nos uma mensagem muito importante.

Ele adverte que devemos trazer a nossa mente ao seu estado primordial que é o que tem o maior dos potenciais – a mente que não está ansiosa pelo futuro, nem apegada em depressão ao passado. Ele dá-nos cinco valiosas chaves para o alcançar, sabendo viver com atenção plena:

  1. A calma, através da qual construímos harmonia;
  2. A confiança, através da qual ultrapassamos as nossas limitações e valorizamos a vida;
  3. A gratidão, através da qual alcançamos a sabedoria da vida e o entendimento correto do nosso caminho;
  4. A diligência, através da qual observamos com honestidade as prioridades da vida e lutamos por elas;
  5. A bondade, através da qual cultivamos o maior tesouro de todos – o amor, que significa Respeito e Entendimento.

Através da vivência destes princípios, sentimo-nos úteis na vida porque já não estamos contra ela, vivemos aquilo que o Mestre Usui nos dizia:

A lei natural do Grande Universo e cada Espírito Humano como pequeno universo, devem ser constantemente unidos, existindo como um.

Mikao Usui

O que é então o medo perante a bondade?

Quando estás pleno de bondade, o medo é apenas uma emoção, um sentimento, vazio por si mesmo. É como se encarasses um balão cheio de ar, que desatas e esvazias, até ser apenas um pedaço de latex no chão.

O balão cheio representa o medo perante ti, que está insuflado pelo ar, ou seja, pelo valor e pensamentos que tu mesmo lhe deste.

O desatar o balão é a vontade que tens, através da bondade, de suplantares os teus medos.

O esvaziar, é o entendimento que alcanças que o medo por si não tem força, que ele é apenas uma criação tua, feita dos teus pensamentos, emoções e memórias.

Quando observas o balão no chão, é o momento em que decides voltar a repetir o ciclo de ter medo, ou seja, de o encher com pensamentos, emoções e memórias, dando-lhe forma, ou se é o fim do ciclo, tendo alcançado o melhor da tua consciência do momento.

Como vês, o medo é algo teu, algo que faz parte da vida de todos nós. Quando estamos inconscientes, deixamos o medo se insuflar e aparentar, quando estamos conscientes, não há medo, apenas entendimento.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.