Dia 3 – Só por hoje, sou grato – compreendo os meus medos e os dos outros

Porque surgem os nossos medos?

A maior parte das vezes apenas lidamos com aquilo que o medo nos traz, mas nem sempre vamos atrás do porque surge o medo ou que situações causaram os nossos medos.

Os medos e como a gratidão os pode ajudar a compreender

Só por hoje, sou grato“, é o nosso terceiro princípio e um pilar essencial para a compreensão de qualquer situação na nossa vida, mas como poderá a gratidão ajudar-nos a compreender o que passamos e, neste caso, os medos que temos?

Os medos poderão surgir de algo que assistimos e nos impressionou, quer tenha sido uma experiência própria ou apenas relatada ou visualizada. Por exemplo, uma criança pode ter medo de perder os pais porque ouviu um coleguinha falar sobre a morte de um familiar.

Estes medos podem ter sido numa idade tão longínqua que parecem afastados da memória e consciência presentes. Parecem medos irracionais pois não têm razão de ser.

Então como os poderemos transformar?

Só por hoje sou grato pede-nos para encarar a situação. Por exemplo, podes ter medo de passar fome:

  • Coloca as mãos em gassho;
  • Foca-te nas mãos, na energia que sentes nas mãos;
  • Leva agora a atenção à respiração, faz o Joshin Kokyu Ho;
  • Recita lenta e profundamente os cinco princípios;
  • Sente-os a fluir em ti, a permear todo o teu ser;
  • Quando te sentires com força, visualiza o teu medo;
  • Encara-o com a serenidade dos cinco princípios;
  • Sente a energia desse medo;
  • Deixa que a energia flua para esse medo e o transforme. Leva também a energia a ti mesmo que sentes esse medo;
  • Observa que no momento presente não há razão para esse medo e que tu és capaz de tudo, que tens a capacidade para o suplantar;
  • Deixa o medo se ir evaporando, pois ele não faz sentido na tua vida;
  • Quando quiseres terminar, agradece, sente a tua respiração, sente a energia em ti e deixa-a perdurar.

Os medos podem surgir apenas como precaução, como chamada de atenção, ou como estímulo de uma memória traumática, não tendo razão alguma de ser. Aos que nos chamam a atenção para termos cuidado, devemos então precaver com responsabilidade, aos que não têm razão de ser, devemos tratar.

Há outra forma de tratares esses pensamentos automáticos, é através da técnica Nentatsu Ho.

Quando temos medos podemos parar ou podemos reagir. Nem sempre as reações são positivas, muitas vezes elas são inconscientes e trazem mais sofrimento, a nós próprios e aos outros.

Lembra-te que, por vezes, há também quem reaja a ti, algo que tu fazes pode despoletar-lhe medo, um medo irracional e essa pessoa poderá trazer-te sofrimento, mesmo não querendo. Muitas vezes ela nem te está a ver, apenas vê o seu próprio medo. Conseguimos compreender isto melhor através da gratidão. Colocamos as mãos em gassho, serenamos a mente e tudo fica mais simples de compreender.

A gratidão é o que nos ajuda a elevar a energia, a parar, a compreender que não estamos sós na vida, apesar de por vezes estarmos sozinhos. Não tenhas medo, eleva a tua prática, insiste na tua prática.

Poderás desenvolver em profundidade e filosofia de vida do Usui Reiki Ryoho no livro Reiki, Guia para Uma Vida Feliz.

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to dFlip 3D Flipbook Wordpress Help documentation.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.