A condição humana,  Reiki

Será Reiki amor incondicional

Será Reiki amor incondicional? Não é, a energia não tem caracter, apenas tem o que possa ser considerada uma lei natural da própria vida, no entanto, o ser humano sim, é capaz ou não de cultivar, demonstrar e realizar o amor incondicional.

Quando dizemos que Reiki é amor incondicional o que se quer realmente dizer

Muitos praticantes usam a belíssima expressão de que Reiki é amor incondicional.

Isto não quer dizer que a energia é amor incondicional, pois a energia não tem uma mente que cria uma ação, ela existe no sentido de todas as coisas que existem no universo. No entanto, nós humanos, temos uma mente e essa sim, é capaz de gerar amor incondicional.

Então, ao referirmo-nos que Reiki é amor incondicional, estamos a dizer que a prática que fazemos é uma prática de entrega, de doação, de amor incondicional. Quem faz a prática é o praticante, isto é, a pessoa e não a energia.

O que quer dizer amor incondicional

A cultura ocidental e oriental usam termos diferentes para os mesmos resultados. Para uma ação desinteressada, em prol do próximo e daquele que mais necessita, é chamada de amor incondicional, no ocidente. Já no oriente, não existe esse termo, mas sim compaixão que significa a libertação do sofrimento de qualquer pessoa ou ser senciente. No entanto, no oriente, este conceito está próximo de um determinado entendimento, que tudo na vida é feito de causas e condições (ou consequências). Então, sempre existirão condições, mesmo o que se possa chamar de amor incondicional tem uma condição, que é ser incondicional.

Por vezes debatemo-nos muito com temas, quando na verdade a aplicação prática é muito simples, pelo menos na prática de Reiki.

A prática de Reiki requer uma capacidade de entrega (só por hoje), de estar no momento presente para aquilo que se está a fazer. Nesta entrega, trabalhamos a bondade (o quinto princípio), que vem acompanhada de um desejo, um voto, de proporcionar harmonia, autoconfiança, entendimento e honestidade (os restantes quatro princípios). Fazemos isto incondicionalmente, sem estarmos à espera que a pessoa se cure, mude o seu pensamento, ou se transforme. Fazemos porque estamos ali para a pessoa, para as suas condições e para tratar o que trouxe a causa do seu desequilíbrio.

Assim, Reiki é pratica por uma pessoa capaz de gerar amor incondicional, mas sendo este um bom praticante, ele também sabe que na sua incondicionalidade pode haver uma condição – um obrigado, um bem-estar, um sorriso.

Estar a debater temas retoricamente é apenas usar a cabeça e não usar a sabedoria, por isso mesmo, um praticante de Reiki tem a plena consciência do seu esforço e das suas limitações ainda existentes. Da mesma forma, um bom praticante de Reiki não diz que aquele não tem amor incondicional, porque o seu amor incondicional é melhor. A prática de Reiki não se trata de pesar em balanças ou de receber elogios, trata-se de praticar, para nosso próprio crescimento e para o equilíbrio e harmonia dos outros.

Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e fundador da Ser - Cooperativa de Solidariedade Social. Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki», «Reiki Usui», entre muitos outros. Fundador da revista "Budismo, uma resposta ao sofrimento". Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.