Reiki

Quanto tempo entre níveis de Reiki

Quando somos praticantes, colocamo-nos ou até nos colocam a seguinte questão – quanto tempo entre os níveis de Reiki é que devemos ter? Será que é preciso esperar entre um nível e outro? Porquê e como? Com que finalidade?

Esta é uma questão muito importante e que merece uma reflexão não só individual, mas também coletiva da comunidade de praticantes de Reiki.

Reiki em Portugal, o ensino e quanto tempo entre níveis de Reiki

Em nenhum país existe uma regulação sobre quanto tempo de ensino deve ter a prática de Reiki. Existes pré-requisitos e requisitos formais para alguém se tornar um terapeuta ou Mestre, mas não ao longo da prática.

Em Portugal, temos observado que o ensino com acompanhamento diferenciado, ou seja, com aulas que são distribuídas ao longo do tempo, auxilia os praticantes a desenvolverem as várias técnicas do método e também a compreenderem e aplicarem melhor a filosofia de vida.

O tempo entre níveis de Reiki foi algo sempre colocado ao critério de cada Mestre de Reiki e alguns deixam-no ao critério dos seus alunos.

Como exemplo, há cursos de um dia ou de um fim-de-semana, que apenas permitem que o aluno faça o próximo nível após um período de meses, mas sem acompanhamento, é um processo individual. Outros fazem num fim-de-semana o curso e no fim-de-semana seguinte o próximo nível. É algo de muito pessoal para cada Mestre de Reiki e para cada pessoa.

Como podemos refletir sobre isto?

Uma das melhores formas é ter em vista o seguinte:

  • A prática de Reiki é pessoal e cada um tem o seu tempo;
  • É um método profundo e requer tempo de aprendizagem;
  • Continuar e depois repetir, não é errado.

A prática de Reiki é pessoal e cada um tem o seu tempo

O Usui Reiki Ryoho não é apenas um método escolar de aprendizagem mental, de Saber Fazer. É algo que requer também o Saber Ser e o Saber Saber. Como tal, não há uma necessidade de continuidade obrigatória ou de chumbo ou falha, mas sim um entendimento interior do seu tempo certo.

No entanto, se o aluno optar por fazer em continuidade os seus níveis, tal não está errado desde que tenha prática, vivência e transformação.

É um método profundo e requer tempo de aprendizagem

A nossa capacidade de assimilação é sempre limitada ao tempo, precisamos desse tempo para integrar os saberes, para os entendermos e aplicarmos.

Quando praticamos, de forma acompanhada, ao longo de seis meses num curso, temos o tempo para vivenciar, para observar as diferenças. Querer progredir continuamente é natural e possível. Finalizar o terceiro nível e querer praticar profissionalmente é também possível. Continuar a rever todos os conceitos do nível 1 ao nível 3, é excelente.

10 anos de prática dão-nos entendimento, 20 anos trazem-nos sabedoria, Reiki é uma prática para toda a vida.

Continuar e depois repetir, não é errado

Muitos alunos continuam para o nível seguinte de aprendizagem e depois voltam a repetí-lo, ou até voltam ao primeiro nível e prosseguem daí.

Isto acontece porque, por um lado, gostam da prática e desejam aprofundar, por outro lado, porque têm o entendimento correto de que quando a voltam a repetir um nível ou regressam ao início, que tudo será muito diferente.

Praticar Reiki é algo de extraordinário, por isso mesmo, sente o teu tempo. Tanto podes parar, como podes progredir e depois repetir, tudo estará correto se estiveres a vivenciar a prática.

Se és Mestre de Reiki, poderás refletir sobre esta e muitas outras questões em Reiki, A Energia Universal.

Sou Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e fundador da Ser - Cooperativa de Solidariedade Social Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki», «Reiki Usui», entre muitos outros. Fundador da revista "Budismo, uma resposta ao sofrimento". Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.