As terapias complementares começam a ter cada vez mais um papel presente na saúde dos portugueses e já muitos recorrem aos serviços de Terapeutas de Reiki para o auxílio na profilaxia, manutenção e cuidado do bem-estar.

Apesar da validade de formação que Mestres e Terapeutas de Reiki têm é necessário uma enorme atenção com a forma de tratar um utente ou aluno, que esteja a passar um momento de cuidado com uma doença.

Os cuidados que Mestres e Terapeutas de Reiki devem ter com a forma de abordar pessoas com doença

Para se tornar Mestre de Reiki, um praticante deve ter todos os seus níveis efectuados, assim como aprender a sintonizar outros. Para se tornar terapeuta de Reiki, o praticante deve ter o seu nível 3 de Reiki concluído e prática terapêutica alcançada.

A prática do Usui Reiki Ryoho é fundamentada por uma filosofia de vida assente em cinco princípios.

Só por hoje, sou calmo; Confio; Sou grato; Trabalho honestamente; Sou bondoso.

As indicações terapêuticas que o Mestre Usui nos deixou, podem ser encontradas num manual da sua associação que está publicado no livro Reiki Guia do Método de Cura.

Mas compreender o que é a forma de abordar uma pessoa não é algo que esteja explícito nos ensinamentos e cada um vai abordando a sua própria forma de o fazer.

Muitas são as abordagens no momento de uma consulta ou de uma formação, no entanto devemos sempre lembrar que a pessoa que nos procura pode estar em sofrimento e que o seu sofrimento não deve ser menosprezado. Menosprezar o sofrimento é desvalorizar a pessoa.

Isto não significa que não devemos ter uma ação que leve ao indicar de um caminho mais correto para a pessoa, mas a decisão de tomar esse caminho deve ser dela e a nossa atitude deve ser harmoniosa, capacitadora, instrutiva, honesta e bondosa.

Hoje em dia tem surgido uma corrente de pensamento que aborda a doença como sendo apenas psicossomática e tal não é verdadeiro, é um erro um praticante de Reiki cair em fórmulas e não observar cada pessoa como ela é.

Alguns exemplos são quase “criminosos” quando se diz que alguém “tem cancro porque é uma pessoa triste”. A pessoa que tenha doença oncológica e ouça isto se já estava debilitada, mais ainda fica, sentindo-se destruturada pois alguém ainda a acusa de ter a doença pela qual está no momento a passar esta fase de vida.

Em certa ocasião pude ouvir esta frase publicamente para uma grande plateia de pessoas e alguém indignado, justamente, indicou que isto do “Reiki é uma farsa porque a sua esposa tinha falecido com um cancro e era a pessoa mais positiva, com força de vida e alegre que conhecera em toda a vida”.

Naturalmente que um terapeuta e Mestre de Reiki poderão ter os seus maus dias e dizerem algo que não é o mais apropriado. Isso não tem problema algum e podemos sempre corrigir as nossas questões, não podemos é apegar-nos a preconceitos prejudiciais pois, na verdade, não estamos a estabelecer empatia com a pessoa e com o seu momento de vida.

De que forma poderemos abordar uma pessoa com doença, através da prática de Reiki

A instrução mais preciosa que o Mestre Usui nos deixou encontra-se inscrita na sua Missão.

Através desta missão temos uma noção clara que tudo devemos fazer para poder guiar aqueles que nos procuram terapeuticamente ou através da ação formativa, para uma vida pacífica e feliz, isso significa ter um cuidado especial no trato das pessoas.

Depois, ele ainda nos refere os cinco princípios e assim compreendemos:

  1. Só por hoje

    Ajudar a pessoa a viver cada dia e cada momento, apoiar com as técnicas de meditação da prática de Reiki.

  2. Sou calmo

    Promover um estado receptivo de harmonia e ajudar a pessoa a harmonizar a sua mente e coração.

  3. Confio

    Capacitar a pessoa, levá-la além da doença, pois a pessoa não é a doença, apenas está a passar por ela numa fase da sua vida.

  4. Sou grato

    Auxiliar a ver o lado positivo da vida, empoderar e trazer a serenidade e apaziguamento também com a vida, a família e todos os que conheça.

  5. Trabalho honestamente

    Auxiliar a pessoa a ser diligente no seu bem-estar e a não ter receio de ser honesta quanto à forma como se sente e às coisas que tem guardadas em si.

  6. Sou bondoso

    A bondade através da sabedoria e da compaixão é a mais preciosa de todas as jóias, é a que traz conforto a um coração aflito e serenidade a uma mente perturbada.

A forma como tratamos alguém com uma doença é muito importante, tão ou mais importante que a aplicação de Reiki pois é um ato de humanidade. Um praticante, terapeuta e Mestre de Reiki não deve colocar a pessoa numa situação de maior fragilidade que àquela onde ela se encontra, muito pelo contrário, agir para todas as condições favoráveis possíveis se tornem reais.