As dívidas kármicas fazem parte de alguns conceitos que adoptamos no ocidente, mas que nem sempre são bem compreendidos, ou até enquadrados. Para se compreender o que são dívidas kármicas temos que compreender o que é o karma e como tudo afinal acontece.

Compreender as dívidas kármicas e o sentido que realmente tem

Karma é um conceito que não faz parte da cultura ocidental, mas sim do hinduísmo e budismo. Significa uma ação realizada (ou mesmo não realizada), mas que tem tudo a ver com a mente e não com um qualquer desígnio misterioso, ou castigo divino.

Se fores alguém que dá confiança aos outros, os empodera, traz esclarecimento, bondade, então estás a gerar boas ações e a tua mente torna-se cada vez melhor, ou seja, bom karma. A mente cultiva e faz crescer boas sementes e cria afinidades. Aquelas que pessoas que foram auxiliadas por uma boa mente, poderão também criar boas ações e desenvolver a sua própria mente, se o quiserem, mas isto não significa que irão ter alguma dívida para com aquela pessoa, pois muitas vezes, o efeito de onda é mesmo assim, vai e depois retorna, mas não a mesma onda que era.

Se fores alguém que apenas cria sofrimento aos outros, que engana, trapaça, manipula, a tua mente está num caminho incorreto, estás a criar más ações e a acumular sofrimento. Se seguires nesta direção de vida, acumulas dívidas, ou seja, és devedor pelo sofrimento causado, mas acima de tudo será a tua própria mente o executor dessas dívidas, ou seja, se criaste sofrimento a uma pessoa, não quer dizer que estejas em dívida para com ela, pois ela também pode ter criado sofrimento a outro. Este tipo de conceito, parece ser de uma complexidade incrível e é, mas podemos simplificar através de um conceito muito simples e que tem origem no budismo – a purificação da mente.

A purificação da mente e as dívidas kármicas

Observa a tua vida e todos os impedimentos, “azares”, situações incómodas e provações que tens tido. Não é fácil, mas tenta fazê-lo. Divide uma folha ao meio, criando duas colunas e em cada linha escreve uma dessas situações.

Agora, em frente a essa linha, na outra coluna, escreve o que achas que pode ter levado a tua mente àquela situação. Por exemplo, “levei uma multa por excesso de velocidade, numa altura em que tinha pouco dinheiro”. Na outra coluna, escreves como estava a tua mente nessa altura. “Tinha a cabeça muito cheia de coisas e não reparei no limite de velocidade, apesar de saber que ali havia um radar, a minha mente não estava clara nem focada, mas sim perturbada por muitos pensamentos”.

Então que “mau karma” foi este?

A falta de concentração e de mente limpa.

Como podes resolver as dívidas kármicas

  1. Como tornar a mente mais purificada?

    Lê bons livros, reflete mais sobre as tuas ações, medita, irá ajudar a esvaziar a mente, a focá-la, a tornar as tuas ações mais positivas.

  2. Como me relacionar corretamente?

    Observa o que tu queres das pessoas e o que tens para lhes dar, será que há um equilíbrio aí? Será que há dependência ou igualdade? Que pensamentos tens e que sentimentos tens sobre essas pessoas? Que expectativa achas que tens sobre o que elas pensam de ti? Será isso realmente importante ou será mais importante viver em harmonia?

  3. Como posso tornar a mente mais positiva

    Regressa a quem realmente és, redescobre-te e observa como o estado pacífico é algo natural em ti, que apenas te distanciaste de ti mesmo. Observa as coisas boas que fazes na vida e valoriza-te, sem desvalorizar os outros. Observa o lado positivo da vida e que cada coisa dependerá também da tua própria mente.

O conceito de dívidas kármicas é usado também no ocidente e temos mesmo que o compreender para que não fiquemos assustados, paralisados ou até para não “cobrarmos” indevidamente a outros, o que afinal possa ser uma questão da nossa própria mente. Uma mente positiva e mais clara, traz sempre uma outra luz a cada questão na nossa vida.