Desde as primeiras páginas que o livro O Budismo tem razão se torna uma perspetiva clara que pode ajudar a “revolucionar a visão de si mesmo e do mundo”. Não é um livro que vai entrar pelo campo religioso ou esotérico, mas sim num enquadramento viável no campo da psicologia e da filosofia.

Para mim, este é um livro brilhante, de fácil entendimento, que nos leva à compreensão de como o caminho do budismo nos “enriquece a vida emocional, torna mais felizes e bem-dispostos”.

O Budismo Tem Razão, a ciência e a filosofia da meditação e da iluminação

Num dia de Julho, na praia, com nuvens cerradas, um misto de calor e humidade, li o que Robert Wright partilhava, pois o livro é mesmo uma partilha pessoal sua, sobre o Budismo Tem Razão. Naquele instante presente, onde a impermanência era tão clara, pois em Julho devíamos estar no contentamento do sol e não na resignação do mau tempo, cada vez mais encontrei interesse na forma psicológica e filosófica com que o autor encarava e comparava os ensinamentos do Budismo ao comum da nossa vida e das nossas dificuldades.

Um exemplo claro do seu brilhantismo e naturalidade é quando fala sobre o défice de atenção (p.163).  Quando o autor se encontra em debate sobre “procurar um telemóvel” ou “continuar a escrita” ele dá-nos uma indicação preciosa:

… se seguir a abordagem da consciência plena, dirá: “força, pensa em telemóveis. Fecha os olhos e imagina como seria procurar a avaliação mais recente do último modelo de telemóvel. Examina o sentimento de querer um belo telemóvel novo e de o querer procurar na internet. A seguir, examina-o um pouco mais. Examina-o até perder a força. Agora, volta para a escrita!”

… Podemos, em princípio, enfraquecer o impulso – não combatendo-o, mas permitindo que se forme e observando-o cuidadosamente. Assim, o módulo gerado do impulso fica privado do reforço positivo que lhe concederia mais força da próxima vez”.

Entre muitos mais exemplos, Robert Wright leva-nos à compreensão onde várias verdades se podem alinhar, trazendo beleza e felicidade à nossa vida. É um livro que vale a pena ler, não trará dores de cabeça, mas ajudará a resolver alguns nós que tanto nos bloqueiam.

Ver o mundo com maior clareza pode não só tornar-nos mais felizes, mas igualmente mais morais”.

Índice

  • Nota aos leitores
  • 1. Tomar o comprimido encarnado
  • 2. Paradoxos da meditação
  • 3. Quando é que os sentimentos são ilusões?
  • 4. Felicidade, êxtase e outras razões importantes para meditar
  • 5. A alegada não‑existência do seu eu
  • 6. O seu diretor‑executivo está desaparecido
  • 7. Os módulos mentais que regem a sua vida
  • 8. Como os pensamentos se pensam a si mesmos
  • 9. Autocontrolo
  • 10. Encontros com a informidade
  • 11. O lado positivo do vazio
  • 12. Um mundo sem ervas daninhas
  • 13. Tipo: uau, tudo é uma unidade (quando muito)
  • 14. O nirvana em poucas palavras
  • 15. A iluminação ilumina?
  • 16. A meditação e a ordem invisível
  • Uma lista de verdades budistas
  • Nota sobre a terminologia
  • Agradecimentos
  • Notas
  • Bibliografia

Podes ler um pouco do PDF do livro O Budismo Tem Razão, aqui e aqui…

Sobre o autor de O Budismo Tem Razão

Robert Wright é jornalista, editor da New Republic e colunista do New York TimesWashington PostFinancial Times e Slate.com, entre outros. Deu aulas na Universidade de Princeton e na Universidade da Pensilvânia, sendo atualmente professor convidado de Ciência e Religião na Union Theological Seminary, em Nova Iorque.

É autor dos livros A Evolução de Deus (ed. Guerra e Paz, 2011), finalista do prémio Pulitzer, Nonzero: The Logic of Human Destiny (2001), The Moral Animal (1994) e Three Scientists and Their Gods (1989), finalista do National Book Critics Circle Award. Podes ler mais sobre o autor em: robertwright.com

O livro está nas livrarias e em venda online a partir do dia 16 de Julho de 2018. Para mais informações sobre o livro e o autor, podes consultar o site da Editora Nascente.

Estimulante, educativo? Não só me vi a concordar com o autor, como a aplaudi-lo. – António Damásio, neurocientista

Um dos melhores livros do ano para a revista Publishers Weekly

O Budismo Tem Razão é uma estimulante viagem pela psicologia, filosofia e meditação. Robert Wright, um dos mais brilhantes pensadores americanos, mostra neste livro como o budismo detém a chave para a clareza moral e a felicidade duradoura.

Wright explica que a mente humana foi concebida para, com frequência, nos enganar sobre nós próprios e sobre o mundo, tornando a felicidade um estado difícil de atingir. Mas, se sabemos que as nossas mentes são desenhadas para sentir ansiedade, depressão, ira e ganância, o que devemos fazer?

A resposta encontra-se no budismo, que descobriu há milhares de anos aquilo que agora os cientistas comprovam: que o sofrimento humano é resultado de não vermos o mundo de uma forma clara e que isso pode mudar se usarmos a meditação para nos tornarmos melhores pessoas.

Ao mesmo tempo ambicioso e acessível, este é o primeiro livro a combinar a psicologia evolutiva com a neurociência para defender a validade dos principais ensinamentos budistas e mostrar que o budismo pode salvar-nos de nós mesmos, como indivíduos e como espécie.

É precisamente este o livro que muitos de nós procuramos. Escrito com a destreza, brilhantismo e ceticismo sensível que lhe são característicos, Robert Wright diz-nos tudo o que precisamos de saber sobre a ciência, a prática e o poder do budismo. – Susan Cain, autora bestseller de Silêncio