Karuna é um termo sânscrito cuja raiz kara, significa fazer. Este fazer é um princípio ativo e, neste caso, é o princípio da compaixão, ou seja, levar compaixão, aliviar o sofrimento.

Quando William Rand e Kathleen Miller pensaram em desenvolver uma prática terapêutica assente na compaixão, derivando e conjugando com Reiki, eles deram o nome de Karuna.

Karuna – terapia, filosofia de vida, prática complementar e integrativa

O desenvolvimento dos conceitos da compaixão é importante para o nosso crescimento como ser humano e também como parte da sociedade. Quanto mais cultivamos o sentido de que devemos aliviar o sofrimento e não transmitir mais sofrimento, a nossa consciência muda, o nosso projecto de vida muda e a própria forma como observamos a sociedade muda.

Para nos auxiliar no processo terapêutico, várias pessoas contribuíram para a criação de símbolos para esta prática. Os símbolos são meras ferramentas que nos ajudam a concentrar na energia, o verdadeiro trabalho é aquele de compreender o que cada símbolo tem como valor intrínseco e de qualidade humana.

A aprendizagem de Karuna é um processo natural para qualquer praticante de Reiki e que o poderá integrar no seu dia-a-dia, quer como filosofia de vida, quer como parte terapêutica.

Karuna está muito focado no tratamento emocional e nas questões da humanidade. É uma energia mais Terra e que nos traz os desafios de olharmos ao nosso interior, com bondade, amor incondicional e compaixão. Curando-nos, facilmente conseguimos encontrar contentamento e entendimento.