O tratamento para a toxicodependência é algo de complexo, que deve ter sempre uma abordagem muito profissional, ponderada e de grande experiência. Falamos de  tratar uma pessoa que está a atravessar uma dependência física ou psicológica, que afecta tudo aquilo que ela é. Vamos encarar o tratamento para a toxicodependência, através da prática de Reiki, como sendo uma terapia complementar, integrativa, do campo energético e, acima de tudo, vamos observar a pessoa como um todo.

Como realizar um tratamento para a toxicodependência com as técnicas de Reiki

Apesar de conhecer muitos praticantes de nível 1 e 2 que apoiam bastante pessoas com questões de toxicodependência, aconselho que o tratamento seja realizado por alguém que tenha uma boa experiência terapêutica, capacidade de desapego, objetividade e a prática longa do nível 3 de Reiki.

Este tipo de tratamento, recomendado, terá ou poderá ter, a componente presencial e o envio de Reiki.

Tratamento presencial para uma pessoa com questões de toxicodependência

Como o nosso campo é o holístico, ou seja, a observação da pessoa como um todo e trabalha no âmbito energético, devemos também estar em sintonia com o acompanhamento médico que está a ser realizado. Num mundo ideal, toda a equipa devia estar em conhecimento ético do que uns e outros estão a fazer, para que todos estejam a trabalhar com a pessoa para o seu bem comum.

Na prática de Reiki, o tratamento para a toxicodependência vai envolver a aplicação da filosofia de vida e das técnicas de Reiki. Este é um tipo de tratamento moroso, semanal ou poderá até mesmo ser com uma aplicação duas vezes por semana.

A filosofia de vida

A aplicação dos conceitos de filosofia de vida poderão ajudar a pessoa a compreender o que a levou ao momento do primeiro consumo. Este momento, para nós, é importante pois indica a motivação da pessoa, a forma como ela estava e porque razão se entregou a esse consumo. É importante que o terapeuta de Reiki tenha a consciência que não está a fazer o trabalho de um psicólogo ou psicoterapeuta, nem deve de forma alguma interferir com esse trabalho.

A reflexão da filosofia de vida pode ser algo como:

  • Como sentia a minha vida nessa altura? Era descontraída, tranquila? Ou estava muito agitada e sob stress?
  • De alguma forma perdi a minha autoconfiança ou auto-estima? Será que procurei um escape de mim mesmo?
  • Que lições toda essa situação me trouxe? E o momento presente? O que tenho a mudar?
  • Será que realmente me empenho neste processo de autocura?
  • Como devia agir para ser bondoso para comigo mesmo e para com os outros que me rodeiam e intervém neste processo?

Claro que estas são apenas algumas perspectivas do tipo de perguntas que poderás fazer, mas que poderão auxiliar a compreender as situações, o que te irá ajudar no envio de Reiki.

As técnicas de Reiki

Iremos ter em conta três técnicas de Reiki:

  1. Byosen – quer permitirá compreender as várias emanações do desequilíbrio da pessoa desde o físico ao emocional;
  2. Desintoxicação – a aplicação das técnicas de desintoxicação que, conjugadas com a intenção do tratamento poderão auxiliar no processo de homeostasia;
  3. Pensamento positivo – por exemplo, a aplicação do Seiheki Chiryo para o cultivo de atitudes e opções diferentes daquelas tomadas e que levam à toxicodependência.

A aplicação do tratamento será dependente de cada sessão podendo ser aplicado frente e costas ou só frente, ou só costas. Esta parte dependerá da experiência e processo terapêutico do praticante.

Tratamento ausente e envio de Reiki à distância

O envio de Reiki à distância, para este tipo de situações, poderá ter alguns reflexos complicados para o terapeuta. Vamos lembrar-nos que o byosen, ou seja, a irradiação do desequilíbrio, manifesta não só as condições da pessoa, mas no caso do envio de Reiki, também as do espaço onde possa estar.

Assim, o terapeuta tem que lidar com duas reações, a da pessoa e a do ambiente envolvente, pelo que poderá trazer-lhe algum tipo de byosen menos agradável e, por isso mesmo, é recomendável que tenha já bastante prática nestes tópicos.

É claro que não podemos pensar que por a pessoa estar em determinada condição é sempre isto que acontece, pois na verdade não é assim, no entanto, é meu dever alertar para as situações que possam ser mais difíceis e até mesmo comprometedoras do bem-estar do praticante.

Assim como é necessário haver compromisso presencial, também o é no envio de Reiki, pois se a pessoa em questão não souber o que está a ser feito, como poderá mudar? A energia não faz milagres, apenas auxilia a pessoa a ter mais força para a sua própria consciência.

Mesmo o envio de Reiki à distância deve ser feito como complemento ao tratamento presencial, para as situações que levaram a pessoa a consumir, para o seu equilíbrio do momento presente e também como auxiliar para o estado futuro que pretende alcançar.

A pessoa com questões de toxicodependência deve estar comprometida com um tratamento oficial e médico apropriado.

Ter muita atenção à preparação do espaço terapêutico ao fazer o envio de Reiki.

Sintonizar uma pessoa com questões de toxicodependência

Podemos também considerar ainda outra situação – a aprendizagem da prática de Reiki. Após algumas sessões de Reiki, que auxiliarão ao equilíbrio e harmonia da pessoa, a sintonização poderá trazer benefícios à pessoa, porque em primeiro lugar irá compreender a filosofia de vida e aplicá-la diariamente, depois, porque irá aprender a cuidar de si mesmo e esse processo poderá dar a força interior que pode necessitar para auxiliar todo o tratamento médico que está a ser feito.

Para o Mestre de Reiki o processo poderá não ser tão simples quanto parece, por isso mesmo recomendo a leitura atenta do livro Reiki a Energia Universal.