Se iniciaste o nível 2 de Reiki ou estás na sua prática, deixo aqui algumas dicas para o teu trabalho. Este é um dos níveis mais exigentes, mas sem acompanhamento, poderá parecer muito fácil. Acredito que este nível é tão diferenciador e importante, que todos os praticantes deviam fazer esta progressão. Podem depois ficar por aqui, mas que ele é importante, isso sem dúvida que sim.

Trabalhar o nível 2 de Reiki

Tudo começa com o autotratamento. Também no nível 2 de Reiki tens os 21 dias de autotratamento, por vezes é difícil fazer os 21 dias seguidos, mas também não é impossível. Se quiseres, vai fazendo em conjuntos de três dias e paras um, não que seja o melhor, mas talvez seja o que te mantenha motivado a continuar. Habitualmente, desenham-se os três símbolos e aplica-se o autotratamento, mas porque não variar e experimentar um símbolo durante alguns dias seguidos?

Poderás também aplicar os símbolos nos chakras e refletir sobre o que eles fazem ressoar, assim como experimentar as diferentes percepções do byosen.

Neste segundo nível, irás também aprender novas técnicas de Reiki e que te irão auxiliar bastante na progressão da tua prática, quer em ti mesmo, quer nos outros. Uma das técnicas em destaque é o Enkaku Chiryo, o envio de Reiki à distância.

Sem dúvida que é um nível que irá requerer muita prática, por isso mesmo não faltes às aulas e vamos progressivamente vivenciar a aplicação terapêutica, com símbolos, com byosen, com filosofia de vida.

A filosofia de vida

Os cinco princípios continuarão a ser a base do nosso trabalho, em conjunto com os poemas do Imperador Meiji. É incrível como eles podem actuar no plano terapêutico e isso será algo que vamos projetar neste nível 2 de Reiki. A aplicação da filosofia de vida traz-nos consciência e é através desta que iremos progredir no nosso caminho. Por isso, não te esqueças de refletir sobre as tuas questões, com os cinco princípios e trazeres a verdadeira mudança para a tua vida.

O aspecto terapêutico no nível 2 de Reiki

Neste nível 2 vais observar algo a que a Mestre Takata chamava a atenção – as causas da doença. Se no primeiro nível te doía a barriga, então tratavas a barriga, agora, irás procurar as causas para esse desequilíbrio, sendo que não somos da especialidade médica, mas sim da especialidade energética.

Voluntariado

Se já te sentes seguro com a tua prática, então está na hora de iniciares o voluntariado, pois é uma forma de auxiliares os outros a encontrar a sua harmonia e equilíbrio, mas também uma forma de desenvolveres ainda mais os teus conceitos terapêuticos. Lembra-te sempre que Reiki não é só colocar as mãos e isso mesmo aprendes ainda mais com o nível 2 de Reiki, usa também os conceitos terapêuticos da filosofia de vida.

Podes contactar a Associação Portuguesa de Reiki ou os seus núcleos, para iniciares um projeto ou auxiliares em algo já existente.

Uma boa ferramenta de trabalho são as cartas técnicas Reiki para o Corpo e a Mente, que te ajudarão a desenvolver as técnicas, entendimento dos símbolos, poemas do Imperador Meiji e muito mais.

No nível 1 de Reiki, sedimentaste o sentir da energia, a percepção, a aplicação de Reiki e inclusive experimentaste aplicar nos teus colegas de curso. O nível 2 de Reiki vai trazer-te mais desafios para o teu autotratamento, o que é muito importante, e também um novo olhar sobre as causas e condições das doenças, ou melhor, dos nossos desequilíbrios.

Desejo-te um excelente caminho com esta transformação e que cumpras as palavras do Mestre Usui – “Guiar para uma vida pacífica e feliz“.