Quando descobres um curso de Reiki, poderás encontrar várias opções. Um dia de curso, um fim-de-semana, seis meses, uma vida. Tudo são opções que hoje em dia se encontram disponíveis em todo o lado, até mesmo no Japão. Mas porque existe então a diferença no tempo.

O tempo, a prática de Reiki e o que é Reiki

Em primeiro lugar temos que encarar este tema de forma simples, sem preconceitos ou prejuízos, apenas observar o que é, racionalizar, duvidar, sentir.

Reiki pode ter dois significados – A Energia Universal (ou Energia Espiritual Vital que permeia o Universo), ou também pode ser usado para representar o Usui Reiki Ryoho.

A Energia Universal já sabemos que é uma energia vital que está em todo o lado, o conceito mais aproximado é o Prana dos Hindus, que surge definido nos Vedas. Por outro lado o Usui Reiki Ryoho é o método criado pelo Mestre Usui, para trabalhar essa mesma energia, que se chama Reiki.

Sobre o que os alunos praticavam no tempo do Mestre Usui, temos a noção que aplicavam a energia em si e nos outros, que faziam vários atendimentos por dia, que entoavam os princípios e os poemas do Imperador Meiji, que meditavam. Era uma prática árdua, exigia tempo, exigia dedicação e também muito dinheiro para passar de nível. Por outro lado, para passarem de nível, tinham que ter proficiência e sabemos que um dos exames que era feito era o byosen, tinham que ter uma boa percepção da energia. Tinham que ser alunos meritórios.

Mesmo a Mestre Takata, que influenciou grandemente a nova vertente de Reiki no Ocidente, teve que ter uma aprendizagem ao longo do tempo e árdua na prática… além de bem dispendiosa ao ponto de ter vendido a casa quando fez o segundo nível, para continuar os ensinamentos do Mestre Hayashi.

Claro que os tempos são outros, tudo mais acessível, mas também tudo mais fugaz. Se desde o tempo iniciar Reiki fosse apenas receber a sintonização, processo pelo qual nós começamos a trabalhar com a energia dentro deste método, então o Mestre Usui não se teria dado ao trabalho de criar preceitos, de ter escolhido 125 poemas de milhares do Imperador Meiji, não nos teria dado 21 técnicas e formas de tratar o outro e nós mesmos, não nos teria colocado uma missão:
Reiki é muito mais que a sintonização e uma forma de verificares isso é questionando-te:

  • Consigo lembrar-me de todos os princípios?
  • Sei aplicá-los na minha vida e realmente proporciono a transformação em mim?
  • Aplico o autotratamento regularmente?
  • Conheço as minhas fragilidade e sei tratá-las?
  • Recebo Reiki de outras pessoas e comparo com a minha prática? Que aprendizagem tiro destas perspectivas?
  • Realizei voluntariado?
  • Sei aplicar todas as técnicas de Reiki em mim e nos outros?
  • Sei meditar e aplicar as técnicas de meditação?
  • Compreendo os valores profundos do Usui Reiki Ryoho?
  • Sei qual é a missão do Usui Reiki Ryoho e cumpro-a?
  • Pratico os símbolos de Reiki em mim? E nas situações?
  • Envio Reiki à distância?
  • Sei viver como um praticante de Reiki e compreendo o que isso significa?

Como vês, nem todas estas perguntas se referem à energia, mas sim a uma vivência e como a palavra o diz, para se viver é preciso viver, é preciso tempo e espaço. Ontem era criança e agia como criança, hoje sou adulto e ajo como adulto.

No final dos preceitos, o Mestre Usui indica “É para a melhoria do Corpo e da Mente”, por isso mesmo, tal como ele indicava “de manhã e à noite”, temos que praticar, precisamos de tempo e entrega.