A plena atenção, a meditação contemplativa e uma romã

Viver implica o desenrolar de muitas funções automáticas, a mente torna-se “autónoma” e faz o que tem a fazer, a maior parte das vezes sem controlo. No nosso dia a dia, podemos encontrar formas de recuperar a consciência, das formas mais simples, mas também mais belas.

Da concentração à contemplação, passando pela meditação

Tudo o que mais queremos é momentos de harmonia e uma constante sensação de paz e felicidade, mesmo que estejamos em actividades que exijam adrenalina. A harmonia é essencial para que tudo corra pelo melhor, mas para estarmos em harmonia, precisamos estar mais conscientes das nossas acções.

A nossa mente e consciência, trabalham de uma forma incrível quando estão em harmonia. A concentração traz-nos o foco, a meditação leva-nos à expansão da consciência e a contemplação faz-nos estar em união com a própria existência e os maiores valores da humanidade.

 

Ao descascar uma romã, teremos uma tarefa manual exigente, pois cada semente é valiosa e não convém que vá com pele atrás. Quando estamos focados nesta tarefa, outros pensamentos desaparecem, ou ficam num plano tão atrás, que nada mais tem importância. A partir daqui, podemos estar em meditação, expandindo a nossa consciência, sentindo cada momento e acto como único. No final do nosso trabalho, podemos contemplar e também no saborear podemos contemplar.

Os pequenos momentos rotineiros ou mais básicos da nossa vida, podem trazer-nos as experiências mais reveladoras e proporcionadoras de evolução. Quem diz descascar uma romã, diz beber café, ou lavar a casa de banho.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.