A autoconfiança e o arroz doce

Eu gosto muito de arroz doce e a incapacidade de o fazer poderia dar cabo da minha autoconfiança. Em muitas situações da nossa vida, encontramos um arroz doce que pode ser um verdadeiro desafio, mas também uma autêntica lição.

A autoconfiança, o arroz doce e o segundo princípio de Reiki

Já experimentei fazer muitas receitas de arroz doce, mas nada parece resultar e ao comentar isso com a minha mãe ela simplesmente disse-me “então quando quiseres basta ligares-me e faço-te arroz doce”. De facto, a autoconfiança é um processo que nos leva, por um lado a não recear fazer coisas e por vezes falhar, ou mesmo não conseguir, por outro a saber pedir ajuda para a resolução das mesmas.

O Mestre Usui deixou-nos cinco princípios que são a nossa bússola orientadora na vida e o segundo diz-nos “Confio”. De facto, a confiança, a autoconfiança, é um dos maiores valores que podemos ter, é como um farol, uma candeia interior que nos guia na escuridão das indecisões.

A autoconfiança diz-nos que não faz mal tentar, que se não conseguirmos, aprendemos com as lições e faremos melhor e que mesmo que nunca o venhamos a conseguir, ou que não faz mesmo parte do nosso caminho, que poderemos sempre pedir ajuda.

Eu ainda não desisti de fazer arroz doce, no entanto também já percebi que é algo que me sabe bem melhor quando é outra pessoa a fazer, na verdade, é uma boa memória de infância e por isso mesmo, todo o arroz doce é “julgado” perante essa memória. Até uma simples tarefa da nossa vida, como o arroz doce, nos pode trazer grandes lições.

Author: João Magalhães

Sou Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Mestre de Karuna, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e co-fundador do CENIF. Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki» e «Reiki – Elevação da Consciência». Professor de Meditação Terapêutica Integral. Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

Share This Post On

Deixe um comentário