O byosen ao longo da prática

Se chamamos à irradiação do desequilíbrio e desarmonia byosen, à sensação que temos nas mãos chamamos hibiki, que em japonês significa eco. Mas será que manteremos sempre o mesmo tipo de percepções ao longo do nosso treino na prática de Reiki?

Reiki e o byosen – o resultado de praticar, praticar, praticar

Quando iniciamos a prática de Reiki, no nível 1, começamos a ter umas sensações nas mãos, o tal hibiki que vem do byosen do nosso corpo ou do corpo com quem estamos a praticar. Essas sensações podem ser desde o calor ao formigueiro, ou então, dependendo de pessoa para pessoa, pode ser apenas uma sensação de electricidade que passa.

Achas que terás sempre a mesma percepção ao longo do tempo?

Vai mesmo depender se estás a praticar constantemente ou não e a fazer em ti a mudança que “queres” para os outros.

Se praticares, praticares e praticares ainda mais, sem dúvida que todas as percepções serão diferentes. Se sentias mais com uma mão que com a outra, irás perceber que consegues sentir por igual em qualquer uma das mãos. Irás ter sensações do byosen absolutamente diferentes do “habitual” e até poderás sentir algo como uma mistura das sensações. A tua percepção poderá ir além da sensação local e sentires o fluxo de energia que vai ao longo do corpo e da aura da pessoa.

É isto que te traz a prática do byosen, claro que não é de um ano para o outro, requer anos e é por isso que Reiki é mesmo um caminho… começamos, mas depois vivemos, não tem fim.

Author: João Magalhães

Sou Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Mestre de Karuna, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e co-fundador do CENIF. Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki» e «Reiki – Elevação da Consciência». Professor de Meditação Terapêutica Integral. Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

Share This Post On

Deixe um comentário