O trabalho de um Mestre de Reiki não é nada facilitado quando dá cursos com acompanhamento, ou seja, quando os seus cursos vão bem além do dia da sintonização.

Incentivos quem um Mestre de Reiki pode dar para promover a harmonia em grupo

Cada pessoa é em si um universo. Um universo de conceitos, de questões, muitas vezes de sofrimento oculto e alguma hipersensibilidade. Várias pessoas juntas, com muitas questões por resolver, podem por vezes resultar numa espécie de barril de pólvora. Um só dia de curso e adeus, é simples. Acompanhar e ajudar a crescer, resolver e partilhar questões, é que poderá ser difícil.

O trabalho de um Mestre de Reiki é mesmo muito exigente e requer uma grande dose de concentração, aceitação e prática dos cinco princípios de Reiki. Então como poderás incentivar o teu grupo a promover harmonia em si mesmos e no conjunto?

  • Se notares que a energia entre o grupo não flui, podes experimentar pedir para trocarem de lugares após algum tipo de actividade prática;
  • Leva-os a praticar um pouco de Joshin Kokyu Ho e de seguida, recitem os cinco princípios de Reiki;
  • Não deixes que apenas uma pessoa tenha toda a atenção, isso não pode acontecer por todas as razões, se necessário ela poderá falar contigo após a aula;
  • Tenta incluir sempre as pessoas que possam estar em desarmonia e não as excluas do grupo;
  • Se o grupo as excluir e não aceitar, então continua de forma compassiva com a pessoa e tenta integrá-la noutro grupo. Por vezes essas situações acontecem e é tudo uma questão de energia entre grupos;
  • Dá trabalhos, questionários de reflexão para fazerem na aula e partilharem o que sentem. Isso ajudará o grupo a compreender-se melhor;
  • Promove convívio, senão o grupo apenas quererá despachar a formação;
  • Lembra-os do propósito e da Missão do Usui Reiki Ryoho…

O trabalho de um Mestre de Reiki nem sempre é fácil, mas com experiência, com prática e vivência, com o sentir da energia e dos princípios, vamos aprendendo o longo caminho da sabedoria.