Os poemas do Imperador Meiji que o Mestre Usui escolheu para reflexão, podem trazer-nos grandes sabedorias. Uns são bastante simples de interpretar, mas outros são complexos.

Como podemos aprender e interpretar os poemas do Imperador Meiji

De 125 poemas há um que me trouxe desafio ao longo de anos e anos, de 125 foi logo o primeiro – a lua.

Embora a Lua de outono não mude desde os tempos antigos, muitas pessoas já passaram neste mundo.

Foi muito estranho refletir sobre este poema e até considerei que tivesse sido mal traduzido, mas não foi. De facto, a sua profundidade tem a ver com a cultura e sociedade japonesa, o que nem sempre é linear de entender. Então como podemos interpretar os poemas do Imperador Meiji?

  1. Coloca uma intenção para o poema que vais tirar, como se fosse um conselho que pedes a um amigo;
  2. Experimenta esvaziar a tua mente de todos os conceitos e crenças, mantém uma mente vazia e aberta para observares o poema;
  3. Tenta compreender o sentido das palavras, para essa tua intenção;
  4. Imagina como estando alguém a ler esse poema para ti e tu apenas escutas;
  5. Se não conseguires compreender, tenta estudar um pouco sobre a cultura japonesa dos finais do século XIX e inícios do século XX, o tempo do Imperador Meiji.

Sem dúvida que os poemas são uma fonte de sabedoria e eles vêm da observação e vivência de uma cultura, por isso mesmo, nem sempre são fáceis de interpretar. no livro Reiki Guia para Uma Vida Feliz, podes encontrar todos os poemas, em japonês e português, uma pequena interpretação e também o contexto histórico do Japão contemporâneo do Imperador Meiji e do Mestre Usui.

Se quiseres, podes também experimentar escrever o poema, por vezes ajuda no alcance da nossa voz interior.