Uma prática de amor incondicional – E se sentes que o teu colega está em desequilíbrio, como o dizeres sem magoar

Quando praticamos Reiki com os nossos colegas podemos ter a percepção que algo não está bem com o colega que nos calhou… então o que fazer?

Aplicar o conceito de amor incondicional naquilo que sentimos

Por vezes passam-se anos de silêncio até começarmos a soltar a nossa intuição e compreender verdadeiramente que conseguimos sentir, escutar e até acertar nas questões de energia. Do silêncio à euforia, pode ir um passo muito curto, assim como da consciência à mistificação.

Há uns anos atrás, quando estava a fazer um curso, uma pessoa lá disse que alguém cheirava a mortos e a partir desse momento, essa pessoa virou um pária. Mais ninguém se aproximou dela. Desta forma, quem o disse teve o seu momento de atenção e pode durante mais algum tempo queixar-se da sua sensibilidade e reforçar como o mundo é só coisas más e ele, pobre alma, apenas um sofredor. Esta foi uma triste história, que fui vendo a ser repetida em mais algumas situações de contextos diferentes e com diferentes pessoas.

Então será que ao sentirmos que alguém está mal, devemos estar calados?

Não, não devemos, mas devemos sim saber aproximar-nos da pessoa e ajudá-la.

Compreender o amor incondicional no sentir e na comunicação

O amor incondicional é uma prática que cresce bastante em nós, com Reiki. O dar sem esperar receber é algo que parece ser natural e neste tipo de situações, o amor incondicional significa a capacidade de compreendermos e abraçarmos os outros e os seus problemas, compreendendo-os como humanos e pessoas iguais a nós mesmos.

Ao notares que o teu colega não está bem, porque não chamá-lo à parte e falarem um pouco sobre o que tu sentes? E como exprimires o que sentes sem magoar?

Aqui ficam algumas dicas a teres em conta:

  1. Lembra-te que por muito apurada que seja a tua intuição, poderás apenas estar a ver uma pequena questão, que para ti surge como grande questão;
  2. Observa se realmente o problema está no outro e não em ti mesmo, no receio de partilhar e trabalhar com aquela pessoa;
  3. Tenta indicar ao teu colega o que sentiste e como sentiste, sem no entanto indicares como sendo uma “verdade”, mas sim uma necessidade de tentares perceber se o que sentes é teu ou dele, isto ajudará a manter o equilíbrio entre ambos;
  4. Expressa a tua sensação indicando também onde sentiste as tuas impressões.

Se o teu colega não concordar contigo, não te preocupes, por vezes não temos a verdadeira percepção de como estamos, ou poderás ter tido uma percepção que afinal pode não ser dele, mas sim externa a ele. Por vezes acontece.

Caso o teu colega concorde contigo, então propõe tu o tratares em primeiro lugar, isto ajudará a alcançar o equilíbrio mais rapidamente e ajudará também a reforçar o trabalho em equipa.

Ser praticante de Reiki é também ser bondoso com os colegas, saber apoiar, ajudar, cuidar e também pedir ajuda quando é necessário. Não cales a tua intuição, escuta-a, mas também aprende a comunicar de uma forma positiva e construtiva, assim estarás a construir um grupo que confia entre si e que se entrega à melhor de todas as práticas – Reiki e amor incondicional.

Categorias de Artigos
Recebe a newsletter

Newsletter

Comments
All comments.
Comments

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.