Reiki está disponível para todos, segundo dizia a Mestre Takata, mas será que devemos aceitar qualquer um, em qualquer condição para aplicarmos Reiki? Como será que devemos lidar com a situação eticamente?

A ética no Reiki para recusar um cliente

A Associação Portuguesa de Reiki estipulou um código deontológico que nos auxilia a observar a ética no Reiki mesmo para casos como este. Na secção sobre o Terapeuta, encontramos:

Direitos

  1. O terapeuta tem o direito de recusar a consulta ou de a adiar se não estiverem reunidas as condições necessárias para a prática, sejam da parte do próprio terapeuta ou do paciente. Se o paciente estiver sob a influência de álcool, de substâncias psicotrópicas e/ou fármacos que alterem a sua forma de estar, ou se se mostrar intimidativo ou ofensivo, exercendo qualquer tipo de desconforto ao terapeuta, este pode e deve recusar a consulta;

Podemos pensar que este tipo de situação será muito rara ou mesmo impossível, até ela realmente acontecer. Infelizmente, cada vez mais é possível que estas situações surjam. As pessoas encontram-se sob grande stress, existem cada vez mais casos de distúrbios mentais e emocionais que levam a pessoa ao limite, mesmo situações psiquiátricas extremas que podem conduzir ao perigo do bem-estar e segurança do próprio terapeuta. É por isso mesmo que um terapeuta de Reiki precisa de ter uma grande construção pessoal e desenvolver um grande sentido de atendimento, tendo que estar preparado para quaisquer eventualidades, mais ainda para aquelas que envolverão a recusa.

Como recusar o atendimento de uma pessoa

  • Se não souberes como tratar a questão em causa da pessoa, poderás indicar outro terapeuta que conheças, referindo que o aconselhas por acreditares que poderá trabalhar melhor para o percurso terapêutico da pessoa;
  • Se a pessoa tiver segundas intenções ou comportamento incorrecto, poderás indicar que não conseguirão estabelecer uma trabalho correcto e objectivo, pelo que eticamente o terapeuta não poderá continuar com as sessões. Idealmente, indicar outro terapeuta;
  • Se a pessoa não tiver as condições de higiene ou caso esteja sob os efeitos de alcool, quimicos, ou medicação intensa que a incapacite, poderás indicar que não tens condições para efectuar o tratamento de Reiki, optando por indicar as situações ou não e pedindo alguma mudança de condições para que possa ocorrer o tratamento. Claro que a excepção está na medicação que unicamente os médicos podem regular;
  • Se a pessoa for um caso de profundo desequilíbrio, indica que no estado em que a pessoa se encontra não a poderás tratar e que eticamente não podes continuar as sessões. Aconselha um tratamento médico e que quando encontrar a sua estabilidade, poderá regressar às sessões.

Todos estes casos devem ser tratados com extrema sensibilidade mas também firmeza. Caso sejas um terapeuta que recebe a pessoa já vinda de outro terapeuta, por favor não julgues a decisão do outro, não comentes ou critiques. Isto porque não sabemos exactamente o que se passou, a pessoa poderá ser manipulativa, distorcer por completo a realidade, o que levará a situações desconfortáveis, fora dos cinco princípios, da ética e da objectividade que precisamos manter.

A ética no Reiki serve para dar as garantias e direitos dos terapeutas e dos seus clientes.