Ter uma mente vazia significa ter um espaço dentro de nós que permite a consciência ser um observador, podendo tomar uma decisão mais acertada perante cada situação. Ter a mente vazia traz grandes benefícios.

Ter uma mente cheia significa deixar popular no nosso consciente e inconsciente pensamentos ruminantes, sem sentido, sem significado, muitos dos quais exaustivos e potencialmente venenosos por despertarem memórias e emoções negativas. Ter uma mente cheia traz grandes prejuízos.

O benefício da mente vazia

Compreender que sempre teremos pensamentos traz-nos serenidade. A mente vazia não implica a não existência de pensamentos. Eles existem e sempre existirão. A diferença está no espaço limite que criamos e nos permite ter mais paz e serenidade interior.

Tudo começa exactamente por aí, por querermos alcançar paz e serenidade interior. Ao sabermos isso, precisamos ter a consciência que devemos disciplinar a mente. Para disciplinar a mente, precisamos praticar.

Disciplinar a mente é como nos prepararmos para disparar uma flecha cujo objectivo é alcançar o ponto preciso do seu alvo, ou seja, é cultivar a concentração. Através da concentração chegamos ao estado meditativo e daí fazemos crescer um jardim de vazio, pleno de potencialidade.

Mente vazia

A concentração pode ser feita de forma muito simples:

  • Todos os dias reserva cinco minutos de manhã e cinco minutos à noite para a prática;
  • Coloca um objecto sem grande pormenor ou apenas uma folha em branco com um ponto preto no centro;
  • Senta-te confortavelmente, mantendo uma postura direita e relaxada;
  • Fica a uma distância do objecto que te permita ter os olhos relaxados e ao mesmo tempo fixos no objecto;
  • Mantém a tua mente fixa, unicamente a olhar para o objecto. Não precisas ter julgamento ou considerações sobre o objecto, apenas precisas olhar para ele;
  • À medida que fores praticando mais e mais, irás compreender este exercício.

O não julgamento é muito importante para a mente vazia, assim como a mente vazia é muito importante para o não julgamento.