Após a aprendizagem e sintonização em Karuna nível 1, vamos iniciar a construção do nosso jardim da alma. Esta construção é assente em vários pilares:

  1. A tomada de consciência;
  2. O desenvolvimento da compaixão;
  3. O entendimento do desapego;
  4. A prática constante;
  5. O tempo.

Filosofia de vida no Karuna

Além de mantermos a prática de Reiki e dos cinco princípios, karuna convida-nos a trabalhar a compaixão. Esta assenta também no desenvolvimento da sabedoria – não pode haver compaixão sem sabedoria nem sabedoria sem compaixão. Ao compreender a importância de não viver em sofrimento e de auxiliar os outros a saírem do sofrimento, tornamo-nos mais leves e ao mesmo tempo mais responsáveis. Neste caminho, precisamos desenvolver o desapego genuíno que advém da compreensão que todas as coisas são impermanentes e que o nosso caminho é longo. A nossa humanidade tem um princípio luminoso e é para esse regresso que trabalhamos. Tudo está dentro de nós.

O autotratamento

A prática do autotratamento não é apenas um momento em que colocamos as mãos. É sim um tempo de crescimento interior e reflexão. Podemos ter em consideração alguns pontos:

  • Ligar à energia Karuna (pode ser usando o zonar);
  • Trabalhar com energia cor-de-rosa, de compaixão (caso o queiramos);
  • Desenhar os símbolos (pode ser do primeiro para o último);
  • Colocar a intenção;
  • As posições de autotratamento são as mesmas das de Reiki;
  • Observar como ressoa cada posição com a energia;
  • Agradecer.

Podemos praticar com os símbolos de formas criativas:

  • Desenhando todos na mão e fazendo o autotratamento;
  • Desenhar apenas um dos símbolos e apenas fazer o autotratamento com ele, refletindo sobre as suas propriedades e efeitos;
  • Desenhar todos os símbolos e repeti-los, visualizando, em cada posição;
  • Desenhar um símbolo por dia e repeti-lo em cada posição.

Este tipo de experiências traz profundo conhecimento sobre a prática e não é exclusiva para o autotratamento.

autotratamento karuna João Magalhães

Meditar

Podes também meditar com os símbolos. Escolhe um por dia e observa o que a sua vibração traz. Experimenta aplicá-lo no teu dia-a-dia, assim compreenderás melhor o que esta energia trabalha em ti.