Gratidão, uma perspetiva tradicional do Reiki

A gratidão pode ser encarada como uma resposta educada no sociedade. Agradecemos por algo que nos façam. Mas, no Reiki, aprendemos que a gratidão está muito além daquilo que apenas é bom, à primeira vista, para nós. O universo, a vida, quer apenas que sejamos felizes e mostra-nos o caminho de formas muito peculiares. Por isso, mesmo as más situações podem mostrar-se positivas. Agradecer ajuda-nos a cultivar felicidade e paz. O Mestre Toyokazu Kazuwa tem uma perspectiva muito interessante sobre o terceiro princípio do Reiki.

Sê cheio de gratidão

Aquele que consegue mostrar a sua gratidão a todo o tempo, é uma pessoa Feliz. É uma vergonha para o que não consegue ser grato por tudo pois não consegue prosseguir uma vida de sucesso e paz. Ao falar sobre a “gratidão”, muitas vezes pensa-se que era usada quando alguém fazia um favor ou recebia um presente. É claro que se deve ser grato nessas situações. No entanto, devemos pensar sobre o oposto de ser grato. Por exemplo, se alguém não te fizer um favor ou não te der algo, é certo ser grato?

O que apreciamos na palavra «gratidão» significa que não és grato pelas coisas materiais mas sim que te sentes grato por todas as coisas dadas pela Mãe Natureza.

Como mencionei anteriormente, como humanos somos portadores de poderes milagrosos, podemos atingir um nível tão elevado como Deus ou Buda que tem uma habilidade superior, dependendo do teu treino árduo. Então, podias expressar a tua gratidão como “graças a Deus” ou “é mais do que mereço”.

Eu não consigo deixar de sentir gratidão do fundo do meu coração por ter uma vida boa e abençoada, em boa saúde e com poucas dificuldades. E sou também grato às flores, árvores, montanhas, rios, pássaros, animais e todas as coisas no mundo.

Aqui está um velho poema:
Kyo mo mata hoki toru teno ureshisayo
Hakanaku narishi hito ni kurabete

Significa: Hoje, eu sou grato por ser capaz de limpar novamente, pensando naquele que deixou de limpar (morreu). Está implícito que deves apreciar o momento que vives em trabalho árduo.

Nós podemos apenas sobreviver sob a bênção de todo o universo. Então, devemos ajudar e suportar uns aos outros, para viver em sociedade. Mesmo os ricos ou de alto estatuto, não podem viver sem a ajuda dos outros.

Devemos ser gratos pela ajuda dos outros. No cristianismo, são ensinadas três apreciações: uma apreciação pela luz do sol, uma apreciação pela água da lua e uma apreciação pela bênção da terra mãe. No budismo, são-nos ensinadas quarto apreciações: uma apreciação pelo país, uma apreciação pelos pais (e antepassados), uma apreciação pelos professores, amigos e uma apreciação pela sociedade.

Desde que a civilização materialista se desenvolveu, quanto maior o progresso tecnológico, mais as pessoas tendem a dizer “eu consegui” e então o mundo torna-se duro e nada gentil. Se consegues obter melhor qualidade em ti mesmo, ao apreciar a natureza e outras pessoas, então terás paz no país, sociedade e no mundo, felicidade na família e um futuro brilhante.

O princípio «Sê cheio de gratidão» ensina-nos a não esquecer a apreciação porque como humanos não podemos viver sem a mãe natureza.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.