Reiki como prática integrativa na saúde pública

A gerente de PIS da Secretaria de Saúde, Adelyany Batista dos Santos explica que a política é o resultado dos anos de ofertas das práticas na rede do DF. “É um avanço a publicação dessa política, tanto de reconhecer esse esforço desses anos de trabalho, quanto de organizar a oferta do serviço daqui para a frente”, ressalta. Adelyany destaca também a importância de como as técnicas encaram o indivíduo. “As práticas integrativas têm um foco na saúde e não na doença. Além de prevenir doenças, elas promovem bem-estar, tranquilidade, redução de fatores de risco, de adoecimento e de socialização nas práticas realizadas em grupo.

11037628_912629562132151_5064236999141440965_nReiki pode estar presente na saúde pública. Basta uma motivação orientada à saúde e bem-estar da pessoa e não uma orientação à doença. Da parte dos praticantes, é pedido o mais natural, uma prática exemplar dos cinco princípios, uma capacitação ética e bondosa.

 

 

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.