Reiki

Trabalhar a ansiedade de saber no Reiki

O Mestre Usui colocou como primeiro princípio, só por hoje, sou calmo. Este é o primeiro de todos os pilares e que muito nos fala do nosso comportamento, acção e reacção. Esta atitude de calma é-nos também pedida para a nossa prática de Reiki, quer na procura de saber, quer no que praticamos e nas mudanças que esperamos alcançar. A ansiedade de saber e a ansiedade pelos resultados podem interferir naquilo que realmente se está a passar connosco e no caminho maravilhoso que podemos trilhar.

A ansiedade de saber e o Reiki

Querer saber mais não é de todo errado, antes pelo contrário. O nosso espírito deve ser inquisitivo, lúcido, usando a dúvida como ferramenta para crescimento. Foi o que senti quando aprendi Reiki – quero saber mais. E este sentir permanece ainda agora, não páro de querer saber mais mas, ao longo de quatorze anos nunca parei de praticar, de colocar em prática tudo o que aprendi. Por isso, se eu tiver uma questão, a perguntar a cinco ou seis mestres de Reiki e depois não colocar em prática, mantendo mais e mais questões, não estou a contribuir para o meu crescimento, antes pelo contrário, estarei a aumentar a minha fome, ansiedade de saber e isso é aquilo a que David Ryan Polga chama de obesidade mental, ou seja, excesso de informação.

Tem calma com a necessidade de saber. Mais poderás ganhar se fores praticando sistematicamente Reiki, sentindo os seus efeitos e isto não é apenas a parte terapêutica mas muito a parte da filosofia de vida. O que te ensinam os princípios em relação a isso?

A ansiedade nos resultados e o Reiki

Quando iniciamos a prática de Reiki, colocamos um objetivo como “o que quero que o Reiki traga para a minha vida”. Para se cumprir este objetivo, temos também que nos lembrar de todos os cinco princípios. A calma que é necessária pois tudo leva o seu tempo. A confiança na prática. A gratidão por cada momento passado (difícil ou fácil). A honestidade, perseverança no nosso trabalho. A bondade para connosco e para com os outros, que vamos desenvolvendo com o trabalho interior. Para desenvolvermos a «arte secreta de convidar a felicidade» temos que observar todos os princípios e praticar, praticar, pratica. Se estamos ansiosos para passar de nível porque isso é que nos trará o conhecimento, o poder, a porta aberta para fazer reiki aos outros e ganhar dinheiro com isso, então a própria energia poderá dar-nos alguma lição. Tudo tem o seu tempo e a ansiedade apenas nos faz acumular as situações. Se formos incapazes de as resolver, então o que nos acontecerá?

Pratica com serenidade. Coloca as tuas questões de forma a que pratiques o que procuras de resposta. Compromete-te com a tua prática, com o teu caminho de cura.

Se te tentas virar para todos os lados, podes mesmo perder a tua própria perspectiva. A obesidade mental faz parte desta cultura de informação, que se está a tornar excessiva. Pratica e sê simples.
Se te tentas virar para todos os lados, podes mesmo perder a tua própria perspectiva. A obesidade mental faz parte desta cultura de informação, que se está a tornar excessiva. Pratica e sê simples.

Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e fundador da Ser - Cooperativa de Solidariedade Social. Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki», «Reiki Usui», entre muitos outros. Fundador da revista "Budismo, uma resposta ao sofrimento". Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

2 comentários

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.