Estudo indica as 5 regras de ouro para prevenir a demência

Uma revisão de estudos académicos feita pela ONG britânica Age UK identificou cinco passos que podem ajudar os idosos a manter a saúde do cérebro e a reduzir o risco de se desenvolver a doença de Alzheimer e outras formas de demência.

Segundo a organização, cerca de 76% do declínio cognitivo – mudanças nas habilidades cerebrais, que incluem perda de memória – está associado ao estilo de vida do idoso e a outros factores ambientais, como o grau de educação.

E essas mudanças nas capacidades cerebrais podem ser influenciadas pelos hábitos do quotidiano.

“Ainda que não haja cura ou forma de reverter a demência, os estudos indicam que há formas simples e eficientes de reduzir o risco“, diz Caroline Abrahams, directora da Age UK, em comunicado da ONG.

“Mais do que isso, as mudanças que precisamos fazer para manter nossos cérebros saudáveis já se provaram boas para o coração e para a saúde em geral. Quanto mais cedo começarmos, melhores as nossas hipóteses de termos uma vida saudável nessa etapa da vida”, diz Caroline Abrahams à BBC.

Um dos estudos revistos pela Age UK, realizado ao longo de 30 anos, identificou que homens de 45 a 59 anos que seguiram pelo menos 4 dos 5 pontos de uma “lista de regras” reduziram em mais de um terço o risco de perda cognitiva e de demência, por comparação com os restantes.

Abaixo, as 5 regras de ouro para prevenir demência:

1. Exercício físico regular

Exercícios aeróbicos, de resistência ou equilíbrio mostraram-se como o método mais eficiente de evitar o declínio cognitivo entre idosos.

“Estudos sugerem que exercitar-se três a cinco vezes por semana, entre 30 minutos e 1 hora, é muito benéfico”, diz a Age UK.

Uma das sugestões da ONG é que os idosos que não tenham problemas de mobilidade juntem às sua rotina diária pequenas caminhadas – por exemplo, ir a pé até ao supermercado em vez de conduzir, usar as escadas em vez do elevador,  parar um pouco mais longe do destino quando se conduz, para andar pelo menos parte do percurso, e planear caminhadas em lugares agradáveis ao fim de semana.

2. Dieta mediterrânica

Num levantamento publicado o ano passado, investigadores analisaram os hábitos alimentares de 17,4 mil pessoas com uma idade média de 64 anos – e as que tinham uma dieta parecida com a dieta mediterrânica viram o seu risco de deterioração mental reduzido em quase um 20%.

dieta mediterrânica é rica em ácidos gordos ômega-3, encontrados em alguns peixes, nozes e linhaça, além de incluir muitos vegetais e frutas frescos, que têm pouca gordura saturada. Tudo isso ajuda o sistema nervoso e o cérebro, além de ter efeitos positivos já identificados sobre a memória.

3. Não fumar

Um estudo publicado em fevereiro na revista científica BMJ sugere que deixar o vício do tabaco pode melhorar também a saúde mental.

O estudo em causa analisou a informação recolhida em 26 estudos anteriores, e descobriu que as pessoas que deixaram de fumar,  comparativamente com quem continuou a fumar, tiveram uma redução do estado de depressão, ansiedade e stress, uma maior boa disposição e qualidade de vida.

A descoberta veio contradizer a ideia generalizada de que fumar faz bem à saúde mental.

4. Beber álcool – mas com moderação

Beber em excesso também está relacionado com um maior risco de demência – causando perdas de tecido cerebral, sobretudo nas partes do cérebro responsáveis pela memória e pelo processamento de informações visuais.

Ao mesmo tempo, o consumo moderado de álcool parece proteger o tecido cerebral, ao aumentar o bom colesterol e baixar o mau.

5. Prevenir e tratar diabetes, tensão alta e obesidade

Um estudo global apresentado em setembro pela Alzheimer’s Disease International revelou que as pessoas que sofrem de diabetes têm probabilidades muito maiores de desenvolver demência.

O estudo não consegue precisar até que ponto a diabetes em si aumenta os riscos de demência, mas identificou que as pessoas portadoras da diabetes tipo 2 – a mais comum – também têm mais probabilidade de sofrer de obesidade e outros problemas de saúde, que tendem a aumentar o risco de demência.

Na prática, 5 regras de ouro que não são só bons conselhos para manter a saúde física – mas ajudam também a preservar a saúde mental.

ZAP / BBC

1 thought on “Estudo indica as 5 regras de ouro para prevenir a demência”

  1. Caminhar bastante, em todas as idades. Ler tb é fundamental. Exercícios cognitivos igualmente e gostei da parte de beber álcool com moderação. Meio copo de vinho tinto várias vezes por semana é muito bom para o cérebro. E os nossos vinhos que são tão bons!
    O caminho do meio é sempre o mais acertado! 😁
    Um abraço 🙌

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.