Reiha – a onda de Reiki

Kaiji Tomita chamava Reiha ao fluxo de Reiki – a onda de Reiki. Esta é a sensação que temos quando a energia é emitida através das nossas mãos e flui para onde é mais necessária.

O Reiki é percepcionado por cada pessoa de uma forma única. Alguns podem dizer que sentem calor, outros uma espécie de formigueiro ou ligeira brisa, para outros é ainda algo de magnético. As sensações podem ser muito diferentes e todas elas representam a energia. Por isso, não te preocupes tanto em sentir se as mãos aquecem ou não mas tenta perceber como realmente tu sentes a energia, isso sim é importante.

Fazer fluir Reiha, a onda de energia, vai depender do receptor, se ele realmente quer e precisa receber a energia e vai depender também de ti mesmo, se estás ligado à energia, de mente limpa e coração predisposto. Depois, é deixar fluir, sem te preocupares, confiando em ti mesmo e na energia. Poderás ter feedback e percepções nas mãos à medida que vais fazendo Reiki nas várias posições, a isso chama-se byosen – sentir o que está mal.

Se sentires muito calor a sair das mãos, significa que essa área está a precisar de muita energia, enquanto que se sentires pouca, quer dizer que a zona está quase plena de energia. O formigueiro representa perturbação na área e uns picos fortes podem representar dor forte. Quanto maior for a tua percepção sobre a energia mais compreenderás o que estás a fazer e o que a pessoa necessita como um todo. Confia em ti e pratica muito.

A energia flui das nossas mãos, como se fosse uma onda - Reiha

A energia flui das nossas mãos, como se fosse uma onda – Reiha

Author: João Magalhães

Sou Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Mestre de Karuna, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e co-fundador do CENIF. Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki» e «Reiki – Elevação da Consciência». Professor de Meditação Terapêutica Integral. Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

Share This Post On

Deixe um comentário