Estudo de Reiki sobre os efeitos na comunicação com pacientes em coma

Verusk Mimura realizou para o seu trabalho de pós-graduação um estudo de Reiki intitulado “A COMUNICAÇÃO E AS TROCAS CULTURAIS MEDIADAS PELO REIKI COM O PACIENTE EM COMA”

Segundo este estudo “A utilização do Reiki pode despertar nos profissionais a capacidade de comunicação por meio da percepção de sinais sutis que o paciente pode apresentar durante as sessões de Reiki, promovendo a humanização da assistência de enfermagem.”

De facto, a terapia Reiki é humanizadora e apesar dos seus efeitos não estarem comprovados cientificamente com dados absolutos e estatisticamente distintivos, quem recebe tem sempre algo a dizer sobre a experiência e sobre como auxilia a pessoa a encontrar a harmonia e saúde.

Reiki pode ter um papel interessante na comunicação ou estimulação do paciente em coma.
Reiki pode ter um papel interessante na comunicação ou estimulação do paciente em coma.

RESUMO
A comunicação é interação e troca entre pessoas, e só se torna efetiva quando produz mudanças no outro. O processo de comunicação está intrinsecamente relacionado à cultura dos sujeitos envolvidos. O Reiki, objeto de estudo deste trabalho, representa uma prática cultural e uma possibilidade de comunicação, entendida como construção de vínculos. O objetivo deste estudo foi identificar indícios prováveis do processo de comunicação com o paciente em coma induzido, durante a aplicação das sessões de Reiki, por meio da leitura e interpretação de possíveis alterações da frequência cardíaca, do percentual de saturação de oxigênio no sangue e de sinais subjetivos emitidos pelo corpo por meio das expressões faciais e corporais. Para análise dos resultados, utilizamos os códigos hipolinguísticos, segundo Bystrina (1994), e os princípios ambiência, vinculação e projetividade, considerados por Pross (1972) e Kamper (1972). A amostra se constituiu de um paciente com 51 anos de idade, sexo masculino internado na Unidade de Terapia Intensiva Adulto. O paciente selecionado apresentava quadro clínico de coma induzido, com pontuação de R4/R5, mensurado pela Escala de Sedação de Ramsay. O paciente foi submetido a uma sessão de Reiki diária, totalizando-se cinco sessões administradas em horários que não coincidiram com o horário de visita. Foram observadas alterações na frequência cardíaca, percentual de saturação de oxigênio e expressão facial do paciente após as sessões administradas. Existem poucos estudos hospitalares acerca da aplicação do Reiki no Brasil e, nesse sentido, nosso achado poderá vir a contribuir com a necessidade de continuarmos as pesquisas acerca do Reiki como processo de comunicação, além de outros benefícios ao indivíduo que o recebe. Acreditamos que, após nosso estudo, abram-se caminhos para a aplicação do Reiki nos pacientes hospitalizados, independente de sua patologia.

Vale a pena ler este excelente trabalho, aqui…

1 thought on “Estudo de Reiki sobre os efeitos na comunicação com pacientes em coma”

  1. Maria Filomena Franco de Almeida Pessanha Isidoro

    Um paciente em estado de coma.continua a ter ocoraçao a funcionar,como tal Reiki que é também terapia de coraçao com corçao,tem sempre favoraveis resutos analiticos e clínicos.Mesmo que e enquant o Reiki nao é reconhecndcido na sua essencia.Nós terapeutas de Reiki só temos mesmo que insistir em praticar,sempre e onde e permitido com o foco principal o doente o resto …Só ~Por Hoje Confio.Abraço e obrigada Joao por mais este trabalho

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.